História Elementals - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Batalhas, Comedia, Elementos, Igualdade De Gênero, Lutas, Steven Universo
Visualizações 10
Palavras 2.498
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Luta, Magia, Saga
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais um capitulo lançado!!!
Depois de muuuuito tempo sem escrever, tive tempo e criatividade para adicionar mais um capitulo dessa fanfic linda que estou fazendo, não vou dar spoiler mas me disseram que tá muito bom!!
espero que gostem!

Ah, vocês repararam nisso? é a primeira arte das Elementals!!!! é apenas um esboço da personagem Fogo, logo logo mostrarei Pedra, Água e Ar! espero que tenham amado. Enfim, aproveitem a historia!

Capítulo 4 - Conheça suas Armas.


Fanfic / Fanfiction Elementals - Capítulo 4 - Conheça suas Armas.


Capitulo 4 - Conheça suas Armas.
   Já havia se passado muito tempo desde o incidente com nossas guardiãs. Pedra ainda se sentia culpada por tudo o que tinha acontecido, ela se excluía aos poucos do grupo, pensando que talvez não pudesse mais se encaixar no adjetivo "heroína". Porém chegou o grande dia, Ar iria ensinar as Elementals como invocar suas armas pela primeira vez.
_Okay pessoal, é muito importante que me escutem desta vez. Uma arma não é só um objeto que usamos quando queremos agredir alguém, deve haver uma grande conexão entre você e sua arma. Por isso, para invocar suas armas você precisam estar em completa harmonia, conecte-se com o universo e ache algo que te faz feliz.
   Ar posiciona suas duas mãos para frente e respira fundo, todas repetem suas ações.
_Pensem em coisas boas, o que as torna quem são, quais são suas motivações, e enquanto pensam, tentem transformar isso em uma forma física com base nos seus elementos. - Diz Ar enquanto ajeita levemente a posição dos braços de Fogo.
   Formas começam a se projetar nas mãos delas, porém ainda não estão fortes o suficiente. Fogo então abre os olhos, quase desistindo, quando vê Água fazendo força para formar sua arma. Fogo dá um sorriso e se motiva a tentar de novo.
_Isso mesmo Água, desta forma, afora tente segurar o que está sentindo com suas mãos. - Diz Ar, orgulhosa pelo bom trabalho de Água.
   Enquanto Ar verifica o trabalho de Água, uma labareda cresce em volta das mãos de Fogo, que rapidamente segura esta forma que estava se moldando.
_Que loucura é essa?!? - Grita Fogo, surpresa com o que estava acontecendo.
_Segure com força, agora empunhe sua arma, mostre-nos o que é! -Diz Ar, com imponência.
   Fogo segura aquela forma desconhecida com força, levanta-a com as duas mãos e um brilho inunda os olhos de todas. O mesmo acontece logo em seguida com Água, que estava admirada pelo sucesso de Fogo.
   Quando o brilho adormece, Ar consegue finalmente ver as armas de suas amigas.
Fogo esgurava em suas mãos um cabo firme com uma lâmina grande, bem maior que o cabo, ela nunca havia visto aquilo. Água segurava em sua mão esquerda o que para Ar parecia um bastão, porém mais brilhoso e com três pontas afiadas.
_Meus Parabéns, estou orgulhosa do trabalho de vocês, vou dar um tempo para se acostumarem com suas novas amigas, escolham um nome para suas armas e descubram como elas funcionam. - Diz Ar, se sentindo muito feliz pelas duas.
