História Em busca do tesouro. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Bazzard Black "Bazz-B", Genryuusai Shigekuni Yamamoto, Grimmjow Jaegerjaquez, Hirako Shinji, Hiyori, Hyōrinmaru, Ichigo Kurosaki, Isshin Kurosaki, Karin Kurosaki, Kenpachi Zaraki, Masaki Kurosaki, Nnoitra Gilga, Orihime Inoue, Personagens Originais, Renji Abarai, Rukia Kuchiki, Shihouin Yoruichi, Toushirou Hitsugaya, Urahara Kisuke, Yuzu Kurosaki
Tags Aventura, Bleach, Pirataria
Visualizações 47
Palavras 1.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo-Ai
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Kisses <3

Capítulo 5 - Ele está aqui


Fanfic / Fanfiction Em busca do tesouro. - Capítulo 5 - Ele está aqui

Durante o resto daquele dia, os marujos aproveitaram a calmaria das águas em que navegavam. A noite, todos dormiram. Todos menos Ichigo, que perdeu o sono.

Enquanto manobrava o leme, o ruivo observava o livro-mapa.

Ele era feito de couro negro. Suas páginas eram amareladas e manchadas devido a ação do tempo. Na sua capa tinha três pequenas pedras que o ruivo constatou serem safiras. Mas, o conteúdo presente nas páginas do livros era algo que Ichigo não conseguia decifrar e isso lhe indignava.

Por fim, guardou o livro no bolso novamente e supirou derrotado.

///-///-///-///-///

No outro dia as coisas foram tediosas.

Águas calmas demais, brisa fraca e nenhuma direção certa. Os marujos então decidiram tirar a manhã e a tarde para organizar e praprar o navio, pois não sabiam o que encontrariam pela frente nessa nova aventura.

Perto o do fim da tarde, o céu ficou escuro e as águas começaram a se agitar um pouco. Aparentava ser uma tempestade a caminho, mas nenhum trovão foi ouvido e nenhuma gota de chuva foi sentida.

Deixando a mudança súbita do clima de lado, Ichigo, no fim da tarde como havia dito, desceu para o fundo do navio onde a sereia se encontrava e fez a mesma coisa que havia feito no dia anterior: entrou, trancou a sela, se agachou na frente dela e a encarou percebendo que Reiko agora lhe olhava.

— Pelo visto não tem mais tanto medo de me olhar nos olhos. — O ruivo comentou friamente.

De repente, uma onda mais forte bateu no navio fazendo com que o ruivo caísse batendo as costas na parede da sela deixando o livro que estava no seu bolso cair perto da garota.

Antes que o capitão pudesse ao menos pensar em pegar seu livro-mapa, Reiko o pegou primeiro. Ela olhava inexpressiva para a capa negra do mesmo até que finalmente falou:

— Já faz um bom tempo que eu não vejo essa belezinha...

Ichigo ficou surpreso.

— Então você sabe desse mapa?! — A encarou.

Reiko apenas olhou para o capitão antes de lhe responder calmamente:

— E você não?

Ainda perplexo, o ruivo ficou olhando a garota abrir e folhear o livro com a maior calma do mundo.

— Eu já passei um tempo com esse livro. — Contou. — Foi pouco, mas o suficiente pra que eu pudesse ler seu mapa por completo.

— Você consegue ler esse mapa?!

— Inexplicavelmente sim. Mas é bastante difícil decifrar alguma coisa aqui já que todas as pistas são como enigmas.

— Você disse que era difícil, mas não disse que era impossível. — O ruivo ficou de pé. — Isso significa que já conseguiu decifrar algum.

— Você percebe as coisas bem rápido...

Ichigo ficou pasmo. Não acreditava que uma criatura como ela poderia ser capaz de fazer o que havia acabado de dizer.

— Quem é você?! — Questionou.

Reiko não respondeu. Apenas abaixou a manga da camisa que usava deixando a mostra uma espécie de tatuagem que o ruivo reconheceu bem.

— Não... Não pode ser... — Ficou ainda mais assustado. — Os únicos que possuem essa marca são os piratas e seus filhos... E você é uma sereia! Como pode ter essa mesma marca?!

— Seu pai nunca te contou que se uma sereia mantida fora da água por muito tempo ficar com pernas ao invés da calda ela na verdade é uma humana amaldiçoada?

Porém, o que mais deixava o ruivo asusutado naquele momento não era apenas o fato dela conseguir ler o mapa ou possuir aquela marca. mas sim a ousadia na sua voz. Parecia que, depois de ter pego o livro, todo o medo que antes estava na garota havia se dissipado e agora ela possuía uma coragem carregada de sarcasmo que deixou o pobre capitão confuso.

Reiko levantou o livro e, depois de observa-lo, leu em alto e bom som:

“Cauteloso por essas águas deve navegar, ou o mar de uma única vez irá lhe tragar. Se pela rota errada continuar seguindo, a morte será seu último e único destino”.

"O que isso quer dizer?"

O ruivo se perguntava. Então, num movimento rápido, segurou o livro que a garota lhe jogou de volta.

— Sugiro que dê meia volta enquanto ainda há tempo. — A sereia lhe falou com a maior calma do mundo.

— E porque eu deveria seguir sua sugestão?

— Você não é obrigado a seguir minha sugestão. Mas, se continuar indo na direção que julga ser certa, quando na verdade é totalmente errada, vai está entregando a si próprio e aos seus homens diretamente a morte.

— Não vou acretidar em você! — Gritou o ruivo com mais medo da calma da garota do que das suas palavras.

— Se não acredita em mim, veja com seus próprios olhos e acredite por si mesmo. — Foi a última coisa que Ichigo escutou de Reiko antes de sair dali indo para o convés.

Ao chegar no convés, foi em direção a Grimmjow e Renji que observavam algo no horizonte.

— Olha lá! — Um dos marujos apontou.

Os três olharam na direção mandada. Uma mancha enorme de cor confusa se aproximava rápido do navio Zangetsu. A tal mancha tinha uma coloração vermelha puxada pra o vinho e as vezes algumas partes dela ficavam em um tom mais claro.

— O que é isso?! — Grimmjow perguntou nervoso.

Ichigo não soube responder. Porém, algo dentro dele dizia que encontraria respostas no fundo do navio, onde uma certa sereia era mantida prisioneira. Então, foi até lá, acompanhado de seus dois fieis companheiros. Mas, ao chegar lá, sentiram um frio percorrer suas espinhas ao ouvirem a garota cantar.

"Um bom pirata deve saber o caminho certo a seguir. Na direção que a bússola apontar ele deve ir; Mas se teimoso se mostrar, o mar de uma vez irá lhe tragar. Sua tripulação destruida será, por aquele que foi mandado para os matar".

Depois de ouvirem aquilo, os três se aproximaram da sela e vislumbraram a garota sentada com as costas na parede, a cabeça levemente jogada para trás e os olhos fechados.

— É tarde de mais. — Declarou Reiko. — Ele já está aqui.

— E-Ele quem...? — Renji arriscou perguntar.

A azulada apenas abriu um dos olhos e deu um pequeno sorriso de canto antes de responder deixando uma áurea assustadora ao seu redor:

— O ninguém. E ele não está nada feliz...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...