História Em Busca de Uma História - Camren - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Ian Somerhalder, Originais
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Exibições 8
Palavras 907
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Uma Lauren diferente.


 

 

Nem sabia o nome dele. Engravidei dele. Como fui errar tanto? Fiz um exame para doenças sexualmente transmissíveis e pelo menos disso eu estava livre.

-Não esta pensando em abortar né?

-Não Dinah, nunca.

-Ótimo, te bato menos assim.

            Levei um tapa na cabeça, não doeu tanto quanto eu merecia.

-Vou ser madrinha?

-Você e Ian. Que tal?

-Hum... Não bato mais agora.

-Dinah.

-Oi amor. Se sente mal?

-Sim, fiz a maior cagada da minha vida.

-Sabe... Sua casa vai ser menos vazia agora. Não vai mais precisar que eu durma tanto lá. Alguns males vem para o bem. Você é muito só.

...

            Já em casa deitei na cama e ouvi Dinah esquentar água na cozinha para um chá. Médico me pediu exames de sangue e viu que eu estava com anemia, me passou uma dieta e me mandou voltar em uma semana.

            Ouvi baterem na porta, ouvi Ian e logo ele chegou na porta do meu quarto.

Passaram alguns minutos e o celular dele tocou, ele andou até a janela e fez um sinal com as mãos. Ele desceu e eu fui até a janela. Lauren estava lá fora, em pé fora do carro. Ficamos nos olhando um pouco e ela desviou o olhar. Primeira vez que Lauren desvia o olhar.

 

                                   Três meses se passaram.

 

            Eu agora com quatro meses, a barriga já mostrava e incomodava um pouco. Tive bastante enjoo, todos os dias. Dinah praticamente se mudou pra cá, fica um pouco mais fácil dormir com ela aqui, a barriga se encaixa mais se abraço ela. Lauren vem em todas as visitas de Ian, mas nunca subiu. Como hoje, que ela mandou um vale presentes de 500 reais em um loja cara de bebes, mas não veio, ficou do lado de fora. Puxei uma cadeira até a janela e abri. Sentei e fiquei olhando. Ela entrou no carro. Meu celular tocou e eu peguei do bolso. Era uma Mensagem.

 

Numero desconhecido

Hora: 14:27 p.m.

Texto: Precisa de uma Tv no quarto?

 

Uma tv? Oque?

 

“Quem é?”

 

Numero Desconhecido

Hora: 14:29

Texto: Pare de me olhar Camila, se distraia com outras coisas.

 

Lauren. Salvei seu numero na minha agenda e sai da janela.

 

Lauren

Hora: 14:30

Texto: Obrigado. Como esta?

 

“Gorda.”

 

Lauren

Hora: 14:32

Texto: Isso é bom.

 

“Bom pra quem?”

 

Lauren

Hora: 14:33

Texto: Para as outras mulheres em sua volta. Como passou de uma lésbica iniciante para uma gestante?

 

“Sobe e eu te explico.”

 

Lauren

Hora: 14:40 (Jesus quanta demora)

Texto: Não pode descer?

 

“Escadas, eu tenho que evitar. Sobe, eu não mordo normalmente.”

 

Passaram mais uns minutos e eu entrei no banheiro do meu quarto. Sempre ouvi a expressão “Come por dois” mas nunca a “Urina por dois”. Deveriam alertar mais.

            Quando sai do quarto Lauren estava sentada na cama.

-Oi. Desculpa se te assustei.

-Não tem problema. –Caminhei de vagar até a cama e deitei. Ela continuou sentada nos pés da cama.

-Oque aconteceu?

-Foi bem culpa sua na verdade.

-Ah desculpe, juro que esqueci a parte deu ter um órgão sexual masculino e ter te engravidado.

-HÁ HÁ (Fechei a cara), vi você subir, com aquela menina para os quartos... Um cara me ofereceu uma bebida, eu estava com raiva. Fizemos.... Coisas.

-Ciumes?

-Não. Só se tem ciúmes de pessoas que sentimos algo Lauren. Algo bom. Você me da nos nervos, e agora... Agora eu me ferrei.

-Eu posso vim visitar?

-Você gosta de crianças?

            Ela virou pra mim.

-Amo. Elas costumam não gostar de mim quando bebês.

-Pode vim sim.

- Sabe o sexo?

-Ainda não.

-Prefere oque?

-Eu nem sei. Preferia não ter um filho agora, mas já que veio. Talvez menina. Não sei se tenho preferencia.

-Acho que vai ser um menino.

-Porque?

-Não sei. Mas normalmente acerto. Dói?

-Não é dor, é tipo... Incomodo.

-E pra dormir?

-Abraço a Dinah.

            Lauren se levantou e começou a andar pelo quarto.

-Porque ela dorme aqui?

-Pra eu não ficar sozinha.

-Mas junto... Porque juntas? Porque na mesma cama?

-Porque fica mais suportável a noite. Lauren, vem aqui.

-Não. –Ela ficou parada no meio do quarto, com a mão na cintura, os cabelos compridos e pretos indo até a cintura, lisos que parecia que ao encostar a mão ela escorregaria até o fim dos fios.- Oque foi?

-Nada- Respondi e desviei os olhos dela. Olhar pra ela demais era perigoso demais, me deixava bêbada. –Porque tem tanto ciúmes da Dinah?

-Porque sim. De uma hora pra outra vocês podem dormir juntas.

            Comecei a rir.

-Não. Não podemos.

-Porque?

-Porque não. Ela é minha melhor amiga. Sério. Não... Não mesmo.

-Para de rir.

-Desculpa.

            Ela sentou do meu lado.

-E o pai?

-Bom... O meu morreu. Sabia?

-O do bebê.

-Eu sei... Bom. Meu bebê não tem pai.

-Sei. Dedinho poderoso o seu.

            Ri e segurei, até que ela começou a rir também e ficamos rindo até a graça acabar.

-Não sei nem seu sobrenome. Sabe... Dizem que a maternidade muda as pessoas. Mas você que está mudando. Você ta bem mais doce. Parece até um ser-humano Lauren.

-Pareço um ser-humano?

-Agora sim. Mas lembre-se do quase. Quase parece um ser-humano.

-Quase.

-Quase.

-Eu tenho que ir. Me avisa se tiver médicos ou... Se você se sentir mal.

-Aviso sim.

            Oque aconteceu em seguida foi estranho e constrangedor. Ganhei um meigo beijo na testa e ela saiu pela porta.

            Quem era essa mulher e oque fez com a Lauren?

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...