História Encontros - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Chichi, Goku, Goten, Lunch, Marron, Personagens Originais, Raditz, Trunks, Vegeta, Videl, Yamcha
Tags Dragon Ball, Hentai, Luta, Novela, Romance
Exibições 50
Palavras 1.152
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente, consegui postar mais um capítulo hoje.
Vou apresentar a minha versão do Mestre Kame (rs). O velho continua tarado, mas leva seu papel de mestre um pouco mais a sério kkk
Espero que gostem. Boa leitura.
Beijos.

Capítulo 4 - Mestre Kame


Ficamos treinando durante um tempo ainda e quando estávamos indo embora ouvimos uma voz conhecida nos chamando.

- Lars, Ellie... Quero falar com os dois. – disse o velho. Ficamos surpresos, mas o acompanhamos até os fundos do dojo, onde se sentou próximo a uma mesa baixa, com uma garrafa à sua frente (que eu tinha CERTEZA não se tratar de chá ou água como ele gostava de dizer).

Mestre Kame não é o mestre que você imagina como convencional, longe disso... Ele é careca, arqueado pela idade – mas ainda muito ativo – com uma carapaça de tartaruga nas costas (é isso mesmo, não estou inventando, ele anda com uma carapaça de tartaruga nas costas), sempre vestindo camisas floridas, bermudas e sandálias.

Fora seu visual incomum seu comportamento é uma história a parte, não tem meios de dizer isso sem ser direta: o velho é um safado!!! Todos seus alunos sabem que ele gosta de pornografia e de passar a mão em qualquer mulher desavisada.

E apesar desse comportamento inadequado, seu visual estranho e sua pose de supergaranhão, ele é um dos mestres de artes marciais mais procurados e conhecedores de seu ofício que existiam. Seus alunos sempre eram talentosos e aqueles que se destacavam recebiam treinamento especial.

Eu nunca me destaquei – ao contrário de meu irmão – mas nenhum dos dois recebeu o tal treino especial, embora sempre fôssemos benvindos no dojo. Assim seu chamado foi um pouco incomum.

Após nos sentarmos à sua frente, ele nos olhou e foi direto.

- Percebo algo errado entre vocês dois. O ki de vocês, que sempre se harmonizou está desalinhado e em conflito. – nos disse olhando-nos por trás de seus grandes óculos escuros.

Ficamos ali nos olhando e sem saber o que dizer, pois sabíamos muito bem do que ele estava falando, a razão de nosso ki estar desalinhado como ele disse; mas não queríamos tocar mais no assunto – principalmente eu, que desejava jogar aquele assunto para debaixo do tapete e esquecer da existência dele.

- Hmm, Mestre, bem... – comecei – tivemos um desentendimento sobre um assunto, mas estamos tentando chegar a um equilíbrio...

- Isso mesmo Mestre – confirmou Lars – estamos tentando chegar a um entendimento...

- Hmm... Vocês estão me escondendo algo, mas eu não vou força-los a me contar. Entretanto, após observá-los tomei uma decisão que já deveria ter feito há muito tempo: se quiserem, a partir de amanhã começarão os treinos avançados de controle do ki. – ele disse como se não fosse importante.

Eu o olhava boquiaberta. Lars eu entendia, ele sempre foi talentoso e podia controlar um pouco de ki, mesmo sem o treinamento avançado, mas eu ???? Eu nunca demonstrei ter o talento necessário pra esse treino.

- Hmm, Mestre – comecei – eu acho que não tenho os requisitos para o treino avançado...

- Bobagem – ele cortou rapidamente – todos podem aprender a controlar o ki. A questão sempre foi a responsabilidade e a maturidade de usá-lo sabiamente, por isso demorei a me decidir. Vocês vem de uma família que já é poderosa, tenho observado vocês durante estes anos apenas para decidir se teriam a força de caráter para não se aproveitar dos meus ensinamentos para motivos egoístas.

