História Eleitos - Capítulo 12


Escrita por: ~

Exibições 15
Palavras 1.374
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


DEIXA EU EXPLICAR ESSA BONECA DO ELDARYA AI, essa foto é uma boneca do eldarya mesmo, pode julgar, essa tecnicamente é a Scorpia quando o 5º elemento desperta ok? E eu demorei pra postar mesmo porque esse mês é meu ultimo mês de aula, então eu tava estudando que nem louca (Ainda estou) e eu tô bem "sensível" por várias coisas, to no primero ano e eu tô chorando por qualquer coisa, literalmente kkkk

Capítulo 12 - Capítulo XII


Fanfic / Fanfiction Eleitos - Capítulo 12 - Capítulo XII

Scorpia acordou assustada, se livrou do braço pesado de Drakon, agora uma coisa normal, em sua cintura e desceu correndo em direção ao quintal, para ter certeza do que sentira. Sentiu o chão. Ela estava certa, sentiu com mais precisão centenas de criaturas indo em direção à casa, estavam virando a esquina, a casa era a ultima da rua

 

— Droga – ela correu de volta pro quarto e tirou o cobertor de todos, abrindo as cortinas – Acordem, agora!

 

— Ai Verde! Que horas são? – murmurou azula 

 

— Não importa – ela respondeu apressada arrumando as coisas – Tem criaturas vindo em nossa direção. Azula acorde eles, por favor

 

Scorpia desceu correndo, agora já desesperada, pegou as comidas que eles haviam comprado no dia anterior e enfiou-as todas na bolsa e foi em direção ao pégasos. Eles estavam inquietos, provavelmente tinham sentido as criaturas também. Ela ouviu o grito de Azula 

 

— CARALHO DRAKON – Scorpia olhou para o lado e viu que uma pequena bolota de água subiu até a janela do quarto onde eles estavam 

 

— AZULA PRA QUE ISSO – ouviu a voz de Drakon furiosa 

 

Na mesma hora a porta da frente quebrou, as criaturas entraram. Scorpia viu de relance algumas, eram horrendas e ela sufocou um grito. Correu em direção à Magnus e levantou voo e os outros pégasos levantaram também, ela planou na direção da janela, onde os outros cinco faziam menção de sair 

 

— NÃO – ela gritou antes que pudessem abrir a porta. Ela não podia dizer onde as criaturas estavam pois estava no ar agora – Pulem pela janela 

 

Mel foi a primeira a pular em cima de Alado, Drakon, que estava com o cabelo molhado, correu e pulou em cima de Magnus agarrando a cintura de Scorpia. Ariel e Frank fizeram o mesmo, mas Azula ficou

 

— E se eu cair? – a voz dela tremia 

 

— NÃO VAI ME DIZER QUE TA COM MEDO DE ALTURA? – Drakon gritou e de repente duas criaturas que tinham o formato de tigres porém com a penugem toda preta, entraram no quarto 

 

— AZULA AGORA – Frank gritou 

 

Ela correu e pulou, Azul, o pégaso, foi em direção à garota quando viu que ela pulara errado e a pegou. Scorpia esticou o braço para a janela e duas árvores entraram pela janela atravessando as criaturas ao meio, ela olhou para baixo e centenas de criaturas pulavam tentando alcançá-los. Ela gritou e Magnus seguiu em direção ao norte. Voaram até o por do sol começar a cair e pararam em uma outra cidade, mais moderna do que a outra, mais movimentada e muito iluminada. Desmontaram dos pégasos e Scorpia ouviu a voz de Mel

 

— Valeu verde! Você salvou nossas vidas – Scorpia apenas deu um sorrisinho para ela e voltou sua atenção à rua movimentada ontem haviam parado 

 

— Bolinhos e bolinhas – uma voz fina gritou absurdamente alto atras de Scorpia

 

— Ô porra – ela reclamou e se virou. A garota parecia ter a idade deles, entre os 17 e 18 anos, era alta e magra, loira de olhos azuis. Parecia uma Barbie estranhamente irritante

 

— Desculpe – ela deu uma risadinha forçada – Helena falou que tinha quase certeza que parariam nessa cidade. Ela realmente está sempre certa. Sorte de vocês que eu resolvi dar uma volta pela cidade hoje, achei que vocês chegariam amanhã e estariam mais.... arrumados. 

 

— Bom, não foi você que foi acordada por criaturas, foi? – perguntou Mel com desdém 

 

Ela deu outra risadinha 

 

— Ah não não, estava em minha cama quentinha – ela desviou o olhar para Ariel – Se você quiser pode deitar lá comigo 

 

Scorpia riu 

 

— Faz o seguinte, fale para Helena que estamos bem, é isso que veio fazer aqui não é? 

