História Emison - Boate da luz vermelha - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Caleb Rivers, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Jessica DiLaurentis, Melissa Hastings, Mona Vardewaal, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh
Tags Emison, Hot, Intersexual, Prettylittleliars
Visualizações 187
Palavras 2.972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bom dia, cap. de sábado saindo.... Espero que gostem.

Eu pensei que a fic seria coisa rápida e curta mais estou com muitas ideias então acho que vou alongar um pouco..

Boa leitura

Capítulo 13 - Chega de Criancice


Fanfic / Fanfiction Emison - Boate da luz vermelha - Capítulo 13 - Chega de Criancice

ALISON

Acordei e fiz minha higiene, acordei com uma baita de olheira, por causa do choro, desci e minha mãe estava sentada na mesa com uma xicara de café na mão olhando uma revista, passei por ela sem falar nada, e fui pegar café para mim.

-Não fala mais Bom dia. – Mãe

-Não estou em um bom dia, para dar bom dia. – Eu

-Chega, você não é assim Alison, olha como você está falando comigo. - Mãe

-Porque estou indignada com a senhora Mãe, me impedindo de ser feliz, por causa de aparência. -

-Não significa isso, somos uma família tradicional, mesmo tendo separado do seu pai, ainda preso os valores, não irie aceitar minha filha com outra mulher, o que você acha que seu pai acharia disso. – Mãe

-Meu pai não tem que achar nada, não tenho mais nem contato com ele. – Eu

-Esse tempo que estive fora, estava com seu pai me reconciliando. Ele iria vir comigo, mais não teve como deixar a empresa. Não vamos ficar aqui por muito tempo Alison, essa sua aventura está com os dias contados. -Mãe

Meu coração gelou, e eu não tive estrutura para responder aquilo, deixei ela falando sozinha e sai de casa já estava atrasada para ir trabalhar, mais essa agora já não é fácil aquentar minha mãe agora ter que aquentar meu pai. Não me permiti chorar, não queria chegar acaba no ateliê, ao chegar fui direto para minha mesa, comecei a organizar algumas coisas, e a Hanna ainda não tinha chegado, mais passou pouco tempo ela chegou.

-Ali, bom dia. Vem aqui na minha sala comigo. - Ela entrou e já foi me chamando levantei e segui ela.

-O que você precisa. –

-Conversar. – Ela disse sentado de frente para mim

-Pode falar. –

-Porque você não falou para sua mãe que você e a Emy estão começando a ter alguma coisa? – Ela me perguntou seria, nunca vi a Hanna seria

-Ela te contou, que minha mãe viu nosso jantar? –

-Eu perguntei o motivo da cara dela triste, e ela me contou. –

-Eu só não queria falar àquela hora na frente dela, minha mãe levou um susto, não queria fazer as coisas assim. –

-Ali você é adulta, você faz o que você quiser a hora que você quiser, não tem essa de ficar de segredinho. –

-Eu sei disso, mais as coisas na minha casa são difíceis, tenho pais muito tradicionais que não aceitam essas coisas, e não quero arrumar briga com eles. –

-Então você pretende continuar nessa de guardar o que vocês estão tendo?

-Não, aliás nem sei se vai ter alguma coisa. –

-Alison, o que você está arrumando, está na cara que você gosta da Emily, eu juro que não dá para entender você. -

-É só não entender, agora deixa eu terminar meu trabalhar, que aliás estou aqui para isso não para discutir minha vida amorosa.

Levantei e Hanna balançou a cabeça negativamente acho que estava horrorizada com nossa conversa. Mais eu estou insegura, não sei como agir eu conheço meus pais, lembro quando arrumei um namoradinho na escola, só que ele não tinha uma família conhecida na cidade, meu pai ficou tão bravo que me mandou estudar fora, só voltei quando foi para fazer faculdade. Se eu continuar com isso eles vão fazer da minha vida um inferno, melhor parar por aqui para não magoar mais a Emily, que não merece ser magoada.

EMILY

Acordei na casa da Spencer e depois de sair de lá passei na minha casa, tomei um banho e troquei de roupa fui direto para construtora.

-Bom dia mona. – Falei

-Bom dia Srta. Fields, a Melissa já está te esperando na sua sala para reunião.

-Ok obrigada.

Entrei na minha sala e cumprimentei a Melissa, fizemos uma reunião sobre a boate, para organizar o calendário desse mês, foi bem produtiva, depois ficamos conversando e ela me saiu uma boa amiga sendo cumplices da Ali na surpresa. Acabei com ela e fiz um milhão de coisas, mais o que não saia da minha cabeça era esse silencio da Alison, ontem foi bom e ela nem aí para mim eu não queria ficar em cima, mais não tem outro jeito precisa saber o que está acontecendo. Peguei meu celular e disquei o número dela.

