História Encontro do Acaso - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Jungkook, Romance
Visualizações 9
Palavras 2.429
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Festa, Romance e Novela, Saga
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom pessoal estou aqui com mais um capítulo dessa maravilhosa fic...espero que gostem.

Beijos
e
Boa leitura <3

Capítulo 2 - So sorry


Fanfic / Fanfiction Encontro do Acaso - Capítulo 2 - So sorry

Taehyung

Hoje foi um dia bem estranho para mim, nenhum pessoal do staff veio acordar a gente como sempre acontece a 6 da manhã. Hoje estava tudo calma em uma plena segunda-feira. Fiquei um tempo com os olhos fechados então eu abri os olhos e olhei envolta vendo que só estava eu e o Jin ali. Já que todos nós dormimos no mesmo quarto, peguei o meu celular com intenção de ver as horas. Quando eu liguei o celular, olhei a tela e CARALHO já são 12h00min, pulei da cama e comecei a me arrumar. Quando estava todo pronto pulei da cama do Jin e comecei a cutuca-lo com a intenção de acorda-lo, ouvi uns resmungos de protesto, mas depois de um tempo ele abriu os olhos e falou:

- Que foi caramba? Deixa-me dormir. –com isso colocou o cobertor em cima da cabeça

- Anda Jin hyung acorda! Já são 12h00min!- falei fazendo ele se levantar me deixando cair de bunda no chão.

- Caralho por que não avisou antes, nós temos que ajudar no concurso – falou começando a se arrumar.

- Que concurso? – falei meio noiado não me lembrando desse tal de concurso

- Meu deus Tae, o concurso para a nova vaga de Trainee. A gente concordou em ajudar ontem.

- Ah... MEU DEUS ANDA LOGO JIN- me levantei rapidamente abri a porta saindo correndo em direção as salas de músicas.

~*~Quebra de Tempo~*~

Chegando lá bati na porta timidamente, então ouvi um “Entra” assim peço licença abrindo a porta e me sentando em uma cadeira no final da mesa, vejo que na frente do microfone tinha uma garota. Olhei para a garota e então ela terminou de cantar e saiu. Depois de um pequeno tempo a Jin chegou, e se sentou ao lado do Namjoom. Fiquei quieto olhando a porta até o Kookie me cutucar e perguntar:

- Por que você e o Jin hyung chegaram tão tarde?

- Deve ser por que ninguém nos acordou- bufei irritado me virando a atenção para uma garota que acabara de entrar – eu perdi muita coisa?

- Vamos dizer que sim. Essa garota é a última

Tirei minha atenção do Maknae me virando totalmente para a garota que acabara de entrar, percebi que ela usava uma roupa mais despojada do que a garota anterior. Ela parecia muito nervosa percebendo que ela não olhava para nós, mas ela veio até a bancada e nos entregou alguns papéis de cabeça baixa e antes de ir embora ela falou:

- Desculpa se isso foi rápido demais

Não entendi o porquê ela disse isso, mas ela apenas foi em direção ao computador assim colocando o playback da sua música. Com isso se colocou na frente do microfone no meio da sala e começou a cantar uma música que parecia ser em português:

Lutei pra entrar e não vou sair

Os que não pertencem, eu devolvi.

Ácido num metal causa efeito letal

Teto Baixo te espreme e respira

Quem pira tá na mira da minha firma

Então me espera recuperar o fôlego

Se comigo não morre, nunca cai, não tenta a sorte.

Woodstock num flow metódico

Então não é pra quem quer, dor é pra quem pode.

E nosso destino é uma caixa de surpresa

Leopardo ou Zebra?

Diz-me: Cê quer ser predador ou presa?

Assim, ó

Percorri pela beirada até a sorte me dizer

Menino, você tem o aval.

No TPC, se eu elevo no peito.

O excesso é essencial

É muito bom não se acomodar

Satisfação se o verso ecoa vento em popa

Não vou me poupar, então demorou meu mano.

Let's go

 

Quero que se foda o que disser

Tô de pé, vou mantendo a fé até.

Do meu lado eu vou correndo igual ralé

Adivinha o que tu queres

Vagabundo quer, mas e quem não quer né?

Quero ver dinheiro na responsa, ser amigo da onça.

Jacaré que pangua vira bolsa

Mano, então me mostra a cara em convivência com malandro que já foi da fossa.

Fala pra carai, então se coça.

Cê gosta também, Zé.

Vagabundo vê a bota e não vê o pé

Mas não quer me vê em pé, jão.

Sei até quem são tô na contenção

Bababarababaraba, papo de cuzão.

O que cê quer provar? Já provei que sei bem, te representei.

Levei para a caminhada quando nem era ninguém, não.

Palavra de conforto recebeu da minha vida, se resume no meu dom, jão.

Vai, vai, espero que seu ego não atrapalhe sua conduta, senão vagabundo cai.

E como cai, dependendo aonde, eu sei bem dessa febre e talvez não levante mais.

Membro do Haikaiss sou cabra da peste, rap demais, sou capaz

De fazer essa multidão, aliada na missão.

