História Em busca de um sonho - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Naruhina, Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 55
Palavras 1.279
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Festa, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente! Dois capítulos em um dia só para compensar vocês pelo atraso. Esse não ficou tão grande, mas vocês saberão o motivo quando terminar de ler e ver que parei na parte mais legal porque eu sou malvada kkkk ^-^.

Quero agradecer ao ~IndraOotsutsuki pelos comentários que me deixaram animada para escrever logo, Muito obrigada <3

Capítulo 16 - Caindo na tentação


Fanfic / Fanfiction Em busca de um sonho - Capítulo 16 - Caindo na tentação

Sakura on

            Na vez do Sasuke, ele levantou e começou a cantar uma música calma e que eu não conhecia. Tentei reconhecer algum pedaço, mas nunca tinha ouvido essa música, disso que tinha certeza.

Not a love song

Não é uma canção de amor

Estar sempre na minha mente

Eu penso em você sempre

E... não

Não vamos falar disso

Podemos viver sem drama

Pegue uma onda se está entediado

Há um relógio vamos ignorar

Você vai dar um jeito nisso

Garota, sei que tem alguma coisa

Mesmo quando diz que é nada

Quando brinca com o cabelo

E não está nem aí

Eu noto que está blefando

Agora, não me entenda mal
 

Eu amo o que você faz

Você só faz as coisas que ama

Mas não é uma canção de amor

Não é uma canção de amor

Adoro o jeito que você me entende

Mas me corrija se estiver errado

Esta não é uma canção de amor

Não é uma canção de amor

 

Eu amo que você comprar os bilhetes

E você não me ver

O chick flick

Nós viemos de tão longe, ser do jeito que somos

Se não está quebrado, não conserte

Eu não posso adivinhar o significado, quando você não diz

O que você está sentindo

Se você tem um coração partido, você pode me dar um soco no braço

Agora isso é o que você precisava

(agora que é o que você precisava)

não levam a mal

(Não.)

 

Eu amo o que você faz

Você só faz as coisas que ama

Mas não é uma canção de amor, não uma canção de amor

Adoro o jeito que você me entende

Mas me corrija se estiver errado

Esta não é uma canção de amor

Não é uma canção de amor

            Fiquei sem palavras com essa música, todos bateram palma. Kurenai questionou sobre a música e ele disse que era autoral, o que me deixou ainda mais impressionada. Será que havia deito pensando em alguém?

            Assim que a aula acabou eu fui com as meninas para casa, tinha ajeitar as coisas para ir do trabalho direto para a casa do moreno então arrumei uma mochila com algumas roupas pra eu me trocar e caderno e tal para fazer o trabalho. Fui para a loja e o Sasuke chegou logo em seguida vindo até mim.

Sasuke: Eu também peço desculpas. Fui muito infantil com você. Não é como se eu fosse o cara mais confiável do mundo. Acho que você tinha o direito de desconfiar de mim mesmo. – Despejou tudo de uma vez só.

Sakura: Tudo bem Sasuke, eu também agi mal com você. Então estamos bem? – Perguntei sorrindo.

Sasuke: Estamos sim. Vou indo colocar o uniforme antes que o Itachi venha me dar uma bronca. – Falou e assenti para ele que logo foi fazer o que disse.

            Ficamos trabalhando e às vezes o moreno mais novo me olhava de relance eu virava o rosto corado. Por que eu ficava corada? Não faço ideia, mas espero que pare porque não é nada legal ficar corando por um irritante desses.

            Ao final do expediente eu me troquei e fui com o moreno para o seu carro. Ficamos calados a maior parte do tempo, isso me incomodou um pouco, mas não fiz nada para que esse incômodo silêncio acabasse, apenas fiquei quieta e fiz um comentário sobre como as ruas estavam movimentadas naquele momento e ele apenas assentiu.

Sasuke: Chegamos à minha humilde residência. – Falou enquanto estacionava na garagem do prédio.

Sakura: É um prédio muito bonito. – Disse admirando.

Sasuke: Espera só para ver por dentro. – Falou desligando o carro e já abrindo a porta para sair.

            Saímos do carro e fomos para a entrada, surpreendentemente o moreno cumprimentou o porteiro com um “boa noite” que foi respondido animadamente. Entramos no elevador e poderia jurar que vi um sorriso malicioso nos lábios do moreno por alguns segundos, acho que estou louca.

            Chegamos ao andar dele e seguimos pelo corredor até o apartamento 32 ele abriu a porta, revelando um apartamento pequeno e muito bem organizado. Deixei minha mochila no sofá da sala e ele se pronunciou:

Sasuke: Vou tomar um banho no meu quarto, se quiser pode tomar um no banheiro social que fica aqui no corredor, primeira porta à esquerda. – Disse apontando para o corredor.

