História Enchanted - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, J-hope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Sobi, Sope, Suga, Taehyung, Vhope, Yoonseok
Visualizações 106
Palavras 7.261
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


~~~~OLHA ELAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA~~
GENTE, NÃO ME MATEM AKKKKKKK
Eu NÃO abandonei a fic, vira essa boca pra lá skdhskhdsk
É só que, sabem como é né...
V E S T I B U L A R
Só que, entendam: esse grande espaço que eu dei entre um cap e outro realmente está valendo a pena! Fiquei no ranking de melhores notas do curso em que eu estudo AAAAAA ~GRITA~
Pois é, eles tem ranking. Escrotidão pura, eu sei djhkshdks
VEM ENEM, PORRAAAAAAAAAA
Agora, estou mais tranquila e posso me dedicar melhor ao meu yoonseok! Até hiatus no twitter eu decretei! rsrsrsrs, estou sendo informada sobre meus filhos coreanos pelos meus amigos ksdjkdhskdh
Então... bora ler? hehehehe

Capítulo 14 - O Novato


Fanfic / Fanfiction Enchanted - Capítulo 14 - O Novato

20:00

Yoongi

— Então, ele peidou com tanta força que acabou se cagando também! — Hoseok morre de ri enquanto conta as peripécias do menininho, de então quatro anos, ChimChim. Se Jimin soubesse que está sendo sacaneado dessa maneira... Há!

— Porra, isso é demais até pra ele! — Rio tão alto que Hobi para só pra poder me encarar de um jeito meio esquisito.

Estamos caminhando sem pressa com direção a casa de Namjoon, ou a minha casa se preferirem, de mãos dadas desde o "incidente" na farmácia. Ainda não acredito que o beijei. Ou ele me beijou, tanto faz. Só sei que tá meio difícil de acreditar, é como se tudo fosse um sonho ou um delírio meu. Pensem só: me livrei da Bruxa e consegui um lugar novo e completamente agradável para morar, além de ter sido beijado por Hoseok. O que está acontecendo? Tenho muito medo de acordar e perceber que estava apenas sonhando enquanto dormia lavando as calcinhas da mãe da Hea. Provavelmente acordaria com uma surra de chinelo da velha.

Deus me livre.

Ainda estou sentindo uma dor no peito por causa das palavras da minha ex-madrasta ou sei lá o que ela é minha. Tudo bem quando ela falava quando estávamos apenas NÓS, mas com Hobi ali... eu me senti um lixo, uma merda humana. Quando pensei que não suportaria mais aquilo, ele simplesmente foi lá e me agarrou daquela forma que... não sei explicar. É como se meu corpo precisasse DEMAIS daquilo, eu retribui imediatamente e acho que ele notou a dificuldade que tive em solta-lo. Não ligo, de verdade.

— Sabia que... eu gosto quando você ri desse jeito? — Ele murmura, corando dos pés a cabeça.

— E você fica fofo quando tá envergonhadinho! — Sorrio de leve e ele fica mais vermelho ainda.

— Não tô "envergonhadinho". — Fala, na defensiva.

— Tudo bem... Eu gosto... — Sussurro bem próximo ao seu ouvido e sinto que ele se arrepia todo. — Hm, você gosta disso?

— A-acho que sim. — Ele gagueja, e eu solto uma risadinha, depois sorrindo maliciosamente para ele.

Deposito um beijo suave em seu pescoço, e ele se arrepia mais ainda, se é que isso é possível. Gosto da sensação que provoco nele, e aproveito para puxá-lo para mais um beijo, dessa vez, menos desesperado que o primeiro, mais lento e calmo.

— Yoongi... — Ele se afasta de mim, e simplesmente me delicio com sua expressão ao dizer isso: ele está com os olhos fechados e tem a respiração um pouco acelerada. Lindo. — Estamos no meio da rua.

— Tudo bem. Eu não ligo. — Beijo sua bochecha e ele sorri. Não há ninguém na rua, apenas uma lojinha de conveniência que está aberta, mas o garoto no caixa dorme pesadamente sobre o balcão.

Durante o resto do trajeto até a casa de Namjoon, ele vai contando histórias engraçadas sobre a sua vida em Daegu. Pedi pra que contasse mais sobre o Jimin, mas ele pouco se lembra devido ao nosso... probleminha de memória. ​Percebo que um sorriso bobo não me abandonou durante todo o momento em que ele falou. Ainda me lembro de ter pensado com os meus botões, um dia, se ele não saía da minha cabeça simplesmente porque eu o admirava. Sim, mas não é só isso.

Gosto dele.

Gosto MUITO dele.

— Chegamos! — Ele fala, com o seu jeito animado de sempre.

— Não quer entrar um pouquinho? — Pergunto, evitando soltar sua mão. Ele ri.

— Não, já dei bastante trabalho pra senhora Kim, e já tá tarde! Amanhã é segunda, esqueceu? — Ele pergunta, sorrindo.

— Ah, é. — Comento, bufando. — Que pena... Queria ler mais com você...

— Eu também! Mas preciso mesmo ir! — Ele ri, me abraçando forte. — Sobre o que aconteceu na farmácia... por favor, eu sei que é difícil, mas esqueça a existência dela! Hea não sabe o que fala, é uma completa retardada mental, você tem a mim, e os garotos...

— Eu sei. — Assinto, selando nossos lábios. — Você mudou minha vida. Sabe disso, né?

Ele parece impactado com as minha palavras, mas ao mesmo tempo, alegre.

— Estou lisonjeado! — Ele sorri agradecido. Depois, a voz de Namjoon que sai lá de dentro parece despertar algo em Hobi, que franze a testa e começa: — Sobre isso... quer dizer, sobre nós... Você acha que eles devem...

