História Em casa, nossa casa! - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Kankuro, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Shikamaru Nara, Temari
Tags Drama, Naruto, Sunagakure, Universo Alternativo
Visualizações 19
Palavras 1.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom dia, boa tarde, boa noite! Tudo bom?
Então, aqui está mais um capítulo que vai explicar toda a relação do Gaara e da Nay.
Espero que gostem e me perdoem se houver algum erro de português.

Capítulo 9 - Você veio...


_Você veio!_Escutei sua voz juntos aos arbustos que se moviam. Então me levantei da pedra onde eu estava sentado, e fui correndo em sua direção._Como você está, baixinho?

_Bem! E você?

_Eu estou ótima!_Ela mostrou um enorme sorriso, que parecia brilhar como Sol._Então, o que quer fazer hoje?

_Eu não sei..._Podia parecer que eu estava tentando bancar um idiota, mas eu não fazia a menor idéia do que fazer. Eu não queria falar nada errado, ou irritar ela. Ela podia escolher qualquer coisa, eu já estava feliz, só dela ter vindo.

_Okay, então eu escolho._Ela então olhou para o céu, e eu fiz o mesmo. O céu estava de um azul quase totalmente limpo, mas havia algumas nuvens ainda no céu._Vamos observar as nuvens um pouco, depois a gente brinca.

_Tá bom!_Então nos dirigimos para a frente das pedras, e nos deitamos, um do lado do outro. Ficamos a maior parte do tempo em silêncio, mas toda vez que encontrávamos um formato no céu, tentávamos mostrar para o outro, na maioria das vezes sem sucesso. Além disso, tudo que se podia escutar era o barulho das árvores que se moviam com o vento, de vez em quando.

_Como é controlar a areia?_Eu olhei para ela, assim que ela terminou a pergunta. Ela ainda olhava para o céu, mas parecia curiosa sobre o assunto. Depois de alguns segundo, voltei a olhar para o céu, que agora só tinha do seu azul. Eu nunca entendi direito isso, a areia sempre esteve se movendo ao meu redor.

_Não sei, direito! É normal para mim. _ Pude ver, com o canto do meu olho, que agora ela estava se sentando, olhando fixamente para mim. Ela estava ficando mais curiosa.

_Ela se move, quando você quer, não é?

_Mais ou menos... As vezes, ela faz tudo sozinha, mesmo se eu não quiser.

_Então a areia te protege!?

_Si-sim. E as vezes..._Acho que ela entendeu. As vezes, ela machuca as pessoas. Eu sei que isso é errado, mas acho que é por minha culpa. Quando as pessoas me olham com aqueles olhos frios, eu penso em uma forma delas sentirem o que eu sinto... Então as coisas acontecem, principalmente quando a voz está comigo.

_Não precisa se preocupar, não vou deixar ninguém te machucar mais._Ela olhava, com um sorriso pra mim e eu não entendia. Ela queria me proteger? Mas eu que machuco as pessoas...

_Você realmente não tem medo de mim?_Agora eu já estava sentado, olhando para ela.

_Não!_Ela me olhava como se eu tivesse a incriminado._Gaara, tente entender que você não é o monstro que todos dizem que você é...

_Mas eu machuco as pessoas...

_E as pessoas machucam você!_Ela já estava quase gritando. Notei que seus olhos estavam cheios de água, mais ainda não choravam. Ela estava mesmo preocupada comigo?  De repente eu comecei a me sentir mais feliz, depois de ver isso. Ela é a única pessoa, além do Yashamaru que parece se importar de verdade comigo.

_Você se preocupa comigo, de verdade?

_Claro! Você é um amigo..._Depois daquilo, eu pude ver as lágrimas escorrendo por seu rosto. “Você realmente me considera um amigo!” De certa forma, eu estava feliz, principalmente por saber que eu tenho ela, mas eu não queria machucá-la. E acho que eu fui um pouco idiota com ela, ela parece magoada.

