História Elo - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~NanyAlmeida

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Atena (Sasha), Hades, Hypnos, Manigold de Câncer, Pandora, Thanatos
Tags Hentai, Romance, Saint Seiya, The Lost Canvas
Exibições 76
Palavras 2.282
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Destino em jogo


Fanfic / Fanfiction Elo - Capítulo 5 - Destino em jogo

Thalia encontrava-se sentada observando o tabuleiro de xadrez que estava disposto na mesa retangular a sua frente ,enquanto que a mesma possuía uma pequena peça feita de ossos na qual foi talhada uma pequena  rainha branca que agora,girava delicadamente em sua mão observando as suas facetas. A semideusa estava tão distraída que levou um susto quando se fez ouvir um pequeno barulho de uma peça contra o tabuleiro,revelando a presença que até pouco tempo atrás não existia.

-Não seja tão emotiva.-Falou Oneiros,tentando reconfortar a bela jovem.

-Fiquei preocupada ,achei que meu pai iria fazer algum mal a você.- Falou a morena transparecendo preocupação.

-Vamos esquecer isso,e...-Fala o deus dos sonhos ,dando-lhe um sorriso torto e olhando-a desafiadoramente- Te desafio. – completou sentando a sua frente esperando o seu primeiro movimento.

-Irá se arrepender por ter me desafiado- fala Thalia deixando transparecer um grande sorriso de deboche.

-É fácil ameaçar.- responde o grisalho aumentando o seu sorriso.

Depois de um longo tempo,restaram-se apenas algumas peças sobre o lustroso tabuleiro e Thalia possuía vantagem sobre Oneiros ,e em uma jogada rápida ,a semideusa sacrifica seu bispo e põe em xeque o rei de seu adversário que sem saída apenas aceita a derrota.

Xeque Mate – fala, derrubando o pequeno rei negro com sua rainha e dando-lhe um sorriso malicioso – E o meu prêmio? - E, inesperadamente, o deus dos sonhos se levanta abruptamente e arremessa a mesa a sua frente a alguns metros ao seu lado, tendo livre acesso a morena, e se aproximando lentamente. Em poucos segundos o grisalho chega até a morena e leva sua mão a nuca da mesma de uma maneira sensual que faz o corpo da menina se arrepiar por completo. Oneiros percebendo que havia mexido com a jovem, resolveu provocá-la ainda mais roçando seus lábios nos pequenos e rosados lábios de Thalia que fechou seus olhos ao sentir aquela sensação tão deliciosa e enquanto sentia seus lábios roçarem de uma maneira provocativa, podia ouvir sussurros do deus dos sonhos, que não estava mais aturando a própria provocação. 

-Odiaria ser seu inimigo. -Sussurra o grisalho, fazendo Thalia abrir seus olhos e encontrar-se com os belos olhos de seu primo que sempre a prendia. 

A morena sorriu com as palavras do deus, até pensou em provocá-lo com aquilo, mas logo se distraiu novamente ao sentir a respiração do mesmo contra a sua. A vontade de senti-lo melhor logo percorreu seu corpo e a jovem demonstrando essa vontade ,umedeceu seus lábios e arfou em seguida indo direto ao ponto, pois não poderia mais suportar a vontade de tê-lo novamente. 

-Oneiros... Eu quero você. -O deus entendeu de imediato a maneira que ela o queria, aquela expressão cheia de desejo e seu olhar pervertido a entregava. 

-Thalia...Eu nem mesmo deveria tocá-la dessa maneira, já foi muito assustador quando ele nos viu apenas se beijando, imagine se ele ver outra coisa? Com toda certeza eu deixarei de existir. Quando se trata de você, ele é assustador. Nem mesmo consigo falar com ele normalmente depois do que houve. 
 

-Oneiros, você com medo? -Provoca Thalia abrindo um sorriso maldoso. 
 

