História Encontros - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Chichi, Goku, Goten, Lunch, Marron, Personagens Originais, Raditz, Trunks, Vegeta, Videl, Yamcha
Tags Dragon Ball, Hentai, Luta, Novela, Romance
Exibições 25
Palavras 3.471
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente!
Continuação pra vocês!
Espero que gostem!
Boa leitura.
Beijos.

Capítulo 42 - O que mais desejo (parte 2)


 

NARRADORA

Ellie está amarrada na cama. Seus braços estão acima de sua cabeça e seus cabelos estão esparramados no colchão.

Raditz está do seu lado direito e admira o corpo da mulher que o olha furiosa com a situação em que se meteu.

Ela achava que ia ter o controle da situação como acontecia sempre que estava com Raditz. Mas, aparentemente, as coisas mudaram e – pelo que Raditz havia falado – até o poder que ela tinha sobre ele era ilusório.

Mas se ele pensava que ela ia se dobrar fácil estava muito enganado. Ela não ia cair tão fácil assim e ia provar.

...............................................

RADITZ

Ela estava furiosa! Ri comigo mesmo...

Realmente a tinha deixado pensar que mandava na relação deles porque tinha medo de machuca-la – a marca dos hematomas nos seus ombros ainda me assustavam – mas as conversas que tive com Karl me deram a impressão que não estava agindo exatamente da maneira correta com Ellie, e essa era a causa dela não me dar ouvidos.

Quando olho pro seu pescoço e vejo a marca do chupão que lhe dei do lado direito fico ainda mais excitado. E ela gostou quando fui um pouco mais duro.

- Agora Ellie, você vai ser uma menina boa ou má? – eu pergunto me inclinando em direção a ela.

Ellie bufa e desvia o olhar. Eu dou um sorriso.

- Então escolheu ser má. Não tem problema baby, sei como cuidar de uma menina má.

Ela me olha e parece que vejo labaredas dançando nos olhos dela.

Isso ia ser muito, muito divertido.

..........................................................

ELLIE

Esse... Descarado! Safado! Pervertido! Eu ia provar a ele que podia ser muito má!

Ele NÃO vai me dobrar.

Raddie se aproxima de meu seio esquerdo e eu fico olhando o que ele vai fazer. Ele me dá um sorriso safado e literalmente cai de boca no meu seio. Ele lambe e mordisca o meu seio sem nunca chegar ao mamilo, ele está se divertindo com isso e eu estou me segurando pra não gemer.

Raddie não fica parado, mas ao invés de atacar meu outro seio ele desce até minhas pernas. Eu o vejo se colocar entre elas e me acariciar as panturrilhas; seu toque é muito leve, quase como se não existisse, ele sobe em direção às minhas coxas e faz a mesma coisa. Minha pele está arrepiada, mas eu consigo segurar meus gemidos.

Ele apenas me olha e eu lhe lanço um olhar desafiante, pois não tinha conseguido me fazer gemer, por mais que estivesse me dando prazer.

- Hmm, baby! Acho que estou pegando leve com você... Ainda está me desafiando. – Raddie me diz, com os olhos pregados em mim. – Está na hora de pegar pesado. – e começa a tirar a roupa que está usando. Beeeem devagar e me olhando diretamente. Desgraçado gostoso! Fazendo um strip-tease pra mim.

Minha boca ficou seca de repente vendo aqueles braços fortes, o peitoral – ai meu Kami, que peitoral – e aquele tanquinho... Continuo descendo meu olhar pelo seu corpo até parar em seu pau. Ele estava excitado e lambo os lábios pensando em tê-lo na boca.

Ouço uma risadinha e percebo que Raddie está rindo de mim.

- Gosta do meu corpo, não é Ellie? – ele pergunta. Raddie tem o corpo sarado do lutador que ele é, lindo. Mas não falo nada, não vou dar esse gostinho pra ele, até porque se sair algo da minha boca vão ser só gemidos, então é melhor ficar quieta.

- Hmm, pela forma como me comeu com os olhos fico um pouco mais seguro dos meus atrativos, mas não estou satisfeito com sua postura. O que quero é ouvir sua voz e é isso que vou conseguir.

Lhe dou um sorriso desafiador e um olhar que diz: “Duvido”.

- Não devia provocar Ellie. Principalmente na situação em que se encontra. – Raddie sorri de volta provocante.

......................................

