História Em Dobro - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman, Ben Affleck, Gal Gadot, Henry Cavill, Liga da Justiça, Mulher Maravilha, Superman
Personagens Alfred Pennyworth, Bruce Wayne (Batman), Canário Negro, Clark Kent (Superman), Diana Prince (Mulher Maravilha), Dick Grayson, Donna Troy (Troia), Dr. Thomas Wayne, Martha Wayne, Personagens Originais, Rainha Hipólita, Selina Kyle (Mulher-Gato), Steve Trevor
Tags Batman, Brucewayne, Clark, Clois, Confusão, Dianaprince, Dinah, Donnatroy, Lauriver, Loislane, Roy Harper, Universoalternativo, Wonderbat
Visualizações 125
Palavras 1.311
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem desse capítulo pessoal! Leiam as notas finais! 💓

Capítulo 5 - Capítulo Cinco


Fanfic / Fanfiction Em Dobro - Capítulo 5 - Capítulo Cinco

- Como assim ele não transou com você? – A mulher disse alto de mais, Diana tentou disfarçar mas viu metade das pessoas que haviam na academia olhando para ela, como era manhã sua grande maioria eram senhoras de idade.

- Deus do céu Shay, você não quer um megafone? – A morena perguntou descendo da esteira.

- Desculpa Di, mas é quase inacreditável ... Ele passou a noite lá, dividiu a cama com você e não tentou nada? – Perguntou e a mulher negou. – Nadinha? – Insistiu e viu a amiga bufar.

- Ele disse que prefere ir com calma. – Repetiu as palavras que Clark disse na noite passada. – Eu fiquei um pouco chateada, estava tão bom. Mas no dia seguinte ele foi tão cavalheiro, me deixou uma rosa vermelha na porta de casa. – A mulher sorriu ao se lembrar da surpresa que teve ao abrir a porta para sair pela manhã. – Mas não acho que ele seja o cara, talvez devesse ...

- NÃO. – A mulher gritou assustando a amiga. – Digo, talvez seja melhor dar um tempo ao tempo não?, Ele mandou bem com a rosa e você gostou. – A mulher disse rápido, Diana deu de ombros e riu.

- Você tieta todos os caras gatos que saio, estou começando a achar que faz isso por auto satisfação. – A mulher disse e Shayera riu amarelo. Se despediram e Diana parou na cafeteria que havia ao lado de seu prédio, amava o cappuccino que serviam ali.

A morena sorriu quando viu de que era a ligação e tratou logo de atender.

- Donna, que saudade. – Falou animada, havia algumas semanas que não falava com a irmã ou a mãe.

-Estou morrendo de saudades Di. – A jovem disse do outro lado da linha, fazendo a irmã sorrir triste ao lembrar de que ela estava tão distante.

-Também estou, como foi em Paris? – Perguntou animada.

- Foi perfeito, eu e Roy tiramos várias fotos. Quando chegar irei te mostrar. – Falou animada, a morena franziu o cenho.

- Chegar? – Perguntou confusa.

- Sim, estamos há caminho de Seattle para festa do irmão do Roy, será amanhã e ... Gostaríamos que fosse. – Disse a última palavra baixo de mais, a mulher suspirou. Donna sabia que ela não aprovava muito o seu namoro com o irmão adotivo de Oliver Queen. Ele era o tipo de namorado perfeito, mas tinha seus problemas com drogas. O ruivo adorava ficar “chapado” e por conta disso já havia traído Donna inúmeras vezes e causado muito mal a sua irmã. Após mais uma reabilitação, a jovem surpreendeu toda a família ao anunciar em um jantar de domingo que havia deixado a faculdade para viajar pelo mundo com o namorado rico. Hipólita quase teve um ataque do coração e apesar de não aprovar, Diana tentou amenizar a situação mostrando certa compreensão já havia sido jovem e inconsequente, ela podia ver nos olhos da irmã o quanto ela estava apaixonada e feliz.

- Oliver Queen?, Passo. Não estou muito interessada em ir em uma festa regada a strippers e drogas, aliás não é o melhor lugar para levar o Roy. E você sabe muito bem quem estará lá. – A mulher disse rude, conhecia muito bem a fama dos Queen, ela ouviu a irmã suspirar e parou de resmungar.

- Será uma festa bem simples. Pouca gente, a Dinah noiva dele, o mataria. – A jovem disse frisando o noiva, Diana se surpreendeu ao saber a notícia.

- Noiva, sério? – Perguntou e a irmã riu.

