História Elementals - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avatar: A Lenda de Aang, Avatar: A Lenda de Korra, Teen Wolf
Exibições 42
Palavras 3.890
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mecha, Mistério, Misticismo, Orange, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Super Power, Super Sentai, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - We go


Fanfic / Fanfiction Elementals - Capítulo 14 - We go

A tensão entre os quatorze guerreiros ali na frente do pequeno garoto de armadura de elementos era evidente a qualquer um. Todos seguravam suas armas com firmeza. Chris e Victoria apontavam os seus arcos para a criança, enquanto Melissa deixava a sua lança em pé ao lado de seu corpo. Alexander e Rafael seguravam o machado e o martelo com as duas mãos enquanto os apontavam para a criança. Talia, Deaton, Noshiko, Ken e Matt apontavam suas espadas para o demônio, enquanto Clarancy segurava duas adagas e estava em posição de batalha.

- não queríamos ter de pegar pesado com você, garoto, mas não nos deixou escolha – anunciou Deaton encarando a criança sorrir e a pedra que compunha o elmo da armadura dela começar a crescer, cobrindo a boca e o nariz da criança.

- qual é a graça de uma brincadeira, se não jogamos para ganhar? – perguntou o pequeno em sua voz grossa antes de gargalhar e colocar a mão diante de seu corpo, fechada como se segurasse algo.

De sua luva de gelo, o cabo de uma espada começou a se formar. Mas o rei de Dracus do Sul não deixaria que o menor ganhasse alguma vantagem ou saísse da desvantagem de não ter uma arma. O mais novo dos treze membros da realeza avançou contra a criança e tentou golpear a mesma com sua espada, mas o demônio colocou a mão que segurava o cabo de gelo na frente do golpe. Matt desviou a trajetória, para que errasse a mão e acertasse o elmo, mas algo parou a sua espada dourada. O rei de apenas quinze anos encarou aquilo confuso. Não havia nada ali que pudesse parar sua espada, então por que ela parou? Por que aquele som metálico soou?

- tão poderoso, mas tão ingênuo. Olhe bem para a minha espada, meu rei – falou o demônio enquanto forçava para empurrar Matt.

- Você não tem espada, demônio – falou o rei forçando para empurrar o garoto para baixo.

- tem certeza? – perguntou e Matt desviou o olhar para o cabo da espada. Só havia gelo, não havia lâmina.

- bom, realmente, as vezes é difícil de enxergar o ar, não? – perguntou o demônio conseguindo empurrar a espada do outro para cima e só então Matt notou que o ar se movimentava ali de forma a desenhar a lâmina de uma espada.

- desgraçado – o draconis de armadura dourada e pequena rosnou começando a golpear a criança repetidas vezes com sua espada, mas todos os seus golpes eram detidos pela lâmina de ar da criança.

- eu vou te fazer em pedacinhos – falou o homem girando a espada no ar e a mesma pegou fogo.

- não seja tão otimista – falou a criança avançando contra o adolescente.

Quando Matt desferiu o golpe com sua espada flamejante, Genim colocou a calda na frente do objeto, impedindo a lâmina de lhe acertar. A criança iria golpear o rei com a sua espada, mas Matt usou da outra mão para lhe lançar uma bola de fogo em sua face. A criança cambaleou para trás, golpeando a face com a palma da mão, para apagar as chamas de seu elmo. Matt aproveitou para golpear a criança com sua espada. Mas Genim colocou a sua na frente, o contato entre as duas espadas, fez a espada de ar da criança, se tornar uma espada em chamas, assim como a do rei de Dracus do Sul.

- Não achou que seria assim tão fácil, achou? – perguntou o menor e Matt sorriu ao ver a imagem de Rafael atrás da criança, pronto para lhe acertar um golpe com o martelo.

