História Encurralados - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Drama, Jimin, Romance
Visualizações 87
Palavras 2.008
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal..
Como estão?? Espero que bem.. 😀
Mais um capítulo para vocês..
Espero seus comentários.. 😉
Desculpem qualquer erro..
Boa leitura!!

Capítulo 24 - My home, my martyrdom


Fanfic / Fanfiction Encurralados - Capítulo 24 - My home, my martyrdom

Jimin's pov

Deixei ______ no quarto e Magali ficou com ela, não queria deixá-la sozinha, mas o castelo está sendo invadido e eu me juntei aos soldados para defender o castelo.. Não quero pensar muito a respeito do que minha mãe poderia querer com o meu filho, mas estou preocupado..

Avistei alguns soldados no pátio principal em frente ao grande portão do castelo.. passei pelo portão e empunhei a minha espada e golpeava alguns homens loucos que insistem em me atacar.. uma coisa que não posso entender é o povo se rebelando contra seu rei.. seu reino.

Avistei Yoongi e ele correu em minha direção com uma espada na mão.. ele se aproximou mais e moveu seus braços em um golpe com a espada.. e tudo o que eu podia ouvir era o 'tinir' de nossas espadas.. poderia até gostar dele, se não fossemos inimigos mortais, e não dividíssemos o amor de _______.

Olhei para o céu e vi uma camada de poeira e pó avermelhado cobrindo o céu que era de um azul escuro pelo anoitecer.. afastei um passo para trás e mantive meus olhos arregalados.. o pó descia para o chão de forma lenta.

- O que é aquilo?! - disse com o cenho franzido e a respiração ofegante enquanto abaixava a minha mão com a espada. Yoongi se virou para olhar, todos pararam de lutar para olhar para aquilo que de forma inexplicável cobria tudo como um lençol.. e arrastava tudo.. alguns homens que estavam mais perto daquela cortina de pó avermelhada que finalmente tocara o chão viraram cinzas.. Meu Deus! - Voltem! - gritei para os meus soldados.. Yoongi se virou para me encarar, ele também aparentava apavoramento. - Parece que vamos ter que continuar depois.. - disse com um sorriso de lado e corri com os meus soldados de volta para o castelo, os revoltosos se dispersaram e os portões foram fechados antes que aquela nuvem de poeira avermelhada entrasse no castelo e fizesse de nós.. cinzas.

_______'s pov

- A senhora tem que descansar.. - disse Magali.. - Senhora.. por favor.. - a voz dela era sofrida.. Meus olhos liberavam cachoeiras.. e eu sentia uma dor grande em meu peito.. estava em pé ao lado da cama.. - Eu não deveria ter deixado a senhora sozinha.. eu sinto muito..

Olhei para ela e ela chorava de forma contida..

- Deixe-me sozinha.. - disse com um fio de voz.

- Princesa..

- SAI DAQUI!! - levei as minhas mãos no rosto e me deixei cair no chão.. - Sai daqui.. - sussurrei e fechei os meus olhos e chorava e chorava.. - Eu quero o meu bebê.. - disse entre lágrimas.. - MALDITA AMÉLIA!!!

Jimin's pov

Jin me contara tudo o que minha mãe disse.. a poeira já havia se dispersado, mas não conseguíamos ver o céu, pela camada avermelhada que ainda permanece lá.. está sendo difícil digerir tudo o que ele contara para mim.. engoli em seco. Sou filho daquele pamonha do Demétrio?!

- Eu quero falar com ela?! - disse com os olhos vidrados no nada a minha frente. A raiva me consumia por dentro..

- Olha para mim.. - disse Jin colocando uma mão no meu rosto e o meu olhar encontrou o dele. - Acho melhor esperar um pouco.. Você é meu filho! Meu filho! E sempre vai ser! Entendeu?

- Pai. - disse respirando de forma pesada e fechei os olhos, Jin me abraçou..

(...)

Abri a porta do quarto de ______ e a avistei abraçada com seus joelhos sentada no chão.. entrei no quarto e fechei a porta atrás de mim.. ______ elevou a cabeça e me viu e se levantou rapidamente..

