História Elephant - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Kai, Kris Wu, Lu Han, Sehun
Tags Abo, Baekyeol, Chanbaek, Exo, Hunhan, Kray, Xiubaek, Xiuchen
Exibições 777
Palavras 2.683
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


VOLTEI!

AVISO! O cap anterior foi reeditado retirei apenas uma partezinha, ok? E NÃO VAI TER TORTURA OU QUALQUER COISA NA FANFIC! Só foi aquela coisinha mesmo e mais nada! Avisando pq teve gente que não gostou.

AVISO! Censurei algumas partes das conversas deste cap apenas por sacanagem com vocês mesmo.

BOA LEITURA ❤️

Capítulo 20 - Desabafo e o Baek 2


Fanfic / Fanfiction Elephant - Capítulo 20 - Desabafo e o Baek 2

Sexta - feira 

Desde quarta os dias que passaram estavam indo bem, os meninos agiam normais assobiando como se não estivessem torturado uma pessoa, mas suas testas tinha uma placa enorme avisando que tinham aprontado alguma.
Quinta-feira por incrível que pareça, nenhuma amiga e nem mesmo sua irmã dera falta de Stephanie, o que era estranho pois a mesma era uma das famosinhas da escola o que resultava a maioria lambendo por onde esta passava. Talvez ela não fosse tão querida assim pelos amigos.

Diria que eles se arrependessem de ter feito aquilo? Talvez um pouco.

Na quinta pela a ômega não ter ido a aula foi o dia que rolará  alguns boatos sobre a mesma, alguns até confirmados indiretamente pela as amigas e sua irmã. Alguns pareciam exagerados, outros nem tantos porém faziam com que alguém quisesse colocar um limite na garota e sentisse nojo dela.


Só tinha a carinha de anjo, tipo um bebê que joga sua carteira com quilos de grana dentro pela varanda do vigésimo andar e depois rola no chão rindo inocentemente da cara incrédula do pai.


Seu appa, o sr. Hwang era um alfa famoso na Coreia, sua empresa chamava atenção de todos os sócios. Em casa era a influência para a tão amada filha, a garotinha do appa. Diferente da pequena Taeyeon mimada pela omma que fora vendida pelo próprio Hwang, apenas em busca de mais lucros. 
A sorte de Taeyeon foi que sua doce omma conseguiu lhe achar e comprar de volta, a pequena seria mandada para uma casa aonde cuidavam de crianças e depois eram mandadas para o terrível ramo da prostituição. 
Nada que appa não soubesse daquilo, e ele sabia mais do  que ninguém o que poderia acontecer mas mesmo assim fez, e fez orgulhoso.

Tiffany tendo mais a presença de seu appa do que de sua omma, aprendeu, adquiriu pensamentos e atitudes iguais a dele. Para ambos todos eram vermes infestando a sociedade. 
Tudo que ela quisesse ter, ela teria, nem que fosse a força e todos tinham um preço por mais que fossem vagabundos rabugentos orgulhosos. Ela no topo, a sociedade no fundo do poço, com esses pensamentos, só tinha "amigas" no colégio- bajuladoras-, que tinham a condições financeiras iguais as suas e que a colocassem em primeiro lugar em tudo. Os outros alunos ela apenas ignorava-os e rejeitava, só os procurando quando estivera em tédio e afim de "brincar". 
Simplesmente dava as ordens para suas amigas, e elas agiam, suas brincadeiras era com os novatos e esquisitos no seu ponto. Ovada com farinha, espancamento e tortura eram os mais praticados por si, seu alvo também já fora Sicheng e Baekhyun por serem estranhos. Apenas descartou a ideia de fazê-los suas novas vítimas quando perceberá que o menor era parente e o chinês próximo de Park Chanyeol, o tal alfa que tentava "conquistar", prende-lo somente para si própria. Sua obsessão.

Torturas eram comuns para os lobos e vampiros, porém mais praticadas pelos demônios, ninguém se assustava tanto quando sabia dessas coisas, afinal era só deixá-los por algumas horas descansando que seus machucados e cortes se curavam e sumiam. 
Cortou? Sarou!
Por esse motivo era comum a pratica desde que não fossem com humanos. Lobos só podiam ser mortos por combates corpo a corpo contra outros lobos ou outros seres, e raramente por algum caçador humano que tivesse armas específicas para isso.

Uma das vantagens de ser lobo é que não morriam tão fácil.

Mas era uma vantagem apenas para os mais velhos, aqueles que já tiveram seu cio e estavam na adolescência, amadurecendo.