   Ar, que estava distraída pelo que havia acontecido, se esquece de Pedra, que estava o tempo todo seguindo o que ela dizia, porém não conseguia invocar sua arma.
_Está tudo bem, Pedra?
_ Eu... Não tô... Conseguindo... Eu tento forçar mas... Não adianta! 
   Pedra usa toda sua força pra formar sua arma, mas tudo que ela consegue é fazer pequenas pedrinhas girarem em volta de seus braços, nenhuma forma aparece.
_Tudo bem Pedra, se você continuar praticando, tenho certeza de que consegue, apenas tente pensar em coisas boas que você...
_COISAS BOAS?!? Como eu posso pensar em coisas boas? Aquele incidente destruiu minha relação com vocês, eu só consigo pensar nisso já faz muito tempo. Minha cabeça dói e as vezes quando eu penso demais fica saindo uma água do meu olho, incomoda bastante... Eu não quero isso...
_Não diga isso, você continua sendo nossa companheira, nossa irmã! Aquele ocorrido já se passou, foi a muito tempo, está na hora de você levantar sua cabeça e seguir em frente, mas se continuar deste jeito, nunca terá o que quer.
_Sabe, eu não preciso de uma arma, isso tudo é uma estupidez... Preciso dar o fora daqui.
_Espera, Pedra!
   Pedra anda em direção a floresta e some entre as árvores. Ar não consegue pensar no que fazer para ajudá-la, então recorre a única que sabe.
_M..Mestra? Está... aí?
_Sempre minha querida, o que deseja?
_A senhora precisa me ajudar, Pedra está muito conturbada com tudo o que aconteceu no passado, ela acha que não gostamos mais dela, me de uma palavra de sabedoria para que eu possa mudá-la.
_Minha querida, admiro sua vontade de ajudá-la, mas as vezes precisamos caminhar com nossos próprios pés. Ela precisa aprender sozinha, como todas fizeram quando as acordei. Pedra precisa amadurecer sozinha, só assim verá o valor que ela tem.
_Ela acha que estamos a ignorando desde aquele dia, por isso desistiu de invocar sua arma. Isso é muito injusto!
_Mas no fundo, vocês estavam mesmo ignorando-a, vocês não percebiam, mas um clima rodeou vocês até este momento. Apenas.. Deixe-a pensar.
   Ar percebe que é a verdade, abaixa a cabeça, mas rapidamente a levanta e questiona.
_Mas... Estamos perdendo tempo assim, o Mal está crescendo.. E também tem esses humanos que não param de crescer e se multiplicar. Precisamos nos unir agora.
_Você está muito sobrecarregada, tente encontrar a paz que você tanto ensina as outras. Lembre-se da primeira vez que invocou sua arma, estava tão perdida que sem querer criou aquele furacão gigante *risos*
_A senhora tem razão... Depois daquele dia eu nunca mais tive um tempo para relaxar.
_Encontre coisas neste universo que te façam sorrir, que te fazem acordar de manhã, encontre pequenas coisas que fazem seu dia melhor, todas nós temos isso. Eu tenho este mundo, a Pedra tem aquelas frutas que ele vive comendo mesmo sem precisar comer, a Fogo e a Água tem suas paixões uma pela outra, agora só falta você...
_é mesmo.. Pera aí, a Fogo e a Água tem o que?
_O fato é... Você precisa deixar Pedra decidir seu caminho, apenas faça sua parte.
_Obrigado minha mestra, farei isso.
   