— Saber? Não. — Respondo, suspirando. — As pesquisas sobre o meu... poder... não foram terminadas ainda por mim e Namjoon, e eu não sei se eu deveria entrar em um relacionamento. Namjoon e os outros podem ficar preocupados com você e reagir mal a isso. Quer dizer, eles não tentariam nos separar a qualquer custo, mas... Hobi, eu sou perigoso.

Ele faz um beicinho de tristeza, e de repente arregala os olhos, de leve.

— Então você... nunca esteve em um relacionamento com alguém? — Ele indaga.

​Hoseok, eu nunca nem mesmo BEIJEI alguém! — Rio de leve, e agora ele arregala ainda mais os olhos.

— Ué? — Ele faz uma careta de interrogação. — Então como é que... como é que você beija tão bem?

Ele coloca a mão na boca como se tivesse soltado algo confidencial e eu rio alto.

— Ah, então eu beijo bem? Nossa, fiquei bem feliz em saber disso!

— P-para, é sério! — Ele responde, vermelho. — Você nunca beijou ninguém, como...

— Eu apenas acompanhei seu beijo. Repeti o que você fez! — Rio e ele forma um "uau" com a boca, me fazendo gargalhar. Depois, assumo uma postura séria. — Não dá pra pensar em namorar quando você corre sérios riscos de machucar quem você ama. Como manter contato físico com alguém quando você tá sujeito a machuca-lo? Sempre mantive distância de todos, Hobi. Eu nunca pensei em ficar, com meninas, meninos, nada. Só eu e eu mesmo, evitando chegar perto de qualquer um.

— M-mas... você não me machucou... — Ele mesmo se interrompe ao encarar a mancha vermelha em seu braço, que EU fiz a pouquíssimo tempo. Ele a ignora e me abraça. — A gente dá um jeito, ok? Eu ajudo nos estudos sobre seu poder, qualquer coisa. Mas você NÃO vai mais ficar se escondendo de tudo!

— Claro. — Sorrio, acariciando seu rosto com as costas da minha mão enluvada. Ele a encara e sorri de forma triste.

Me despeço com dificuldades, chateado por ele ter negado o convite. Mas tudo bem. Por hoje já foi demais.

Adentro a sala gigantesca com rapidez e entrego o xampu a senhora Kim, cantarolando uma música pop qualquer como um retardado mental e subo as escadas mais rápido ainda, me jogando na minha cama quentinha e aconchegante.

— Até que enfim! Foi tirar o pai da forca? — Namjoon pergunta, entrando no meu quarto depois de eu ter dado permissão.

— Tava por aí... — Respondo, sorrindo de uma forma que provavelmente assustou Namjoon, já que eu sou uma pedra.

Era.

— O...K? — Namjoon fala, rindo. — Não sei qual é o motivo da felicidade, mas espero que dure pra sempre, você está com uma cara ótima. Aliás, preciso perguntar pro Hobi se ele pode ir ao médico Enchanted amanhã! Tzuyu conseguiu uma consulta pra depois da escola!  Sabe, eu poderia marcar pra daqui a um tempinho, mas estou muito curioso e você sabe que eu fico curioso quando...

A essa altura, Namjoon está falando chinês pra mim. Só UMA coisa passa pela minha cabeça:

Ele me beijou, ele me beijou, ele me beijou, ele me beijou, ele me beijou, ele me beijou, ele...

— Ihhhhh, tá pirado! — Namjoon exclama, balançando a cabeça. — Quando você estiver em condições, eu volto! Boa noite!

​ Muito boa... — Respondo.

Quando ele fecha a porta, me lembro de algo que eu queria muito fazer, mas que acabei me esquecendo por completo.

Conferir o presente de aniversário do Hobi. O CD!

Que músicas será que ele colocou?

Ligo o computador do quarto e coloco o CD pra tocar, roendo as unhas pra escutar as músicas. Abro a playlist e solto uma risada ao ver a primeira música. Firework, da KatyPerry.​ Acho engraçado como essa música é tão famosa e eu nunca prestei atenção na letra em si. Sim, eu só conheço bem o refrão e olha lá. Acesso um site de traduções, já que sou uma bosta com inglês e sorrio pequeno ao acompanhar a letra.

 

Do you ever feel

Feel so paper-thin

Like a house of cards

One blow from caving in

Você já se sentiu

Sinta tão finas como papel

como um castelo de cartas

Um golpe de desabar dento

Essa letra faz tanto sentido pra mim...

Do you ever feel

Already buried deep

Six feet under

Screams but no one seems to hear a thing

Você já se sentiu

Já enterrado profundamente

Seis pés abaixo

Gritos, mas parece que ninguém ouve nada

​"Gritos, mas parece que ninguém ouviu nada..."

Baby, you're a firework

Come on let your colors burst

Make 'em go, "Aah, aah, aah"

You're gonna leave them all in awe, awe, awe

Baby, você é um fogo de artifício

Vamos deixar suas cores estourar

Faça-me ir, "Aah, aah, aah"

Você vai deixá-los todos em reverência, admiração, espanto

E quando dou por mim, estou chorando com uma música pop que eu nunca pensei que fosse significar tanto pra mim.

You don't have to feel

Like a waste of space

You're original

Cannot be replaced

If you only knew

What the future holds

After a hurricane

Comes a rainbow

Você não tem que sentir

como um desperdício de espaço

Você é original

Não pode ser substituído

Se você soubesse

O que o futuro reserva

Após um furacão

Vem um arco-íris

​E mais algumas lágrimas escapam quando escuto essa parte. Queria poder voltar no tempo e dizer ao antigo Yoongi que tudo vai dar certo, que ele vai estar vivendo em um lugar melhor em pouco tempo e que estará rodeado de pessoa que fazem de tudo pra vê-lo feliz.

A próxima música é Who You Are da Jessie J, ​que eu não conheço e procuro curioso pela tradução.

