História Ele sempre pode ler ela. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Personagens Originais, Ronald Weasley
Tags Amizade, Amor, Beijo, Drama, Harmione, Harmony, Harry Potter, Hermione Granger, Mistério, Namorada, Revelaçoes, Romance, Segredo, Tempo
Exibições 124
Palavras 1.939
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Da quarta para quinta e a realização.


A quarta namorada de Harry também se reuniu com os lábios franzidos e nariz enrugado de Hermione.

Lisa, uma cabeça vermelha confiante, passou mais tempo sorrindo para as câmeras do que falando com Harry ou Hermione e ele percebeu muito rapidamente que ele era o bilhete premiado para a atenção que a namorada queria receber. Ela parecia se deliciar com os holofotes e nunca estava demasiadamente ocupada para dar uma entrevista para O Profeta Diario sobre o grande Harry Potter. Hermione não tinha gostado dela, para começo de conversa, depois de ter lido demasiadas citações dela, sem contar a imensa quantidade de fotos para as quais ela posou no jornal. Mas ela deu seu melhor esforço para tentar gostar de Lisa, quando Harry introduziu-la em uma das festas para uma instituição de caridade que fora organizada por Hermione em nome do Ministério. Enquanto Hermione tentava falar com Lisa sobre como ela e Harry haviam se conhecido, Lisa dava meias palavras de retorno e logo passava todo seu tempo dedicada em acenar e sorrir, como um verdadeiro troféu, se apertando contra Harry cada vez que uma câmera aparecia na frente deles. Antes de dar meia noite, Harry havia terminado com ela e passado o resto da noite com Hermione, que estava o consolando, ao mesmo tempo que pedia para que Dobby fosse até seu apartamento e trouxesse um pote de Ben&Jerry que estava em seu congelador para que eles pudessem compartilhar enquanto esperavam o final do evento de caridade. Eles teriam ido embora mais cedo para que ele pudesse se chafurdar na compaixão dela, mas Hermione sendo a coordenadora da festa, tinha que ficar e Harry não queria ir para casa sozinho.

Seu último e mais recente caso, bons nove meses atras, havia sido Júlia. Harry estava saindo com Júlia, que preferia ser chamada de Lia, durante três meses inteiro antes de apresentá-la a Hermione. A essa altura, ele já sabia sobre sua técnica patenteada para ter ou não namoradas - tendo Ron dito o que ele fazia logo após o término dele com Emília. Ao invés de lutar contra sua estranha necessidade de saber a opinião de Hermione, ele aceitou o que quer que fosse que ela achasse de suas namoradas, obviamente, sendo algo significativo para ele. Julia era uma auror que tinha um grande amor por literatura trouxa e era uma grande fã do Chudley Cannons. Ela e Ron se conheceram durante um jogo, sendo eles os maiores torcedores do time laranja e preto. Ron apresentou ela a Harry mais tarde, quando se encontraram no Th'Quaffle para um drink da vitória. Ele não havia conseguido chegar para ver o jogo, já que era domingo e ele havia passado o dia com Hermione e os Grangers. Ele e Júlia encontraram um papo que fluía bem entre eles, falando sobre Quadribol e sua linha de trabalho. Ela estava em uma divisão separada de Harry e Ron, explicando o porque eles nunca haviam se esbarrado antes pelos corredores, e Harry logo se tornou um interessado pela divisão que ela atuava, querendo aprender mais sobre o que ela fazia.