-Alô. –

-Oi sumida. – Falei

-Emily, oi. –

-Estava ficando preocupada você não entrou em contato comigo, despois do jantar, está tudo bem?

-Está sim, desculpa, mais vim aqui para o Ateliê e esqueci do mundo. –

-Tudo bem, posso passar na sua casa mais tarde para te buscar, que tal um cineminha? –

-Hoje?

-Sim, já estou com saudades. –

-Hoje não dá, marquei com a minha mãe vamos fazer algumas coisas, depois a gente combina.

-Que pena, mais tudo bem. –

-Beijo.

Não tive tempo nem de mandar beijo ela desligou, que porra é essa que está acontecendo, eu fiquei encucada com isso agora. Terminei meu dia, e fui dar uma corrida, já estava de noite. Tomei um banho troquei de roupa e peguei meu carro dirigi em direção a casa dela, tinha que tirar essa história a limpo, poxa ela me tratou friamente nem parecia aquela mulher que gemeu meu nome na cama, e outra ela falou que tinha coisa para fazer com a mãe dela mais pelo menos dois minutinhos ela tinha que me dar. Parei em frente à casa dela e o carro estava lá, tinha um carro diferente na porta também. Apertei a campainha e não demorou e o Jason abriu

-Emily? –

-Oi Jason, tudo bem?

-Sim claro, posso ajudar em alguma coisa. –

-Eu precisava falar com a Alison. – Quando ele foi responder a mãe dele apareceu na porta com uma cara nada boa.

-A Alison não se encontra. – Ele olhou para cara da mãe dele como que se não tivesse entendido, é claro que ela estava lá, mais ficou quieto.

-Mais o carro dela está aqui.

-Eu já disse que ela não se encontra senhorita, agora se me der licença. – Eu concordei com a cabeça, Jason estava espantado, se despediu e fecharam a porta fui até o carro e peguei meu celular

-Oi Emily. –

-Olha dou 2 minutos para você sair pela porta da sua casa e vir me explicar o que está acontecendo, porque nem começamos a namorar e se continuar assim nem vamos, Agora Alison. – Falei um pouco alto e desliguei antes que ela pudesse responder

Fiquei lá parada encostada no carro e a porta se abriu, ela saiu de shorts, uma blusa soltinha e chinela, com o cabelo para cima, com uma cara de preocupada.

-Pronto.

-Que palhaçada é essa?

-Como assim Emily?

-Como assim Emily, eu que te pergunto Ali primeiro você some, depois me trata friamente agora chego na sua casa a sua mãe fala que você não está na maior cara de pau, sendo que seu carro está parado aqui na porta, eu não estou entendo nada.

-Minha mãe não acreditou na minha história ontem, quebrou o maior pau comigo, ela não aceita

-Alison ela não tem que aceitar, você não tem mais idade para ficar pedindo permissão para amar.

-Eu sei disse, mais eu preso o respeito e ontem e hoje, eu simplesmente esqueci isso. Eu conheço meus pais vão fazer da minha vida um inferno, e eu não quero passar por isso.

-Você não precisa passar por isso, pega suas coisas vai viver sua vida, vai ser livre.

-Para você tudo é tão fácil Emily, eu não sou independente igual a você, arrumei meu primeiro emprego agora, não tenho condições, e nem estrutura para morar sozinha agora.

-Vem morar comigo, não preciso nem pedir em namora já peço em casamento.

-As coisas não funciona assim. Eu tenho que entrar minha mãe chamou meu pai ele está ai, não sei como não veio aqui ainda.

-Alison para, não faz isso com a gente, você não é criança.

-Me dá um tempo deixa eu arrumar minha vida.

-Você está desistindo da gente, você prometeu que não ia sair da minha vida.

-Eu não vou sair da sua vida, só quero que espere a poeira abaixar

Nesse momento muitas lagrimas saiam dos meus olhos eu tentava acreditar naquilo, mais estava sendo difícil, num momento ela se mostrou tão poderoso e dona de si, agora quem era essa Alison medrosa, insegura. Ela me olhava com um cara triste, acabada dei um passo para frente mais ela colocou a as mãos no meu peito me impedindo e virou e eu fui seguindo com os olhos ela entrando e a porta se fechando.