Don't lose who you are in the blur of the stars
Seeing is deceiving, dreaming is believing
It's okay not to be okay

Não perca quem você é no borrão das estrelas
Ver é enganar, sonhar é acreditar
Tudo bem não estar bem

Com mais essa letra, que eu também gostei muito, ficou claro o objetivo de Hobi com esse CD.

Ele que me fazer sentir melhor comigo mesmo. E, nesse momento, ele não poderia ser mais bem-sucedido no objetivo.

A próximo música é Fuckin' Perfect, da Pink (e advinhem, também não conhecia!)

Mistreated, misplaced, missunderstood

Miss know it, it's all good

It didn't slow me down

Mistaken, always second guessing

Underestimated, look I'm still around

Mal tratada, deslocada, mal compreendida

Sabichona, tá tudo bem

Mas isso não me parou

Errada, sempre em dúvida

Subestimada, olha ainda estou por aqui

​Onde eu estava quando essa músicas foram lançadas?

Pretty pretty please

Don't you ever ever feel

Like you're less than fucking perfect

Pretty pretty please

If you ever ever feel

Like you're nothing

You're fucking perfect, to me

You're perfect

You're perfect

Querido, querido, por favor

Nunca  se sinta

Como se fosse menos do que perfeito pra caramba

Querido, querido, por favor

Se em algum momento você se sentir

Como se fosse nada

Você é perfeito pra caramba pra mim

Você é perfeito

Você é perfeito

 

"Você é perfeito..." me pego pensando se ele já sentia algo por mim quando escolheu essa música.

A próxima é All Star, do Smash Smouth, e eu me pego rindo pelo fato de essa música ser a primeira tocada em Shrek. ​Também nunca havia reparado na letra, que é demais. Logo depois, sou abençoado pela música Keep the Faith, do Michael Jackson, que eu adoro. Em seguida, me surpreendo com a música Suddenly I See, da KT Tunstall marcando presença na playlist também. Que nostalgia.

Quase me engasgo ao ver I Am The Best do 2NE!, vulgo NAEGA JAIL JAL NAGA ​vindo logo em seguida! Detesto admitir, mas...adorei! Tem também EMINEM, que é um dos meus artistas favoritos no mundo com Not Afraid, música que eu venero. E, pra finalizar, uma música chamada Unbreakable, do B.A.P. A letra é incrível e me atinge de um jeito surreal.

Na jeoldaero buseojiji anha
Jeoldaero sseureojiji anha
Pokpungi nareul jibeo samkiryeo haedo

I'm unbreakable

Na jugeodo buseojiji anha
Jugeodo pogihaji anha
Eodum sogeseo nalgaega jitbarphyeodo

Eu nunca vou perder
Eu nunca vou cair
Mesmo que a tempestade tente me engolir

Eu sou invencível

Mesmo que eu morra, não vou perder
Mesmo que eu morra, não vou desistir
Mesmo que minhas asas sejam esmagadas na escuridão

Eu sou invencível

Termino de escutar sem palavras pra descrever. Ele gravou mesmo isso só pra mim? Ele poderia ter me mandado por redes sociais, ou ter posto tudo num pen drive porco, mas ele GRAVOU UM CD. Com capinha e tudo!

De: Hoseok; Para: Yoongi! Feliz aniversário! Tô contigo.

​Troco minhas luvas por outras mais novas, e me agarro ao CD encapado com todo o cuidado possível, ainda que as minhas mãos estejam encapadas e deito na cama, pensando no quanto eu queria que ele estivesse aqui pra ouvir comigo. E com a voz dos garotos do B.A.P na minha cabeça, claro.

Mesmo que a tempestade tente me engolir.

Eu sou invencível.

12:30

Hoseok

Já na rua da escola e caminhando em direção a ela, vou pensando na conversa que acabei de ter em casa com a minha avó, pelo telefone. Ela parecia chateada pela situação do tio ChungHo e que não tem previsão pra voltar. Isso é pode ser considerado ruim, já que não aguento mais viver de lasanhas congeladas e outras porcarias que a minha avó enfartaria se me visse comendo. Mas não quero preocupa-la, então apenas disse que estava me virando super bem aqui. Ela ficou satisfeita, pelo menos.

Cumprimento os dois seguranças simpáticos, e sorrio de leve ao me lembrar da primeira vez em que vi a transformação de Jimin no Golden Retrivier. Eles estavam assistindo Naruto, enquanto eu estava passando por um dos momentos mais importantes da minha vida.

Seria engraçado, se não fosse trágico.

Me aproximo dos meus amigos, que estão sentados em um dos bancos dos jardins do colégio. Jin está conversando animadamente com Namjoon, Taehyung joga algo no celular e Jimin e Jungkook estão discutindo algo aleatório e ridículo.

— Hobi, fala pro seu amigo que ele é um idiota! — Jungkook se vira pra mim, bufando.

— Ah, qual foi! — Jimin exclama, revirando os olhos. — Hobi, prova que você é o meu melhor amigo da vida e responde: quem ganha uma batalha mundial? EUA ou China?

— Eu não acredito que esse assunto "super relevante" é o motivo dessas caras de bunda! — Eu suspiro, sentando-me entre os dois. Má ideia. — Sei lá... EUA?

— Háááááá! Na sua cara, cuzão! — Jungkook bate palmas, enquanto Jimin me encara, furioso. — Eu não disse?

— Vocês comem merda? — Jimin retruca, vermelho. — Baba-Ovo de Hollywood! Porra, UM BILHÃO de chineses e vocês ainda respondem EUA? Um exército desse, cara?

Jungkook ri da cara do namorado comemorando vitória. É só o tempo de Jimin se transformar em um pombo e bicar ferozmente a cabeça do outro.