Ele namorou Júlia durante três meses antes de finalmente apresentá-la a Hermione, a quem Júlia não era tão interessada em conhecer em primeiro lugar. Parecia que o único problema real de Harry com Júlia era o assunto Hermione, que havia sido bem ignorado durante todo o tempo que eles namoraram. Ela parecia desconfortável com o quanto eles significavam um para o outro ou como enraizados na vida um do outro, eles estavam. Quando Harry não conseguia encontrar suas roupas, ele só precisava fazer uma ligação floo para Hermione e ela o diria exatamente onde ele havia deixado. Quando ele teve uma briga séria com Júlia, ele foi diretamente para o apartamento de Hermione, se aninhando com ela em sua cama e cochilando, como se fosse a coisa mais natural do mundo. Mesmo que Júlia não tivesse ainda encontrado com Hermione, ela constantemente acusava a melhor amiga de Harry de tentar tirar ele dela. Ela fazia uma careta toda vez que o nome de Hermione era citado, bufando quando Harry dizia que estava indo de encontro a ela ou o ignorando quando ele mencionava qualquer coisa a ver com o café da manhã aos Domingos. Harry estava muito irritado com toda a situação e decidiu que tudo que Júlia precisava era encontrar Hermione e suas inseguranças cairiam por terra.

Infelizmente, nada aconteceu como o esperado. 

Júlia fora educada o suficiente quando se encontrou com Hermione, mas não saia de seu caminho para falar com ela ou mesmo tentar trazê-la para dentro da conversa. Era quase como se ela estivesse tentando empurrar seu relacionamento com Harry na cara de Hermione, o que não passou desapercebido ou aceito. Ron rapidamente se fez entender de que ela também era a melhor amiga dele e honestamente, a mulher mais importante da vida deles. Até Luna havia saído de seu modo sonhador e dito em voz alta e clara; "Hermione é tudo, para Ron e Harry. Se você quer os meninos, tem que levá-la junto com eles. Não há um sem o outro, é tudo ou nada", ela então voltou a sorrir com ar sonhador e beijou Ron na frente de todos com toda força do mundo até Ron arrasta-lá para fora do bar, acenando um adeus antes de aparatar para longe dali.

Em vez de aprender que Hermione era um elemento permanente, Júlia se tomou ainda mais ciumenta com relação a castanha. Harry não terminou com ela imediatamente como havia feito com as outras, ao invés disso, esperou para ver o que Hermione faria em resposta a sua namorada. Desde que se conheceram, Hermione passou a ir cada vez mais ao apartamento de Harry, pensando que Júlia casualmente se acostumaria com o lugar dela na vida de Harry. Júlia começou a notar o quão frequentemente Harry e Hermione estavam juntos, o que enfureceu ela ainda mais. Ela não gostava que Hermione parasse lá para arruma a cozinha, porque Harry tinha rapidamente aprendido a ser desleixado ao invés de limpar tudo imediatamente, como ele sempre tinha que fazer quando morava com os Dursleys. Ela não gostava nada quando Harry pedia para que ela sentisse se estava na dose certa a colônia ou quando ela escolhia as roupas para ele. Mas a gota d'água havia sido como Harry era afetuoso com Hermione. Suas quatro ex namoradas mal tinham chegado a ver o quão próximos ele e Hermione eram, mas Júlia havia permanecido tempo o suficiente para testemunhar os atos íntimos que eles sequer sabiam que praticavam.

Harry nunca notou que ele tinha a tendência a beijar o rosto de Hermione, fosse na bochecha, testa ou a ponta do nariz. Ele não tinha percebido que sua mão, muitas vezes, acabava por parar na parte de trás da cabeça de Hermione, na nuca, na base dos cabelos dela, suavemente massageando o local. Tornou-se algo natural para ele envolver seus braços ao redor dela ou sussurrar em seu ouvido quando ela estava perto e eles estavam cercados de outras pessoas. As vezes, eles sequer falavam, usando expressões faciais ou simplesmente olhando para saber o significado de qualquer coisa. Não lhe ocorrerá que deitar a cabeça no colo dela ou ter os dedos dela brincando com seu cabelo era uma coisa estranha para dois amigos fazerem. E não foi até uma tarde, em que Júlia havia desistido e gritado com ele durante um almoço deles fora, que Harry percebeu que talvez ele fosse um pouco mais carinhoso com Hermione do que um melhor amigo seria. Mas ele também descobriu que, fosse o que fosse que ele tivesse com Júlia, não estava funcionando.  Ele nem se quer precisava do nariz enrugado e boca franzida de Hermione para dizer que Júlia era uma "não vai ficar" e depois dele se desculpar ao sair da mesa, ele guiou Júlia para dentro para lhe dizer que eles simplesmente não estavam funcionando e que ele achava que eles não deveriam se ver outra vez. Ela deixou o com um rosto ardendo e vermelho, um zumbindo nos ouvidos e uma carranca profunda.

