História Emperius o Início de uma Guerra Milenar - Capítulo 9


Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Era Medieval, Guerra, Lutas, Reinos, Romance, Saga Fleeing, Sally-yagami, Tita, Tommysan, Vanessabr
Visualizações 11
Palavras 1.218
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi meu amores!

Tita trazendo capítulo novo!

Boa leitura e enjoy❣

Capítulo 9 - Noivados com Amor e Noivados com Dever


Fanfic / Fanfiction Emperius o Início de uma Guerra Milenar - Capítulo 9 - Noivados com Amor e Noivados com Dever

No belo reino de Hanndin, a jovem Rainha Daylen está em seus aposentos privativos, terminando de se arrumar para a cerimônia de apresentação. Seus olhos verdes brilham de contentamento enquanto ela se olha no espelho, totalmente satisfeita com o resultado.

Sua costureira real realmente caprichara em seu vestido, que, saiu muito mais belo do que ela sequer poderia imaginar, e, isto é simplesmente ótimo, visto que ela precisa estar deslumbrante para a cerimônia, afinal de contas, ela não é qualquer uma, é a rainha de Hanndin e, por isso mesmo, precisa estar deslumbrante, a fim de que possa mostrar toda a sua beleza e imponência.

Seu vestido é de um tom azul bebê, com vários bordados prateados em forma de pequenas e delicadas flores, que a deixam simplesmente deslumbrante. Um discreto decote em seu colo, o vestido de mangas longas e saia de crinolina. Seus belos e deslumbrantes cachos ruivos caem como uma cascata por suas costas, fazendo com que ela realmente se sinta como uma rainha da beleza, e, por conta disso, um sorriso estampa os seus lábios.

― Estou bonita, Abbe? – a rainha pergunta para a sua criada.

― Está deslumbrante, Sua Graça. – responde a criada – Em todo o Reino de Hanndin, não há dama mais bela do que a senhora.

― Agradeço o elogio, Abbe. – continua a rainha – E você, gentil como sempre.

― Sua Graça merece todos os elogios do mundo.

Algumas batidas na porta chamam a sua atenção e, a um sinal da rainha, Abbe corre para atender, e, não demora muito, um homem adentra a sala, dobrando os seus joelhos e fazendo uma reverência para a sua jovem rainha.

― Sua Graça. – a voz do homem se faz ouvir – Seus convidados já chegaram.

― Excelente, Conselheiro Raymond. – responde Daylen – Eu já estou indo, espere só um minuto, por favor.

― Como queira, Sua Graça.

Daylen olha em direção a sua penteadeira, onde, está uma reluzente coroa de ouro branco cravejada com diamantes azuis. A um sinal da rainha, Abbe pega a coroa e, gentilmente a coloca na cabeça da monarca, algumas mechas do cabelo da monarca caindo por seu rosto e, a deixando ainda mais estonteante.

E, fazendo sinal para o Conselheiro de que já está pronta, a jovem rainha, acompanhada pelo homem, deixa os aposentos reais. Os dois começam a caminhar pelos corredores do palácio e, Daylen começa a sentir um formigamento em sua barriga, afinal de contas, está prestes a ter um dos encontros mais importantes de sua jovem vida.

Por ser uma rainha, sabe que não pode dar qualquer sinal de nervosismo, e que, deve seguir os protocolos reais acima de qualquer coisa, mas, por mais que ela tente, simplesmente não consegue afastar esta sensação de si. Por mais que tente, não consegue deixar de se sentir ansiosa ante o momento que está por vir.

Alguns metros à frente, é capaz de ver as escadarias que levam a ala pública do palácio e, com isso, o nervosismo só aumenta, pois agora, está mais perto do que nunca de conhece-lo. Seu futuro marido. Aquele que deverá governar Hanndin a seu lado, e lhe dar sua semente para que ela venha a prover herdeiros para o trono.

