História Ele é um humano - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 6
Palavras 3.574
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom espero que não se importem.
Não quero capítulos demais na fic então juntei todos aqui. Os 4 que tinham.
A partir de agora os outros virão maiores.
obg pela atenção! ❤

Capítulo 1 - Uma desordem


Mais um dia chato encaminhando-se lentamente enquanto o dorminhoco, dormia.

(TAEHYUNG POV)

Dormia serenamente como de costume esperando o belo dia amanhacer para me levantar animado, sorridente, feliz, disposto e pronto para mais uma dia super lindo, com uma coragem escaldante dentro de mim. Só que não!

Ah, vamos falar a verdade né...

Quem acorda com essa auto estima toda? Ninguém.

Eu poderia aproveitar sim meu lindo dia feito somente para me fazer brilhar, transbordar, sair em capas de revistas anunciando: o mais novo recatado acordou com tudo hoje!

Infelizmente isso é uma ilusão.

Não gosto de mídia, fotos, acordar, ser acordado, me interromper enquanto estou em um sonho maravilhoso e que me acordem sem ser algo importante. Dai sei que já deu pra notar o quanto o sono vem em primeiro lugar, não é mesmo?

Uma noite tão serena e linda me fazia abrir um sorriso Largo e abundamente feliz, enquanto eu arrumava-me para ir fazer o que? Dormir, acertou! Bem, sempre tem algo para me atrapalhar no meio das cobertas antes de finalmente fechar meus belos olhos.

Vontade de fazer xixi.

Mas que merda!

Não. Definitivamente, eu não tomo muita aguá antes de dormir, mesmo assim parece que estou secando profundamente enquanto repouso meus joelhos sobre a privada e abro a tampa calmamente, facilitando meu momento - especial.

Meu xixi ser liberado entre dois jatinhos nada bom, legal de se ver? Até que é divertido ser homem.

Deixa pra lá vou voltar pra cama agora e amanhã eu limpo o banheiro, sei que foi xixi pra todo lado agora. Cama me espera!

Poxa vez ou outra as pessoas falam e eu tenho que concordar, o sono só vem quando está amanhecendo o dia pra definitivamente virarmos zumbis.

Dizem isso? Não. Mas to nem ai. So sei que eu passo o dia todo com sono e quando chega a noite ele sai do meu corpo e entre em órbita. Só pode.

Tae meu filho levanta logo já são nove horas da manhã - acordava-me calmamente como se fosse me quebrar - Você tem um compromisso daqui a trinta e cinco minutos e mais alguns segundos, antes que o jimin venha aqui e saia lhe arrastando.

Bufei intrigado sem contrariar minha mãe - já desço mãe - respondi calmo demais, parecia que eu tinha comido uma lesma ou alguma tartaruga de tão lento que falei.

-Te espero lá em baixo meu amor. - Me deu um beijo maternal daqueles que tanto amo.

- Ah não mãe!... -- Reclamei após ela ter se levantado da cama rapidamente e sair deixando a lâmpada acesa.

Me debati feito um louco na cama, bufando de raiva, levantei para apagar mais acabei por quase ter caido para trás do susto que levei.

- Surpresa! - Gritou minha família louca. - Feliz aniversário meu docinho, mamãe te ama muito...

O discurso da minha mãe durou por tanto tempo que se me apertasse mais um pouquinho, eu teria dormido nos braços dela ainda em pé por conta do sono.

Ainda dormindo serenamente depois de ter feito xixi.

Espera. Eu sei que deitei pra dormir, sujei o banheiro de xixi e ainda estou dormindo.

Onde e quando permiti esse tipo de sonho? Meu aniversário? Han?

Só posso estar louco.

Com umas florizinhas coloridas voando sobre o telhado da minha casa, me apoiei na madeira rústica da janela para observar aquela linda Primavera. Outono. Espera, ah! Não sei. Mas é isso.

