História Eles dizem que a madrugada é dos poetas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Angst, Hopega, Poema, Sobi, Sope, Sugahope, Yluj, Yoonseok
Visualizações 307
Palavras 300
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drabs, Drama (Tragédia), Poesias, Slash
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


é isso que dá fumar ouvindo música triste e com saudade de algo que eu nunca tive.

Capítulo 1 - Único



Quando eu fui chuva
E você foi garoa
Eu não te culpo por ter se desviado de mim na primeira curva
e ter se incomodado com como a música da minha alma soa

Quando você foi mágoa
E eu fui tempestade
Pudera eu viver só com a tua metade
E negar ‘pra sempre a maldita verdade
de que eu nunca fui amor
uma data ou um impulso sem pudor
Eu nunca fui saudade
mas você foi a minha vontade de mudar
De crescer e me conformar com a minha própria realidade
Mas em cada gota dessa chuva que eu chorar
Lágrimas vazias e morrendo pelo desejo de voltar
Você irá me sentir

E quando eu for luz solar
Você poderá encontrar os meus vestígios de água fria durante o dia
Porque o arco íris não irá chegar
e o teu meio termo não te permitiu ficar

E em cada frasco das pílulas que eu tomar
Memórias e lembranças irão te acompanhar na cama que eu costumava me deitar
Na madrugada do teu coração a lua não traz nenhuma iluminação
Pudera eu viver nessa solidão

E os teus porquês eu nunca saberei
Porque tudo que eu sei é que nada eu aprendi
E eu serei chuva novamente
Quando eu ver o teu rosto se transformar em nuvem
Pois você promete e nunca vem
A janela se fechou e a porta nunca se abriu
De casa você saiu
Sem avisar
Sem hesitar
Quem sabe, repensar

Quando o cigarro se apagou
E do meu sorriso apaixonado você lembrou
A falta não te corroeu

E foi quando eu soube
que você nunca me pertenceu

Eles dizem que a madrugada é dos poetas, das putas e dos bêbados
E deitado na cama fumando um cigarro e com um caderno ao lado
Eu confirmo a teoria

 

 

 


Notas Finais


pudera eu viver sem me foder.

[email protected]


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...