História Empédocles - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Lemon, Namjin, Taeyoonseok, Yoonmin
Exibições 69
Palavras 3.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


AVISO: Dia 23 minhas provas começaram, terminarão no dia 6, ou seja, dez dias de avaliações, os capítulos vão ser raridades, esse é um exemplo.

Obrigada pelos favoritos e pelos comentários.

Gaby, sua linda, quer ser uma Vilashi oficial?

Capítulo 5 - Ataque


Empédocles.

Capítulo Cinco.

Ataque.

Hoseok andou mais para o meio da mata fechada, escutava os arfares cansados de Taehyung atrás de si e precisava apurar os ouvidos para ouvir Shion, e nem dessa forma conseguia ouvi-lo, necessitava senti-lo pela terra.

— Para onde estamos indo? — Taehyung indagou escorando-se em uma árvore quando pararam.

O mais velho manteve-se em silêncio, abaixou-se deixando apenas um joelho encostado na relva úmida e tocou o chão, afundando a mão na terra, as sobrancelhas do mesmo se uniram em confusão e logo depois a expressão suavizou.

— Vamos treinar. — Respondeu, levantando-se.

— Para quê precisamos ir tão longe? E por que sem os outros alunos e professores? — Taehyung voltou a questionar o seguindo mais animado.

— Eles estão atrasados em relação a mim, será um desperdício de tempo se ficarmos com eles. — Explicou afastando os galhos que impediam suas passagens.

— Shion não está gostando disso. — O enorme gato disse, balançando a calda de um lado a outro.

— Não tem que gostar. — Hoseok retrucou com um vestígio de um sorriso e em troca recebeu um sibilo irritado.

Taehyung não disse nada sobre aquilo, mas concordou com Shion, algo estava estranho, mesmo que não pudesse sentir seu almaki plenamente, sabia que tinha algo ali, a floresta de Sunsety era totalmente ligada entre os almakis, isso facilitava o contato com o mesmo.

— Eu vou te ensinar uma coisa, mas isso deve ficar apenas entre nós. — Hoseok avisou quando pararam em um campo mais aberto. — Antes de aprender, de fato, o que quero lhe ensinar, temos que passar por uma explicação básica sobre a geografia de Empédocles. — Falou enquanto sentava-se no chão.

O mais velho tirou da parte interior de seu casaco um papel médio, abriu-o cuidadosamente enquanto Taehyung e Shion sentaram-se lado a lado de frente para o mesmo. Hoseok observou o pequeno mapa apresentado na folha e tocou o chão com a palma da mão direita e segundos depois uma parte considerável da terra ganhava forma idêntica a do desenho.

— O que está fazendo? — Taehyung perguntou maravilhado.

— Isso é Empédocles. — O mais velho sorriu minimamente. — Na costa sul se encontra a Capital do Fogo, onde você desembarcou quando veio de Mileto, ela faz divisa com a Capital do Ar e a Capital da Terra e ambas as duas citadas fazem divisa com a Capital da Água. — Apontou com o dedo deslizando no ar.

— Por que está me mostrando isso? — O mais novo indagou confuso.

— Cada capital tem um ponto concentrado de Almaki, aqui na Capital do Fogo temos a floresta de Sunsety. — Apontou para uma elevação destacada. — Na Capital da Terra temos o desfiladeiro de Memphis, ele abrange toda a região norte, por isso não temos costa marítima por lá. — Explicou enquanto seus dedos tocavam uma parte a fazendo levantar-se. — Na Capital do Ar temos a Corrente de Mina, ela cruza a Capital de fora à fora em forma curvada, são ventos de mais de mil quilômetros por hora. — Traçou uma linha na representação da Capital do Ar. — E por último temos o Canal de Tarius, na Capital da Água, ou Capital Real, já que é lá onde se encontra a família real que antes comandava Empédocles. — Mostrou enquanto mantinha o olhar sério. — O canal é muito profundo, até certa distância você consegue ver algo, mas depois se torna um breu, apenas pessoas com almaki da água se aventuram lá. 

— Isso é interessante, mas ainda não entendo por que tenho que saber sobre isso. — Taehyung confessou envergonhado.