-Nem mesmo o senhor Hpynos conseguira segurá-lo se ele ver eu fazendo algo com você. -Responde Oneiros ainda segurando a nuca da menina, olhando nos olhos da mesma. -As ameaças dele foram claras. 
 

-Ele terá que respeitar... 
 

-Thalia, Thalia... Parece que você não conhece muito bem seu pai.

 

-Ele tem que saber que sou bem grande para tomar minhas decisões, e quando estou ao seu lado me deixa feliz, primo. Agora esqueça meu pai e seja meu. 
 

-Minha pequena rebelde. -Responde Oneiros resolvendo ceder, já estava ciente que em algum momento teria que enfrentar Thanatos se quisesse ficar ao lado de sua amada prima. O grisalho a beija com luxuria e a pega no colo para levá-la embora. A semideusa envolve suas pernas no quadril do deus, levando sua mão ao cabelo do mesmo, dando um leve puxão enquanto o beijava. 

O deus dos sonhos a levou para o quarto que pertencia a ele, lá seria mais seguro que o quarto de Thalia, pois no quarto da jovem, Thanatos teria a liberdade de entrar a qualquer momento e o grisalho não estava a fim de ser atrapalho. 
Oneiros deitou a menina em sua cama e permaneceu de pé retirando sua armadura com pressa, deixando seu forte e lindo corpo exposto. Logo em seguida o homem deitou-se sobre o corpo da prima e voltou a beijá-la. A cada segundo o beijo se tornava cada vez mais envolvente, caloroso e excitante. 

-Teremos que ser rápidos, logo seu pai começara a procurá-la. -Avisa Oneiros beijando entre o decote dos seios da jovem. 
-Não se preocupe com ele. -Responde Thalia soltando leves gemidos. -Apenas me possua. 

O grisalho desceu, indo para os pés da jovem, onde começou a beijar, subindo cada vez mais, na medida que subia, também subia o vestido da jovem, expondo cada vez mais as pernas da mesma. Quando chegou onde interessava ao rapaz, o mesmo depositou um beijo na intimidade da jovem, mas acabou subindo mais, a procura dos lábios femininos, levando o resto do vestido com ele. Thalia levantou um pouco sua coluna, dando passagem para o vestido ser retirado. Voltaram a se beijar e a menina tomou o lugar do deus, dessa vez ficando por cima, controlando a situação. 

-Então dessa vez você quer ficar por cima. -Comenta Oneiros com um sorriso malicioso, vendo-a se posicionar em cima de seu membro. 

-Me ensine como as ninfas faziam para lhe agradar. -Pede a menina mordendo seu lábio inferior. 
 

-Você não precisa ser como elas. -Responde Oneiros sorrindo. 
 

-Verdade, preciso ser melhor. -Retruca a menina querendo que ele a ensinasse sem demoras.

Oneiros se sentindo vencido pela filha do deus da morte da uma leve gargalhada, pois sabia que se não fizesse o que ela queria com toda certeza ela ficaria muito brava. O grisalho alisa as grossas coxas da menina até chegar na cintura da mesma, onde segura com uma certa firmeza e começa a ajudá-la a se movimentar, mostrando como lhe agradava. Logo Thalia já fazia movimentos mais rápidos arrancando suspiros de prazer do primo. Seus gemidos eram excitantes e estavam em uma altura boa, para apenas Oneiros escutar. 

-Você me enlouquece... -Diz Oneiros mordendo os lábios. 
 

-Oneiros. -Thalia diz o nome do rapaz como um gemido. 
 

-Thalia, eu vou... -Avisa Oneiros fazendo a menina se movimentar ainda mais rápido. 
 

-Sim... -Responde a menina entre gemidos. 

O homem se retirou de dentro da jovem e se despejou, sentindo um grande alivio, assim como ela. 

-Essa foi rápida. -Reconhece Oneiros. -Da próxima vez faremos com mais calma e sem preocupação alguma. 
 