- pra falar a verdade, achei sim – respondeu e Rafael desferiu o golpe, mas para espanto de ambos, a criança golpeou o golpe do dominador de terra, sem nem olhar para o mesmo. O martelo de Rafael atingiu a outra luva de gelo, na qual se encontrava agora um escudo de gelo.

- sabe, a desvantagem de ter uma armadura tão reluzente é essa. O inimigo pode ter noção do que ocorre atrás dele – falou o demônio girando o próprio corpo no ar, deixando que a espada de Matt acertasse o chão, para que ele pudesse acertar um chute na face de Rafael, mas o lupino impediu o golpe com a mão. Genim girou novamente, dessa vez acertando o escudo no rosto do lupino, que largou o seu pé para cair de costas. Matt avançou contra a criança, mas a mesma ergueu a mão com o escudo em sua direção e o disco de gelo voou até Matt, acertando a armadura do adolescente em cheio e o derrubando no chão.

- meu senhor – falou um draconis correndo até o rei, enquanto lançava uma rajada de chamas no demônio, que pareceu ter sido atingido pelo golpe. O homem ergueu a mão para Matt, que iria aceitar de bom grado.

- eu sou um bolinho de arroz, de arroz – Ken e Noshiko paralisaram ao escutar aquela música infantil. Era a musiquinha mais conhecida entre as crianças de seu reino.

- é o Genim? – perguntou Noshiko encarando o noivo.

- não pode ser. O demônio pode ter acesso as memórias do garoto – respondeu Ken vendo o garotinho de armadura sair das chamas. Eles viram uma esfera azul voar até o homem que ajudava Matt. O homem teve o dorso coberto de gelo, antes que Matt pudesse agarrar sua mão.

- meus bracinhos vieram bem depois – cantarolou já aparecendo ao lado do homem e desferindo um golpe com sua espada no braço, no exato momento em que Matt agarrara a mão do homem. O braço de Matt caiu sobre o corpo enquanto segurava o do homem, que fora decepado. – bem depois – cantou aparecendo do outro lado quando o homem ergueu o outro braço para poder tocar o ombro esquerdo, agora sem braço. Genim decepou o outro braço do homem, fazendo o sangue h=jorrar sobre o rei dos draconis do sul

- não – sussurrou Melissa vendo o garotinho aparecer atrás do homem.

- meus pezinhos ainda estão por vir, estão por vir – cantarolou cortando as pernas do home com força, fazendo o torso do mesmo girar no ar antes de começar a cair.

- isso não pode ser uma criança – falou Alexander vendo Talia cerrar o punho em sua própria espada.

- eu não tenho boquinha para sorrir, para sorrir – cantou desferindo um golpe horizontal que decepou a cabeça do homem e ergueu a mão onde antes estava o seu escudo e agarrou a cabeça decepada pelos fios negros.

- ele não é mais o Genim – sussurrou Ken vendo sua noivaa ficar horrorizada com aquela cena.

- porque eu sou um bolinho de arroz – cantou girando no próprio eixo, para depois arremessar a cabeça contra Chris, que já se preparava para soltar a flecha contra o garoto. A cabeça iria atingir a armadura de Chris, mas o rapaz se jogou para trás, em um mortal, fazendo a cabeça passar a poucos milímetros de seu torso, quando ele se abaixou.  Cabeça atingiu uma rocha não muito distante atrás do felino e explodiu, deixando uma pequena rachadura no local.

- você não merece as habilidades que possui – falou Marin aparecendo ao lado da criança. Todos já estavam até esquecidos da presença da mulher, o cajado dela brilhava em azul.

- e o que vai fazer a respeito? - perguntou o demônio transformando sua espada em uma lança de gelo.

- vamos acabar com você – falou a mulher golpeando o demônio no peito com a ponta de seu cajado e o lançando para o alto.

- é agora – falou Deaton e Alexander tratou e correr na direção do garoto. Quando Genim caiu em pé no chão, o lupino já estava atrás da criança.