— AI, AI, TÁ BOM, VOCÊ VENCEU, MERDA! — Kookie-ah grita como uma garota, se esquivando do pássaro-Jimin irritado. Algumas meninas passam por nós rindo da cena, sem nem imaginar o que está acontecendo. Jungkook aproveita que elas se distraem e corre tão rápido que acaba formando uma ventania, fazendo meus cabelos voarem. O pombo cai no chão, derrotado.

— Tae, onde está Yoongi? — Me dirijo ao meu outro amigo, tentando ignorar a cena perturbadora que acabei de presenciar.

— Ele estava passando meio mal, foi ao banheiro lavar o rosto ou algo assim! — Ele responde, e tenta me acalmar ao me ver ficando nervoso. — Não é nada demais, relaxa! Enxaqueca e só.

Enxaqueca.

— Ah, claro... valeu! — Eu agradeço, indo rapidamente em direção ao banheiro que fica perto da cantina. Ele ainda me lança um sorriso triste antes de voltar a tela para o celular. Isso é estranho, ele tá sempre tão alegre. Vou ver isso depois.

No meio do caminho, esbarro justamente em quem?

— Hobi? — Yoongi indaga, sua voz rouca. — O que é isso, tá devendo? Por que tá correndo assim?

— Não tô correndo, só andando rápido! — Respondo e ele sorri de uma forma tão bonita que até esqueço o que ia falar. — Você... você tá bem? Taehyung disse que você tá passando mal? É sério?

Ele desmancha o sorriso e balança a cabeça. Me puxa para um dos banquinhos dos jardins.

— Não se preocupa, foi só... uma pontada passageira.— E de repente, seu humor muda por completo. Yoongi abre um sorrio e segura a minha mão. — Eu ia te ligar, mas já tava tarde... Eu simplesmente ADOREI o CD! Já disse que você é a melhor pessoa do mundo?

— Não, mas você pode dizer sempre! — Rio, e ele me abraça forte. Parece que ficamos um tempo sorrindo um para o outro, quando somos interrompidos por uma menina baixinha e fofa, que puxa com delicadeza a manga do uniforme de Yoongi.

Ah caralho, o que foi agora?

— Sunbae... tô interrompendo? — Somi questiona, ajeitando uma mecha de cabelo, fofa

Afezão.

Sério?

— Ahn... não tá não, relaxa. — Yoongi respondo, simpático. — Você precisa de alguma coisa?

Sim, SIMPÁTICO.

Mas ele só é simpático com a GENTE. Tipo, OS AMIGOS!

— Eu só queria saber se você vai pros ensaios na semana que vem! Tá tudo certo? Quer dizer, somos um par lembra?  — Ela pergunta, com um largo sorriso no rosto.

Somos um par.

Involuntariamente, me afasto de Yoongi como se estivesse "sobrando" na conversa. E tô, mesmo!

Ele parece ter esquecido completamente, já que arregala os olhos e começa a coçar a nuca, abrindo e fechando a boca várias vezes.

— Somi, eu — Ele começa, mas é interrompido por uma das amigas da meninas, que a chama de longe.

— Tenho que ir, depois a gente se fala! — E se vira pra mim, fofa. — Tchau, Hoseok Sunbae!

— Tchau... — Respondo, sorrindo de leve. Beeeem de leve mesmo. Como que ela já sabe meu nome? Eu, ein.

Yoongi se vira lentamente pra mim, como se temesse minha reação.

— Tá com medo de mim? Eu não mordo! — Solto uma risada irônica, cruzando os braços. — É você que é o esquentadinho!

— Não tô com medo! Você tem razão, EU sou o esquentadinho. — Ele responde, fingindo estar bravo. Depois suspira, pensativo. — Droga, não deveria ter aceitado isso. Eu nem conheço essa menina direito, só sei que é amiga do Jimin e do Jackson. E que porra é esse de "ensaios"?

— E eu que vou saber. Eu não tenho um par, isso não me interessa. — Provoco, esperando sua reação.

Ele reage da MELHOR FORMA POSSÍVEL! Faz um biquinho de tristeza, com os olhos carregados de "culpa".

— Eu sou um merdinha mesmo... — Ele abaixa a cabeça, me fazendo gargalhar. E agora?

— E agora? Você vai levar Somi, ué! — Respondo, rindo.

— Eu vou levar... pera, o quê? — Ele pergunta, surpreso.

— Fala sério, você vai furar com a menina assim? Ela já deve ter marcado uma festa do pijama com as amigas pra ficar falando de formatura a noite toda! Ela deve ter contado pra todas que tem um par, aí você vai lá e acaba com isso? Não faz isso.

— Mas... mas... e você... — Ele tenta, mas eu balanço a cabeça.

—​ Eu arranjo outro par. Tô com raiva embora eu odeie admitir, mas é a vida. — Bufo, encarando o chão. — E por que você aceitou o convite se não é amigo dela nem nada?

Foram poucas a vezes que eu vi Yoongi nervoso como ele tá agora.

— É que eu... queria te fazer ciúme. — Ele praticamente NÃO FALA, de tão baixo.

— Como é? Não escutei? — Indago, segurando o riso.

— QUERIA TE FAZER CIÚME, PORRA! — Ele grita, começa a rir como um idiota. — Tá feliz, agora?

— Ah, é? — Tento ficar sério.

— Eu fiquei puto pra caralho porque tinham umas garotas da aula de história se jogando em cima de você, e você dando confiança na mesa intensidade, fique louco mesmo! — Ele surpreendentemente assume.

— Então, você tá preocupado a toa... — Sorrio. Ainda penso em depositar um beijo em sua bochecha, mas ele tá nervoso e vai me machucar legal. — Não tem chance pra elas se você tiver por perto...

Ele sorri de uma forma tão fofa que me dá vontade de falar essas gracinhas direto só pra ele sorrir assim.

Como eu sou gay. É engraçado falar isso.