- Sim, também me surpreendi quando soube mas ele é louco por ela, chega a ser estranho o ver tão apaixonado. Mas eles querem conhecer a família, bom acho que você já é o suficiente por hora já que a mamãe não quer ver um Queen nem pintado de ouro.

- Tudo bem, o que não faço por você. – A mulher disse e riu ao ouvir os gritinhos de comemoração da irmã. Logo se despediram pois Donna já estava a caminho do aeroporto.

Após terminar o café a mulher parou em uma loja de vestidos, se iria em uma festa de ricos ao menos iria apresentável. Seu celular tocou novamente e dessa vez era Clark.

- Estava pensando em você agora. – E não era mentira, ela queria o convidar para ser seu acompanhante na festa. Não mediu direito suas palavras e se sentiu uma idiota ao perceber o que havia dito. -Bom, não disse jeito, eu queria te chamar para ir em uma festa idiota e ...

- Eu estou ligando pra avisar que ficarei incomunicável durante alguns dias. – O homem a cortou. – Sinto muito avisar assim, eu adoraria ir a festa mas ...

- Tudo bem, eu entendo. – Disse tentando não transparecer o seu desânimo. Não queria topar com Bruce na festa, não tinha certeza se estava pronta para ver o homem depois de seu conturbado encontro. Ele voltou para Gotham no dia seguinte e ela estava aliviada de por hora não ver o rosto do homem, o olhar triste que ele lhe deu quando ela o pediu para ir embora não saiu de sua cabeça.

- Estou saindo a trabalho, uma matéria importante. Eu não queria ir sem ... você sabe, dizer adeus. – Ela podia sentir que ele estava sorrindo e isso a fez sorrir também. Clark a trazia um sentimento de acolhimento que ela desconhecia, ele cuidava dela, se preocupava mas apesar de tudo, não a queria. Bom, foi o que ela sentiu mas como se pudesse ler sua mente o homem disse logo em seguida. – Eu mal vejo a hora de voltar e terminar o que começamos ontem. – Disse lascivo, seu tom fez a mulher sorrir e morder o lábio inferior.

- Não vejo a hora. – Disse maliciosa, se despediram e logo desligaram. Ela olhou para a rosa vermelha e a pôs ao lado do vestido que havia comprado. Também vermelho como sangue, uma seda fina com um decote grande na parte da frente. Seria uma pena seu admirador não poder ver ela na peça.

Clark suspirou quando a ligação com Diana foi encerrada. Olhou para seu passaporte em mãos e para a tela que indicava o portão onde teria que entrar para ir para o avião que o levaria para seu destino.

- Lou, eu não consigo ficar tanto tempo sem te ver. – O homem disse no pé do ouvido da mulher, que riu sentindo cócegas, ele beijou todo o seu pescoço e ela o abraçou aceitando o carinho e retribuindo com um leve cafuné nos cabelos negros. Iria viajar pela manhã e estava morta de cansaço, não haviam dormido nada.

- Você diz isso agora meu amor, espere pra ver quando se passar uma semana, um mês, um ano. – Disse brincando, não tinha certeza de quanto tempo ficaria lá. – Você vai morrer de saudades de mim. – Ela disse dando um beijinho na ponta de seu nariz. - Eu te amo tanto, tanto Clark. – Disse o abraçando, deitando sua cabeça no ombro do homem.

- Eu também te amo, Lois. – O homem disse olhando para seus lindos olhos brilhantes, naquele momento ele soube que jamais haveria outra. Lois Lane era a mulher de sua vida.

- Shay se acalma ... – John dizia olhando a noiva andar de um lado para o outro com a celular em mãos, ela lia e relia a mensagem quando havia acabado de receber de Diana.

- Eu não posso John, ela é minha amiga. Minha melhor amiga. – A ruiva disse olhando para o homem, andou até ele e desligou a TV.

- Amor, é o jogo da final. – Reclamou e ergueu as mãos ao ver o olhar mortal da ruiva. – O que quer que eu faça amorzinho? – O apelido carinhoso sempre o livrou de muitas encrencas no passado e agora não seria diferente.

- Ponha o seu melhor smoking John Stewart, nós iremos a uma festa. – A mulher disse convicta.


Notas Finais


Lois "apareceu" o que acharam?
Eu decidi trazer a Donna para história também, e sim. O Roy é o namorado dela (Quem lê titãs rebirth me entende 😂 ) só queria muito lê algo sobre eles mais infelizmente não há nada no site, então vai a louca e cria. Na história ele é o irmão do Oliver, por que não teria como ser filho adotivo e tal ...
Próximo capítulo será cheio de emoções 😂
Espero vocês lá! Beijos 😚💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...