- o quê? – questionou o demônio surpreso.

- Strike final – falou Alexander golpeando o corpo do demônio com o machado, mas este ficou estático, apenas encarando uma luz branca tomar a forma da trajetória do machado de Alexander, mas em proporção maior depois de atravessar o seu corpo. O lupino de armadura dourada apareceu em frente do demônio e repetiu o golpe, cercando o demônio com uma luz branca. O homem tratou de golpear o demônio fazendo um arco de 180 graus com o seu machado e uma luz surgiu desenhando a trajetória da lâmina.

- a lua – falou o rapaz e finalmente a dor veio ao corpo do demônio, seguida de uma explosão de terra, que desenhou perfeitamente uma cratera circular. O corpo do demônio subiu e fora atingido por uma flecha de Victoria.

- Strike final -  falou a mulher puxando mais uma flecha de sua aljava. Quando a mulher a prendeu no arco e puxou a corda do mesmo, várias flechas de gelo, idênticas a flecha que estava no arco surgiram ao redor de Victoria.

-tempestade pulverizadora – falou a mulher soltando a flecha. Todas as flechas voaram na direção da criança, algumas a atingindo, outras passando ao redor. A armadura de Genim já estava começando a se rachar com aquela sequência de golpes. Quando o corpo do garoto começou a despencar novamente, fora a vez de Chris. O homem puxou uma flecha e a mesma começou a brilhar em seu arco.

- Strike final: raio aurora – a flecha incandescente acertou o torso do pequeno demônio de armadura e o arrastou pelo ar, até o erguer rumo aos céus. Quando o corpo do garoto e a brilhante flecha atravessaram as nuvens um grande brilho colorido tomou os seus. De repente, um raio colorido desceu a terra, atingindo o chão. Rafael se aproximou com velocidade, notando o torso da armadura cheio de rachaduras.

- minha vez: Strike final – falou ao ver o garoto se erguer lentamente. Rafael começou a golpear o corpo do garoto com o seu martelo repetidas vezes, fazendo o pequeno girar a cada golpe recebido. O lupino jogou o martelo para trás da cabeça, antes bater no corpo de Genim com força, o jogando contra o chão. – grande chifre – falou e um enorme espinho de terra surgiu, perfurando a armadura do garoto e o lançando alto no ar. Genim caiu na cratera criada pelo ataque de Alexander. O garoto se ergueu e saiu da cratera, enquanto restaurava sua armadura, apenas para dar de cara com Talia e Melissa na saída do enorme buraco.

- não ache que restaurar sua armadura vai adiantar – falou Melissa girando sua lança no ar.

- Strike final – falou Talia atingindo o corpo pequeno várias vezes com sua espada. Genim parecia cansado demais para desviar ou contra atacar. A mulher se afastou do garoto apenas para golpear o ar verticalmente. – lua crescente – falou e uma luz tomou forma da trajetória da espada, mas a luz avançou contra Genim e aumentava a sua forma a medida que empurrava o garoto, como uma verdadeira lua crescente. Quando a luz se transformou em um circulo completo, a terra abaixo de Genim explodiu, jogando o corpo do garoto para cima.

- Strike final – falou Meliss quando o corpo do garoto atingiu o ápice. A água se acumulou sobre o corpo de Genim, criando uma espécie de símbolo. A mulher fincou a lança no chão e uma lança de água surgiu do símbolo, acetando o corpo do castanho. – punição astral – falou fincando a lança na terra várias vezes, fazendo várias lanças enormes atingirem o corpo do demônio.

- Strike final – falou Margaret enquanto via Melissa continuar com o ataque contra o demônio, a mulher colocou as mãos em sua espada e começou a golpear o ar, lançando várias lâminas de fogo em Genim. – toque de dragão – falou e as chamas explodiram, lançando o corpo do castanho para cima. As chamas tomaram a forma de uma mão de dragão e voaram até o corpo do demônio se fechando ao redor da criança antes de voltar para o chão com força causando um grande impacto no pequeno corpo, que até subiu um pouco de novo.

