História Em nome do amor - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Madison Beer, Martin Garrix
Personagens Madison Beer, Martin Garrix
Tags Amor, Martin
Exibições 21
Palavras 695
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Lemon, Romance e Novela, Violência

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Quem me garante? -Por Madison Beer


Peguei minhas coisas e como de se esperar fui para minha guardiã a Melissa, que não sabia de nada oque tinha acontecido. Eu estava saindo de casa e vi o Martin vindo com a Kemilly, ele me viu, sentir que ele queria falar algo mais estava tentando se fazer de forte.

Entrei no carro e acelerei o máximo que pude, não quis ir para Melissa pois cansei de jogar meus problemas em cima dela, então fui para um hotel perto dali. Compus umas músicas e liguei para a Melissa

    Ligação on

-Oi minha vaca, conta as novidades.

-Bora ir para um bar? Preciso esfriar minha cabeça, e te contar umas paradas.

-amiga, bem que eu queria mais hoje é meu aniversário de casamento com o Jason então não vai dar, desculpa! Sabe que se eu pudesse eu iria.

-Tudo bem, parabéns eu tinha até esquecido, ta bom então beijos boa noite.

   Ligação off

Peguei um copo e uma garrafa de vodka e fui bebendo e escrevendo várias músicas triste e dramática. Passou se as horas, olhei para o relógio e demorei entender um pouco que horas marcava pois minha vista estava embaçada era 23:00hrs, botei uma roupa e resolvir aprontar fiz uma listinha das vítimas a primeira era a Bebe.

Fui até o apê dela e abrir a porta com uma técnica que meu havia me ensinado, ela estava de costas para a porta e sentada no sofá vendo TV, peguei uma fita e tapei a boca dela, que logo se desespero. Mais se acalmou quando viu que era eu, segurei as mãos e os pés dela com a força do meu corpo e amarrei com uma corda, depois peguei o celular dela e mandei uma mensagem para o Martin.

Marcando de se encontrar na casa dela, na hora ele respondeu.

  "Pode deixar, bebe em 5 min estarei ai, XOXO"

aquilo me deu um ódio mais não perdi tempo, puxei a bebe para o quarto trancando ela la. Escrevi um bilhete dizendo:

    "Entre sem bater"

E coloquei na porta, depois peguei papel, pois não tinha flores e fiz um rastro até o quarto onde estava a bebe, e fiquei lá esperando ele.

Ouvi passos e me escondi atrás da porta, ele entrou e foi direto até a bebe que estava na cama, sai e fechei a porta.

-Ora, ora! Para quem não queria nunca vez a cara dela está até íntimo demais.

-Madison? Oque está fazendo aqui? Você bebeu?

-Olha só uma, pergunta de cada vez. Eu bebi sim! eu queria ouvir da boca da bebe se ela botou alguma coisa na sua bebida. Fui até ela e tirei a fita da boca dela

-fala, você botou alguma coisa na bebida do Martin?

-Não! Eu jamais faria isso, eu queria ele para mim sim! Só que ele querendo por vontade própria, não iria drogar ele e se aproveitar daquela situação.

-sério Martin e eu pensando que você não era capaz disso, eu acho que o Martin que eu me casei morreu! Eu te amo Martin! como você teve coragem de transar com ela e ainda mentir botando toda culpa na bebe? EU NÃO QUERO VER VOCÊ NUNCA MAIS!/peguei minha aliança e joguei na cara dele

-Madison, Madison/ele veio atrás de mim

-Não me encosta! E eu pensando esse tempo todo que você era o coitado da história por não estar consciente. Martin acabou, me esquece! 

-Olha eu posso ter mentido sim! Mais eu não vou te esquecer e nem deixar de te amar, cara eu sou homem! Não conseguir conter meu desejo por ela, não foi atoa que eu não conseguir esconder e te contei por que eu te amo Madison!

-eu não acredito mais em nada em que você fala! Quem me garante que esse "eu te amo" também não é mentira?/ sai dali, entrei no carro e acelerei feito uma louca, estava escuro e chovendo, eu não conseguia enxergar nada, até que a poucos metros vi um alce, eu desviei e não conseguir frear pois o chão estava molhado e acabei capotando. Tudo ficou escuro, eu só enxergava o farol forte e eu desmaiando aos poucos até que eu não enxerguei mais nada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...