Entrei no carro e só queria sair dali, dirigi até parar na boate hoje não era aberta mais eu sou a dona dessa porra e entro a hora que eu quiser, entrei e peguei uma garrafa de whisky, só queria me afogar naquela garrafa porque eu nunca chorei por causa de mulher e agora estava me acabando, chorando mais que chorei até hoje.

Me lembro de ter bebido a garrafa toda e ir pegar outra, depois disso aí eu já não me lembro de mais nada.

HANNA

Eu estava com a Aria e a Spencer no the brew, a gnoma se reconciliou com o boy, então a gente estava lá. Passou um pouquinho meu celular tocou e vi no visor que era a Emily.

-Oi vaca, onde você está- Atendi animada. Mais na mesma hora perdi a animação escutei a Emily choar e falar alto, eu não estava entendo ela parecia bêbada, falava umas coisas da Alison que ela era uma trouxa, nossa que bagunça.

-Emily para de falar agora e me fala onde você está.

-EU ESTOU ACABADA......-

-Emily que lugar você está.

Ela ainda chorava mais deu para perceber que ela falou boate, certeza que ela estava lá, as meninas já estavam atentas em mim, então fomos rápido para lá

-Você pode explicar o que está acontecendo porque eu estou boiando? – Spencer

-A Emy e a Alison estavam tendo um lance, mais a pelo que eu sei a mãe da Ali não aceita ou alguma coisa assim, e pelo jeito ela acabou tudo com a nossa amiga, e ela está lá na boate já teve ter bebido todas.

-Nossa, bem que eu percebi as duas mais pensei que era coisa da minha cabeça. – Aria

-Mais que bobeira da Ali, ué se ela gosta da Emily fica e pronto.

-Eu até discuti com ela hoje por causa disso, mais ela é diferente da gente não pensa assim.

Chegamos e vimos que o carro dela estava mesmo lá na porta entramos e o cheiro de álcool exalava o local, ela estava jogada num sofá, acho que a bebida foi demais, não sei se estava dormindo ou desmaiada, tinha duas garrafas de whisky fazias eu seu que ela é acostumada com isso mais ninguém aquenta esse tanto.

-Gente é muita bebida, acho que temos que levar ela para o hospital-  Aria

-Também acho. – Spen

-Gente vamos fazer ela vomitar e tacar ela debaixo do chuveiro gelado, ela não vai morrer por causa disso.

-Como fazer ela vomitar Hanna, ta louca? – Spen

-Só enfiar o dedo na garganta dela. –

-Nossa sem condições, vou ligar para ambulância e não se fala mais nisso. Spen

Ambulância veio e fomos para o hospital fizeram todo processo com ela e não demorou muito para ela ser liberada, estava com uma ressaca da brava.

-Que vergonha. – Emily

-Normal, amiga afogar as lagrimas no coro, mais não precisa de tanto. -Aria

-Eu preciso ir para casa, deitar e esquecer isso tudo. –

-Vamos te levar. – Eu

Levamos ela para casa que se manteve em silencio o caminho todo, preferimos não fazer perguntas deixa quando ela estiver disposta ela se abre. Ela entrou e deitou passou pouco tempo ela já estava apagada, explicamos para Marlene o que tinha acontecido, apara ela ficar de olho na Emily. Spen que trouxe o carro dela deixou na garagem. Depois fomos embora.

ALISON

Cheguei em casa depois do trabalho e já vi o carro do meu pai na porta sabia que a noite iria ser longa, eu estava com o coração partido de ser fria com a Emily, mais eu preciso colocar minha cabeça no lugar agora.

Entrei e eles estavam sentados na cozinha, passei quando fui subir meu pai me chamou.

-Não precisa nem começar, eu estou cansada trabalhei o dia todo.

-Se você pensa que vai falar do jeito que quer com seus pais você está muito enganada Alison, ainda somos seus pais e você vai nos respeitar.

Ele começou a falar na minha cabeça, eu não aquentava mais. Jason chegou e encarou meu pai, os dois não se davam bem, aproveitei a brecha para subir para meu quarto. Tomei banho e coloquei uma roupa de ficar em casa, estava sentada na cama, escutei de lá a campainha tocar mais não dei importância, passou um tempinho meu celular tocou era a Emily, e ela me que me dava dois minutos para descer, eu não pensei duas vezes ela estava muito brava não queria confusão aqui na porta de casa, desci aproveitei que meus pais estavam conversando na cozinha e passei vi o Jason sentado na sala.