— Você conhece todo Reino de Mileto, de Além-Mar até Silbury, do outro lado do domínio, e aqui não será diferente. — Hoseok explicou enquanto se levantava. — O Reino de Mileto não é mais sua casa, Taehyung, Empédocles é sua casa, aqui é o berço da almakia, por mais pretensioso que isso soe, mas é a verdade, de alguma forma você recebeu um almaki e ele venho daqui. — Disse de forma dura.

— Você honra muito isso tudo, não tem medo de acabar sendo influenciado por interesses errôneos? — O mais novo indagou desafiador.

— Eu honro Empédocles. — Hoseok afirmou. — Mas não honro os comandantes de Empédocles. — Seu olhar se tornou sombrio. — Nenhum Dragão honra os comandantes de Empédocles. — Por fim deu as costas ao mais novo e um enorme paredão de terra e pedra cresceu à sua frente. — Não esqueça sobre o que te ensinei, agora suba lá em cima. — Mandou sentando-se em uma sombra.

— Por que tenho que fazer isso? — Taehyung resmungou a pergunta enquanto sentia dificuldade em levantar algo similar a uma escada para sua subida.

— O PDA serve para isso, eu vou te ajudar a aprimorar suas habilidades, agora cala a boca e se concentre em erguer isso daí, tem que estar ligado com seu almaki. — Respondeu fechando os olhos e encostando-se no tronco da árvore.

Taehyung o olhou irritado, classificou a atitude desleixada do Dragão de preguiçosa, e Shion concordava internamente, mas a verdade era que Hoseok estava apenas concentrado em buscar de onde vinha a ameaça que sentia, com as mãos enterradas na terra e os olhos fechados ele podia visualizar, de forma desfocada e preto e branco, um grupo de pessoas andando pela floresta de forma rápida, mas de alguma forma algo estava confundindo seus sentidos, não conseguia identificar onde estavam e isso o preocupava.

Se levantou calmamente observando os esforços de Taehyung dando resultados e sentiu-se mais leve por isso, imaginava que seria mais complicado ensinar o estrangeiro. Deu a volta pela clareira onde estavam sob o olhar afiado de Shion, não era como se aquilo fizesse alguma diferença, mas sentia algo estranho vindo daquele gato, talvez devesse falar com Yoongi sobre aquilo depois, ou talvez Namjoon, independente de quem fosse, teria uma resposta.

De repente a floresta estava afundada em um completo silêncio, nenhum som de aves ou animais, não era possível nem ouvir o balançar das plantas e aquilo o preocupou, buscou sentir algo e finalmente conseguiu. 

Estavam cercados. Treze pessoas. Não. Dezesseis. Talvez vinte. Não conseguia ter um resultado exato.

— Saiam. — Hoseok mandou enquanto abaixava os montes de terra erguidos por Taehyung, que estava grudado assustado em um quando passou a descer.

— Só queremos conversar. — Um homem de roupas grotescas surgiu em meio a vegetação.

— Esse é o território da Capital do Fogo, vocês estão próximos ao Instituto, sabe que pode ser morto por isso. — O Dragão avisou buscando os outros com os olhos.

— Sei. — O homem disse, calmamente. — Tentamos contatar os outros Dragões, mas todos desapareceram, apenas você foi achado. — Falou.

— O que querem conosco? — Indagou se colocando na defensiva quando mais deles surgiam.

— Estamos separados. — Comentou enquanto retirava uma faca do cinto. — Não aprovamos as últimas escolhas da Comandante da Capital do Fogo. — Contou e então o caos começou.

Hoseok levantou outro paredão de terra e pedras, empurrou Taehyung para ficar grudado em um deles e Shion se prostrou na frente do mais novo. O mais velho observou cuidadosamente as armas de fogo serem apontadas em sua direção, buscou por qualquer metal no solo e quando o encontrou puxou-o para a superfície com uma velocidade impressionante fazendo um enorme buraco na clareira e jogando terra para diversos lados. Passou a acertar o grupo de pessoas enquanto se desviava dos tiros, sua atenção voltava para Taehyung que havia acabado de levantar um paredão relativamente grande para se proteger melhor.

