História End of day - imagine Kim Taehyng - - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Taeyang, V
Tags Ficção Cientifica
Visualizações 7
Palavras 1.824
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Vamos sair daqui


Depois que saímos daquele motel, viemos aqui atrás do outro garoto Kim Taehyng.
Estamos na rua dele... São 3:00 da manhã Jeon e Hyo ainda estão dormindo. É pode acreditar passei a noite dirigindo, mas até que foi bom assim eu pude pensar no que o Jeon falou sobre meu pai... minha ficha ainda não caiu... meu pai sabia que essa experiência podia dá errado mais assim ele contínuo lá... é minha mãe? Ela sabia de tudo isso? Talvez sim  meus pais nunca esconderam segredo um pro outro mas... é melhor eu resgatar esses meninos logo e acabar com isso.
Paro o carro na frente de uma casa... nem casa é, é uma mansão, com árvores na entrada, o murro enorme com câmeras, portão com detalhes de ouro
Então eu desço do carro e fico olhando pro portão enorme. Imaginando como eu vou entrar ai

- Como eu vou passar por você - Digo me revirando ao portão.

- Acho que é só apertar o botão que ele abre sozinho... - a voz de Jeon me assusta.

- Já acordou?... - Pergunto olhando pro portão.

- Na verdade não dormir direto...

Olho pra ele e ele sorrir

Caminho até o portão e aperto o botão como o Jeon me disse e ele abre sozinho mesmo. Olho pra Jeon e ele sorrir.

- Acorda a Hyo... não quero deixar ela sozinha aí - o mesmo assentiu e foi até carro.
Entro e caminho numa pequena estrada de flores vermelhas - é parece que o morador gosta de flores - com cuidado subo os degraus da escadinha, que tava pra uma pequena varanda. Paro em frente da porta, levo minha mão ate a maçaneta sem abrir eu á seguro por um tempo e logo à abrir. A sala e enorme. As paredes brancas, o piso tem uma cor de gelo, o sofá e de couro, com uma televisão grande, com vários aparelhos, com um tapete de algodão - que eu me matei pra não suja - as luz tem uma cor dourado. Caminho até um corredor onde tem vários quatro de pessoa, em festa, no Natal, em vários países diferente.

- S/n? - ouso a voz da Hyo atrás de mim com uma espingarda em mãos. Ela me direcionou com a cabeça uma porta aberta e luz saindo dela. Então eu fiz um sinal pra ela e o Jeon me desse cobertura. (Obs: Eu estou sem arma então eu posso morrer se ali tiver um zumbir) ao mesmo tempo que eu me aproximava barulhos de gargalhadas e som de TV eram mais altos então eu deduzi ser o Kim Taehyng - Até por que um zumbi não ia assistir TV e muito menos anime - Eu chego na porta e vejo um garoto de pijama de unicórnio na frente da TV assistindo anime coreano.

- Senhor dá-me paciência - reviro os olhos e penso comigo mesma.

Peço uma arma ao Jeon eo mesmo me entrega uma pistola. Mando eles procurarem mais alguém pela casa. E eu caminho atrás do garoto e aponto a arma na sua cabeça fazendo o mesmo se assusta.

- Se vira com calma...
Mesmo uma arma ao lado dele e ele tenta pegar.

- Nem tente pegar essa arma.
O mesmo se vire e eu pude ver o seu rosto... seus olhos... sua pele... os cabelos... ele é lindo demais. Ficamos alguns segundo nos olhando. 

- S/n?... tá tudo bem?... - sinto a mão de Jeon em meu ombro. 

- É... está tudo bem... - abaixo a arma e entrego ao Jeon e pego o papel no meu bolso - Você... teve... ser o Kim Taehyng... certo? 

- Sim, sou eu... e quem são vocês?...
Eu ia fala mais a Hyo nos interrompe.

- Eu encontrei um casal, provavelmente os pais deles. O que faço? - ela pergunta parada na porta.

- Leve pra sala... -Digo sem olha pra ela. 

- Eu... me chamo s/n... esses são Jeon Jungkook e Jung Hyo Soo...

- vieram nos matar? - ele pergunta.

- N-Não... viemos busca vocês... - Não estou me sentindo bem algo dentro de mim acendeu novamente uma coisa que eu lutei pra não ver e nem sentir de novo. - Leve ele pra sala.
Jeon pega ele pega ele pelo braço e leva pra sala. Então eu fico sozinha no quarto levo minhas mãos até minha cabeça. Isso de novo não... eu lutei quase minha vida toda pra que esse sentimento fosse embora mais não ele insiste em fica.

- Ele mexeu com você não foi? - me assusto ao ouvir a voz da Hyo. - desculpe não quis te assustar.

- Não sei o que tá acontecendo comigo... esse sentimento... não tevia ter aparecido... não agora...

- Mas o que houve pra você não quer sentir isso?

Suspirei

- 1 anos atrás eu namorava um cara que parecia incrível, so parecia... ao longo do nosso relacionamento ele foi ficando agressivo comigo... Me batia...me traía... e me batia mais... - paro ao lembra de tudo aquilo - e... um dia eu descobrir que tava grávida... você não imagina como eu fiquei feliz com essa notícia... eu contei a ele até ficou feliz... Depois que a bebê nasceu ele voltou a ser agressivo... - Digo ja chorando - e um dia ele chegou transtornado, tava bêbado, drogado e  agrediu e logo depois matou nossa filha... eu não pudia  fazer nada ele tinha uma arma e não pudia proteger a minha filha... - parei pra respirar.