Estranhamente, Harry se sentiu mais leve depois que ela se foi. Levou nove meses sem nenhum caso ou ser visto com potenciais namoradas para Harry finalmente entender. Toda garota que ele já tinha saído tinha algo em comum com Hermione. Seja em sua aparecia ou em sua personalidade, ele basicamente procurava por alguém como ela. No topo disso, ele não estava procurando alguém que se encaixasse ao que ele queria, mas sim aos padrões do que Hermione achava ser o bom para ele. Ele confiava no julgamento dela e se sentia confortável sabendo que, se Hermione aprovasse, então talvez ele tivesse encontrado a garota que se encaixaria em seus sonhos futuros. A família, esposa e os filhos, o amor incondicional. Infelizmente, ninguém se enquadrava aos padrões de Hermione ou dele, e ele finalmente descobriu o porque. 

Enquanto Tracy tinha os cabelos de Hermione, ela não tinha a natureza apaixonada que Harry sentia por Hermione e seu selvagem cabelo. Enquanto Catalina tinha os olhos de avelã de Hermione, ela não tinha o mesmo conhecimento ou calor que irradiava dos de Hermione. Então, enquanto Emília tinha uma personalidade semelhante e parcialmente lembrava Harry de Hermione, ela não se encaixava as categorias. Ela não tinha a mesma ambição e união para algo mais completo do que trabalho e livros. Ela não se vê além de sua carreira para encontrar conforto e amor em uma família, o que era algo que Harry sempre achava reconfortante em Hermione. O quão próxima ela sempre estava de sua família e o quanto ela queria sua própria família era algo que Harry podia associar. Lisa, como Hermione, tinha uma confiança extra atrativa, mas estava muito ocupada no quesito ser vista para o gosto de Harry. Ele preferia muito mais a falta de interesse que Hermione tinha em ser famosa ou ser vista a cada turno com uma foto nova, como Lisa. E, finalmente, Júlia, que era amigável, extrovertida e gostava muito de livros como Hermione, mas faltava o mesmo conforto e facilidade que Hermione tinha. Júlia foi rápida em questionar e duvidar, sempre tirando conclusões precipitadas, enquanto Hermione confiava em Harry totalmente, o conhecendo melhor do que qualquer outra pessoa poderia.

Depois de nove longos meses de deliberação, Harry finalmente chegou à conclusão de que ele não procurava alguém como Hermione, ou mesmo alguém que Hermione aprovaria, mas ela mesma; Hermione. Não muito tempo depois de fazer a surpreender realização, Harry começou a analisar freneticamente os sentimentos da sua melhor amiga para descobrir se ela o amava de volta. Ele não era simplesmente apaixonadinho por ela, nem pensava que fosse ser algo passageiro. Ele era completamente cinquenta-anos-para-sempre, coração-na-garganta, borboletas-no-estômago, em puro amor por ela. Quatorze anos de amizade, companheirismo e amor incondicional tinham feito Harry se moldar a sua outra metade. Ele estava certo de que, como ela, ele completava ela. Ela era a inteligente, sensata, seguidora de regras que era a metade da calma dele, enquanto ele era forte, ligeiramente irracional, temperamental, lado meio imprudente dela. Ela era a emoção em seu coração, o brilho em sua mente, o amor em sua alma e ele estava mais do que contente em manter as coisas assim. Então ele tomou uma decisão, uma que potencialmente poderia perturbar toda a estrutura de sua amizade bem construída e confortável. Harry não tinha certeza se poderia continuar apenas sendo amigo quando ele obviamente sabia que estava profundamente apaixonado por ela. Ele não tinha certeza se ela sabia o que eles tinham, porém, ele estava disposto a mostrar isso a ela. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...