O sinal finalmente toca e somos obrigados a nos separar por algumas horas, já que não somos das mesmas turmas de história e de matemática. Uma pena, por que eu queria saber o que ele achou das músicas que eu selecionei pro presente dele. Gravei o CD com a ajuda de Jungkook e Jin, que são muito bons com essas coisas. Espero que ele tenha entendido a mensagem.

Nenhum poder escroto vai fazer ele inferior com relação aos outros! Ele é incrível e precisa saber disso!

Na aula de história, sento ao lado de Taehyung, que sorri alegre. Ele parece melhor, agora.

Quando abro a boca pra perguntar porque ele estava daquele jeito, meu celular apita. O dele também.

É o nosso grupo de Enchanteds.

Tzuyu: Acabei de falar com Yoongi Oppa, reunião hoje, ok? Jackson, MAIS UMA VEZ: nem pense em faltar! Grata! Boa aula a todos.

Jin Hyung: Só vou se tiver comida ;)

Baek: Deixa comigo, Jin Hyung hehehehe

Jackson: SEMPRE EU NESSA MERDA, o Baek já faltou as duas últimas, aí só eu levo a bronquinha! Ata!

Baek: HAHAHAH, babaca.

Jackson: Só porque você tá apaixonadinha por ele, explano mesmo! #falomesmo #shippo #tzuek

Kookie: SHIPPO! #tzuek

ChimChim: #tzuek meus pais!

Tzuyu: ecaaaaaaaaaaaaa

Yoongi: Vão tomar no cu porra, quero estudar caralho.

O poder da fala do Yoongi, até por mensagem de texto. Todo mundo calou a boca mesmo.

— Olha o desbocado... — Taheyung diz, se transformando no Yoongi rapidamente e repetindo a mesma frase que ele digitou. Solto uma gargalhada tão forte que a turma inteira olha e eu quase ferro com tudo.

Jin estava na minha última aula antes do almoço, então ele foi me acompanhado até a sala secreta onde fazemos as reuniões. Depois da primeira, tivemos mais duas, mas nada muito importante. Yoongi apenas implorou pela MILÉSIMA vez que Jaebum parasse de fingir ser uma alma penada pelos corredores e que Solar não voasse como uma "borboleta serelepe" junto com Jimin pelos arredores da escola.

Mas só.

— Você bem que podia ir lá em casa pra dar um jeito nas plantas da minha avó. Eu sou o pior jardineiro do mundo! — Suspiro, fazendo meu amigo rir.

— Tudo bem , mas vou cobrar! — Reviro os olhos em resposta, imaginando o que ele vai pedir. Comida claro.

Chegamos até a porta da suposta sala de matérias de limpeza, que na verdade é o nosso confortável refúgio. Finalmente a senha não é mais aquela babaquice de "Park Jimin é muito gostoso" e agora é "Namjoon intelectual".

Não que essa seja MUITO melhor, porque vamos combinar, né.

— Sentem aí, só faltavam vocês! — Namjoon fala, e um cheiro maravilhoso de pipoca invade minhas narinas. É Baek estourando milho com a mão.

Me sento um pouco afastado de Yoongi, já que é o único lugar que restou. Ele sorri ao me ver, e depois fica sério de novo.

— Vocês querem me matar, vocês querem...— Ele fala nervosamente, passando a mão pelos cabelos. — Jimin, você não disse que tava com muita dificuldade na prova de história?

— E eu tava! Por que? — Jimin questiona, confuso.

— E como é que eu ouvi "boatos" de uma galera que viu as notas no caderno do professor e disseram que você tirou 9,5 na prova de história?

Um burburinho começou na sala, alguns rindo e outros balançando a cabeça, em reprovação.

Eu encaro meu melhor amigo e ele parece relutante com alguma coisa.

— Te dou três segundos pra explicar. — Yoongi suspira, com ar de tédio. — Um, dois, t...

— TÁ BOM HYUNG, EU COLEI DO NAMJOON, TÁ? — Ele berra, me dando um susto.

— O quê? — Kookie-ah se levanta, puto. Namjoon fecha os olhos, com a mão no rosto, Tzuyu começa a praguejar baixinho e Solar olha Jimin em tom de censura. Os outros riem de se descabelar.

— Eu PRECISO PASSAR direto e sem recuperação, ou meu pai come o meu cu com ketchup! — Ele fala, quase chorando. — Como é que ele vai se amostrar pros amigos ricos com um filho burro????

— Quanto você tirou, Namjoon? — Yoongi pergunta, calmamente.

— O professor me disse nos corredores que eu gabaritei, mas ainda não entregou a prova em si. Só semana que vem. — Ele responde, fazendo o povo rir mais ainda.

— AHAHAHAHHAHAHAHAHA, NEM COLAR TU SABE, MOLEQUE! — Jackson chora de rir. — Ainda tirou menos que o Namjoon!

— Cala a boca! — Jimin xinga, e depois se ajoelha dramaticamente no chão em direção a Namjoon e Yoongi, que estão sentados lado a lado. — Por favor, me desculpem, não vou fazer de novo, perdoem essa pobre alma suplicante!

— Não fode Jimin, para de graça! — Yoongi briga, revirando os olhos. — Quantas vezes a gente já disse que usar nossa habilidades pra passar na frente dos outros assim é completamente errado? Não vamos repetir isso!

— Espera! Como foi que ele colou do... — Mas paro de falar, ao lembrar de Jimin pedindo pra ir ao banheiro e logo em seguida uma mosca insistem voando em cima da cabeça de Namjoon.

Ele era a mosca.

— Parece que a mosquinha se chamava Jimin! — Namjoon fala, sorrindo. — Pelo menos não tiramos a mesma coisa.

Jimin dá a língua e senta de volta, escutando um monte de Jungkook.

Quando Yoongi abre a boca pra falar, a porta de abre, fazendo todos levarem um grande susto.

— Mas que merda... — Baek não completa, já que um garoto responde sua pergunta.