- Strike final – falou Gordon e só então Genim notou a presença do homem ao seu lado. Gordon começou uma sequencia de golpes com a espada no corpo pequeno que girava recebendo os cortes em sua armadura. – invocação de aura – falou o homem e sua espada brilhou. Quando ele acertou um golpe da mesma em Genim, várias explosões foram criadas, jogando o corpo do demônio para cima.

- Strike final – falou Noshiko saltando na direção do garoto – eu sinto muito querido – sussurrou e acertou um chute no queixo do demônio, quebrando o elmo já rachado novamente, antes de começar a dar vários golpes no garoto com sua katana. Noshiko se afastou e ergueu sua espada aos céus – tempestade de lâminas – falou e o ar começou a se mover ao reodor de Genim, várias lâminas de ar cortavam o corpo do garoto, ao mesmo tempo que o impulsionavam para baixo, como um grande espinho de vente que o pressionava contra o chão. Antes do corpo tocar o chão, Ken apareceu ao seu lado.

- Strike final, suspiro celestial – falou o homem apenas dando um golpe com sua katana no castanho. Depois disso nada ocorreu, o corpo de Genim caiu no chão.

- então é so isso? – perguntou Matt vendo o vulpino guardar a katana na bainha. Nesse momento, o ar começou a se mover ao redor do garoto, o erguendo no chão e começando a cortar o corpo do menino, espalhando sangue pelo local. Quando Genim se levantou, o garoto arfava, enquanto os seus cortes se curavam lentamente. Ele estava bastante debilitado, mas mesmo assim ainda sorria, enquanto os restos do seu elmo caiam ao seu redor e os chifres se rachavam.

- é só isso o que tem? – perguntou enquanto tentava caminhar, mas seus passos eram bastante lentos. O seu corpo ainda se recuperava de todos aqueles ataques.

- não se esqueça de mim – falou Deaton surgindo na frente do demônio, que se espantou com a velocidade do homem.

- suma da minha frente – falou o garoto tentando golpear Deaton com a mão enquanto uma pequena chama vermelha envolveu o seu braço.

- você perdeu – falou o homem encarando a criança que arfou cansada.

- eu não vou perder até matar o desgra... – sua fala fora interrompida pela joelhada de Deaton, que lançou o garoto para longe.

- Strike final – falou o homem e vários espinhos de gelo se formaram ao redor de Genim, o homem correu até o garoto que ainda caia e lhe acertou um golpe com a espada – rosa mortal – falou o homem e os espinhos de gelo voaram até a criança e lhe acertavam o corpo. No final, os espinhos formaram o desenho de uma grande rosa, na quando Genim era o centro.

- obrigado pelo gelo, querido – falou Marin batendo com o seu cajado no chão e os espinhos feitos por Deaton derreteram, juntamente com as luvas, chifres e botas de Genim. Toda aquela água voou para as mãos de Marin, onde começaram a ganhar a forma de uma esfera e a crescer.

- Strike final – falou Matt correndo até Genim e começando a golpear o garoto com sua espada.

- o que ele está fazendo? – perguntou Alexander encarando o garoto erguer Genim pelo pescoço e o jogar no ar, para começar a golpear o garoto. Matt pegou sua espada e golpeou o corpo do demônio com força, criando uma grande explosão.

- explosão final – falou após saltar para longe. As chamas que cercaram o corpo da criança explodiram, e novo, de novo e de novo. Quando finalmente acabou, o corpo de Genim caia de uma altura muito grande.

- Strike final, leões de pandora – falou Marin batendo uma palma com força e toda a água que a mulher acumulou tomou a forma de vários leões que correram na direção do garoto, o mordendo, para finalmente explodirem, formando um grande cristal de gelo, com o detalhe de, onde normalmente seriam espinhos, eram as cabeças e torsos dos leões anteriormente feitos. Genim não se moveu. Eles ficaram ali por horas, esperando que o garotinho se libertasse, mas ele apenas permaneceu ali, congelado como Marin o deixou.