- Eu... eu sinto muito... - Diz Hyo com uma expressão de tristeza.

- logo depois ele se sumiu e eu entrei em depressão... precisei de meses pra tentar retomar a vida mas... eu até hoje eu tenho pesadelos com isso...

Pov Taehyng

Estava no meu quarto assistindo anime quando uma garota invade meu quarto apontando uma arma pra minha cabeça. Vou confessa ela é linda demais, e eu sente algo nasce em mim... não consigo explicar o que seja mais talvez seja algo bom.

- O que vocês querem? - ouso meu pai com a voz um pouco aflita pergunta. - podem levar o que quiser apenas nos deixem em paz.

- Paz... Essa é uma coisa que vocês não vão terem da que pra frente - ouso a voz chorosa da mesma descendo as escadas, seus olhos inchados. - só viemos busca ele - ela fala apontando pra mim.

- Não, meu filho, não - diz minha mãe um pouco desesperada.

- O por que quer me levar?
Ela suspira

- Meu pai... - ela pega uma carta do bolso e entrega ao meu pai - Ele deixou essa carta pra mim, dizendo pra salvar esses nomes... é o que estou fazendo.

- Seu pai... era o segurança do laboratório... eu conheci seu pai... Ele é o homen incrível - dizer pai olhando o papel - e onde está seu pai?

- Provavelmente morto junto com minha mãe - ela diz friamente. - Você vem ou não?
- Eu só vou com os meus pais - Digo cruzando os braços.

Ela revira os olhos.

- Vocês têm outro carro? - Pergunta a outra garota.

- carros e motos - Meu pai diz.

- cada um de vocês vai escolher um carro e eu vou de moto - diz s/n. - Vamos parti daqui a 1 horas. - a mesma da as costa e sai indo pro Jardim.

Pov s/n

Saio de dentro da casa e caminho ate o jardim onde tem vários tipos de flores. O jardim é lindo a grama verde, com arbusto, flores... fala o que aconteceu pra Hyo foi difícil, mesmo depois de 1 ano, isso me trás dor. Minha filha era tão linda ela puxou os belos olhos azuis do pai, a pele branca, e os lindos cabelos negros.
Vendo esses zumbis nas grade, lutando por "comida", suas rostos deformado faz meu estômago revirar.

- sinto muito pelo seus pais. - uma voz masculina surge atrás de mim e vejo Taehyng.  

- Não sinta, nem mesmo eu sinto muito - Digo friamente. Percebo que fui Grossa com ele. - Desculpa.

- Tudo bem... posso fazer uma pergunta? - Pergunta ele brincando com os dedos.

- Você já está fazendo uma - Digo olhando alguns zumbis no portão querendo desesperadamente entre e nos comer.

Ele sorrir

- Por que está fazendo isso? Por que esta salvando minha vida e das outras pessoas? - Pergunta ele fixando o olha em mim.

- Na verdade nem mesmo eu sei... Talvez por quê eu achei interessante salva o mundo, nunca fiz nada que possa muda o mundo ou talvez eu sempre quis sai por aí matando todo mundo... - Digo em meio ao sorriso - já está na hora.

Me a levanto e entro dentro de casa, vejo Jeon conversando com a Hyo os pais do Taehyng abraçados essa cena me lembrou nos meus pais. As vezes eles me esperavam chegar da escola assim abraçados no sofá e então eu corria até eles e os abraçava.

- Vamos aproveitar que o sol está nascendo e vamos partir - Digo pegando minha jaqueta -onde fica a garagem?

- Vem, eu te mostro - Taehyng se oferece.

- Vamos logo escolher os carro - Digo e todo nós seguimos até a garagem.

Saímos da casa e caminhamos pelo um corredor o piso dali já era diferente a cor era de mármore, as paredes brancas e no fim do corredor tem uma porta de madeira, mas ela já está desgastada por causa do tempo.

Taehyng vai até a porta e a abre tanto uma visão de uma pequena escada, o mesmo entre eu o sigo. A escada rangia a cada passo que eu tava e a luz piscava querendo se apagar.

Caminhamos até uma outra porta agora parecia um... cofre? O cara esconde os carros e as motos num cofre? Fala sério que maluco.

- Você esconde carro e moto dentro de um cofre? - Pergunto incrédula

- É mais seguro - diz ele colocando a senha do cofre.

- Voce é maluco - diz Hyo rindo junto com o Jeon.

- É... eu sei - diz ele. Ele abre a porta e automaticamente a acende a luz e eu pude ver os carros e as motos. Carros e motos caros em fileiras. Os olhos da Hyo brilham ao ver um mustangue prata, Jeon caminha até um camaro vermelho e eu me caminho ate uma moto parecida com a da casa do Jeon uma Harley, um sorriso surge em meus lábios. Os pais do Taehyng escolheram carros diferente 

- S/n...? - Hyo me chama.

- Hum?

- Você não tem medo dos pai do Tae fugirem? - Pergunta ela meio preocupada.

- Não se preocupe... - tou um breve sorriso - se eles fugirem deram uma surpresa no carro...

- Que tipo de surpresa? - Pergunta Jeon.

- Ah uma bomba talvez - Digo sorrindo cinicamente. - Vem vamos sair daqui.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...