História Enchanted - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chen, Cute, Escolar, Exo, Fluffy, Romance, Xiuchen, Xiumin, Yaoi
Visualizações 152
Palavras 2.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Kodomo, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu não sei pq eu to começando outra fanfic, mas vamo q vamo né. Espero que gostem, diferente de Boss, essa será bem mais leve e fofinha <3

Capítulo 1 - I was enchanted to meet you


As mãos de Minseok suavam freneticamente enquanto ele ponderava bater na porta ou correr para bem longe dali. Sentia o coração palpitar forte e nem mesmo ele entendia o motivo de ter aceitado o convite de Yixing. O jovenzinho não era alguém que participava de festas, ainda mais quando não conhecia ninguém. Bem, conhecia Yixing, mas apenas há uma semana e meia, quando estava ajudando a trazer os pacotes para dentro de casa. Ele e sua mãe tinham se mudado para o bairro há pouco tempo e por isso não conhecia ninguém fora o chinês, que havia se oferecido para ajudar e aproveitar para fazer amizade com o coreano.

 

Yixing era uma pessoa calma e aparentemente alegre a maior parte do tempo. Sempre que sorria, covinhas se formavam em suas bochechas e Minseok achava aquilo muito fofinho. Os dois gostavam de compartilhar CD's de indie e conversar sobre animes, passaram tardes assistindo Evangelion e para o garoto isso era aproximação o suficiente.

Foi em uma tarde meio chuvosa em que o chinês convidou o amigo para a festa que iria acontecer naquele final de semana na casa de Baekhyun. Como faltava uma semana para que as aulas da escola começassem, seria uma boa oportunidade para apresentá-lo ao círculo de amigos que iria conviver. Minseok ficou um tanto quanto relutante para aceitar, não era de participar de eventos sociais ou estar entre desconhecidos, mas lembrou de que já tinha 16 anos e talvez fosse hora de sair um pouco de seu casulo.

 

Arrependeu-se com todas as forças quando se deparou com as luzes acesas e a música alta tocando. Infelizmente atrasou-se por causa da mãe e perdeu a chance de chegar junto com o amigo. Estendeu a mão trêmula e finalmente tocou a campainha, ainda que duvidasse que alguém fosse atender por causa do barulho. Esperou uma resposta com o coração na mão, estava secretamente torcendo para que ninguém atendesse e pudesse usar como desculpa para voltar para casa.

Seus planos foram arruinados quando um rapaz alto e esguio abriu a porta e o encarou.

 

– Sim? – Suas sobrancelhas se franziam de um jeito que aparentava estar irritado com algo.

 

– E-eu vim para a festa... – Sua voz tremulava diante do outro.

 

Minseok pensou em como estava encrencado caso o grandão não fosse com sua cara ou não acreditasse no que estava dizendo. Tinha o dobro de sua altura e a julgar por sua expressão, estava realmente irritado com algo. Tentou organizar as palavras na cabeça, até que viu Yixing aparecer ao fundo e sorrir acenando para si.

 

– Ei, Kris! – Aproximou-se dos dois com um sorrido despreocupado - Eu convidei ele, é o cara que se mudou para a antiga casa dos Park.

 

– Ah sim.

 

Ainda que a situação tenha se explicado, o tal Kris continuou com a mesma cara e o garoto se perguntou se aquela não era a expressão normal dele. Passou rapidamente pelo grandão e foi em direção ao amigo que o esperava, soltou um suspiro aliviado e aquilo chamou a atenção do outro.

 

– Ele tem aquela cara de quem vai matar alguém a qualquer momento, mas é um cara legal. – Sorriu.

 

Sentiu-se mais aliviado na presença do chinês, realmente detestava ficar sozinho com desconhecidos. Olhou ao redor e viu que tinha em torno de 40 pessoas ali, era bem menos do que esperava, mas ainda assim um número significativo. Acompanhou o outro, adentrando pela casa até chegarem numa das salas.

Havia no máximo 7 pessoas ali, incluindo o cara de antes: Kris.

 

Ao se aproximarem do grupo, todos olharam curiosos na direção do garoto.

 

– Ei pessoal, esse é o Minseok, o cara que mudou há uma semana pra a casa antiga dos Park.

 

– Ah, ele é o garoto que você falou durante a semana inteira no chat? – Um rapaz de cabelos coloridos falou rindo.

 

Instantaneamente Yixing ficou vermelho que nem tomate, o rosto antes alegre havia se retorcido em vergonha. Minseok riu internamente da situação, não imaginava que o outro estava tão empolgado com sua amizade.

 

– E aí, não vai apresentar a gente? – Outro rapaz falou.

 

– Minseok, – o chinês se recompunha – esses são Sehun, Kai, Luhan, Junmyeon, Chanyeol e Kris.

 

– Prazer em conhecê-los. – curvou-se em cumprimento.