Enquanto mantinha sua atenção em acertá-los com pedras, tomando o cuidado para apenas não matá-los, um deles se esgueirou por trás, onde nem mesmo Taehyung ou Shion notaram, segurava um embrulho em mãos, grande e pesado, sua mão se ascendeu em uma chama e então tocou o embrulho o jogando na direção de Hoseok.

Todos que o atacavam se protegeram e a explosão o jogou metros a frente no meio da mata, seu corpo doía e sua visão estava turva, se levantou cambaleando e ergueu suas mãos ao lado do corpo quando recebeu o primeiro tiro de raspão.

— Hoseok! — O grito desesperado de Taehyung o fez ignorar a dor e partir para a clareira.

Suas mãos brilharam em um verde escuro, o castanho de sua íris assumiu todo seu olho e os paredões de pedra cresciam ao seu lado para lhe proteger, passou a projetar enormes blocos subindo por eles e tomando altura considerável, seu corpo pesou quando levantou mais um bloco, mas se forçou a continuar assim que viu Shion ser jogado para longe de Taehyung que era puxado pelos cabelos.

Focou seus olhos nos que estavam atrás, afastados, e pulou fechando a mão em punho, uma cratera enorme se abriu quando chocou-se com o chão, o impacto fez os agressores se afastarem atordoados e os de trás foram lançados longe.

— Parece que o Dragão está mostrando sua força. — Ouviu a voz debochada tão conhecida por si. 

— Saiam daqui antes que eu mude de ideia sobre matá-los. — Rosnou enquanto observava Taehyung ser segurado por dois homens.

— De onde os estrangeiros são? — O mesmo homem perguntou sorrindo minimamente. — Parece que estamos na presença de um sangue azul. — Debochou com os amigos que riram.

— Observe isso. — Outro se aproximou enquanto trazia Shion arrastado.

Jogou o gato exótico no chão e em contrapartida lhe acertou um chute no estômago fazendo-o gemer de dor.

— Não! — Taehyung gritou se debatendo, a dor forte lhe atingiu o estômago o fazendo gemer juntamente a Shion.

— Solte eles. — Hoseok mandou. — Thomas, eles não estão envolvidos com Empédocles. — Avisou seriamente.

— Sei quem ele é. — Thomas apontou para Taehyung que parou de se mexer quando escutou a fala do outro. — A senhora Jeon não está muito suscetível a uma conversa civilizada, sabia? Ordenou que atacassem nosso acampamento. — Contou passando a língua pelos lábios.

— Os Dragões não estão envolvidos nisso. — O mais velho afirmou temeroso pela forma como apertaram Taehyung.

— Os Dragões são de Empédocles, e Empédocles é dos comandantes. — Thomas disse e levantou a mão em uma ordem.

Um dos homens que segurava Taehyung o fez ficar de joelhos, Hoseok gelou ao notar o que iriam fazer. Execução. Iriam matá-lo. 

Antes que qualquer ação fosse feita um veículo aéreo cortou o céu e logo atrás dele Jin surgiu deslizando no ar, as mãos se juntaram em concha e o ar se agitou, junto a ele uma carga elétrica atingiu alvos já escolhidos os fazendo desmaiar.

— Mas que merda! — Thomas gritou e correu para a mata densa.

Hoseok aproveitou o caos e levantou o metal maleável mandando-o em direção aos homens que mantinham Taehyung refém, ambos foram acertados e jogados longe, o veículo aéreo planou perto da clareira destruída e a porta se abriu revelando Namjoon.

— Vamos rápido. — O mais novo chamou.

— Vou levar Shion, corra. — Hoseok mandou quando viu Taehyung ir na direção de Shion.

Mesmo a contragosto Taehyung o obedeceu e o mais velho foi até o gato machucado, com cuidado o pegou no colo e correu em direção ao veículo. Logo após colocar o gato lá dentro foi acertado por um tiro, sentiu a bala se alojar em seu estômago e o sangue se prendeu em sua garganta.

— Hoseok… — O olhar preocupado de Namjoon o fez perceber a gravidade da situação.

No que havia se metido?

Taehyung o puxou com lágrimas nos olhos, estava assustado com tudo que havia acontecido, e ver Hoseok, o Dragão da Terra, sempre tão inabalável, machucado e praticamente perdendo a consciência só piorava a situação.