Lá fora estava tão lindo e eu observava com meus olhos lindos do castanho mais perfeito, denunciava que ia chover em breve mesmo assim eu estava la, parado recompondo minha energias. Sei que demorei alguns minutos ainda em pé quando ouvi um estrondo vindo da sala e a voz da minha mãe.

- Acorda filho, você precisa ir trabalhar... - E várias outras linguagens nas quais não reconheci.

Era só falar em trabalhar que meu corpo respondia com um curto de choque e na hora me vi entrando em órbita.

Eu não estou acordado, não estou.

E aquele mantra se repetia severamente na minha linda cabecinha, enquanto ainda tentava formular um sonho comum, ou algum sonho bom. Só queria que esse pesadelo vindo a palavra - trabalho - sumisse logo e se perdesse no meio do espaço.

Por que na minha cama somente eu. Uai?

É, infelizmente a vida é dura e eu não fui acordado com tanto amor pela minha mãe, como quando eu estava ainda sonhando a exatas: nove horas atrás. É acho que dormi demais.

Ou não! Durmo quando quiser.

- Acorda logo retardado... ashi! Acorda Taehyung... temos que ir pra escola. Estamos quarenta minutos atrasados.

É, foi assim que acordei, com um Jimin completamente irritado e o meu corpo caido agora sobre o chão gelado de madeira rústica, espatifado como uma almofada, amassado no chão.

Dramático! Foda-se.

- Vai se ferrar. - Falei saindo em disparada pro banheiro, pra não me atrasar mais do que já estou. - Não precisava me derrubar seu anão malcriado.

- Não tinha outro jeito, seu coala esfomeado.

- Pelo menos eu como e não engordo. -Rebatia do banheiro e ele dentro do quarto.

- Já ouviu falar que tem gente "magro de ruim"? Então... é você! Pelo menos eu tenho uma carninha pra apertar. - Rebateu feliz com sua resposta mas não deixei barato.

- Daria um belo churrasco. - Me segurei pra não rir e sai enrolado com a toalha do banheiro.

- Algumas pessoas gostam de chupar ossos... até que você é uma delicinha. - Ruborizei com o flerte desnecessário do anãozinho a minha frente. - Posso te chupar?

- Ah! Não enche o saco Jimin... - terminei de me vestir e peguei o pente para arrumar essa juba de Leão.

- vamos logo meninos o motorista ja está esperando. - Gritou minha mãe do andar de baixo.

- Bom dia mãe! - A abracei forte e ela me respondeu um - Vai pela sombra - e eu sei rindo com meu primo jimin feito dois retardados.

- Estou cansado - Falei bocejando ao tempo em que entramos no carro e jogamos nossas bolsas no banco da frente - Não tenho dormido muito ultimamente...

- Fala sério taetae? - Me lançou um olhar sinico - Poxa eu tenho vontade de te socar... affs... você só vive dormindo e ainda tem sono? Na próxima reencarnação me lembre de pedir aos Deuses para que você nasça um urso polar pra poder hibernar. E. Me. Deixar. Em. Paz. - Quanto rancor no coração.

- Credo falando assim parece até que você não dorme. - o carro sacudiu, passando por um quebra molas e batemos nossa cabeça no teto solar. agradeci mil vezes por estarmos de cinto. Se não tínhamos ficados grudados em cima do carro.

- Ai doeu!

- Ai doeu! - Imitei sua vozinha fofa e ele revirou os olhos em desagrado.

Exagero?

Problema meu!

- Estão entregues. - Falou o motorista após nos entregar as devidas mochilas escolares e descermos do carro rindo mais uma vez. Feito idiotas.

- Vamos logo comer, estou morrendo de fome. - Falou Jimin o mais fofo.

- Disceram que hoje só iria ter comida pra uma pessoa em especial. - encarei com sarcasmo.

- E quem seria? Você? - Revirou os olhos.