 

 

 

 

 

A conversa fluía entre os garotos e Minseok sentia-se deslocado. Vez ou outra lhe faziam perguntas, mas como não sabia manter um diálogo, o assunto acabava morrendo.

 

– Cadê o Baek? – Luhan perguntou.

 

– Acho que está na cozinha... Vou lá procurar. – Chanyeol levantou-se e caminhou para longe.

 

– Por que diabos ele tá sempre atrás do Baek? – Kai lançou a pergunta.

 

– Deve ser o amor. – Junmyeon falou despreocupado e todos riram.

 

– Ah claro, e aquelas três meninas que o Chanyeol pegou na festa? – Kai voltou a questionar.

 

– Vai ver que ele corta pros dois lados. – Sehun falou e todos ficaram em silêncio.

 

Minseok que já não era por dentro dos assuntos pareceu ainda mais perdido, deu uma olhada para Yixing que apenas sinalizou para que ignorasse tudo.

 

 

 

 

 

O garoto realmente não estava sentindo-se confortável naquele grupo. Todos pareciam amigáveis, mas conversavam coisas que apenas eles entendiam e com isso o novato sentia-se ainda mais deslocado. Yixing trocava algumas poucas palavras e então volta a atenção para os amigos. Minseok gostava quando eram apenas eles dois, pois conversavam coisas que ele entendia e podia argumentar de volta, ali tinha que dividir a atenção com os outros.

 

Resolveu tomar um pouco de ar e se distanciar daquela situação incômoda.

 

– Onde que é o banheiro? – Perguntou a Yixing.

 

– Siga em frente até a escada, suba e lá em cima tem um corredor, eu acho que é a segunda porta à direita.

 

– Obrigado.

 

Levantou-se da poltrona em que estava e caminhou de acordo com as instruções do amigo. Tinha tanta gente naquela casa que ele estava se sentindo sufocado. À sua esquerda havia um grupo de três garotas tirando selfies e mais a frente um casal trocando beijos. Acabou ficando extremamente envergonhado por causa disso, nunca havia visto tão de perto duas pessoas se beijando.

 

Bem, Minseok não era tão inocente assim, ele sabia muito bem o que era sexo por causa dos pornôs que assistia escondido. Claro que já havia tido curiosidade em saber como era beijar, tocar e transar com alguém, mas nunca havia se interessado por alguma garota de verdade. Sim, tinha dezesseis anos e nunca havia beijado e nem gostado de ninguém durante todo aquele tempo. Quando parava para pensar sobre aquilo se sentia patético, a maioria dos caras da sua idade já tinham feito coisas e saído com algumas garotas, mas ele era o único diferente. Por vezes acabava ficando magoado e se repreendia por ser daquele jeito, mas não tinha nada que pudesse fazer para mudar aquilo, não iria se forçar a gostar de ninguém.

 

 

 

 

 

O corredor do primeiro andar parecia bem mais vazio do que lá em baixo, a música não estava tão alta e o número de pessoas era menor. Aquela casa era realmente gigante, que tipo de pessoas era os pais de Baekhyun? Mais importante: Onde que era o banheiro?

De repente Minseok havia pensado demais durante o caminho que acabou se esquecendo das instruções de Yixing. Considerou voltar e perguntar mais uma vez, mas talvez soasse estúpido demais, então a única alternativa era na tentativa.

 

Abriu a primeira porta e deparou-se com um quarto de casal, talvez pertencesse aos pais de Baek. Antes de fechar a porta, ouviu gemidos fracos vindos de dentro do local e acabou ficando curioso para saber o que era. Entrou um pouco mais e avistou Chanyeol aos beijos com outra pessoa que não conseguiu identificar. Por ser muito grande, acabava atrapalhando o reconhecimento do outro e isso acabou deixando Minseok curioso. Mas, além disso, estava espantado por presenciar aquela cena, fazia tempo que o maior não havia voltado, porém não imaginava que estivesse com alguém.

 

Minseok resolveu sair dali e deixá-los sozinhos, talvez se encrencasse caso alguém o visse. Fechou a porta com cuidado e sentiu alguém atrás de si.

 

– Gostei a camisa. – uma voz falou por cima de seu ombro.

 

O garoto deu um pulo e virou-se rapidamente. A primeira coisa que pensou foi em quão fodido estava, a segunda coisa foi em quão bonito era aquele rapaz.

 

– Desculpa, te assustei? – Perguntou sorrindo.

 

– S-sim. – Respondeu com a mão sobre o coração.

 

– Foi mal, é que eu não conheço muitas pessoas que ouçam Misfits, acabei ficando empolgado. – Apontou para a camiseta que vestia.

 

Minseok o olhou confuso, quem era aquele cara? Sua estrutura óssea era marcada de uma forma bonita, o cabelo castanho tinha um corte que lhe caía bem e seu sorriso delgado parecia esconder muito mais do que conseguia explicar. Vestia uma camisa azul marinho, jeans escuro e um par de All Stars branco. Seus olhos castanhos o encaravam com intensidade, como se estivesse curioso sobre o garoto diante de si.