Não demora muito e, eles chegam as grandes portas dupla, que dão acesso a imponente sala do trono, e, em um gesto instintivo, Daylen levas as duas mãos a sua barriga, como se, de alguma forma, isso fosse apaziguar um pouco todo o nervosismo que está sentindo.

As portas duplas da sala são abertas, e, o Conselheiro Raymond é o primeiro a entrar, anunciando a chegada de sua jovem rainha, que não deixa de notar a presença das três pessoas ali. Um casal de nobres e seu jovem filho, Karl, seu futuro marido. Um jovem de dezesseis anos de pele branca, olhos caramelados e cabelos castanhos e cacheados, vê-lo faz Daylen ter a sensação de que está diante de um anjo e, por isso mesmo, ela sorri.

 

 

*****

 

 

Nos estábulos do Reino de Essysty, o jovem Rei Rayaan anda de um lado para o outro, enquanto espera pela chegada de sua noiva prometida, uma jovem filha dos mais ricos nobres de seu reino, e, por isso mesmo, seu Conselheiro a escolhera como sua futura esposa.

Não tem nada contra a noiva, pois, só a vira uma única vez e, para ele, não há como se fazer pré julgamentos para com uma pessoa com quem ele mal teve um contato. E, por isso mesmo, é que a convidara para um passeio com os leões, a fim de que tenham um momento só dos dois e possam se conhecer melhor, e, é claro, um momento em que terá a chance de dizer a ela todas as responsabilidades que ela terá como sua rainha. Tem certeza de que ela já sabe de tudo isso, mas, não custa nada relembrar.

Enquanto espera pela chegada da Lady, acaricia com carinho a juba de seu leão, Asar, e, sorri para si mesmo ao notar o quanto o animal parece satisfeito com seu afago.

― Não se preocupe, Asar. – Rayaan fala para o animal – Ela já deve estar chegando e, por isso mesmo, nós não devemos demorar.

Nem bem o monarca termina de falar e, ele vê seu Conselheiro, Jan, aproximar-se, acompanhando uma jovem Lady que, ele pode ter visto apenas uma vez em sua vida, mas, que, mesmo assim, ele a reconheceu no mesmo instante.

Lady Felícia Brown, filha de Lorde Jones Brown, um dos homens mais ricos e influentes de seu reino. A jovem possui a pele tão alva que parece porcelana, os lábios carnudos, e, olhos vivos e negros, como se fossem duas jabuticabas, e, seus cabelos longos e cacheados caem como uma cascata por suas costas, seus cabelos tão negros quanto seus olhos e, ela sorri timidamente para ele.

Sem perder tempo, Rayaan se aproxima do Conselheiro e de sua noiva prometida e, tal como os protocolos mandam, ele beija gentilmente a palma de sua mão.

― Fico contente por milady ter aceitado o meu convite para um passeio. – a voz dor ei se faz ouvir.

― Me senti honrada com o convite de Sua Graça. – responde Felícia.

O Conselheiro Jones, vendo que já fez a sua parte, se retira de forma silenciosa, a fim de não atrapalhar o jovem casal e, sem perder mais tempo, Rayaan oferece o seu braço para sua noiva, a fim de conduzi-la até os leões e, ela o aceita no mesmo instante.

Os dois nada dizem um ao outro, e, os criados os ajudam a montar as criaturas e, em seguida, eles deixam o palácio.

Passeiam pela Capital do Reino e, por onde Rayaan passa, pessoas acenam animadas para ele e sua noiva prometida e, mesmo que os dois não tenham trocado uma única palavra além daquelas que são descritas nos protocolos reais, eles acenam para o povo, como um casal feliz, como se tivessem felizes por estarem juntos, como se realmente se conhecessem, e, enquanto fazem isso, Felícia começa a pensar que este será, de agora em diante, o seu papel, fingir alegria e sorrisos para este povo, que contam com ela como sua futura rainha, como aquela que dará príncipes e princesas para este povo, ao lado de um homem que, ela não tem certeza se chegará a amar.


Notas Finais


CONTINUA...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...