                        ~*~* 

O trio parou em frente à escola ainda do lado de fora criando coragem para entrarem. O pequeno D.o estava muito quieto, pairando no ar em um mundo distante de onde seu corpo estava, não passando despercebido pelo Park. Não havia falado nada além de um "Bom dia" naquele dia.

– Kyung? - estalou os dedos na frente de seu rosto tentando acorda-lo. 

– Hm? - piscou algumas vezes se despertando de seus pensamentos. Seu coração e sua mente estavam nublados deixando apenas a sensação de perdido.


        – Estava boiando ai Soo.. - resmungou baixo.

– Desculpa.. - parou de falar quando viu alguém de relance por cima dos ombros de Jongdae, deu dois passos para o lado para ver melhor. - Ah fala sério.. - reclamou bufando emburrado e cruzando os braços.

– O que foi? - perguntou Chanyeol se virando e vendo a pessoa, agora entendendo a reação do amigo. Era Sthepanie com suas amigas.

– Aonde você deixou ela naquele dia? -perguntou Chen curioso enquanto também se virava vendo a ômega conversando animada.

– Eu deixei ela na rua mesmo..- murmurou enquanto se recordava do aconteceu.


 [...]


         – Por que está me ajudando? -Kyungsoo perguntou depois de um tempo andando em silêncio ao lado do beta.

       – Ah..Eu não sei pra falar a verdade.. - sussurrou tentando achar algum motivo aparente em sua mente que explicasse aquilo.

     – Você parece que não gosta dessas coisas .. - disse baixo desviando o olhar para as casas da vizinhança, conseguindo ver algumas luzes acessas, umas sombras através das cortinas.

    – Não gosto.. se ela tivesse morta,o que é difícil de se acontecer, eu ficaria longe.. entretanto provavelmente te impediria de matá-la antes.. Mas como ela está viva , já que dá pra ouvir sua respiração daqui. - suspirou pesado deixando sua mente vagar por lembranças antigas dolorosas ao falar da ômega.

   - Voc..- parou de falar ao ouvir o outro fungar baixinho, se virou para ele vendo seus olhos marejados, pararam de andar. – O que foi Kai?

    – É uma longa história.. - sussurrou respirando fundo fechando os olhos levantando a cabeça, segurando as lágrimas para que não caíssem.

  – Você  pode me contar, eu vou estar aqui pra te ouvir, te apoiar e te ajudar.. - disse enquanto abraçava-o e alisava suas costas tentando o acalmar, o mesmo retribuiu.

   – Eu conheço ela.. e apesar de tudo eu não quero vingança porém ao mesmo tempo também não quero que ela saia sem nenhum arranhão.. 

   – Do que está falando? - interrogou confuso continuando o abraço.

  – Ela tirou uma das coisas mais preciosas da minha vida.. - fungou.

    – O que..? - se afastou para poder encara-lo nos olhos. – Pode me contar desde o início? - viu o assentir e umedecer os lábios desviando o olhar.

   – Eu já trabalhei para a família Hwang, acompanhei o crescimento de Tiffany.. Desde dela sendo pequena e doce até ela ficar crescida e amarga. Ela não tem culpa, ela conviveu muito com seu appa.. O Diabo em pessoa.. - suspirou pesado olhando para o chão tentando achar forças para continuar contando. Seu coração sangrava e chorava de alívio por poder desabafar aquilo com alguém depois de tantos anos. Continuou. – Sthepanie mesmo com sua aparência de adolescência e seu jeito todo, ela é mais velha que o rascunho da Bíblia, não faço ideia do porquê ainda continuar na escola... Bem.. Eu vivi coisas horríveis naquela casa.. eu a vi concordar com seu appa quando ele queria vender sua própria irmã. Como ela era o xodó de seu appa, ela tinha alguns direitos e com isso eu vivi vendo ela dar ordens para caçar, torturar, sequestrar até mesmo matar ômegas por  eles chegarem perto de alfas que ela considerava seus, que ela tinha interesse ou apenas porque não a respeitavam como tal.. - não conseguiu terminar de falar  começando a cair aos prantos por chegar na pior parte da história.. 

      – Deve ter sido horrível para você ver tudo aquilo é não poder fazer nada.. Não chora Jongin. - abraçou forte novamente tentando o consolar. –O que mais ela fez? Da pra ver que você está escondendo alguma coisa.. se quiser.. pode desabafar, pode confiar em mim. -murmurou baixo contra o vão de seu pescoço.

  Jongin respirou tentando conter as lágrimas e contou, e Kyungsoo quis não acreditar. Ficou boquiaberto e sem saber o que falar. De longe, qualquer um poderia ver o coração do moreno sendo espancado quando proferia aquelas palavras afiadas como lâminas. Kyung não aguentou e acabou deixando algumas lágrimas escorrerem pelo seu rosto, entendia sua dor e não desejava aquilo para ninguém. Continuaram conversando até que a curiosidade do menor falou mais alta e não resistiu em perguntar.