 

– É, eu também não conheço muitas pessoas que curtam o som deles... – Respondeu sem graça.

 

– Eu acho que o metal é pouco difundido na Coreia, eles mereciam mais reconhecimento pelo mundo, os caras inventaram o horror punk! – Ele parecia empolgado.

 

De repente Minseok esqueceu que precisava ir ao banheiro, que estava em uma festa e que estava conversando com um completo desconhecido. Sentiu-se confortável, como se estivesse dialogando com seu melhor amigo, Kyungsoo. O que aquele estranho tinha que conseguiu fazê-lo se abrir tão facilmente?

 

 

 

 

 

Os dois garotos conversavam animadamente num dos balanços do quintal. Estavam debatendo sobre Sex Pistols há dez minutos e não pareciam perto de acabar.

 

– É sério, eu acho que se o Sid não tivesse entrado na banda, eles não teriam tanta repercussão. – Minseok tentava mostrar seu ponto de vista.

 

– Ou talvez tivessem. Cara, eles estavam sendo patrocinados pela Viviene Westwood. – O outro garoto gesticulava com as mãos.

 

– Tudo bem, mas ainda assim grandes marcas já patrocinaram músicos e eles não bombaram.

 

– Aí o problema não é com o patrocinador. – O outro falou e ambos riram.

 

Minseok finalmente estava se sentindo confortável naquele lugar, finalmente tinha encontrado alguém para conversar sobre algo que dominava. O outro garoto parecia ter mais ou menos sua idade por causa do jeito como se portava e como falava, parecia entender uma vasta gama de assuntos acerca da cultura do rock.

O garoto acabava ficando mais encantado a medida que o outro falava sobre seus gostos, e percebeu que tinham muito mais em comum do que imaginava. Sentiu que poderiam ficar conversando por horas a fio e ainda assim teriam assunto e esse era um dos poucos sentimentos que ele adorava.

 

De repente os minutos se passaram mais rápido que o normal e já estava bastante tarde. Sentiu o celular vibrando e percebeu que era uma ligação de sua mãe.

 

– Minseok? Onde você está? – Sua mãe parecia preocupada.

 

– Eu ainda estou na festa...

 

– Já são 02:30, não acha que está na hora de voltar para casa?

 

– Tudo bem...

 

Desligou o telefone e sentiu-se frustrado, não gostava de preocupar sua mãe, mas a conversa estava tão gostosa que não queria ir para casa.

 

– Hora de voltar? – O garoto perguntou.

 

Minseok assentiu com a cabeça, estava chateado por acabar por ali, queria poder conversar por mais tempo. Tinha se esquecido do amigo e o grupo lá dentro, esquecido que estava rolando uma festa e que não fazia ideia de quem era aquele estranho na sua frente, mas tinha a certeza de que preferia estar com ele naquele momento.

 

– Bem, eu acho que já está na minha hora também. – O outro falou levantando-se – Foi um prazer te conhecer... Eu não sei o seu nome.

 

Era verdade, estavam conversando há tanto tempo e sequer sabiam o nome um do outro.

 

– Minseok, Kim Minseok. – Sorriu.

 

– Jongdae, Kim Jongdae. – Sorriu de volta.

 

 

 

Durante o caminho para casa, Minseok havia esquecido-se de avisar ao amigo que estava voltando. “Tanto faz, eu mando uma mensagem quando chegar”, pensou consigo. No momento, tudo que conseguia pensar era em Jongdae. Em seus olhos atentos, sua boca rosada, seu sorriso enigmático e sua voz que era tão gostosa de ouvir.

Estava curioso, queria saber mais sobre ele, queria poder ser seu amigo, queria poder... Ser mais que seu amigo? Assustou-se com o pensamento que rondou sua cabeça. O que era aquela sensação estranha em seu estômago quando parava para relembrar toda sua conversa com o outro? Sentiu as bochechas corarem e de repente pensou em quão bobo parecia naquele momento.

 

 

 

Ao deitar a cabeça no travesseiro, Minseok lamentou por não terem trocado telefones enquanto teve oportunidade. Talvez fosse invasivo? Talvez Jongdae não fosse o tipo de pessoa que desse seu número facilmente – Não que Minseok fosse. Pensou em como adoraria que sua campainha tocasse então encontrasse o outro a sua porta e pudessem conversar mais um pouco.

Acabou se sentindo frustrado com a ideia que talvez nunca mais fosse vê-lo novamente, não queria aquilo de jeito algum. Fechou os olhos para tentar dormir, mas as borboletas em seu estômago continuavam acordadas.


Notas Finais


1. Todos ainda estão no colegial, ou seja, têm idades entre 15-17

Espero que tenham gostado e me digam o que acharam ><
Vou tentar atualizar direitinho e conciliar com minha outra fanfic Boss. NÃO, EU N VOU ABANDONAR NENHUMA DAS DUAS, NÃO SE DESESPEREM.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...