- O que está fazendo aqui?! - perguntou ele puxando o ar para seus pulmões.. ela passou as mãos em seu rosto, limpando-o.. provavelmente não queria que eu a visse chorando.

- Eu estava preocupado com você! - disse a encarando atentamente. - Pensei que você estaria chorando sozinha.. ou sofrendo sozinha.. Eu estava preocupado.. com tudo.. - fiz uma breve pausa. - .. e pensei.. minha mãe só fez mal para você e para mim.. mas para você do que para mim.. - abaixei a cabeça e respirei fundo. - Não sabia se queria me ver, mas.. estamos compartilhando do mesmo sofrimento..

- Eu.. - começou ela e eu me aproximei e a envolvi em meus braços.

- Não precisa dizer nada.. - passei a mão afagando os cabelos dela. - Apenas vá em frente e chore o quanto quiser. - puxei o ar para meus pulmões. - Eu ficarei aqui do seu lado, como seu marido, porque não somos irmãos. - fechei os meus olhos e senti o cheiro de seus cabelos.. um cheiro que só ______ tem.. e ela chorava em meu ombro.. uma lágrima escorreu pelo meu rosto.. e ficamos ali.. abraçados.. como se aquela dor que sentíamos fosse sumir, mas sabemos que não seria assim tão fácil.

(...)

- O seu tio?! - disse ela chocada com o cenho franzido..

- Pois é?! - balancei a cabeça positivamente. - Jin disse que Amélia contou a ele que eu sou filho do irmão dela e disse que ela estava um pouco atordoada. - elevei os ombros. - Mas não acredito que ela mentiu.. mesmo sendo perturbada.

Estávamos sentados na cama, ______ estava com as costas encostada à cabeceira e eu estava sentado de frente para ela com as pernas cruzadas sobre a cama.

- Mas tem um lado bom.. - ela suspirou e elevou os ombros. - Você ganhou uma irmã.. - ela sorriu brevemente, mas sua animação não chegou ao seus olhos. - Abigail é uma ótima menina.

Sorri e segurei nas mãos dela e encarei as nossas mãos entrelaçadas..

- É. - sorri sem humor. - Mas eu deveria ter visto o que ela pretendia.. ninguém viu Amélia deixando o castelo com o nosso..

- Nosso menino. - olhei para _____ e sorri triste. - Ela disse que era um menino.. eu não o segurei.. nem por um segundo.. - ela limpou o rosto, pois uma lágrima escorreu de seus olhos.

- Jin não deixou eu vê-la para tomar satisfações - disse frustrado. - Nem me disse onde colocou ela. - travei o maxilar de raiva.

- Vocês dois são mais parecidos do que imagina. - disse ela prendendo um sorriso. - Onde ele poderia ter colocado ela? - _____ arqueou uma sobrancelha e eu sorri soprado ao perceber que ele só pode ter trancado ela na masmorra.

- É.. parece que sim.. eu e o nosso pai.. - estreitei os olhos. - Espero que não se importe se eu chamá-lo assim.. - ela negou com a cabeça. - É porque.. eu não tenho o interesse em ter o Demétrio como um pai.

______ se inclinou um pouco para frente e levou sua mão macia e fina ao meu rosto..

- No fundo eu sabia que havia algo errado.. que não podíamos ser irmãos.

- Eu também sabia no fundo que isso não podia ser..

______ abaixou sua mão e pousou-a sobre a minha mão que segurava a sua mão esquerda.

- Para dizer a verdade, .. - começou ela. - .. eu estava com muito medo de estar sofrendo sozinha.. de ficar sozinha.. ninguém merece isso.

- E eu te deixei sozinha todos esses meses. - abaixei o olhar triste. - Espero que um dia possa me perdoar.

- Eu já lhe disse.. - começou ela e eu a encarei. - .. que isso não importa mais. - ela suspirou. - As minhas lágrimas secaram, mas sinto uma dor tão grande em meu peito.. que é como se eu não pudesse respirar.. e você estar aqui comigo.. é bom.. não me sinto só. - completou ela com um sorriso triste.

- Eu sofro tanto ou menos que você, minha princesa. - levei a minha mão direita, livre, ao rosto dela e fiz um carinho, ______ fechou os olhos brevemente aproveitando a sensação.