Concedida na vida de um tempo atrás

Bom senso é essência, eu penso em como o acesso é essencial.

A todos que entenderam, não adianta acusar.

O dom nasceu comigo e vacilo é não usar

Dizem por aí que é fácil fazer tudo que eu sei

E não fazem, e não sabem.

Na vida cê perde tempo

Ou entende o conceito de sabedoria

Ganha a melodia

Cansado de ver, de ouvir iludidão falar de minoria.

Não vai ser covardia explanar

Dividiram mesma tag, se xingar.

Essa falta de ética, prática, excêntrica.

Elegem, e vejo o som na esquiva.

Mas que fita (não)

Sei que poucos são bons pelo troco, sem dom.

Cada plano não é em vão

Sem querer ser zoião.

Mano, se aumenta na idade.

Amante da cidade

Reduz BPM, entra longevidade.

Cientista do grave

Quando quer sabe qual que ele é?

(Dia de maldade)

Eu vim, dominei os palcos, rodapé os mic com fio.

Rodoviário Novo Rio

Sou paulista memo e chamo os outros de tio

Eu não vejo uma arminha.

Praia sempre foi dollar Bill.

Bora filha, é sábado de abril.

Balada já abriu, camarada meu já tá a mil.

Rap para me deixar febril, eu tentei, não serviu.

Uniforme é para garçom de navio

(Um salve ao imortal Sabotage)

Que faz da rima um fuzil

Quinze anos depois construindo

Mais pontes que engenheiro civil

Isqueiro pra acender o pavio

Racionais, RZO, engajamento na luta.

É vantagem, me deu liberdade.

De representar cidade sem diversidade

Zona Norte pro mundo, então partiu.

Ela parecia cantar algum tipo de Hip-Hop, ela cantava razoavelmente bem, mas não chegava a ser tão bom quanto da antiga garota, mas estava assim até chegar ao que parecia ser a parte do Rap.

Ah, um salve a quem não falha na conduta.

Filha de uma puta

Veste a carapuça, vida cara que me escuta.

Mudo a tela que te muda, que se foda.

Muda o ano, mas não muda o que se planta.

Vim pra terra que te canta, vende o almoço, pega a janta.

Maloqueiro canta junto

Com a vontade dessa porra de esse mundo ser melhor

Mas na verdade o que se prega é diferente da novela

Vida louca, vida curta.

Eu com a navalha que te corta

Vale para o que se pensa

Que no mundo que defende, vale mais seguir em frente.

Caminhando diferente, caminhando com a minha gente.

Cara a cara com o obstáculo que pega nossa mente

Na verdade eu canto aquilo que difere o nível

O cara é compatível, mas não passa no canal domingo.

Aquilo que se fala de importante pra nação

Mas que se foda, eu falo mesmo.

Rápido como quem bate o coração

Em cada passo eu olho e vejo na bagagem calejada

Meu comunicado, mano, é complicado.

Cada laço que mantenho vale o ouro

Mas não vale o couro

Aqui se vê suborno, põe na conta do mano.

Que engana o povo

Eu quero ver tá cara a cara com o menor, ó.

Tem muito veneno e pouco dó, ó.

Falam da vitória, mas não falam da derrota.

Mano, para, para, para, para, para, Rap Lord.

Bom senso é essência, eu penso em como o acesso é essencial.

A todos que entenderam, não adianta acusar.

O dom nasceu comigo e vacilo é não usar

Ah, não pensa que eu parei, não acabou.

Não acabou não

Deixa-me aproveitar que esse momento é bom, jão.

E tá tão bom irmão, que eu falei.

Gordão, me estica mais um pouco da batida desse som.

Vagabundão, vagabundo fica louco.

Eu tô loucão

Sente a colisão então

Vindo de um moleque cativando pro meu rap

Que te passa uma energia que virou meu ganho pão.

Dizem por ai

Que é fácil fazer tudo que eu sei

E não fazem, e não sabem.

Não sabem, não sabem, não sabem.

Falam da vitória, mas não falam da derrota.

Mano, para, para, para, para, para, Rap Lord.

Olhei-a surpreso, a garota cantava absurdamente rápido, seus olhos estavam fechados e ela fazia estranhos movimentos com as mãos. Olhei para o pessoal em volta, alguns dos meninos olhavam para ela tão surpreso quanto eu. O Namjoom, Suga, J-Hope e os jurados a olhavam neutros. Pareciam mais sérios do que o normal.

Depois de ela terminar de cantar, ela abriu os olhos e abaixou a cabeça novamente, mas antes de sair ela deu uma pequena espiada para o nosso lado e quando percebeu que eu a encarava a mesma desviou o olhar fazendo um cumprimento com a cabeça e saindo.

Seon Li

Depois de sair daquela sala eu simplesmente me joguei em uma carteira qualquer daquele pequeno corredor. Havia ficado tão nervosa em ver o meu grupo favorito que eu acho que eu me esqueci de respirar.