- lembre-se que isso é uma promessa que eu vou cobrar. 
 

-Não precisa nem me cobrar, pois eu não esquecerei de algo assim. -Responde Oneiros dando um sorriso e se levantando da cama. 
 

-Onde você vai? -Pergunta a morena achando estranho. 
 

-Tenho algo para você, isso lhe ajudara a nunca se esquecer de mim. 
 

-Deixe de ser bobo, eu nunca me esqueceria de você. 

O deus dos sonhos abriu um sorriso contente ao escutar aquilo, enquanto pegava algo na primeira gaveta. Logo retirou uma caixinha que provavelmente estava sendo usada parar proteger o que estava dentro e voltou para cama, onde se sentou ao lado de Thalia. 

-Isso é para você. -Avisa o homem entregando a caixinha a morena. 

Thalia estava ansiosa para saber o que estava dentro e abriu com pressa, encontrando uma linda gargantilha de ouro com uma ametista e fica muito surpresa. 

-Ametista me lembra a cor dos seus olhos. -Comenta Oneiros quebrando o silencio. 
-Oneiros, é lindo... 

Thalia fica tão feliz que subiu no colo do primo de frente para ele, envolvendo seus finos braços no pescoço do mesmo, sem se importar com sua nudez e Oneiros a segurou pela cintura.
 

- Eu levarei isso para sempre comigo.- fala menina e mais uma vez depositando um beijo rápido nos lábios do deus, seguido por um abraço. 
-Fico feliz que tenha gostado. 

Thalia afastou-se voltando a olhar para o rosto de Oneiros que estava bobo observando aquele belo sorriso, tão feliz, tão sincero e indefeso como o de uma criança e aquilo o preocupou, pois sabia que a missão estava próxima e não poderia protegê-la e não sabia o futuro que a aguardava.

                            ***

Alguns dias haviam se passado, Thanatos não havia mais tocado no assunto a respeito do que havia visto, provavelmente Hypnos conseguiu o acalmar no momento. Thalia deixa seu luxuoso quarto a caminho do jardim, o local que mais gostava naquele lugar imenso. A garota caminhava pelo largo corredor do palácio quando escuta uma voz irritante: 

-Bom dia priminha, ou você prefere cunhada ? -Pergunta Phantasos com sarcasmo. 

Thalia ignora a loira e continua a caminhar tranquilamente em direção ao jardim. 

- Metida. -Provoca a loira. 

Phantasos desaparece de onde estava e aparece na frente de Thalia que a olhava com frieza e desprezo e pergunta sendo extremamente grossa: 

- O que você quer? 

- Nossa parece o Thanatos falando, acho que não tem como duvidar que você é filha dele, mesmo possuindo uma parte imunda  humana. -Ofende Phantasos, mas Thalia ignora. 

- Diga logo o que você quer comigo, tenho coisas mais importantes para fazer do que ficar perdendo tempo com alguém insignificante como você. -Responde a morena já irritada com a enrolação. 

-Calma, encolha as garras...O senhor Hypnos e o senhor Thanatos estão te aguardando na sala principal- Avisa a loira desaparecendo em seguida. 

Thalia estranha a convocação repentina e resolve ir o mais rápido possível, deveria ser um assunto muito importante.Ao chegar no local a menina abre a porta calmamente vendo os quatro deuses dos sonhos ,seu tio sentado com os braços cruzados e seu pai encostado em um pilar. 

- Mandaram me chamar?!- Pergunta a garota educadamente. 

-Você vem evoluindo bastante nos treinamentos Thalia, mas já era de se esperar, afinal, você possui o meu sangue e isso significa que você está pronta.- Começa Thanatos. 

-Pronta?- Repete a semideusa confusa. 