O menino novo entra na sala silenciosamente, com um sorriso fraco e instável. Seu rosto é marcado por profundas olheiras e ele está todo vestido de preto, parecendo o Jimin numa fase emo-gótica em que ele entrou, quando eu ainda tava morando em Daegu. Seus cabelos castanhos são muito bagunçados e ele parece olhar pra tudo com desconfiança.

Por incrível que pareça, os outros não tem a mesma reação que eu. Enquanto eu estou completamente assustado e confuso, eles parecem mais... surpresos do que outra coisa.

— Minseok? — Yoongi questiona, com a testa franzida. — Você... voltou?

O garoto apenas dá de ombros, confirmando.

— Xiumin! — Jimin parece sair do transe e correm em direção ao amigo. O tal Minseok não retribui imediatamente. Depois de um tempo, ele abre os braços lentamente e o abraça de volta.

— Minseok, estava te esperando! — Tzuyu sorri, olhando para os outros. — Gente, ele disse pra mim ontem que voltaria pra escola e eu dei a senha da sala!

— Isso é loucura, cara! — Momo murmura, sorrindo largamente. — O boy mais gótico trevoso voltou! Amei?

— Voltei. — Minseok se permite sorrir mais uma vez. — Posso participar? Cheguei atrasado, mas...

— Claro, claro, senta aqui! — Namjoon SE LEVANTA pra deixar o menino sentar.

Eu formo com a boca as palavras "Quem é esse?" e Yoongi responde da mesma forma: "Depois eu explico."

Todos parecem sem ação por alguns minutos, até Jin tomar o partido.

— Bem, Xiumin... esse daqui é o Jung Hoseok, ou Hobi, ele é novo! — Ele diz, alegre. Minseok me encara por mais tempo do que eu gostaria, me deixando um pouco assustado, vai saber o que ele faz! Depois de alguns segundos, ele sorri de volta, embora pareça forçado.

Ok, o que eu fiz pra esse garoto?

A reunião segue basicamente com Yoongi contando como estava a escola para o amigo recém-chegado, que balança a cabeça de vez em quando e me encara discretamente. Como se eu não soubesse que ele tá fazendo isso!

No final, meus amigos parecem felizes com a presença de Minseok, ou "Xiumin" como o chamam, mas por algum motivo me sinto desconfortável. É como se... uma mal-estar tivesse invadido meu corpo de repente.

— Feliz que você voltou, meu parceiro! Tá mais emo do que nunca! — Jackson dá tapinhas em suas costas ao final da reunião, e pela primeira vez, Minseok ri. Uma risada bem discreta, mas ri.

— E você continua o mesmo Jack, porque eu tô impressionado? — Ele brinca, abraçando logo em seguida Jungkook e os outros. — JB, cadê você? Fiquei sabendo que tem uma alma penada assombrando o colégio!

Jaebum fica visível e sorri largamente, abraçando o amigo.

— Ahhhh, me pegou! Segundo eles, sou o espirito do fundador da escola! Maneiro, né?

Todos saem da sala rindo e brincando, abraçados ao novato meio esquisito e tagarelando alto. Eu me pego pensando no garoto, como ele pareceu não gostar de mim e ninguém mais ter percebido, mas tudo bem, talvez eu seja apenas um paranoico.

Talvez.

Na sala, ficam apenas eu e Yoongi.

— Ei, você tá estranho! — Ele fala, me tirando do transe. Yoongi e senta ao meu lado, me envolvendo com o braço. — É Minseok, não é?

— Como você...

— Eu te conheço, Hobi. — Ele ri, suspirando em seguida. — Não fique achando que ele não gosta de você ou coisa do tipo. É só que a habilidade dele... não é muito melhor que a minha. Quer dizer, ele não mata rolinhas com as mãos, mas... é um cara bem perturbado. De qualquer forma, ele é considerado um Enchanted Valiosos, não sei se o Jimin falou disso contigo, mas...

— São Enchanteds que tem poderes considerados picas e tal, sei. — Responso, pensativo.

— Isso aí. O Namjoon também é considerado um Valioso. — Ele fala. — Normalmente são aqueles que tem poderes relacionados com a mente... é bem bizarro.

— Espera. Mas o que ele faz? — Pergunto.

Yoongi solta uma risada meio sádica e se aproxima mais de mim.

— Pergunta pra ele, ué.

— Quê? Mas ele não gosta de mim! — Falo.

— Já disse que é só impressão, ele é assim com todos que não conhece! — Ele diz, revirando os olhos. — Pergunta pra ele, essa é a minha missão pra você. Quero que tente se aproximar dele, quem sabe você não muda a vida dele pra melhor assim como mudou a minha?

— Isso não inclui ter que beija-lo, né? — Quando digo isso, Yoongi arregala os olhos, puto da vida.

— NEM PENSA NISSO! — Ele diz, antes de selar nossos lábios. Ele me puxa pra mais perto pela nuca, e quando sinto que estamos em sincronia perfeita, a porta se abre. Eu o empurro pra longe, fazendo ele praticamente cair do sofá.

— Hobi, posso falar com você? — Namjoon pergunta, parecendo não ter notado nada! O Hobi aqui é rápido.

— Podem ficar aí, tô indo! — Yoongi se levanta meio desajeitado e cata suas coisas para ir embora, não antes de piscar um dos olhos de forma sedutora e sair da sala, me fazendo rir.

— Fala — Me dirijo ao meu amigo

— O que você vai fazer hoje a tarde, depois da escola?

— Hm... não sei... nada? — Respondo, dando de ombros.

— Pois eu sei! — Ele responde, animado. — Você vai ao médico Enchanted!

— O que? Já? — Pergunto, confuso.

— Eu sei que tá em cima, mas você precisa ir! Por favor! Isso pode nos ajudar muito. O resultado dos exames vai me ajudar nas minhas próprias pesquisas!