 – Então é por isso que fica tão.. protetor com o Baekkie? - perguntou tentando entender as coisas vendo ele assentir meio inseguro. De fato ele não sabia, mas no fundo sentia que sim. 

    – .. Então isso.. - murmurou pensando na reação do menor, ao contrário do que pensará o que aconteceria depois daquilo,Kyung lhe disse coisas que seu corpo ficou estático.

     – O que? - perguntou com os olhos arregalados.

     – Não se preocupe, não vou contar seu segredo pra ninguém! - sorriu largo enquanto levantava o mindinho em sinal de promessa.


Durante a história do moreno, teve apenas algumas certezas no meio de toda aquela bagunça, Sthepanie Hwang era louca, sem limites e Jongin não merecia sofrer aquilo tudo.


   [...]


   – SOO? - Chanyeol gritou no ouvido do menortentando chamar o outro para a vida.

 – Seu merda não grita! - tapou os ouvidos rápidos quando voltou a realidade.

  – Então para de vegetar aí.. Aliás Chen por que quinta você tava tão quieto? – perguntou curioso chamando a atenção de Soo que também estivera pensando sobre isso.

   – Você sabe que meu appa trabalha para o appa dela, se ela falasse para ele que eu fiz alguma coisa contra ela.. meu appa poderia ser prejudicado. - explicou simples.

  – Ah sim.. Mas sabe agora pensando, eu tinha razão! - exclamou o ômega sorrindo de leve.

  – Razão de que Kyung? - perguntou Chanyeol observando o amigo.

   – Nem o capeta quis ela, devolveu! 


A verdade era que Jongdae tentou omitir foi que seu appa trabalhava para o sr.Hwang apenas para que os abusos com sua omma parassem. Abusos praticados por seus homens. Então em troca de que parassem, o mesmo teve que começar a trabalhar para si apenas por isso.
      
                                      ~*~*

Durante o intervalo Yifan decidiu ir falar com Baekhyun quando o viu andando no corredor em direção ao refeitório, queria conversar com ele. Só  que diferente do que tinha pensado, o pequeno Byun corria de si ignorando-o enquanto mantinha um bico emburrado nos lábios finos.
Suspirou derrotado com a ideia de tentar novamente uma aproximação na saída. Uma tentativa falha.


    – Baek! - chamou Yifan vendo o menor indo embora com uma expressão triste no rosto. – Aigo!

   – Eita Kris.. - falou Kyungsoose aproximando dele vendo a cena toda e o mais velho bufar. 

  – Você sabe porque ela tá assim comigo? - perguntou para o menor fitando o portão tentando pensar algum motivo.

   – Soube que ele está chateado porque você foi embora e deixou ele sozinho.  – se lembrou de Baekhyun contando.

      – Eu não deixei ele sozinho.. - se lembrou do dia. - Aigo! Eu achei que era ele.. - suspirou pesado coçando a nuca. 

    – Como assim? - arqueou uma sobrancelha.

   – Eu vi um garoto parecido com ele saindo do banheiro, eu acho que não olhei direito. Acabou que eu o levei para a casa achando que era o Baekhyun. - sorriu de lado sem jeito se lembrando.

     – Era tão parecido assim com o Baekkie? - perguntou confuso.

     – Demais!

    – Cabeça de vento, da próxima vez prestava mais atenção! 

   – Não vai ter próxima vez! - ouviram a voz rouca do Chanyeol, este que continuou andando pelo o pátio encarando o alfa por cima dos ombros. - Fique longe do meu sobrinho Yifan!. 

 


                           ~*~*


     Sábado 18:21

   
    – Chanyeol aonde você vai? - perguntou Sehun sentado no estofado na sala vendo o irmão descendo pelas escadas todo arrumado.

     – Eu vou sair com o Chen e o Soo, hyung. - respondeu enquanto pegava e guardava a carteira e o celular no bolso da calça. 

     – Não vai levar o Baekkie? - dessa vez Luhan se remexendo no sofá perguntou por não ver o menor ali também.

    – Ele não quis ir além do mais está dormindo, já vou indo. Tenho que encontrar eles. - bufou revirando os olhos se lembrando de quando o menor lhe expulsou do quarto por ter o acordado.

    – Ok então. - falou voltando sua atenção para o dorama. 

   – Até mais tarde! - exclamou alto abrindo a porta de casa e indo encontrar Chen. 

~ 10 min depois. ~


   – Sehun! A campainha tá tocando. - cutucou o maior, percebendo que ele estava dormindo e babando já. 