- Claro! Se quer comer vai ter que me alcançar primeiro. - E foi nessa hora que todos pararam pra ver o quanto é anormal deixar duas pessoas com fome, correndo que nem loucos pra dentro de um refeitório. Provavelmente achando que a comida fosse acabar.

Corremos tanto que quase levei uma queda esbarrando com "sorte" em um balde de lixo.

Uffa! Ainda bem que foi no balde, imagina se fosse em alguém? Provavelmente brigariamos, iríamos parar na detenção - exagerado? Sou sim - e eu ficaria sem comer o delicioso café da manhã de hoje.

Sereal com leite e chocolate quente.


_¤_¤_¤_¤_


Um número que caiu no chão e eu peguei - guardei - no bolso da minha calça.

- Você poderia pelo menos agir como um rico educado? Tá parecendo que faz séculos, que não come nada. - Jimin sempre insensível com a maritaca nas alturas.

- Não acho isso. Só pq pedi pra buscar mais outro chocolate quente? Deveria me amar mais, ou eu conto pro... - aquele coisa fofa "pra não insultar" faz questão de me interromper no meio de uma chantagem emocional.

- Sério? Não diga! Você não tem jeito mesmo heim... Eu peguei Quatro /4 sabe o que são quatro? - Disse com desaforo - quatro chocolate quente e quatro tigelas de sereal pra você, fora que você fez o favor de roubar uma colherzinha do meu. - Eu me acho normal. Quem ele acha que é pra achar, que ta achando, que pode achar algo, que ache de mim? Desculpa me impolguei.

- Insensível... - Fingi uma leve dor no peito - Foi só uma colherzinha. Nem fez diferença... - Tocou o sinal para a segunda aula.

- Vamos logo guri.

- Também te amo... munamur. - Sou uma delicinha quando eu quero.

- Olha lá! Ali... na sua frente. Ashi... - Jimin e suas complicações.

- Olha ali... ali... ali... ah! Jimin, me polpe. Ele nunca vai me notar.

- Oh! Ele vai sentar do seu lado, cuidado taetae ele pode querer te comer vivo. Delicinha. - Jimin não poderia me envergonhar mais na frente de Jackson? Acho que sim, por que ainda não ta funcionando. Só estou com minhas bochechas vermelhas, mãos suadas, coração acelerado e umas borboletas barulhentas, irritantes que consomem meu estômago. Sinto que a qualquer momento vou ter um tic nervoso.

Opa crushe! Você ta gato hoje heim... vamo fecha? - Tinha que ser Jimin pra me trazer esses conturbados pensamentos de: e se o crush me notar? Vou agarrar ele, beijar, estapear a cara do Jimin e ainda sair rebolando pra todo mundo ver que; O. Crushe. Me. Notou.

- Bem que eu faria qualquer coisa, qualquer coisa mesmo axalá, pra o Jimin parar de flertar comigo nem que fosse pelo menos por cinco segundinhos.

- Filho da mãe... - reclamou após eu lhe dar um tapa estalado forte no seu bumbum de nenê gostoso. - Isso é uma bunda não um saco de pancada. - E começamos mais uma vez a zueira na sala.

_¤_¤_¤_¤_

Nesse momento eu tô no meio de uma multidão "baderna" de meninas loucas e meninos prontos para desmairem, por causa de dois alunos novos. Estava tentando me infiltrar no meio daquela cambada de gente sem ter o que fazer - quase dormi no calor dos braços de tantas pessoas - opa? Que menino maravilhoso! Agora entendi a loucura desse tumultuado todo.

O novíssimo aluno Min Yoongi chegou a escola.

- Ah! Tão lindo... - Fiquei sonhando acordado.

- Tira o olho, vai dormir, faz qualquer merda! Mas esse é meu.

Jimin pocessivo ashi... Nem falei nada.

Tem mais outro? Sim, mas esse eu ainda não descobrir o nome.

Ele tem um belo corpo.

E... olha lá, um papelzinho no chão. Opa, já e meu, puf! Ninguém pega.