 

Ela assentiu 

 

— Mas antes, quero mostrar a cidade pra vocês – ela piscou para Ariel e Azula bufou – Helena não vai se importar se eu atrasar um pouco, afinal tem um exército de rebeldes e criaturas do lado de fora da escola, não acho que ela esteja muito preocupada com vocês 

 

Eles se mexeram inquietos

 

— Alguém já foi ferido? – perguntou Frank

 

— Ainda não – ela respondeu – Mas Helena não tem falado muita coisa pra mim, sabe? Ela anda muito preocupada com uma sobrinha dela ai, provavelmente a garota deve estar dando para alguém e pouco se importando com essa maldita guerra 

 

Scorpia sentiu os olhares dos cinco sobre ela mas ela apenas falou 

 

— Concordo com você, ela não deve se importar com nada mesmo, você sabe o nome dela?

 

— Não, mas nem quero saber, enfim, meu nome é Lúcia. Agora vamos, quero mostrar a cidade 

 

Ela mostrou vários restaurantes, bares, supermercados e agora mostrava um museu 

 

— O ultimo Príncipe! Era lindo, não era? – Azula disse olhando para um enorme estátua de uma cara – Helena disse que ele era muito simpático 

 

— Não sabia que vocês tinham uma monarquia nesse mundo – Scorpia franziu, todos riram 

 

— Não esse tipo de príncipe, escute – Mel se aproximou e colocou as mãos delicadas nos ombros de Scorpia – No nosso mundo existe, a cada geração mais ou menos, um príncipe ou uma princesa. Quando um príncipe morre, uma princesa nasce e vice versa. A nova princesa deve ter a nossa idade, já que o último morreu há uns 17 anos

 

— Não entendi 

 

— Bom – Azula falou calmamente – O príncipe ou a princesa tem o poder de manter nosso mundo em paz tecnicamente, mas todos acham que não há uma nova princesa. E sobre os poderes, é assim, você controla a natureza, eu a água, Drakon o fogo e Ariel o ar. Temos um único elemento dentro de nós, o príncipe ou a princesa tem dois

 

Scorpia congelou 

 

— D-dois? 

 

— É quinto elemento, o Espírito, pra mim não passa de uma lenda – disse Drakon 

 

Scorpia continuou chocada demais mas precisava saber 

 

— O que o quinto elemento faz? – a voz dela saía tremida mas ela não conseguia controlar 

 

— Dizem que quem possui o quinto elemento, controla os outros quatro, já que foi o quinto que deu a origem, dizem também que a pessoa fica envolta por uma fumaça preta e com os olhos todos pretos. Eu morreria de medo – Lúcia disse

 

— E como se controla? – ela estava deixando evidente demais mas não conseguia se controlar, precisa entender o que era, precisava entender o que sua tia não havia explicado 

 

— Ai você tá querendo saber demais – disse Azula – Mas uma vez eu tava conversando com a Helena e ela disse que o grandão ali – ela apontou pra estátua do Príncipe – falou que a única forma de despertar o quinto elemento era através da raiva e controlá-lo eu já não sei. Pratica, talvez? 

 

Ela teve que se conter. Lúcia os levou para uma casa bem maior do que a outra que tinha seis quartos, eles comeram e ela fez as mesmas perguntas e análises que Albert, o outro mensageiro tinha feito e partiu. Cada um foi se deitar em seu quarto, mas Scorpia sentou no chão, fez a pose de meditação e concentrou em sua raiva, os mesmos pensamentos de antes, sua tia, seus pais e até mesmo porque ela era a nova "Princesa". Ela sentiu um outro tipo de energia, não as que ela sentiu antes, mas uma energia maligna, como se ela quisesse destruir tudo que havia ali, mas logo essa energia passou e ela abriu os olhos, suas mãos estavam novamente envoltas pela fumaça preta, ela foi em direção ao espelho e levou um susto. Sua roupa antes um pijama azul, agora um vestido curto preto de penas, seus cabelos lisos batiam em sua cintura mais fina que o normal e seus olhos completamente pretos. A voz de Lucia ecoou em sua mente. Dizem que quem possui o quinto elemento controla os outros quatro. Scorpia andava mais leve que o normal quase como se flutuasse, apontou sua mão para um jarro com água e flores e se concentrou na agua, nada aconteceu. Vamos, pensou. A raiva voltou porém quando voltou a água flutuou graciosamente no ar, Scorpia sorriu, e mexeu de um lado pro outro a água suspendida no ar. Desejou que a água congelasse e aconteceu. A água antes liquida, agora um bloco grande de gelo. Scorpia relaxou e olhou para baixo novamente, seu pijama havia voltado e o gelo se transformou em água e caiu no chão. Ela olhou novamente pro espelho, seus olhos agora normais e andou em direção à cama e adormeceu 


Notas Finais


Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...