_Me desculpe!_Eu estava imóvel, achei que não poderia me mexer e tentar fazer qualquer coisa, eu não sabia como fazer ela parar de chorar. Mas quando eu percebi, eu já estava abraçando-a.

   Depois de um tempo, ela já parecia mais calma, então lembrei de uma coisa que eu tinha feito para ela. Me levantei e fui em direção à minha bolsa, que eu colocava sempre ao lado da pedra. Dali, eu tirei um bentō que eu tinha preparado antes de vir para cá. Eu não sei se está bom, porque eu quase nunca cozinho, mas eu tentei fazer algo pra ela. Espero que não esteja ruim.

_Toma!_Eu estendi o bentō, me curvando. Pude sentir ela segurá-lo, então ela finalmente pegou e abriu. A expressão que ela fez ao abrir foi bem alegre, mas eu não sei se ela vai continuar com esse sorriso, se ela comer isso.

_Foi você quem fez?_Ela olhou para mim, enquanto eu entregava os hashis, e eu afirmei.

_Eu só não sei se está bom, mas eu dei o meu melhor._Ela então finalmente colocou um pouco do arroz e colocou na boca. Eu não consegui ver direito sua reação, pois ela estava com a cabeça um pouco baixa, e eu ainda estava em pé.

_Gostoso!_Ela se virou com um sorriso, e voltou rapidamente à comer. Fiquei um pouco sem graça com a aprovação dela, porém continuei preocupado com o que ela estava colocando na boca. “Não é possível que ela tenha gostado tanto assim...”_Você cozinha bem.

_O-obrigado!

_Você ta duvidando da sua própria comida?_Ela olhou para mim com uma cara que pedia para eu não exagerar, o que me deixou sem graça. Até ela colocar um pouco da comida na minha boca. Realmente, estava bom. Eu apenas estranhei, porque na maioria das vezes eu assisto meu tio fazer a comida, e em algumas ocasiões ele me deixa ajudar._Viu!? Tá ótimo.

_Que bom que você gostou...

_Olha, me desculpa por ter gritado com você... Eu não quero que você pense que eu estou aqui apenas por interesse em algo. Você é o único amigo que eu tenho...

_Você também...

_Depois, vamos brincar!

_Si-sim.

   Durante o resto do dia, continuamos brincando até um pouco antes do Sol se pôr. Como aquele Oásis era um pouco longe da Vila, era meio perigoso nos perdermos de noite, além de aqui ficar bastante frio. Na maior parte do caminho, ela me contou algum fatos sobre as pessoas, e que eu não deveria me preocupar tanto com isso. Ela é realmente inteligente.

_O medo controla as pessoas. A única coisa que você precisa fazer é mostrar que elas não precisam ter medo de você.

_Ok.

_Você pretende se tornar ninja algum dia?

_Acho que sim! Meu pai, ele me treina as vezes.

_Entendi...Dentro dessa cabaça tem areia, certo?

_Sim!

_Que inteligente. Eu tenho treinado, já faz algum tempo. Acho que tenho tido algum progresso. Mas minha tia disse que vai começar a me ajudar.

_Sua tia foi uma kunoichi?

_Ela foi uma jounin, e lutou na 3ª Guerra Shinobi._Ela fez uma pausa ao falar, mas parecia estar mais séria agora._A guerra muda as pessoas, sabia!? Eu moro com a minha tia desde que eu me lembre, e ela me contava algumas histórias das batalhas. E depois de um tempo, eu encontrei um diário da minha mãe...Minha tia era completamente diferente, até ela entrar para a Guerra.

   Paramos um pouco antes de entrarmos na vila, então continuamos. Acompanhei ela até sua casa, e depois fui em direção à minha. 


Notas Finais


Obrigada por lerem até aqui!
E se vocês tiverem qualquer crítica ou sugestão, estou aberta para tudo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...