— Tem muitos no meio da mata. — Hoseok avisou com dificuldade. — Thomas está liderando isso. — Contou sendo ajudado por Tae a sentar em um dos bancos.

— Tudo bem, Jin vai nos ajudar. — Namjoon assentiu ainda preocupado.

O veículo aéreo tomou altura e Namjoon o guiou para longe da clareira, puderam ver muitos homens correndo entre a mata, e para a surpresa deles haviam mulheres juntos, todas levavam armas de fogo e arco e flecha. Hoseok deitou a cabeça para o lado sentindo as mãos de Taehyung em seu abdômen, o mesmo fazia pressão para conter o sangue que saia, o mais velho não sentia dor alguma, seu corpo inteiro parecia anestesiado, e segundos depois sua consciência se perdeu.

— Namjoon. — Taehyung chamou assim que percebeu que Hoseok havia desmaiado. — Meu Deus, Namjoon, ele desmaiou! — Exclamou segurando o rosto do mais velho, ele ardia em febre.

— Logo vamos chegar em uma chácara, não se preocupe. — Falou nervoso apertando o O volante com força.

A porta do veículo se abriu assustando Taehyung e Jin passou por ela fechando-a logo em seguida, se jogou em um dos bancos ofegando.

— Você está bem? — Namjoon indagou olhando de canto para Jin.

— Claro. — Murmurou e então desviou sua atenção para Hoseok e Taehyung, depois para Shion. — Deixe que cuido disso.

.

.

.

Jimin suspirou irritado assim que a bola de fogo se desfez, ouviu o suspiro de Jungkook. Após a chegada repentina a do mais novo, Yoongi lhe obrigou a assinar o PDA e fazer de Jungkook seu responsável até o projeto acabar, e isso contava com o mesmo lhe ensinando a utilizar seu almaki.

— Você não está sentindo. — Jeon disse massageando a ponta do nariz.

— Eu estou sentindo. — Jimin retrucou irritado.

— Se estivesse teria dado certo. — Jungkook se aproximou parando ao lado do mesmo. — Isso está dentro de você, Vilashi, é só sentir, puxar de dentro de si, isso é você, se conecte consigo mesmo. — Aconselhou seriamente.

— É difícil, tudo bem? Não dá, eu não sei como fazer! — Exclamou dando voltas em torno de si mesmo.

— Certo, descanse um pouco, Yoongi está fazendo o almoço, voltamos a tentar mais tarde. — Deu as costas senso seguido por Min e Yoongi.

Jimin viu o mesmo desaparecendo dentro da casa e então ficou segundos parado observando a porta fechada até tomar coragem para entrar, se dirigiu para cozinha onde encontrou Yoongi picando tomates.

— Vocês produzem tomates, não é mesmo? — O Min perguntou o olhando de lado.

— Ah, sim, é nosso meio de sustento. — Afirmou.

Os Vilashis produziam alimentos, de todos os tipos, mas os tomates eram sua renda mais segura, todos os anos, antes do inverno, a colheita rendia, os campos abarrotados de tomates vermelhinhos, Jimin ainda lembrava da sensação de correr por lá, sentindo o cheiro no ar, a terra molhada entre os pés descalços e o calor que lhe envolvia.

— Como está indo seu treinamento com Jungkook? — Yoongi perguntou, mas não parecia realmente interessado.

— Não mudou nada, só sei fazer o básico. — Levantou os ombros sentando-se no banco da bancada.

— Ainda. — O mais velho lhe lançou um sorriso cúmplice, de quem sabia que algo estava prestes a acontecer. — Só espere. — Avisou ajeitando os fios de cabelo.

— Por que você sempre faz isso? — Jimin questionou rindo de forma soprada.

— Isso o que? — Yoongi franziu as sobremesas.

— Além da mania de mexer no cabelo, você sempre me deixa com novas dúvidas, nunca me dá respostas. — Explicou.

— Que tipo de respostas você quer, Park Jimin? — A forma como a pergunta saiu de Yoongi fez todos os pelos de seu corpo se arrepiar.

— Mais uma dúvida. — Jimin confessou em um murmúrio.

— Desculpe. — Os olhos do Dragão brilharam em um azul água. — Sou impulsivo quando se trata de você. — Contou, umedecendo os lábios.