Fiquei tentando recuperar o meu fôlego até eu começar a olhar para a porta no qual eu havia acabado de sair. Olhei para aquela porta por mais algum tempo até a mesma ser aberta por um dos jurados segurando um papel na provavelmente sendo o papel dos escolhidos, fiquei olhando para o jurado de cima para baixo, acompanhando ele com o olhar até o mesmo colocar esse papel em uma parede próxima de mim.

Levantei-me devagar indo lentamente até aquela tão esperada parede. Vejo que algumas que estavam aglomeradas saiam de lá cabisbaixa, mas umas duas pessoas saiam de lá dando pulinhos de alegria. Comecei a ficar ainda mais nervosa do que já estava, minhas mãos começaram a suar, então eu apenas fechei os meus olhos indo em direção à parede. Quando minhas mãos encostaram-se à superfície lisa abri lentamente os meus olhos lendo o papel na minha frente.

Big Hit entertainment

Aprovados

Sakurai

Yumi

Seon Li

Meu coração por um momento analisando aquele meu nome do papel. Fiquei encarando aquele papel até eu me afastar daquele pedaço de papel pegando o meu capacete e a chave indo até o estacionamento dando partida na moto e indo para casa.

 

~*~Quebra de Tempo~*~

Chegando a minha casa abri a porta e me joguei no sofá exausto. Peguei o controle da Tv e coloquei em um canal qualquer. Fiquei ali por mais um tempo até ouvir passos vindos até mim. Olhei para o lado vendo o meu irmão. Seus cabelos negros estavam bagunçados e seu rosto estava inchado revelando que ele estava dormindo.

Dei um sorriso fraco, fazia um grande tempo que eu não via ele assim. Levantei-me e fui até ele arrumando seus cabelos então eu falo:

- Você sabia que isso não é hora de dormir e ainda mais de acordar.

- Ah, mas ainda é cedo- disse fazendo um biquinho infantil, às vezes eu ainda duvidava que eu fosse a mais nova daquela família.

- É tão cedo que eu já fui e voltei lá da Bighit- Disse e nesse momento ele deu um pulo de onde estava me segurando pelos ombros quase me deixando cair e começou a me chacoalhar.

- Meu deus e aí como foi?

- Eu disse que não era para ficar bravo se eu não ficasse com a vaga- disse abaixando a cabeça, mas logo a levantando e lhe lançando um grande sorriso- mas se eu dissesse que eu passei?

Ele não disse nada, apenas me abraçou com muita força. Retribuí aquele abraço, mesmo sendo apenas um simples abraço aquilo significou muito para mim. Ficamos assim por mais um tempo até ele se soltar de mim e falar:

- Então vamos comemorar. Você já sabe que dia você tem que mudar e começar a treinar?

- Não sei, acho que amanhã. Acho que você também volta amanhã, mas não tem problema de deixar a casa sem ninguém?

- Não tem problema ela fica sozinha quase que o ano todo, e então vamos comemorar?

- Vamos – digo fazendo uma dancinha meio estranha, fazendo com, que ele soltasse uma risada indo para o meu quarto me arrumar.

~*~Quebra de Tempo~*~

Depois de tomar um longo e demorado banho fui para o meu guarda-roupa indo escolher uma vestimenta menos bostas para sair. Assim fiquei encarando por mais um tempo até eu escolher colocar uma calça jeans rasgada, uma croppet preta de manga longa e um coturno preto. Fiz uma maquiagem leve deixando meu cabelo solto, peguei meu celular e uma bolsa indo até a sala.

Meu irmão já estava pronto, ele estava com uma calça jeans, uma blusa moletom e um tênis preto, olhei para ele, simplesmente ele estava lindo, o mesmo era um garoto maravilhoso e por isso ele sempre é uma sensação para garotas na festa. Fiquei encarando ele até eu me pronunciar:

- E aí vamos?

- Vamos- falou se levantando, pegando a chave do carro e indo até a garagem e assim fui o acompanhando.

Chegando ao carro, cada um se sentou de um lado meu irmão indo dirigir, pois era o motorista a rodada e assim fomos para a festa. No caminho nós só ouvindo música, sendo tantas músicas como o K-pop como o funk.

Quando chegamos à festa tivemos que encarar uma “pequena” fila. Ficamos lá por o que parecia ser uma meia hora conseguimos entrar e então assim que entramos na porta nossos caminhos foram separados. Ele foi para a parte da pista pegar alguma garota e eu fui para o bar pegar alguma bebida.

Pedi uma cerveja para o garçom e me sentei em uma carteira perto do balcão, a cerveja chegou e eu a bebi rapidamente, pedi mais outra e assim foi indo depois de algumas comecei a me alterar. Não me lembrava com quem conversei, mas depois de mais algumas cervejas eu simplesmente apaguei.

~*~Quebra de Tempo~*~

Não me lembrava de nada do que eu fiz naquela balada, se eu fiquei ou beijei alguém, apenas tenho uma pequena recordação de eu ser carregada até o carro provavelmente pelo meu irmão, mas depois disso eu simplesmente apaguei mais uma vez.


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...