   – Aigo! - reclamou se levantando e indo atender.

  – Lu! - sorriu largo ao ver que era Kyungsoo. 

  – O que está fazendo aqui? - tombou a cabeça para o lado.

  – Eu vi encontrar com o Chanyeol para ir pro parque. - disse simplista. – Ele já está pronto? 

  – SOO HYUNG! - Baekhyun gritou ao ver o ômega na porta impedindo o chinês de reponder. Correu pulando em cima dele, quase o derrubando.

    – Oi Baekkie! - afagou seus cabelos sorrindo largo por ouvir ele ronronar e esfregando seu rosto em seu peito.

  – O orelhudo já foi. - disse logo vendo ele fechar a cara na mesma hora. 

   – Aigo.. - suspirou fazendo bico. – Baekkie, quer ir comigo no parque? - sorriu com sua ideia.

   – Ir no parque? 

  – Sim! Vamos? - perguntou ansioso vendo-o assentir rápido. – Então vai lá se arrumar, vou te esperar. - nem terminou de falar e ele voou para dentro da casa indo para seu quarto. 

             ~*~*
    19:03

    Ao chegarem no parque, o pequeno ficou encantado com tudo ao seu redor, os brinquedos, a iluminação, as pessoas felizes e principalmente a comida que de longe já lhe deixava com água na boca. Kyungsoo sorriu com sua reação, olhou ao redor e pegou em na mãozinha alheia entrelaçando os dedos para que não o perdesse no meio de toda aquela multidão e pelo parque ser grande demais.

     – Qual brinquedo você quer ir? - perguntou para o mais novo que parecia indeciso em escolher algum. 

    – Vamos ali? - apontou para uma montanha-russa.

   – Claro! - disse já o puxando em direção ao brinquedo.


Os dois se divertiam, riam e comiam toda hora, principalmente algodão doce já que o menor fazia bicos sempre que via algum, o seu hyung não resistia e acabava comprando avisando que seria o último, sendo que sempre acabava comprando outro depois. Ele havia se apaixonado tantos no brinquedos como nas maçãs do amor.
 Tinham acabado de saírem de um dos brinquedos e o menor já reclamava falando que queria beber alguma coisa, o mais velho deixou ele perto de uma barraca sentado em um banco esperando e foi achar alguma que vendia o que queriam. Não demorou muito e já foi voltando mas parou ao ver Baekhyun de costas para si olhando um dos brinquedos em pé, não havia pedido para ele esperar sentado no banco? 

   – Baek! - gritou quando se aproximou chamando a atenção deste que se virou.

  – Desculpa, eu te conheço? - perguntou o garoto confuso. Kyung arqueou uma sobrancelha e olhou em volta, parando logo quando avistou de longe o verdadeiro Baekhyun, estava sentado ainda no banco observando e rindo por  alguns gatinhos de rua que estavam em seus pés. Voltou a atenção ao garoto a sua frente se curvando.

    – Desculpa, achei que fosse outra pessoa.. - disse sorrindo nervoso.

  – Tudo bem, isso acontece! - sorriu largo e se curvou saindo dali. 

   – Muito parecido.. - murmurou fitando ele se afastar. – Será que foi que Yifan o confundiu? 


                                ~*~*

23:12

     – Cara acredita que fui confundido de novo na rua? - perguntou o garoto se jogando no sofá vendo seu irmão teclando no notebook.

    – De novo? - perguntou sem desviar a atenção da tela.

    – Sim, de novo. Eu achei que você tivesse ficado em casa, já que as pessoas nos confundem. - disse e viu o irmão levantar o olhar para si confuso, com o cenho franzido. 

    – Eu não saí de casa hoje.. 

    – Como não? .. - pensou um pouco. – Tem certeza? 

   – Tenho, e sabe acho que eu me lembraria se eu tivesse saído..

  – Nem pro parque? 

  – Nem pro parque.

  – Então com quem me confundiram? - perguntou sem ao menos esperar realmente uma resposta e como já previa viu o irmão dar de ombros ainda lhe encarando.

    – Ah não ser que.. - ambos arregalaram os olhos tendo o mesmo pensamento. – Te confundiram com ele..

 

   


 


Notas Finais


ESTAMOS PERTO DO FINAL!

O que o Kai disse pro Kyung? O Kyung descobriu? AAAH
Com quem o Kyung confundiu o Baek?
Cadê o tiozinho do hospital? Cade o Channy?
Tadinho do Chen..Tiffany doidinha..

QUALQUER DUVIDA PERGUNTEM! Eu irei tentar responder sem dar spolier! Eu leio todos os comentarios mesmo se eu nao responder.

BJUS DA OMMA!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...