- É um número? - Olhei torto pro papel novamente.

- Tá falando sozinho delícia?

- Vai a merda Jimin, tenho assuntos mais sérios pra resolver do que perder meu tempo. Com você. - Sai sorrindo fofo.

- Magoou insensível. - Me deu língua.

Eu juro que vou acabar derrubando Jimin em um saco de lixo amarrar e jogar ele ponte abaixo. Ele tá me tirando do sério. Gostoso do caralho. Lindo. Ah! Tão gato Jimin, pena que é meu primo.


Conquistando o crush pro amigo

Aqui estava eu... pera! Aqui aonde?

A sim, aqui no banheiro da escola. De boa sentando sobre a tampa do vazo sanitário - só pra deixar claro que eu não estava cagando - salvando no meu celular o número que encontrei no papelzinho, jogado no chão.

E pah! Não fazia a minina ideia de quem é ele. Não tem foto, não tem whatsApp, não encontrei nada quando salvei que pudesse reconhecer o indivíduo que neste momento está me fazendo só perder tempo no banheiro.

- Droga! - Me exaltei.

- Jovem Kim, faz meia hora que pediu para ir ao banheiro! Você está se sentindo bem? - Perguntava o meu querido professor do outro lado da porta. - Me assustei que quase caio da privada.

- A-a-a... é... hum, claro professor! Só com um pouco de dor de... Aiih - fiz um barulhinho como se realmente estivesse utilizando o vaso - barriga.

"Professor burro!"

- Sinto lhe informar que não estou com meu nariz entupido muito menos perdi os sentidos, após sair do banheiro e parar de vagar aula, estarei lhe esperando na coordenação.

"Retira o que eu pensei!"

- Claro pro-fe-ssor. - Ironia sempre.

_¤_¤_¤_¤_

- Mainhê? Cadê a senhora? - Cheguei em casa triste pronto pra bronca, eu sabia muito bem que o coordenador ja avisou que eu fui suspenso.

- Estou na cozinha Kim Tehyung! - Falou animada.

Vish, falou meu nome completo.

- Mãe, eu preciso conversar com a senhora! - Olhei com medo mas com um dos meus melhores sorrisos.

- Claro! - Sentou na cadeira e ficou esperando eu começar o meu queridisso discurso emocional que eu amava fazer, dava até pra abrir uma empresa só falando, porque poxa "é cada rima TOP! Que não tem quem me segure viu".

Puxei o ar! Shum. E começei falar.

- Minha querida mãezinha! Eu levei uma bronquinha; hoje dormir um poquinho; enquanto fazia o meu dever; tomei uma suspensão; eu não queria apanhar; muito menos ver você me bater; não respondi as atividades; muito menos o meu dever; cheguei a vagar aula; tudo pra não ficar depre; aula de matemática é muito chata; mas eu amo você!

É cada uma melhor que a outra, me sinto o super fodão. Dava até pra ganhar um dinheirinho extra! Eu ja falei isso pra minha mãe mas ela não gostou. Fazer o que né? Talento não é pra todos e eu senti que ela ficou com uma invejinha da minha rima. Fala a verdade... Ficou foda, não ficou? Sim!

Eu amo minha mãe! Motivos óbvios: ela entrou nesse joguinho de rima e começou me responder dançando igual uma maluca dentro da cozinha.

"Comecei a rir feliz pela felicidade dela!"

-Oh! Kim Taehyung quem diria? Justo você! Não fique na depre. Mamãe tá aqui e vai resolver! Meu Kim ta tão crescido olha só o meu sorriso de quem vai te deixar de castigo, tudo por que não fez o dever? Imagina Kim Taehyung, eu até poderia resolver assim, mas prefiro outro tipo de castigo um pouco melhor que, um castiguim. Terá que acordar cedo, lavar suas roupas e seu banheiro, arrumar seu quarto, trocar os chuveiros. Que você fez o favor de queimar! Passa tanto tempo lavando os pelos, que esquece que pode morar no banheiro, enquanto tem uma mãe que faz tudo, aqui nessa merda dessa casa. Meu filho não seja trambiqueiro, vá logo arrumar um emprego e não venha com conversa fiada se não eu juro que vou te lapiar. Não to sendo nem um pouco insensível mas quero que entenda meu filho, sou eu que faço tudo por aqui. Uma hora ou outra terá que ajudar.

