História Em Meio À Dor - CasNath - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Nathaniel
Tags Casnath
Visualizações 134
Palavras 947
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


*Leiam as notas finais, onegai!!!!!*

Capítulo 13 - A Proposta


 

 

 

O garoto de cabelos platinados andava tranquilo pelos corredores quase vazios. Estava completamente desligado do mundo, enquanto lia e relia um poema que havia escrito. 

"Por horas e horas, eu me perderia

Nesses olhos escuros como uma noite sem lua.

Todos os dias, eu morreria

Apenas para sentir a minha boca na sua.

Nem que fosse

Uma última vez."

Fechou o bloco de notas e o colocou-o no bolso do sobretudo. 

- Ei, Lysandre. - A voz de Castiel chegou aos ouvidos do garoto. 

Lysandre sentiu as batidas de seu coração aumentarem. Aquela voz irresistível. Lysandre nutria há muito tempo uma paixão secreta pelo melhor amigo e lidar com aquilo de forma natural era demasiado difícil. As coisas haviam piorado desde o dia em que beijara o ruivo, após um ensaio no porão da escola. Aparentemente, Castiel havia esquecido o ocorrido, já Lysandre, não.

- Olá, Cas. - Disfarçou seu nervosismo, e virou-se para o amigo, sorrindo.

- Você não vem pra aula? - Castiel estava com uma expressão fechada, que logo foi notada pelo garoto de cabelos prateados.

- Claro, claro. - Se aproximou. - Você está com uma cara péssima. Aconteceu alguma coisa?

- Vamos andando, falo disso depois. 

Ambos caminhavam em silêncio. Castiel perguntava-se mentalmente se deveria falar o que ocorrera para Lysandre. Amaldiçoou-se. Claro que deveria falar. Ele era o seu melhor amigo, porém... O platinado era apaixonado por ele e certamente não seria nada simples explicar a história. 

- Lys. - O ruivo começou a falar. - Eu e Nathaniel, nós... Aconteceram algumas coisas com ele então e passou a morar comigo.

Lysandre estranhou.

- Que tipos de coisas? - Uma pergunta feita por curiosidade e um toque de preocupação.

Castiel permaneceu sem responder. Não iria sair por aí falando sobre coisas íntimas a respeito de Nathaniel.

- Problemas de família. - Ele resolveu simplificar. - Um tanto graves.

Lysandre entendeu. Preferiu então não perguntar mais sobre aquilo. Permitiu que o amigo prosseguisse.

- Nós estamos morando juntos e por isso nós fomos ficando... próximos.

- Em que sentido? - O garoto de costumes vitorianos não estava ficando nem um pouco satisfeito com o rumo da conversa. - Próximos em que sentido, Castiel? - Repetiu a pergunta.

- Bem... Nós nos tornamos amigos, colocando as diferenças de lado, e com o tempo nós acabamos virando...

- Namorados. - Concluiu Lysandre, sério. Então era aquele o assunto dos bilhetinhos na aula de matemática. 

- Não, não. - Castiel rapidamente respondeu. - Não somos namorados, nós só... nos beijamos de vez em quando, só iss...

- Já transaram?

O ruivo arregalou os olhos. Não era esse o Lysandre que conhecia, definitivamente. O adolescente que sempre se esforçava para parecer simpático e bem-educado tinha um tom raivoso e grosseiro na voz quando disse aquelas palavras. Castiel concluiu que não havia sido uma boa ideia falar sobre isso com ele, no final das contas.

- Não. E por que você se importa? - Mesmo sabendo da resposta, a pergunta foi feita pelo ruivo.

Naquele momento o platinado não soube o que dizer. Por que Castiel estava fazendo aquela pergunta? Sabia muito bem que Lysandre sentia uma forte atração por ele, mas mesmo assim perguntara, talvez simplesmente para humilhá-lo.

- Vá para a sala de aula sozinho. Eu vou ao banheiro. - Lysandre falou, simplesmente, saindo de perto de Castiel.

 

 

 

***

 

 

 

Jogou, mais uma vez, água fria sobre seu rosto. Olhou para a própria imagem no espelho e pensou no quanto era idiota. Lysandre pegou uma toalha de papel e enxugou as faces. Amassou-a e pôs na lixeira. Quando saiu do banheiro, se deparou com Melody.

- Olá, Lysandre. - Disse ela, sorrindo de uma forma estranha, aos olhos do platinado.

- Melody? O que faz aqui? - Perguntou, sem entender o motivo de estar, aparentemente, o esperando.

- Ora, não posso querer conversar com alguém de vez em quando? 

- Hã... Claro que você pode. Sobre o que gostaria de conversar, exatamente?

- Hm. Não podemos falar nesse lugar cheio de gente, não é? - Ela pegou a mão de Lysandre. - Vamos para um local mais reservado. 

Os dois foram até o pátio, onde não havia ninguém. Sentaram-se em um banco.

- Então? - Lysandre continuava confuso.

- Eu sei o que você sente pelo Castiel. 

Aquilo deixou o platinado sem palavras. Melody, ao ver a reação de Lysandre, sentiu-se vitoriosa. Ela havia escutado sorrateira a conversa dos dois, e pôde enxergar os sentimentos do garoto de cabelos cor de prata perfeitamente. Naquele momento, soube como usar aquilo a seu favor.

- Ah, Lys. Não precisa ficar assustado. Eu sou uma amiga. - Ela sorriu, fingindo um tom de companheirismo na voz. - Eu posso te ajudar a ficar com ele.

Por um segundo, os olhos heterocromáticos do garoto brilharam. Entretanto, ele adquiriu um ar melancólico em seguida.

- Não sei se adiantaria. Ele ama Nathaniel, não a mim.

- Você não entende o que eu pretendo fazer? - Melody pôs a mão no ombro do outro. - Eu amo Nathaniel, Lysandre.

Aquilo não surpreendera-o. Já desconfiava dos sentimentos da representante pelo presidente do grêmio, todos da escola já suspeitavam.

Afinal, ele acabou entendendo o que a representante ao seu lado estava planejando.

- O seu plano é separá-los. Eu ficarei com Castiel, e você, com Nathaniel.

- Exatamente. Todos ficam felizes, não é? - Melody sorria como louca. - Você me ajuda, e eu te ajudo, que tal?

Lysandre pensou naquilo. Amava Castiel profundamente, mas sabia que aquilo que Melody estava propondo era absolutamente errado. 

Suspirou, seus sentimentos eram fortes demais para controlar.

- Eu aceito a sua proposta. - Disse ele, por fim.

 

 


Notas Finais


Beleza, beleza. Eu pedi gentilmente para que lessem as notas finais com um motivo:
Estou desistindo da fanfic....


Mintira!! kkkkkkkkkkk
Eu falei que nunca desistiria e não vou desistir!! Até por que, eu fiz um ritual ultimamente onde jurei pela minha alma, então... Estou proibida de parar de postar, definitivamente hehehe
Agora o papo é o seguinte: ontem caiu uma fodendo chuva por aqui e a net caiu :( Porém eu aproveitei e pra não morrer de tédio, acabei escrevendo mais 3 CAPÍTULOS. Sim, 3 fucking capítulos. Agora eu quero saber se eu devo postar tudo de uma vez ou demorar mais um pouco. Parece idiota, mas essa dúvida realmente ficou na minha cabecinha :/
E aí? O como devo proceder?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...