RADITZ

Ela está muito segura de si, mas aproveito pra lamber e beijar suas pernas, e consigo que ela solte um pequeno ofego. Eu aproveito, subo rápido até seu seio e mordo o mamilo de Ellie, ela não esperava e geme. Sei muito bem como ela gosta dessa carícia, sabia que não ia resistir, então volto a atacar suas pernas mordiscando e lambendo, indo em direção a parte interna de suas coxas.

Ela está agitada e tentando controlar seus gemidos, mas um ou outro escapam de seus lábios; é quando eu decido acabar com a resistência dela.

Ela ainda está de calcinha e ainda não pretendo tirar essa peça dela. Por cima do tecido começo a acaricia-la, massageando seu clitóris. Enquanto subo um pouco a cobrindo com o meu corpo.

- Vamos Ellie, sei que quer gemer. Estou te fazendo uma massagem tão gostosa... Me dá esse gostinho, afinal preciso saber se estou fazendo certo. – a provoco lhe falando no ouvido. Eu continuo a massagear seu clitóris por cima da calcinha que já está totalmente encharcada, me aproximo e afasto a calcinha de lado, sopro em seus grandes lábios; ela não resiste mais e geme.

Sorri vitorioso, depois dessa primeira conquista sei que não vai faltar muito mais.

Daqui a pouco Ellie vai estar exatamente onde quero...

.............................................

ELLIE

EU NÃO ACREDITO!

Eu gemi e agora não consigo mais segurar. Está tão gostoso, a massagem de Raditz e os pequenos sopros que ele está me dando.

Oh céus, não acho que vou aguentar... Estou prestes a gozar.

E então tudo para! Estou ofegante e vermelha quando abro os olhos e o vejo em pé na frente da cama me analisando! Eu fico em choque quando percebo o que fez!

- Desgraçado! Eu vou te fazer pagar por isso! Você me paga! – eu gritava para ele e me contorcia. Sentia meus pulsos reclamarem e minha pele formigava contra a algema que me prendia, mas eu nem ligava. Queria surrá-lo por me negar aquele orgasmo!

Ele teve o descaramento de sorrir pra mim.

Raddie me segurou firme.

- Shhh! Calma Ellie, assim você vai acabar se machucando e ainda vamos brincar muito essa noite. – ele falava baixinho no meu ouvido, me arrepiando toda.

- Eu vou te matar Raddie! E depois vou transar com você até te deixar acabado! Você não sabe o que está fazendo comigo! – eu gritava e nem ligava pro que eu falava; eu queria gozar!

- Ao contrário baby! Sei exatamente o que estou fazendo com você... E vou continuar até você reconhecer quem é que manda... – Raddie deitou ao meu lado para me conter.

Eu estava IRADA.

 - E é você eu suponho?! – gritei para Raddie.

- Sim, querida, sou eu. É claro que você tem um grande poder sobre mim, estou louco pra te foder tanto quanto você deseja isso, mas não antes de você admitir. – respondo a ela.

- Admitir o que? Que amo um idiota? – e assim que as palavras saíram da minha boca me arrependi na hora. Eu não devia ter dito aquilo daquela forma...

..............................................

RADITZ

Ellie estava furiosa por ter negado seu prazer e começou a se debater. Tsc. Aquelas algemas não eram as melhores pra fazer uma amarra e com todo aquele movimento dela estava vendo a hora que ela se machucasse; a segurei e tentei acalmá-la. Ela gritava louca de raiva e de tesão.

Mas ela tinha que reconhecer que eu era importante naquela relação, caso contrário, ia continuar agindo como um kamikaze e uma hora ia acabar se machucando de verdade.

Foi quando no meio da raiva ela soltou aquilo que eu esperava:

- Admitir o que? Que amo um idiota? – ela parou na hora, percebendo o que tinha dito.

- O que quis dizer com isso Ellie? – perguntei, mas ela se recusou a me responder. – Ellie, não me teste. O que você quis realmente dizer com isso?

Por longos momentos achei que ela não ia me responder. Ela estava ofegando e seu olhar ia pra qualquer lugar menos meu rosto, quando eu estava a ponto de perder a paciência ela falou baixinho, mas ainda sem olhar pra mim:

- E o que isso te interessa? Teve o que quis antes – assim como eu – e está tendo o que quer agora. Não precisa saber de mais nada. Além do mais já te falei isso antes... Uma vez.