Depois desse belo "rimão" mandei palmas pra todos os lados e parabenizei-a. Na logo emburrei a cara.

"Retira o que eu falei!"

- Mainhê... - fiz uma voz tão manhosa que cheguei a bocejar - eu não tenho idade pra enfrentar a vida, preciso me alimentar bem, estudar e dormir, é somente isso que eu preciso.

- Meu filho eu não vou mais passar a mão pela sua cabeça. Você tem dezenove anos e sabe muito bem que já ta na hora de arrumar um emprego. - jogou as panquecas que voltou a fazer pro ar.

Sentei emburrado na cadeira com um bico nos lábios que se cortar: daria duas linguiças! De tão grandes que ficaram. Eu só queria um pouco de compreensão.

Quem trabalha aos dezenove anos?

Isso mesmo, todo mundo! Mas eu não.


Isso é injusto. Minha mãe ter tanto dinheiro e querer me obrigar a trabalhar. Affs.

Eu só preciso dar carinho a ela! E ela ainda ta achando ruim? Depois reclama que ninguém pensa nela, que eu to desprezando ela, que não me importo mais com ela, que no dia que ela morrer eu vou sentir falta... blá, blá, blá, blá... faz tanto drama que dava pra fazer uma peça de teatro ou ser contratada pra fazer novela.

- Credo mãe. - Sai correndo pro quarto.

- Sem vídeo game por um mês e trate de ir procurar um emprego amanhã mesmo. - Gritou.

- Asshi!!!

_¤_¤_¤_¤_

Sabe, ficar no quarto sozinho de castigo não deve ser algo ruim!

Definitivamente - sozinho - não!

Posso aproveitar do meu corpinho o quanto eu quiser - o que? Voces nunca Colocaram a mão no pinto? Uai! Eu também não. Povo malicioso!

To falando de dormir mais. Ler um livro. Dormir mais. Comer algo. Dormir mais. Um mês sem ir pra escola. Dormir mais. Definitamente descansar o corpo é uma dadina, divinamente, divina, divinada.

- Taetae? - Jimin abriu a porta do meu quarto.

- O que é? Veio aqui pra se vingar? - Perguntei olhando pro teto - por que eu to de de castigo.

- Não taetae, para de ser bobo. A tia me deixou te levar pra tomar sorvete...

- "Aii, definitivamente eu tenho o melhor primo do mundo". - Disse lhe dando um abraço.

Plim!

- Seu celular tocou Jimin.

- Sua mãe! - Olhou pra mim e suspirou - ela ta dizendo aqui que é mentira minha e que se eu te levar sem a permissão dela pra sorveteria - olhou pra mim com cara de que realmente ia me ferrar - nunca mais eu vou sair com você e seu castigo vai almentar.

- "Retira o que eu disse e devolve meu abraço". - Fiz cara de poucos amigos.

Esse filho de uma mãe bem estruturada, sem pai, ia me ferrar! Deixa pra ele ver quando eu sair do castigo. Há! Ele me paga. Mas vamos lá, ainda não desisti de saber de quem é o número.

Sendo assim resolverei da melhor maneira possível. Ligando. E vou jogar a bela e famosa mentirinha de chamada errada.

Trim... trim... trim...

Droga atende logo!

Ops! Atendeu.

€ - Alô, quem é? - Perguntei com Jimin - esse traíra - ainda do meu lado.

Você que ligou pra mim, deve saber. - Credo que menino ignorante.