ENQUANTO ISSO...
_Já sabe o nome que vai dar pra sua arma, Água? - Pergunta Fogo, enquanto corta troncos caídos de uma árvore.
_ Sei sim, eu fiquei pensando em um nome que descreveria exatamente o que isso é, então enquanto eu treinava perto do lago eu vi que as pontas da arma eram muito parecidas com os dentes de um crocodilo que dormia ali perto. E já que temos três pontas, faz sentido eu chamá-la de Tridente.
_Nossa, você realmente pensou em tudo... É realmente um bom nome, mas o meu é muito melhor.
_Sério, me diga o nome da sua arma então.
_Bom, eu percebi que ela tem um cabo pequeno que serve pra eu segurar, certo? E tem uma lâmina que corta literalmente qualquer coisa, juntando isso tudo eu cheguei no nome perfeito... Preparada?
_Sim...
_O nome da minha arma será... Jorge!
_Jorge? Bem... É um nome diferente, soa bem.
_Exatamente, é um nome que explica indiretamente o que minha arma é.
_Então, você disse que essa lâmina corta literalmente tudo né? Vamos ver se corta meu tridente...
_Só se você der o primeiro golpe, meu amor.
_Meu o que?!
_Nada.. Nada... Vamos treinar.
   Enquanto as duas treinavam, Pedra caminhava na floresta, que já quase não tinha luz, graças as árvores que cobriam o pôr do sol. 
_Eu não preciso de armas, eu posso construir qualquer coisa com minhas pedras. - Pensava Pedra, enquanto socava árvores com suas mãos, cobertas por pedaços de rochas.
_Por que você às segue? - uma voz misteriosa sussurra entre alguns arbustos.
_Quem...Quem está aí? - Diz Pedra, assustada.
_Elas apenas te usam pois você é a mais forte de todas, quando você faz o que elas mandam, te jogam no canto até que seja útil de novo. - Outra voz misteriosa brota por trás de uma árvore.
_Vocês... Não sabem o que estão dizendo, vocês não me conhecem!
_Ah, Pedra... Nós te conhecemos sim... Na verdade, nós te conhecemos muito mais que elas... - Uma terceira voz surge por trás de uma rocha.
   Quando Pedra chega perto de uma das vozes, é revelado quem falava. Três lobos gigantes saem do escuro, seus pelos cinzas, quase negros, mal conseguem ser vistos no escuro da floresta, seus olhos, porém, podem ser vistos de longe, pois são vermelhos como sangue. Suas bocas não se mexiam, mas suas vozes eram emitidas perfeitamente. Pedra tenta recuar lentamente.
_Ah, você não quer fugir... Fique conosco, somos melhores que elas. Nós... Te...Entendemos.
_Você não pertence mais aquele grupo, se lembra? Elas nem ao menos tiveram o trabalho de procurar por você.
_Vocês... Vocês têm razão, eu acho... - Diz Pedra, com muito medo, porém relutante em fugir.
_Isso... Isso... Fique conosco.
_Se você nos deixar tocar em você, poderíamos ser fortes juntos, e acabar com o reinado delas... - Enquanto um dos lobos diz isso, uma fumaça densa escorre por suas patas, tocando no chão e se guiando em direção a Pedra, que naquele momento estava ajoelhada.
_Mas... Mas eu não quero acabar com elas... - Diz Pedra, quase se rendendo aos lobos.
_Mas precisamos acabar com elas, senão elas podem nos destruir, acabar com nossos planos, e você será tratada como sempre... Você não quer isso... quer?
_Não... - Diz Pedra, com a cabeça abaixada.
_Então me deixe tocar em você... E juntos... Mataremos... A Elementals...
_Espera... O QUE?! - Grita Pedra, enquanto ve aquela fumaça quase encostando em seu pé.
   Pedra levanta e olha nos olhos do lobo, e vê que aquilo era exatamente o que aconteceu com ela, quando o mal tomou conta de seu corpo, querendo destruir suas amigas.
  Pedra rapidamente levanta uma muralha de pedras na frente de um dos lobos, enquanto chutas duas rochas redondas nos outros dois. Ela corre entre as árvores chamando por suas amigas. Os lobos conseguem acompanhar Pedra, a fumaça que escorre deles consegue apodrecer as árvores que a tocam.
_Não podemos matá-la, precisamos despertar o mal nela para controlá-la! - Diz um dos lobos, que corria ao lado de Pedra.
   Pedra consegue sair da floresta, ela corre em direção a Ar, que naquele momento estava flutuando deitada, enquanto comia uma maçã.
_Não sei como a Pedra consegue comer, é uma sensação tão nojenta... Espera, que barulho é esse? - Diz Ar, que ao abrir os olhos, vê sua amiga correndo de três lobos gigantes.
_ME AJUDA, AR! - Grita Pedra, enquanto corria apavorada.
_Se acalme, eu consigo domá-los!
_Não são lobos normais!
   Ar então desce até o chão e se arma com seu bastão. Pedra passa por ela e levanta dois blocos gigantes do chão, se preparando para arremessá-los.
_Não, deixa comigo, vá chamar as outras! - Diz Ar.
_Eu não vou te deixar sozinha aqui. - Responde Pedra.