Antes que Jimin pudesse responder ao flerte, porque era tão óbvio que doía, Jungkook adentrou o ambiente os olhando com estranheza, mas deu de ombros sentando-se a uma distância razoável da do vilashi.

— Leia isso, pode te ajudar. — Empurrou o livro que levava em mãos para o menino. 

— Obrigado. — Jimin agradeceu começando a ler a sinopse, na verdade era mais um livro didático.

— Falou com Namjoon? — Yoongi perguntou enquanto provava da comida que fazia.

— Falei, ontem, ele estava na divisa com o pai e Jin, cuidavam das relações com a Cidade da Meia-Noite. — Assentiu.

— Aconteceu alguma coisa? — O olhar preocupado do amigo o fez rir.

— Não se preocupe, seu povo está bem. — Debochou recebendo um olhar acusativo.

— Sabe que a culpa é de sua mãe. — Sussurrou para apenas o mais novo ouvir.

Jungkook não disse mais nada e o assunto se encerrou ali. Almoçaram alguns minutos depois, em silêncio, Jimin se sentia acanhado com a presença de Jungkook, Yoongi preferia não iniciar um diálogo junto ao vilashi, poderiam entrar em tópicos que ainda precisavam ficar encobertos.

— Vamos tentar mais uma vez. — Jungkook o chamou pelo menos uma hora depois de ter terminado de organizar a cozinha. — Dessa vez se esforce mais. — Mandou já seguindo para o pátio.

— Vou tentar. — Resmungou e então voltou a se concentrar.

Fôra maia difícil dessa vez, o olhar de Yoongi queimava sobre si transbordando expectativa e o olhar observador de Jungkook não ajudava, sentia a pressão de todos os lados e aquilo o irritava, talvez a raiva o ajudasse a se sentir por completo pois suas mãos formigaram e quando lançou a chama ao ar ela tomou proporções maiores que suas primeiras tentativas.

— Nossa. — Sorriu animado e satisfeito.

— Não. — Jungkook negou. — Você fez isso irritado, senti como você estava daqui, não conta. — Decretou se aproximando. — Eu sei que pode fazer mais que isso. — Falou seriamente.

Jimin sentiu um nó lhe subir a garganta, a forma como Jungkook se dirigiu a ele o deixava ainda mais irritado, não queria que aquele olhar de pena lhe atingisse tão forte como naquele momento. Abaixou o olhar para seus pés e mordeu os lábios pensando em uma boa resposta, em alguma argumento válido.

— Eu acho que estou muito cansado. — Murmurou evitando olhá-lo.

Jungkook sentiu as emoções vindas dele, sabia o que era aquilo, quando mais novo também se sentia incapaz de fazer algo grandioso sem ser movido por sentimentos, as coisas apenas pioravam quando sua mãe o observava treinar, era constrangedor, mas ele queria ser um observador melhor, queria ser um professor melhor, queria mostrar as pessoas, ao povo, que poderia guiá-los futuramente, mas agora ele deveria apenas guiar Park Jimin, o vilashi com almaki.

— Pode ir. — Assentiu dando as costas assim que ouviu o barulho de um veículo aéreo.

— Namjoon. — Yoongi avisou se aproximando. — Por que eles estão aqui? — Indagou para si mesmo assim que os passageiros saíram do veículo.

— Precisamos de cuidados para Hoseok e Shion. — Jin se aproximou trazendo o gato desmaiado.

— Vamos explicar tudo depois, só ajudem. — Namjoon falou antes que Jungkook questionasse algo e entregou Hoseok ao mesmo.

— Ele tem uma bala alojada no estômago. — Jin avisou.

Enquanto eles entraram para a casa, Jimin se aproximou de Taehyung que andava lentamente, encarando o chão.

— Você está bem? Se machucou? O que aconteceu? — Perguntou deixando sua voz aumentar o tom.

— Empédocles é complicada. — Taehyung Sussurrou antes de abraça-lo e se permitir dormir em pé mesmo.

— Mas… Realmente, eu não te entendo. — Jimin sussurrou ao pegá-lo no colo.


Notas Finais


Foi isso, nos próximos terão explicações de algumas coisas meio mascaradas, fiquem atentos.

Obrigada, novamente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...