Quando um dos homens do reino de Felus do sul disse haver um meio de deter o demônio. Todos ficaram surpresos, claro. Inclusive perguntaram o porquê de o homem não ter revelado antes. Ele se explicou dizendo que em um livro antigo de um ancião de seu reino, ele havia lido algo sobre a retirada da dominação de alguém. Óbvio que ninguém acreditou, mas Chris confirmou a fala do homem. Ele mesmo havia visto os anciões de seu reino retirarem a dominação de seu pai, Gerard. Eles ficaram um pouco quanto esperançosos e ordenaram que cada reino trouxesse o seu melhor ancião. Eles retiraram a criança do gelo, notando que a mesma parecia exausta.

Mas assim que a colocaram sobre o círculo desenhado por um dos anciões, ela despertou. A batalha inteira recomeçou assim que a criança colocou os olhos sobre os dominadores. Na batalha, Deaton acabou perdendo um dos braços, o qual fora arrancado do negro por um golpe da criança. Rafael, Alexander, Melissa e Talia tiveram alguns ossos quebrados e ganharam umas boas cicatrizes. Os whittemore tiveram boas queimaduras, alguns cortes e um órgão ou outro perfurados, mas sobreviveram. Os Argent? Victoria quase morreu naquele dia e Chris quase perdeu uma perna e um olho. Matt teve o corpo todo queimado quando Genim o ergueu do chão pelo pescoço e ominou o fogo para que queimasse ambos. Genim tinha o demônio para lhe curar quase que instantaneamente, mas Matt não tinha nada. O pobre rei ficou em um estado bastante crítico e os médicos disseram que pouco poderiam salvar. Mas os felinos e Melissa deram um jeito de ajudar o rapaz, mas não puderam salvar sua imagem. Quando o garotinho fora preso novamente por Marin, os anciões retiraram a sua dominação.  A mãe de Ken fez o papel de anciã do reino, como mulher mais velha e sabia.

Depois disso, Os whittemore tiveram a ideia de refazer o prisma de Xao Xao. Pediram ao ancião de seu reino para lhes ajudar, assim como os lupinos. Eles pegaram os minerais mais resistentes do reino dos lupinos e derreteram para fazer o prisma. Clarancy teve a ideia de colocar algemas de pontos de pressão. Quantos mais imobilizada aquela criança estivesse, melhor. Genim passou meses rugindo para o nada dentro do prisma e preso no subsolo da prisão de Bagua.  Mas depois de alguns anos, ele começou a não falar mais nada.

 

 

 

 

- Desde a prisão dele, Noshiko e eu sempre íamos a prisão de Bagua o visitar. Todo ano, em seu aniversário e no aniversário do fim da guerra, nós estávamos lá – falou Ken dando a mão para a esposa.

- mas quando fomos lá na última vez, ele fugiu assim que tentamos ir embora. Quando estávamos no pé da montanha, ouvimos explosões e gritos. Subimos o mais rápido que pudemos. Quando chegamos lá, ele estava com a mão dentro do pobre Clarancy, pronto para lhe quebrar a coluna – falou Noshiko se lembrando daquela cena horrível.

- então esse cara é mesmo barra pesada. Ok, mas, se vocês retiraram a dominação dele, qual é o problema? Ele já não pode mais dominar nada, agora é como se fosse um humano – argumentou Derek encarando os adultos suspirarem.

- ao que parece, nem toda a dominação dele foi retirada – explicou Ken encarando os adolescentes lhe fitarem surpresos.

- com é que é? – perguntou Laura encarando o homem chocada.

- ao que parece, o ar não foi retirado por completo, por isso ele ainda domina o ar – falou a mulher encarando os garotos.