- Quando nos conhecemos.. eu olhava para o horizonte e tentava imaginar como seria a minha vida.. e que seria legal ter alguém ao meu lado.. e você apareceu bem naquela hora! - ela sorriu brevemente.

- Você deve ter ficado super feliz em me ver, então. - disse com um sorriso soprado.

- Já tem tanto tempo.. - ela olhou em volta. - Tanta coisa aconteceu depois disso. - ela voltou a me encarar. - Mas mesmo não sabendo.. naquela época.. eu fiquei feliz sim.. em conhecer o príncipe arrogante de que todos falavam. - disse ela com um certo humor na voz.

- Agora você se parece mais com o seu eu habitual. - suspirei.

- Talvez eu nunca mais seja a mesma. - ela sorriu triste.

- Vamos conseguir superar isso juntos! - disse firme. - Mas fiquei feliz.. quando nos conhecemos.. - _____ virou a cabeça de lado. - Fiquei feliz em encontrar alguém parecido comigo.

- Eu nunca fui arrogante.. - disse ela entre dentes e negando com a cabeça. - Pelo menos, não que eu me lembre. - _____ arqueou uma sobrancelha e eu sorri.

- Se parecer com o meu eu interior. - disse me justificando. - Sabe, foi a primeira vez para mim.. foi a primeira vez que senti alegria e vontade de ser eu mesmo.

- Achei que nós nos parecíamos por um pequeno tempo.. mas ai.. aconteceu aquilo tudo e nos casamos.. - ela balançou a cabeça negativamente. - Ai.. eu tive certeza de que nós não nos parecíamos tanto assim. - segurei um sorriso e balancei a cabeça negativamente. - Você tem uma personalidade bastante peculiar. - ela sorriu de forma discreta. - Você não se aproximava das pessoas de verdade.. - continuou ela e eu franzi o cenho. - .. e só ficava bravo! - acho que ela tem razão. - Você trancou o seu lado bom a sete chaves dentro do seu coração e ainda ergueu um muro de ferro ao redor.. Por quê?!

Dei de ombros.. não sei porque..

- Mas você me libertou..

- Não totalmente.. - ela franziu o cenho. - Você ainda é bem malvado, às vezes. - ela sorriu. - E sem falar que ficava me provocando para que eu gostasse de você.. usava sua beleza e todo o seu charme.. como se me afetasse.. - disse ela de forma teatral e eu estreitei os olhos. Eu sei que afeta! - Por que você sempre fazia isso?! - ______ arqueou uma sobrancelha.

- Eu fazia? - me fingi de desentendido. - Mesmo?

- É. Como se eu não pudesse gostar de quem você era de verdade..

- Mas mesmo com todo o meu esforço para que se apaixonasse pela minha casca - fiz uma breve pausa. - Você se apaixonou pelo eu que tranquei. - afirmei com a cabeça. - De algum modo eu nunca consegui ser eu mesmo com as pessoas. Obrigado. - fiz uma breve pausa. - Por me fazer ser eu mesmo novamente. É você.. - ela franziu o cenho, confusa. - É a você que meu coração pertence. - _____ sorriu de forma angelical para mim. - Apenas fique ai.. - respirei fundo. - Sou eu que vou me aproximar de você.. - me inclinei para frente e ela se inclinou um pouco também e nos encontramos no meio de nossos espaços em um beijo calmo.. pedi passagem com a língua e não tive recusa.. aprofundei o beijo e levei a minha mão no rosto dela.. e então ela se afastou de mim.

- Ai.. - disse ela olhando para baixo.

- O que foi? - disse preocupado.

______ levou a mão no peito e puxou o seu colar de ouro com um pingente de uma estrela.. _____ olhava atentamente para o colar e em seguida me encarou..

- Me queimou.. - disse ela respirando fundo.

- Como assim? - levei a minha mão no vestido dela e puxei um pouco para baixo e o pingente tinha queimado sua pele em um formato de estrela. 


Notas Finais


Então??
O que acharam deste capítulo??
Deixem comentários.. sua opinião é muito importante para mim.. 😊😊
Vejo vocês em breve..
XX #Kathy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...