_VAI LOGO! Eu consigo segurá-los. - Diz Ar, que estava com medo, porém não recuou.
   Os lobos correram em direção de Ar, e quando eles pularam para atacá-la, ela girou seu bastão, fazendo uma rajada de ventos empurrá-los para longe. Quando eles caíram no chão, Ar correu e bateu seu bastão no chão, fazendo com que eles levitassem, e antes que caíssem, cada um foi atingido pelo bastão, que de forma rápida foi usada pela Ar.
   Eles caem no chão, levantam tontos mas avançam mesmo assim. Um deles pula na direção de Ar, que dá um mortal para trás. Outro tenta mordê-la pela esquerda, mas ela defende com seu bastão. Enquanto isso outro vem por trás e morde o braço dela, a jogando para longe. Ar levanta, olha pro seu braço que naquele momento estava sangrando, dá um sorriso e avança rapidamente neles.
ENQUANTO ISSO...
   Fogo e Água estão treinando, elas travam uma batalha com suas armas novas. Água tenta furar Fogo com seu tridente, mas Fogo defende com seu Jorge, ela gira o tridente e aproxima a lâmina no pescoço de Água, fazendo as duas ficarem muito perto uma da outra.
   Elas param de lutar e trocam olhares. Água dá um pequeno sorriso,Fogo fica envergonhada e olha para baixo sorrindo também.
Água empurra Fogo e coloca seu tridente entre as pernas da mesma, fazendo-a cair. Depois aponta sua arma para Fogo, imobilizando-a.
_Lembre-se de nunca se distrair... Foguinho. *risos*
_GENTE, RÁPIDO! - Grita Pedra, vindo em direção as outras.
_O que houve Pedra? - Pergunta Fogo.
_Precisamos ir até Ar, eu sem querer trouxe três lobos pra cá, eles estão possuídos assim como eu fiquei, vamos!
   As três correram até Ar. Quando chegaram no local, avistaram Ar cercada pelos lobos, ela estava completamente machucada, com mordidas e arranhões.
_Ei seu otários! - Grita Pedra.
_O que é um otário? - Sussurra Água para Fogo, que também não sabe como responder.
   Os lobos olham para Pedra, dois deles correm em direção a ela. Fogo e Água se posicionam com suas armas.
_Vá até a Ar, nós distraímos eles! - Ordenou Água.
   Pedra então correu em direção a Ar mas foi empurrada pelo terceiro lobo. Ela cai no chão e o lobo sobe nela, colocando as patas da frente em cima dos braços dela. Ele abre a boca para mordê-la quando de repente uma mão de pedra gigante soca o focinho do lobo. Enquanto o lobo está caído no chão, Pedra avança em direção a Ar, mas o terceiro lobo levanta e corre também, ele ultrapassa Pedra e se prepara pra atacar Ar, que estava ajoelhada no chão, fraca.
_Você não pode salvá-la... - Disse o lobo, abrindo sua boca para morder Ar.
   Naquele momento, Pedra viu tudo acontecendo devagar. Ela viu suas duas amigas lutando contra os lobos com suas armas, viu Ar caída no chão sem ter forças para levantar, e viu o lobo pulando em cima dela. Ela sentiu pela primeira vez o que era se preocupar com a família, seu coração bateu cada vez mais rapido, suas mãos começaram a brilhar, ela correu em direção ao lobo na velocidade de uma flecha e antes que ele pudesse atacar Ar, Pedra aparece na frente empunhando uma grande marreta, que rapidamente bate no rosto do animal, o arremessando para longe.
   Pedra olha para sua nova arma, dá um sorriso e escuta algo.
_Es..Tou.. Orgu... Orgulhosa... de Você... Pedra.. - Diz Ar, que mal conseguia falar.
   Pedra pega Ar no colo e a leva para um local seguro. Quando volta, vê que ainda sobraram mais dois lobos, ela então pega sua marreta e corre em direção a eles. 
   Junto de Água e Fogo, Pedra consegue derrotar os lobos, que quando caem no chão, voltam ao normal, e toda aquela fumaça negra some no vento.
_Que arma legal Pedra, que nome você acha que ela merece ter? - Pergunta Fogo.
_Não me importa qual nome ela vai ter, o que importa e que eu nunca mais vou sair da vista de vocês, todas vocês são minha família e eu sei que mesmo tendo feito uma burrada, vocês ainda me aceitam como eu sou. Muito obrigado... Mesmo.
_Nós todas te amamos Pedra, agora me ajude a levar Ar até a caverna para que eu possa limpar esses ferimentos. Fogo, você me ajuda a cauterizar os cortes, pode ser? - Diz Água.
_Claro, pode deixar, e você Pedra, tem muito o que treinar com essa belezinha aí.
_ É... Eu ainda tenho muito o que aprender. - Diz Pedra, sorrindo.

CONTINUA...
 


Notas Finais


Espero que tenham gostadoooooo!
Eu sinceramente amei escrever esse capitulo, foi tão bom explorar mais um pouco as personalidades de cada uma, e agora que estao todas em paz, focaremos mais no mundo em que elas habitam, nos humanos e no mal! mas isso fica pros proximos capitulos. Nos vemos em breve amores! Comentem e compartilhem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...