€ - Eu queria falar com... - Pensei - Seu José. - Parabéns Taehyung, seu José ta feliz por ter recebido uma ligação sua agora.

E Jimin fazendo poucos casos com isso apenas mexendo em seu celular deitado na minha cama.

€ - Você ligou errado, aqui é Yoongi moço. Devo notar que provavelmente está ligando pra seu pai, pois hoje é a data comemorativa. Mas lamento não é ele. - putts. Ele falou Yoongi isso mesmo? Ah! Mas voltando ao caso. Como eu sou tão burro que esqueci que hoje é dia dos pais? Ele deve ta triste, que decepção de filho eu sou.

€ - Ah, sim, claro, isso mesmo... me desculpe Yoongi? Né isso? - Perguntei e Jimin olhou pra minha cara espantado.

€ - Oh! Sim, sim, e você? - Perguntou tossindo. Deve estar resfriado.

€ - É... hum... é Kim. Me desculpe mesmo moço agora tenho que desligar. - Desliguei a ligação na cara do pobre Yoongi. Coitado, tenho dó se ele acha mesmo que vou perder meu tempo falando com ele... não. Espera. Mas foi eu quem liguei pra ele! Ashi como eu sou retardado.


- Idiota, hei maluco com quem você tava falando? - Perguntou Jimin, so porque ouviu eu falar o nome Yoongi. Interesseiro.

- Não te interessa. Agora com licença. Esqueci de dar os parabéns pro meu pai, tenho que culpar minha mãe por ter me deixado de castigo dizer que por isso esqueci de comprar o presente dele...

- Esqueceu do dia dos pais de novo não foi?!

Puta merda menino pra gostar de ler pensamentos.

- É! Mas ninguém precisa saber disso. Linguarudo!

- Credo... quem era aquele que você tava falando? Fala vai, deixa de ser ruim. Se não falar eu vou falar pro seu pai que você... -passou a mãos no cabelo.

- Para de me chatagear Jimin. Vai buscar água pra mim, por favor? - Escondi o celular dele atrás de mim.

- Preguiçoso Asshi...

Quando ele saiu do quarto peguei rápido seu celular e salvei o número do Yoongi. Eu vou aprontar com ele pra me vinga pelo mesmo ter mentido em me levar pra tomar sorvete.

- Voltei! - Falou Jimin segurando o copo.

- Quem?

- Eu! - Respondeu sorrindo.

- Quem? - Fingi não entender.

- Eu oh debiloide.

- Quem perguntou?

- Idiota. Não sei porque ainda caio nesse história sua... "Quem? Quem? Quem? Perguntou..." - imitou eu falando - asshi.

- Vou no banheiro. - Peguei o celular sem ele ver e o meu também, claro!

E agora aqui estou eu, trancado no banheiro mandando mensagem pra Yoongi via rede, pelo chip mesmo. Credo.

Quem hoje em dia não tem whatsApp?Yoongi! Com certeza.

Aqui estou enviando uma mensagem dizendo: eae gato vamos brincar de nuvem? Eu fico nu e você vem! - Jimin vai me matar.

To nem ai.

- Kim Taehyung por favor não me diga que você ta com meu celular, já procurei ele por todo canto e não achei.

- Estou sim! Yoongi vai adorar às mensagens...

- TAEHYUNG?! Eu vou te matar... sai desse banheiro... Taehyung não faz isso, por favor?

- Já fiz, você queria me ferrar qual a diferença? - Perguntei encostado na porta.

- A diferença é que não tô mandando mensagem pro seu crush seu idiota... taehyungiie.

- Pontinho aqui seu celular - entreguei saindo do banheiro - boa cantada.

Jimin pegou o celular com receio do que eu havia escrito e dessa vez eu arrumei coragem até de onde não tinha pra correr.

- So corre, por que quando eu te pegar, vou deixar um estrago tão grande que você não vai ter história pra contar.

- Mainhê...

E correndo eu fui.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...