- Mestre... Estamos aqui desde pequenos... Acredito que já há algum tempo sabe que não faríamos isso. – disse Lars, um pouco aborrecido.

Eu segurei a mão de meu irmão discretamente, para que ele não falasse nada de que pudesse se arrepender. Ele me olhou rapidamente e depois para o Mestre e ficou pensativo, algo havia mudado o pensamento do Mestre Kame sobre nós e eu estava curiosa para saber o que foi.

Ele nos olhava atentamente. E começou novamente a falar.

- Sinto que vocês irão precisar desse conhecimento em um futuro próximo – disse estranhamente sério – todos dois, mas principalmente você Ellie. Por isso quero começar imediatamente, os conheço o suficiente para saber que vão progredir muito, embora cada um no seu ritmo... Não quero saber de você menosprezando suas capacidades, você tem uma mente determinada e focada, é inteligente e será capaz de suportar o treino tão bem ou mesmo melhor que seu irmão, que precisa melhorar em diversos aspectos. – ele sentenciou.

Estava muda de surpresa. Eu ter mais capacidade que meu irmão para alcançar um nível superior? Estava estranhando as palavras do Mestre, mas seus pressentimentos eram lendários... e certeiros.

Olhei meu irmão, que retornou e percebi que ele sentia a mesma coisa que eu: havia muito mais ali que o Mestre não nos dizia e, ao mesmo tempo, estava empolgada porque teria um desafio diferente para minha mente. Com meu irmão não era muito diferente.

- Aceitamos Mestre Kame. – dissemos juntos.

- Ótimo! Seus treinos começam amanhã. No início terão as mesma aulas juntos, mas depois darei desafios diferentes de acordo com as capacidades de cada um, então treinarão separados.

- Sim Mestre! – dissemos juntos de novo.

Saímos do dojo animados e conversando sobre nossos treinos a partir do dia seguinte. Mas eu não me enganava, sabia que meu irmão não havia esquecido da conversa, apenas deixou passar.

Quando cheguei na casa dos meus pais (sim, naquela época ainda morava com eles. Meu irmão morava em um apartamento no centro, próximo do escritório central de nossas empresas), fui tomar um banho e me arrumar para me encontrar com Yamcha.

Estava pronta, dando os últimos retoques na maquiagem, que eu estava aprendendo a usar para agradá-lo, quando meu telefone toca, vi no visor que era meu amor.

- Oi amor! – atendi alegremente – já estou pronta. Pode passar pra gente ir no teatro.

- Err... Ellie... Vou me atrasar e vamos perder o espetáculo, mas ainda vai dar pra aproveitar as reservas do jantar. – ele disse ao telefone.

Fiquei triste, queria muito ver a peça e aquela seria a última oportunidade, mas depois de um suspiro conformado eu respondi:

- Tudo bem! Fazer o que? Vou te esperar então.

- Hmmm... sobre isso... Poderíamos nos encontrar no restaurante? Estou no fim de uma reunião importante e ainda vou passar em casa pra me arrumar. Fica contramão te pegar na sua casa...

Mordi os lábios, pensando no que meu irmão me falou... Balancei minha cabeça e espantei aqueles pensamentos.

- Tudo bem. Nos encontramos no restaurante. – respondi.

- Está certo então. Até mais tarde. – e desligou o telefone.

Fiquei olhando para o meu celular. Olhando e pensando nas palavras de meu irmão: “São as pequenas coisas...”.

Balancei a cabeça com mais força, afastei aqueles pensamentos. Yamcha era tão ocupado quanto nós, também tinha a empresa da família para cuidar. Enquanto nós estávamos no ramo da construção eles estavam nos transportes, era natural que tivesse algumas reuniões que durassem mais tempo que o esperado e seu pedido para que o encontrasse no restaurante não era descabido, afinal ele deveria estar cansado, e ainda assim queria jantar comigo. Depois de racionalizar a situação me tranquilizei e fui cuidar de algumas pendências, já que tinha algum tempo para isso.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...