Por dois segundos eu fiquei estático, depois rosnei, realmente rosnei:

- Como é?! Ellie olhe pra mim. Agora. – eu falei baixo e tentei me controlar, mas minha voz ressoou no quarto silencioso. Ela engoliu com dificuldade e fechou os olhos, depois os abriu e me olhou diretamente. – Você me ama? – perguntei direto.

Ela apenas me olhava e eu via o conflito dela: - Diga o que sente. Não vai me magoar, minha Ellie.

Ela tornou a engolir com dificuldade, sem tirar os olhos de mim:

- Te amo desde sempre. Praticamente desde o dia em que pus os olhos em você. – quem ofega agora sou eu. Aquilo era uma revelação e tanto...

Como ela podia estar interessada em mim durante todo o tempo em que nos conhecemos e eu nunca ter notado nada? Ela tinha fechado os olhos, pois não queria se revelar mais. Falei um pouco mais controlado:

- Ellie, não fuja agora. Não pode soltar algo assim em cima de mim e depois simplesmente me ignorar. – a chamei, mas ela balançou a cabeça ainda de olhos fechados. – Baby, olhe pra mim –falei baixinho no seu ouvido e a senti estremecer – Vamos baby, não pode fugir de mim. 

Ela suspirou, sabia que eu falava a verdade e abriu aqueles olhos lindos. Me focando.

- O que esperava? Realmente não me conhece. Jamais permitiria que qualquer um me tocasse se não tivesse certeza do que sentia. Só me enganei com Yamcha porque estava desesperada por amor e atenção – ela suspirou e olhou o teto – ele se aproveitou dos meus sentimentos para os seus interesses, mas não me tocou. Não sei por que, pois eu inclusive cheguei a pedir que tivéssemos intimidade. – ela corou quando contou isso e não sei se fiquei feliz ou irado com o tal de Yamcha. – Acha que eu me permitiria estar nessa situação se não sentisse algo por você?

- Como assim você me ama desde que me conhece Ellie? – eu perguntei.

- Amando. – ela tentou dar de ombros, mas as amarras não deixaram – Sempre houve algo em você que me atraiu e seduziu, não sei dizer o que é, mas sua mãe percebeu. Ela sempre quis que nos vinculássemos, mas você me detestava.

Oh, merda! Será que as coisas podiam ser piores? Isso podia explicar algumas coisas...

- Eu não sei nem o que dizer Ellie... – eu comecei a falar, mas ela me calou com um olhar.

- Nem precisa continuar. A Ellie de antes não te atraia, isso é fato e eu sabia. Nossa aproximação aconteceu e agora você está comigo, é o que eu preciso saber.

Ela me ama... Ela me ama há tanto tempo e escondeu de mim... Que tipo de idiota eu sou que nunca percebi?

Eu fixo meu olhar nela.

- Você nunca mais vai esconder nada de mim. Vai me consultar em tudo o que planejar e não vai se colocar em perigo. – a cada ordem que eu dava ela apenas me olhava com mais incredulidade, mas eu não tinha terminado. – Você vai saber hoje quem é o seu companheiro e vou fazer questão de te lembrar isso a todo momento.

- Você pensa que é quem? – ela ficou com raiva e eu apenas sorri com a pergunta dela. – Sou sua companheira! Não um dos seus recrutas que tem que te obedecer! Você me ouviu?! – ela voltou se agitar e se contorcer contra as amarras.

- Correto. Você é a minha companheira! Mas anda se esquecendo disso com muita frequência...

- Do que você está falando Raddie? Do que eu não me lembro? De você me dar tanto prazer que eu cheguei a chorar? De você sempre ter sido delicado e gentil quando estamos juntos? O que eu esqueci? – ela despejou tudo de uma vez. Realmente Ellie sabia dar uma surra verbal em alguém quando queria, ela ia direto na jugular.

- Você esqueceu disso, Ellie. – e lhe mostrei a cicatriz que eu carregava no ombro direito.

A marca de sua mordida. Da sua reivindicação.

.......................................

ELLIE

O que era aquilo? O que estava acontecendo com Raddie? Por que ele estava me pressionando?

Primeiro pra saber o que Karl e eu tivemos e agora essa conversa de eu ter esquecido que ele era meu companheiro...

Eu olhava, mas era como se o meu cérebro não registrasse...