Sakura: Ah! Eu vou sim. – Falei pegando minha bolsa e indo para onde ele apontou.

            Entrei no banheiro que estava impecável como o resto do apartamento e tomei um relaxante banho. Estava precisando disso. Assim que acabei, vesti a mesma roupa que eu estava exceto as peças íntimas que eu tinha outras guardadas dentro da mochila e saí do banheiro.

            Quando coloquei meus pés na sala pude sentir um cheiro bom de comida, se meu olfato não estava enganado, era cheiro de panqueca. Segui o cheiro até a cozinha e contemplei a visão do paraíso: Sasuke sem camisa com uma calça de moletom cinza. Por mais que eu implique com ele, tenho que admitir que ele é muito gato.

Sasuke: Quer tirar um foto? – Perguntou o moreno virando um pouco a cabeça para trás me fazendo acordar do transe.

Sakura: E-Eu não. – Praguejei mentalmente por gaguejar e ele dar um sorriso de canto. – O cheiro está muito bom. – Falei tentando mudar de assunto.

Sasuke: Estou fazendo panqueca para gente comer. – Falou virando a massa na frigideira.

Sakura: Pelo menos o cheiro está ótimo. – Falei sentando-me à mesa que tinha na cozinha (não literalmente).

Sasuke: Como fui eu que fiz, tenho certeza que o gosto está ainda melhor. – Vangloriou-se.

Sakura: Nem se acha. – Falei revirando os olhos.

Sasuke: Está pronto. – Disse ignorando meu comentário e colocando mais uma panqueca na pilha que havia ali na mesa.

            Comemos as panquecas com mel e calda de chocolate. Tenho que admitir que ele realmente cozinha muito bem. Esse homem não existe. Depois colocamos as coisas na pia e sentamos novamente no sofá para começar o trabalho.

Sakura: Então, a Kurenai pediu para a gente compor um dueto e apresentar na próxima aula com um arranjo mínimo de três instrumentos. Tem alguma ideia de qual assunto podemos tratar na música? – Perguntei enquanto pegava o caderno e uma caneta para anotar as ideias.

Sasuke: Já que nossa dupla é composta por uma voz feminina e uma masculina, ficaria legal uma música sobre o amor. – Sugeriu.

Sakura: Será? Acho que vai ficar legal. – Disse colocando a caneta na boca (tenho essa mania quando estou pensando em algo).

Sasuke: Para com isso. – Repreendeu ele e eu fiquei sem saber do que estava falando.

Sakura: Parar com o quê? – Perguntei perdida.

Sasuke: Parar de fazer essa cara sexy enquanto morde a caneta. – Respondeu arrancando umas risadas minhas. – Estou falando sério.

Sakura: Qual cara, essa? – Perguntei tentando recriar a cena com mais sensualidade.

Sasuke: Eu avisei. – Falou vindo em minha direção e agarrando minha cintura.

            Arregalei um pouco os olhos por causa do seu ato inesperado e ele tratou logo de colar nossos lábios em um beijo necessitado que foi consentido por mim quase que imediatamente. Acabei ficando por baixo dele deitada no sofá. A cada segundo a intensidade aumentava mais e nossas mãos já passeavam pelos corpos um do outro. Suas mãos percorriam minha cintura e bunda enquanto que as minhas passeavam por todo seu tanquinho.

            Naquele momento eu não estava mais tão consciente em relação às minhas ações. Meu corpo se movia sozinho. Separamo-nos para recuperar o fôlego, mas ele continuou beijando meu pescoço e deu uma leve mordida no lóbulo da minha orelha, causando em mim arrepios maravilhosos enquanto que eu gemi seu nome quando sua mão alcançou minha intimidade por cima do short jeans que eu usava.

Continua...


Notas Finais


O que acharam? Espero que tenham gostado porque eu fiz com muito amor e empolgação. Esse capítulo surgiu bem rápido porque eu estava inspirada. Respondi a pergunta que não queria calar sobre como seria esse trabalho, mas em compensação parei na parte mais legal kkk. Não parei só para criar suspense, também para o capítulo não ficar com mais de duas mil palavras então resolvi parar por aqui mesmo e deixar o hot para o próximo.

Obrigada por terem lido e até o próximo!

P.S. 1- Também não revisei esse capítulo então desculpa qualquer coisa estranha aí no meio.

P.S. 2- A música do início do capítulo é de um seriado chamado Austin&Ally e é cantando pelo Ross Lynch da banda R5 que eu amo de coração.

Link da letra da música
https://www.vagalume.com.br/austin-and-ally/not-a-love-song-traducao.html

Link para ouvir a música
https://www.youtube.com/watch?v=azTJtOfw7q4


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...