-Você irá ao santuário, lhe contei sobre essa missão recentemente. Thalia não nos decepcione, use sua inteligência e seriedade, se descobrirem quem você é realmente colocará sua vida em risco.  Então faça um excelente trabalho, ele poupara sua vida... Ah! E o principal que você precisa usar , que até mexeu com o meu filho Oneiros...o seus encantos. -Explica Hypnos. Oneiros se incomoda com as ultimas palavras de seu pai que envolviam seu nome, e Thalia percebeu mais no momento ignorou, o deus dos sonhos olhava a semideusa como se quisesse lhe dizer algo com aquele olhar. 

- Não vou decepcioná-los - Responde a garota com firmeza. 

-Ótimo, mas antes disso... - Fala Thanatos 

A estrela de Thanatos brilha,e em quentão de segundos Thalia sente seu corpo pesado e depois uma dor descomunal toma conta do corpo da garota . Phantasos arregala os olhos ao ver o estado da garota e dessa vez a loira ficou com pena. Os outros também ficaram espantados principalmente Oneiros. A semideusa respirava com dificuldade e quando abaixou sua cabeça viu seu corpo extremamente ferido com cortes profundos ,seu vestido branco estava tingido de vermelho por causa de seu sangue . Oneiros não aguentou e foi para perto apoiando a cabeça da jovem em seu peito e a abraça. 

- Isso é mesmo necessário?- Pergunta Oneiros preocupado. 

-Atena não é tola, então esse plano precisa ser pensado com cuidado, isso também é para o bem dela. - Responde Hypnos calmamente. 

- Está...está tudo bem Oneiros. - Responde a garota com dificuldades, para tentar acalmar o primo. 

-Thalia você ficará em coma durante dois dias, te desejo boa sorte, amada sobrinha - Depois de terminar sua fala a estrela de Hypnos brilha. A semideusa cai em um sono profundo, Oneiros vê Thalia desacordada em seus braços , estava pálida, seu sangue estava um pouco espalhado em sua armadura. 

- Oneiros, deixe-a perto do santuário e vamos esperar os resultados. -Ordena Thanatos. 

Oneiros põe sua prima nos braços com cuidado e desaparece do salão principal. 

                                                                                                             *** 

A forte chuva cai sobre o santuário, raios iluminavam o céu. Dois cavaleiros andavam pelo uma certa área um pouco distante do santuário. 

-Que chuva chata, vai molhar todo meu lindo cabelo, aquele velhote é mesmo um chato. -Diz o canceriano. 

- Será que você só sabe reclamar Manigold, é apenas um cabelo, depois seca. -Responde o cavaleiro de peixes irritado, pois não era a primeira reclamação. 

-Calminha ai, não fique estressado, mas enquanto eu estiver andando com você preciso manter a boa aparência, não posso ficar para trás. -Provoca Manigold. 

-Você sabe que esse assunto não me agrada. Temos que ficar de olhos abertos ,soube que espectros .... -Albafica cessa sua fala olhando para um local fixo e indo para o mesmo e fica surpreso com o que encontra. 

- Manigold ! - chama Albafica surpreso 

-Caramba, não precisa gritar, não sou surdo. -Reclama Manigold se aproximando e vendo uma menina de cabelos negros desacordada  

Depois de falar o cavaleiro de câncer agacha e leva sua mão ao pescoço da garota e fica parado por alguns segundos analisando. 

-Ela ainda tem pulso,vamos leva-la para o santuário... Talvez ela pode até sobreviver, ou talvez não, que peninha né. 

-Não seja pessimista Manigold, você fala da morte como se fosse algo tão natural. -Diz Albafica chamando a atenção do amigo. 

-Claro, convivo com a morte desde pequeno. E sabe de uma coisa, ela é até que bonitinha. 

-Não é hora para isso. 

-Certo, vamos leva-la. 

O Dourado de peixes confirma com a cabeça e Manigold coloca a garota em seus braços e a observa por alguns segundos e depois ele segue para o santuário junto com Albafica .



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...