Senti Raddie fazer carinho no meu rosto e o olhei, preocupada com ele, mas ele apenas sorriu pra mim.

- Karl me contou sobre o que aconteceu entre vocês. Ele viu a marca da mordida e resolveu contar – aparentemente é algo característico da família de vocês, mas que acontece bem pouco. Por isso estamos conversando mais, ele me contou tudo, se bem que tive que dar uma surra nele pelo que aconteceu entre vocês, mas contou sem esconder nada. Desde então estou pensando em como você se sente em relação a ele e a nós. Você é minha Ellie. Minha. Mas ainda não aceitou totalmente isso, ainda luta e se debate. Acha que vai conseguir se proteger se apenas me usar? Pois está enganada, só se machuca e a mim desse jeito. Por isso estamos aqui e chegamos a um belo impasse não é? Se amolecer com você agora vai continuar fazendo as coisas sem considerar como me sinto a respeito disso, por outro lado, se pegar muito pesado você pode se magoar comigo. Por isso te pergunto: Como vai ser?

Eu fico pensando no que ele diz, mas não posso permitir que ele tenha todo esse poder sobre mim. Já basta que saiba como me sinto em relação a ele...

- Vamos Raddie, solte essas amarras e vamos conversar... Tenho certeza que nós podemos chegar a um acordo... Não é Raddie? – falo de forma bem mansa pra conseguir o que quero, mas tenho uma desagradável surpresa.

- Hahaha. Ellie, baby, você realmente ainda é uma amadora nesse jogo. – Raddie me fala rindo. – Bem, pelo menos já sabemos sua resposta. Acho que vamos continuar a brincar querida. – ele me olha duramente. Está furioso com tudo o que falamos até agora.

................................................

RADITZ

Ellie tentou me manipular, mas ela não sabe como jogar. Ainda assim estou louco pra me afundar nela...

Infelizmente, sei que estou certo sobre ela e seu comportamento comigo. Ela não me considera como seu companheiro, apenas me vê como parceiro sexual; embora ela não admita isso nem para si.

Tenho que dobrá-la e vou ter que usar o sexo pra isso.

Arranco a calcinha dela e pego mais amarras pra prender suas pernas deixando-as abertas.

Ela grita e esperneia, mas não cedo e a amarro.

- Agora Ellie, vamos ver se eu te faço chorar de prazer de novo. – a provoco.

- Raditz me solte agora! Esses panos estão me machucando! Pare com isso e vamos conversar! – ela está tentando me chantagear... Ela sabe jogar sujo quando quer, mas eu também. Me deito ao lado dela segurando-a.

- Quieta Ellie! Você só está se machucando porque não fica quieta. – começo a falar e lhe seguro o quadril.

- AAAAAHHHH! Raditz, vou te matar! – eu suspiro e a calo com um beijo. Ela se recusa a me dar acesso a sua boca então eu fico mordiscando e lambendo seus lábios. Ela não cede, então mudo minha estratégia.

Me coloco entre suas pernas e lambo os lábios, por mais furioso que eu esteja ainda estou excitado pelo fato de poder prova-la... E é exatamente o que faço.

Começo a lambê-la. Que sabor! Não o esqueci desde que o provei pela primeira vez, não importa quantas mulheres eu tenha tido antes daquele dia. Seu sabor ficou marcado a ferro na minha memória.

Ela se arqueia, mas a seguro firmemente pelo quadril. Começo a degustar essa iguaria aos poucos... Aumentando a velocidade e chupando seu clitóris de vez em quando... Ellie está gemendo e dá um gritinho quando a penetro com dois dedos, enquanto chupo seu clitóris e o rodeio com minha língua; não demora muito e ela começa a tremer... Está perto de gozar... ela está gemendo e ofegando...

É quando eu paro.

- PUTA QUE PARIU! – era raro ver Ellie xingar. Mas deu pra ver que ela estava nervosa só por conta disso – RADITZ! EU QUERO GOZAR!

- Só quando admitir quem é que manda. Antes disso nada feito. Te falei como ia ser... Se prepare pra próxima rodada. – falo com uma calma que não estou sentindo. Mas me mantenho no controle, por enquanto pelo menos.

- RADITZ! Faz alguma coisa... Quero gozar... – ela está frustrada, mas está longe de pedir. Ela está mandando.

Balanço a cabeça, a mimei mesmo.