— Tá legal, eu vou então! — Sorrio. — Só me dar o endereço.

Na saída da escola, tive que dizer a Yoongi que não poderia escutar o que ele tem a dizer sobre as letras das músicas do CD, já que eu vou ao médico. Também fiquei meio chateado, mas é por uma boa razão, né! Ainda sou um Enchanted sem habilidades, já deu!

Me despeço dos meus outros amigos e escuto as recomendações de Namjoon, que pra infelicidade dele, não pode ir comigo, já que tem ajudar a mãe a preparar "cupcakes de aniversário" para a avó dele ou coisa do tipo. Ficamos até um pouquinho depois na escola, pra que pudesse ouvir todas as instruções

— Jungkook vai te levar, aproveita a carona! — Ele diz, rindo. — Não sei se ele aguenta até Itaewon com você nas costas, mas ele é forte né... enfim, não se esqueça, não diga sobre hipótese ALGUMA que você não tem poderes, só diz que você tem supervelocidade mas está com as pernas doloridas, isso basta. Ele vai te examinar, entregar os resultados, e aí eu faço a festa!

— Entendido, senhor! — Falo, batendo continência como um soldado.

— Vamos! De Jongnogu até Itaewon, vamos ver se eu aguento! — Jungkook diz, esfregando as mãos em forma de animação. — Sobe aí 

Subo em suas costas e em apenas 30 segundos, estou no bairro de Itaewon.

— Merda, demorei um pouco! — Ele resmunga, esfregando as costas. — Também, tu tava pesado...

— Tá me chamando de gordo? — Pergunto e ele ri. 

— Foi essa rua que Namjoon falou. Acho que o consultório você encontra, né?

​Sim, valeu! — Agradeço.

— Ah, espera, bebe isso! — Ele fala, antes de ir embora e me entregando um frasquinho com líquido transparente. — Isso vai te ajudar a mascarar sua falta de poderes! Tchau!

E vai embora.

Sozinho na rua, bebo o conteúdo amargo e esquisito. Não sinto nada, na verdade, e não sei como isso vai me ajudar.

Número 55. Não é bem um consultório, mas sim uma casa. É grande pra caralho, devo frisar.

Toco a campainha de leve, e sou recebido por uma mulher sorridente.

— Oi, sou Jung Hoseok! Tenho hora marcada pras cinco.

— Claro, claro, entra! — Ela convida, me guiando par dentro da casa.

Ela me leva em até os fundos, onde há realmente um consultório. É muito bonito, e tem um cheirinho delicioso, que é bem diferente dos hospitais comuns. É morango. Como eu AMO morango, puta merda.

— Aqui pai, o menino das cinco. — Ela diz, se dirigindo a um senhor de idade. Estamos em uma das salas quatro salas do consultório, em que ele está sentado na mesa lendo algo com atenção.

— Ah sim, deixe ele entrar Sohye! — Ele responde, simpático. — Olá, Hoseok. O menino Kim Namjoon falou que você viria.

Assinto com a cabeça, me sentando em uma das duas cadeiras a sua frente.

— Bom, vamos lá. — O médico diz, calmamente. — Sou o doutor Goo JungSu, e espero que se sinta bem aqui. Por que veio atrás do meu humilde consultório?

— Er... eu... — Começo, lembrando dos aconselhamentos de Namjoon. — Eu estou sentindo... dores nas pernas, isso! E não consigo mais correr direito.

— Um velocista, ein? — Ele sorri, anotando algo em seguida. — Sente-se na maca, pra que eu possa analisa-lo.

Me sento, sentindo que vai dar merda.

E aí, o mais maneiro acontece.

Ele usa VISÃO DE RAIO-X para observar meus ossos ou sei lá o quê!

— Bom, tudo em perfeita ordem. — Ele sorri. — Agora... corra!

Fico estático, sem reação! DEU MERDA!

— C-c-correr? — Qestiono, nervoso. — É que... é m-m-melhor não, né?

— Não fique com medo de se machucar filho, eu estou aqui! — Ele diz, paternal.

NÃO É DISSO QUE EU TENHO MEDO!

— Tá... — Tento, pulando da maca.

Mas AÍ, meus amigos. Algo que eu NÃO ESPERAVA ACONTECE!

Minhas pernas começam a tremer em um ritmo louco. É como se elas ganhassem videm própria!

Como isso pode acontecer??????????????

Me lembro imediatamente: O frasco que Kookie-ah me deu pra beber! O que será aquilo??????

Quando penso em caminhar até a mesa, na verdade estou correndo. Mas não correndo como um mero mortal.

Correndo com Jungkook.

Levo apenas 1 segundo para sair da sala de consulta, ir até a porta de entrada da casa e voltar. Mas eu não faço da forma graciosa que meu amigo faz, mas sim derrubando tudo o que vejo pela frente. Acho que alguém precisa praticar! Ah, se Jimin me visse agora.

Volta para o doutor, que olha tudo com atenção.

— Entendi... — Ele anota mais alguma coisa, ignorando o meu espanto com o meu falso "poder".

Depois de um tempo fazendo coisas até normais pra um médico Enchanted, usando os mesmos procedimentos de um doutor comum, ele se senta a mesa e dá seu veredito. Minhas pernas continuam se movimentando sozinhas debaixo da mesa.

— Cãibras de longo alcance — Ele simplesmente fala, ajeitando os óculos e olhando sua prancheta.

— E... o que é isso? — Questiono, embora isso não me importe já que esse nem é meu poder, só bebei uma poção fajuta pra ficar assim. Tento MUITAS perguntas pro Namjoon. Onde ele arrumou esse joça?