-Depois a gente tem que conversar. – Ele me falou e eu concordei com a cabeça saindo pela porta, ela estava encostada no carro, com uma cara nada boa. Nossa conversa foi horrível o que eu mais queria era entrar dentro da Ferrari dela e ir com ela, mais minha razão não permitia, assim que senti que ela ia me beijar, parei ela e virei para entrar dentro de casa, nesse momento permiti chorar, porque doeu ver ela chorando. Entre e segui para meu quarto meu pai e minha mãe me viram passar chorando mais não falaram nada. Me joguei na cama e lá fiquei até alguém bater na porta e entrar olhei era o Jason.

-Se você for me encher o saco também, pode se retirar. –

-Ei sou seu irmão, estou com você mais preciso saber o que está acontecendo. Eu precisava me abrir sentei na cama e ela também sentou me olhando atencioso, ele era difícil mais me amava.

-Eu e a Emily nos conhecemos através das meninas, e rolou uma química muito boa entre a gente, eu nunca tinha sentido isso por ninguém, eu nem sabia que me interessava por mulher, mais tenho certeza que não é por todas e sim só me interessei por ela. E foi espontâneo foi lindo nosso sentimento, que acabou.

-Porque acabou, ela é tão legal, uma ótima pessoa.

-Fiz um jantar aqui ontem, e nossa mãe chegou bem na hora, não estávamos fazendo nada, só que ela estava com a mão por cima da minha e a gente estava nos olhando. Ela esperou a Emily ir embora para dar um show comigo, sobre a perfeita família tradicional

-E você terminou com a Emily por causa disso.

-Sim, eu magoei ela, ela foi embora chorando, isso acabou comigo

-Alison, chega, está na hora da gente cuidar da nossa vida, eu estou super bem empregado na empresa da Emily você está bem também com a Hanna, vamos cuidar da nossa vida eu te ajudo, minha mãe vai voltar com ele mesmo, só não vem me falar que você quer ir embora junto

-Você teria coragem, é uma mudança grande.

-É claro, está na hora.

-Eu quero fiar eu quero viver minha vida, eu quero a Emily.

-Então fechou vamos sair dessa casa, a gente aluga um Apt. E vai ser muito daora.

-Eu aceito, obrigada Jason, obrigada mesmo.

Eu agora chorava de alegria, eu precisava de uma palavra de alguém da minha família para me colocar para frente. Jason pegou minha mão e descemos meus pais estavam na sala.

-Só viemos avisar que sairemos de casa assim que conseguirmos um apt. Não vamos mais depender de vocês.

-Como assim? Mãe

-O que a senhora entendeu e a Alison vamos morara sozinhos, não somos mais adolescentes somos adultos e vamos cuidar da nossa vida.

Minha mãe foi dar uma de louca, meu pai parou ela e abriu a boca para falar.

-Estou cansado de briga, sei que nada que eu falar vai adiantar, vocês já estão resolvidos, sua mãe volta comigo amanhã para Seattle, mais essa casa está no nome de vocês, não é nossa, então a parti de hoje quem está invadindo aqui somos nós, espero que façam o que for melhor da vida de vocês. -Eu nunca iria esperar isso do meu pai, eu pensei que ela ia espancar o Jason, minha mãe estava sem acreditar naquilo, eu estava dando pulinhos por dentro.

-O que posso falar para o senhor é obrigado. – Jason falou sério e estendeu a mão para meu pai que pegou. Eu não falei nada, viramos e subi na porta do meu quarto deu um abraço de urso no meu irmão nem acredito que amanhã vou estar livre para ser feliz com a minha bb coala.

Jason entrou no meu quarto de novo

-Irmão eu estou tão feliz, que nem sei oq falar. –

-Eu também, mais estou pesando essa casa é muito grande só nos dois não vamos dar conta de bancar isso aqui não.

-Verdade, e agora.

-Eu tive uma ideia, você tem seu quarto e eu tenho o meu sobra mais dois livres, que tal chamar o amigo do Toby para morar aqui, fiquei sabendo que ele estava procurando lugar, ele é Dj lá na boate se chama Caleb.

-O Caleb, namorado da Han, super topo ela é muito gente boa.

-Depois achamos mais alguém, mais agora dividindo por 3 já dá uma melhorada

-Ótimo

-Eu vou ligar para o toby

Concordei com ele, e ele saiu, nossa eu estava muito feliz, peguei meu celular eu precisava falar com a Emily disquei um tanto de vezes e ela não me atendeu em nenhuma. Ela estava magoada comigo não ia quere falar mesmo. Mais ela vai me perdoar eu sei disso

 

 

 

Continua...............


Notas Finais


O acharam?... O que sera que vai rolar em !!!

Mais tarde posto o outro. Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...