- Quer que eu faça algo, baby? Vamos ver o que posso fazer por você. – começo a penetrá-la devagar, Ellie começa a gemer mais que antes e falo ao seu ouvido:

- Vamos Ellie, faça o que quero. Por que resistir mais? Por que essa maldita mania de controle?

Ela apenas balança a cabeça... A teimosa não quer dar o braço a torcer. Acelero meus movimentos, enquanto Ellie tenta acompanhar com o quadril, mas a seguro firme.

- N..Não Raddie, me larga, me deixa aproveitar. – ela está começando a ceder, mas ainda não totalmente. Tenho que me controlar e recomeço com movimentos lentos...

Quando eu percebo pequenos tremores, me interrompo.

- NAÃÃÃÃÃÃO! NÃO PARA! NÃO PARA! – ela estava chorando de frustração e raiva.

- Então diga. – falo duro agora. – Diga Ellie.

- Não posso... Não posso... – ela balançava a cabeça negando o que eu queria, o que nós dois queríamos.

Balanço e sorrio de canto. Eu não vou recuar. Volto a me movimentar e a penetrar Ellie.

- Diga Ellie – começo a penetrá-la – Diga. Pra. Mim. – cada palavra uma estocada, cada palavra um gemido.

Ellie está se segurando, mas não terminamos ainda. Longe disso.

- Diga baby. Fale o que quero ouvir. – ela está ofegante e gemendo de prazer. Está chegando perto de gozar cada vez mais rápido e tiro isso dela, frustrando-a.

- Raddie... Não... Posso... – ela fala entre gemidos.

Hmm, vamos usar um pouquinho do seu veneno contra você.

- Por que não pode baby? Não me ama tanto assim não é? – falo sério, duro. Ela se assusta com o que eu disse, ela está tremendo, logo vai gozar. É quando paro, ainda dentro dela.

- Não... Raddie, eu te amo! Não... Fale... Isso... – ela soluçava agora, mas não cedo.

- Então por que me nega o que quero? Estou perdendo a paciência! – me afasto da cama e dela. Me ponho em uma posição em que ela não pode me ver.

- Não! Raddie... Volte aqui... Volte... Não se afaste... – ela chorava forte e não conseguia me ver, pois a posição que me coloquei e como a amarrei não permitia. É o momento. Fico em silêncio, esperando.

Ellie começa a se debater mais forte, puxando as amarras, ela está se machucando e nem percebe.

- RADITZ! – ela grita por mim, mas não respondo, não posso ceder agora. Por mais que estivesse nervoso com aquilo tudo...

Ela para de repente, soluçando alto.

- Eu tenho... medo! Tenho medo de me entregar e amar você com tudo o que tenho. – ela falava baixinho, soluçando e chorando – Tenho medo de mim... Do que posso fazer... No que posso me transformar... Se eu perder você como perdi Lars... Não quero que isso aconteça. Prefiro não me entregar... É ISSO QUE QUERIA OUVIR? QUE AMO TANTO VOCÊ QUE TENHO MEDO DE ENLOUQUECER? – ela estava desesperada agora, mas ainda não era suficiente.

- E por isso nos sacrifica? Me empurra pra longe? Por isso não diz que me ama? Não é assim que funciona Ellie... Eu te disse: não existe mais “eu” ou “você”. Só existe “nós”. Pensa que eu não sei que tem tudo planejado nessa cabecinha e que não me incluiu? Você não me inclui na sua vida porque é mais fácil! ESTÁ TOMANDO A PORRA DO CAMINHO MAIS FÁCIL! – termino gritando e a vejo estremecer.

Ela continua chorando...

...............................................................

ELLIE

Tenho tanto medo... Se acontecer algo com ele? Estou desesperada! Não quero que se afaste, mas eu mesma o estou afastando!

Não quero perdê-lo, mas estou perdendo!

Tenho que confiar... Nele e nesse sentimento... Mas é tão difícil...

Eu choro e soluço. Meus braços estão dormentes e acho que machuquei os pulsos... Mas isso não é nada comparado ao turbilhão que sinto...

Respiro fundo. Preciso decidir. É isso que Raddie exige de mim: que sejamos verdadeiramente companheiros, que não o afaste de mim, de minhas dúvidas... De minhas decisões e planos, que o inclua.

Que o ame.

Eu suspiro... Finalmente me decidindo a soltar as amarras que eu mesma criei.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...