— Cãibras que não são muito raras em velocistas, principalmente os da sua idade, que usam a habilidade quase todo o tempo, já que vocês jovens são naturalmente... rápidos. Em todos os sentidos! — Ele sorri. — Está com dificuldades de atingir longas distâncias sem... hm... menores dificuldades. — Ele fala, me fazendo arregalar os olhos. Merda, ele sabe que quebrei algumas coisas na sala por não conseguir controlar essa porcaria de poder. — Não se preocupe, não vou cobrar pelo conserto!

Ele ri, embora eu esteja mais vemelho que um tomate.

Ele pede pra que eu espere na sala enquanto ele gera os papéis do exame. Sua filha, Sohye, me oferece biscoitos e suco, e acabo reparando na grande sala enquanto isso. Ela é imensa, só não é maior que a do Jimin. Oh povo pra ser rico ein, puta merda! Nem pra dividir.

E graças ao bom Deus, o EFEITO JUNGKOOK, como chamo agora aquele líquido que me fez virar um velocista por alguns minutos, passou. Que alívio!

— Gostou da minha casa? — Escuto uma voz conhecida e pula pra trás ao ver o dono dela. — Acha bonita? Eu particularmente acho muito... cheia de frufrus.

Minseok.

Ele desce as escadas sorrindo, com as mãos no bolso do moletom preto que usa.

Reparando melhor, ele parece realmente acabado. Como se não dormisse há anos!

— É bonita, sim. — Forço um sorriso.

— Ah, ta. — Ele se limita a falar, me encarando dos pés a cabeça. — Que bom pra você.

Não me aguento e pergunto.

— Olha, eu fiz alguma coisa pra você? Quer dizer, eu sou meio paranoico com essas coisas, talvez eu esteja louco mesmo, mas é que eu estou com a impressão de que... seu Santo não bateu com o meu? Foi mal a sinceridade!

Ele ri, pela primeira vez de forma realmente aberta, o riso contrastando com as olheiras horríveis e profundas em seu rosto branco.

— Não Hoseok, você não fez nada. — Ele responde, encarando as unhas. — Mas por que eu sinto de forma tão forte que você vai?

Arregalo os olhos, sem saber o que responder.

— Mas... como pode ter tanta certeza de que eu vou fazer algo pra você? Nem me conhece! — Recuo.

— Ah, meus palpites são bons... — Ele se diverte com a própria piada interna, e eu não faço um caralho de ideia do que ele esteja falando.

Sua expressão se torna pesada e raivosa, e ele se senta bem próximo a mim.

— Você sabe por que eu saí daquela escola? — Ele pergunta, sem me dar tempo de responder. — Por que toda ela cheira a problema, a desastre, a tragédia... Quando eu tive a primeira intuição, ninguém acreditou, nem a minha família e nem os meus próprios amigos. E olha que eles sabem do que eu sou capaz. Foi preciso que eu tivesse um surto pra que eles finalmente entendessem.

Eu o olho tão confuso que ele até ri da minha cara.

"Olha só, o esquisito adivinhador, que garoto estranho" —​ Ele faz uma vozinha forçada e debochada. — Sabe a quanto tempo eu escuto isso? A minha vida de merda TODA, e ficou pior depois do último ataque eu tive. Yoongi pode até ter um poder horroroso, mas ele não é muito pior que eu!

Pior do que Yoongi?

— Eu implorei pro meu avô me tirar daquele lugar, pois eu sentia ânsia de vômito só de entrar lá, só de sentir o cheiro daqueles corredores, eu sentia dor de cabeça, fraqueza. Como se um desconforto horroroso invadisse meu corpo. Eu sentia que todo a felicidade simplesmente me abandonasse, nem mesmo Jimin, Jeongguk, Jack, Baek conseguiam levantar meus astral. Quando saí de lá, finalmente consegui me livrar disso. Bom, até hoje de manhã.

Eu me afasto dele, assustado com o que acabou de dizer.

— Eu senti aquela dor horrível quando cheguei perto de você, e ela simplesmente foi embora quando me afastei! Tô sentindo ela nesse momento, e eu NÃO TÔ SATISFEITO COM ESSA PORRA!

Ele continua, mas é interrompido por Sohye, que entra na sala as pressas.

— Xiumin, o que nós combinamos com relação as visitas? Volta pro quarto agora! — Ela grita, indo na direção do garoto.

— Não mãe, para de querer me esconder das visitas, eu não sou um bicho! — Ele se desvencilha de Sohye. — O que esse garoto tá fazendo aqui? Ele não me trás bons sentimentos, não deixem ele voltar aqui!!!

— Minseok! — A voz grave do doutor Goo surge na enorme sala, fazendo o menino congelar. — Para com isso. Por favor.

— Vô, VOCÊ NÃO ENTENDE! — Ele diz com a voz chorosa, me encarando com nojo. — Eu sinto a "Sensação" quando tô perto dele. É horrível, é como se eu estivesse com muita dor e fosse simplesmente desmaiar...

— Suba. Agora. — O doutor Goo diz, fazendo o neto de calar. — Conversaremos depois.

Minseok ainda lança um olhar sobre mim e sobre as escadas, correndo.

A mãe vai atrás, chorando.

— Me desculpe por isso, ele é... especial. — Ele sorri de forma triste, me entregando o envelope com os exames.

— Obrigado, senhor Goo. — Me despeço, com gosto de bile na boca.

Caminho lentamente em direção a estação de metrô, que não é muito longe. Jungkook disse que poderia voltar pra me buscar se que quisesse ligar pra ele, mas nesse momento, tudo o que eu quero é fica sozinho.

Penso no que Minseok disse, sobre "se sentir mal quando ficava ao meu lado". Eu me sentira horrível com uma declaração dessas, claro.

Se eu não sentisse a mesma coisa ao lado dele.


Notas Finais


ufaaaaa, postei tarde né jhdihfkdjfkdhfdk
foi o que deu kkkkkkkkk afzzão
semana que vem deve tá saindo maissssss
PROMETO SJDKFJDKJFLD
Até a próxima, Enchanteds!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...