- então nesse caso ainda continua mais fácil – argumentou Derek encarando os maiores suspirarem.

- não, Derek. Ele continua difícil de se enfrentar. Sem contar que ele pode recuperar a dominação dele. Por isso precisamos deter ele o quanto antes – falou Noshiko vendo os adolescentes lhe encararem receosos.

- tudo bem. Podemos fazer isso – falou Derek encarando o seu tio que estava prestes a lhe rebater.

- a profecia diz que vocês não podem enfrentar. Se nós somos a luz dada, só nós podemos matar ele – falou Scott encarando o pai que iria rebater ao comentário dos dois garotos.

- eles estão certos, se a profecia diz que podemos, então nós podemos. Ninguém pode mudar o futuro, senhor McCall. Se for em nosso lugar o senhor morrerá – falou Kira encarando o homem suspirar.

- posso não mudar o futuro, posso morrer enfrentando aquele demônio de novo, mas não vou deixar meu filho ir de encontro com aquela coisa – falou Rafael se levantando e vendo o olhar de Melissa sobre si.

- será que não entende? Eu quero tanto quanto você que Scott não consiga nem se quer pisar no mesmo reino do que aquele garoto. Mas se os deuses disseram que ele tem que ir, ele tem que ir – argumentou Melissa encarando o marido.

- Mel, eu não posso deixar ele ir. Não vou conseguir dormir sabendo que o meu filho está caçando aquela coisa – falou Rafael encarando a esposa.

- mas vai conseguir dormir sabendo que seu filho vai viver num mundo governado por um demônio que provavelmente vai nos matar quando descobrir quem somo, onde estamos e quem são nossos filhos? Consegue dormir? Scott foi bem treinado, Rafael. Se os deuses disseram que ele pode enfrentar aquela coisa, tudo o que eu tenho que fazer é depositar fé no meu filho e rezar para que nada de mau lhe aconteça – argumentou Melissa encarando o marido suspirar pesado.

- tudo bem. Você está certa. Se os deuses disseram que ele pode, então ele pode – falou Rafael suspirando derrotado, mas sorrindo pequeno ao ver o brilho do olhar de seu filho para si e o sorriso alegre que tomava os lábios do adolescente.

- eu não vou. Cora não falou comigo, então eu não sou uma luz dada. Sem falar que papai está doente, alguém precisa ficar aqui com a mamãe a Cora – falou Laura encarando os garotos e kira.

- tem certeza? Você poderia ser muito útil -  perguntou Kira encarando a amiga lhe sorrir.

- tenho, preciso ajudar a mamãe a cuidar do papai – respondeu Laura abraçando a amiga.

- ótimo, então está resolvido. Em breve vocês três vão partir para o reino dos felinos do norte. Procurem por Chris Argent e Victoria Argent. Eles são os reis de lá, no momento. Avisem sobre a profecia e sobre o demônio. Iremos com vocês até perto do reino deles, depois precisamos voltar para casa – falou Ken encarando a mulher, que parecia preocupada.

- o que houve? – perguntou Melissa encarando os dois.

- Clarancy está mal, não consigo curar ele sozinha. Precisamos levar ele para algum felino. Eles são melhores em cura do que os outros elementos – falou Noshiko encarando Melissa menear.

- então eu adoraria ir com vocês. Poderia ajudar com ele, sou meio felina. Mas tenho que ficar e observar Alexander e Lance. Qualquer coisa, levem ele para Felus do Sul. Deaton e Marin saberão o que fazer – falou Melissa encarando os amigos menearem em firmação.

- vocês, preparem suas coisas, viajarão em dois dias – falou Alexander encarando os três garotos ali presentes. Eles menearam em afirmação e foram arrumar suas coisas para a viagem. Kira já estava de viagem, mas mesmo assim pediu para que alguns empregados lavassem algumas roupas suas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...