História End Of The Line - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Castiel, Debrah, Personagens Originais, Rosalya
Exibições 10
Palavras 1.043
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oieeee! Cheguei com essa fanfic!
Não tenho uma meta exata para postar um novo capítulo pois ainda estou me organizando com isso mas espero que gostem da fanfic e não deixem de comentar pois isso é o que mais me motiva a continuar escrevendo <3

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction End Of The Line - Capítulo 1 - Prólogo

Só eu sei meus segredos. Só eu sei todas as palavras que já saíram da minha boca. Mas, existe uma coisa que eu não sei sobre mim mesma. A pergunta que me atormenta a cada dia, que me faz querer buscar uma resposta que apenas o tempo pode me dizer:

Quem sou eu?

Mas isso teve que ser deixado de lado após a declaração de minha mãe.

- Eu e seu pai vamos nos divorciar.

E foi isso. Assim minha vida mudou.

Agora, seis meses depois disso, eu estou aqui: morando com meu pai pois minha mãe morreu em um acidente de avião indo para China em uma viagem, e como eu lidei com isso? Bem. Não, sério. Eu lidei muito bem! Chorei muito no começo, afinal ela era minha mãe! Mas mantive a cabeça erguida.

Minha irmã mais nova, Lexy, que não soube lidar bem com isso. Sempre em seus olhos podíamos ver uma maquiagem preta e bem pesada como se ela achasse que assim esconderia sua tristeza de nós, passou a ficar mais tempo trancada em seu quarto ouvindo rock ou qualquer música depressiva, tentei ajuda-la, mas ela sempre negava.


Naquele momento, me encontrava na aula desenhando em meu caderno um wallpaper de New York, vou admitir que tenho uma tara por essa cidade e suas belezas, sempre ia com minha mãe para fazer compras lá, já que moro em Connecticut que não é muito longe... Era algo só nosso...

O desenho tinha muitas luzes e prédios, não pude deixar de desenhar uma modelo com um vestido verde e branco com um decote nos seios, e no topo fiz uma grande estrela com o nome NEW YORK sobre ela.

- Desenha bem. - falou o garoto ruivo que senta na minha frente, mais conhecido como Castiel.

Já conversei com ele, na minha opinião, ele é apenas um imprestável idiota.

- Desenhando de novo durante a aula, senhorita Close? - chamou atenção minha professora. - Quero conversar com você no fim da aula.

Merda. Agora não posso mais curtir os meus 15 minutos de intervalo sem tomar lição de moral de uma professora que se preocupa com o que ela mesma sabe que não precisa? Minhas notas são altas. Atenção na aula? Não. Estudar em casa para um senhor caralho? Sim.

O sinal logo bateu e os alunos se retiraram, então assim que não tinha mais ninguém ali, caminhei até a professora.

- Então? - perguntei de frente para a sua mesa.

- Senhorita Close, eu sei que você tem notas altas, mas um currículo muitas vezes não mostra o verdadeira lado do aluno.

Lá vem...

- Você não está preocupada em aprender, mas sim em passar.

- Por que está dizendo isso? - perguntei arqueando minha sombrancelha.

- Porquê quero que você ao menos tente se concentrar em aula. Você pode tirar muita coisa para sua vida assim... Coisas que você nunca vai aprender apenas lendo apostilas e resumos.

Suspirei e prometi tentar. Mas em minha mente, eu falava "Vou apenas tentar, porque conseguir que é bom, não vai rolar."

Sai da sala e segui até Rosa e Alexy, descartando as palavras de minha professora.

Eles estavam falando sobre uma festa que iria ter e eu obviamente iria. Seria em New York - então, né -, no aniversário de 15 anos da novata Chloe Mayers, em 3 semanas.


No fim da aula, vi Castiel conversando com Debrah, eles haviam voltado fazia uma semana mas com certeza não ia durar.

- Castiel, você só pensa em transar! Eu quero mais sentimento! Meu namorado tem que ser romântico!

Desde quando essa vadia se importava com algo além de sexo?

- Debrah, entenda que eu não sei ser assim! E não, não quero apenas seu corpo! Mas... Ah, quer saber? Foda-se você! - e dito isso, subiu em sua moto e seguiu para longe em alta velocidade, mas antes... Não pude deixar de notar que ele olhou para mim, mesmo discretamente. Lá vem merda...

Fiquei observando aquela cena e rindo mentalmente, Debrah realmente achou que conseguiria algo além de boa transa com o Castiel? Que iludida.

Esse galinha já comeu várias meninas. Várias mesmo. E não, não me incluo nessa lista porquê eu não sou dada como elas, em toda minha vida, só transei uma vez e foi quando namorava com o Nathaniel, ele sim era um cavalheiro, mas infelizmente, cavalheiro demais para mim. Terminamos depois de um ano de namoro e dois meses depois ele já tava pegando a Melody, outra piranha na minha opinião.

- Filha! - chamou meu pai enquanto apertava a buzina do carro.

Sorri ao ouvi-lo e segui até o carro afastando meus pensamentos sobre esse bando de idiotas.

Quando cheguei em casa, meu pai sentou-se em uma cadeira na mesa e pediu que eu fizesse o mesmo.

- Precisamos conversar.

Assenti e sentei-me.

- Você sabe que estou tendo um relacionamento com uma mulher a uns meses, certo?

- Errado, você nunca me disse nada...

Ouvi ele sussurrar um "merda" antes de continuar:

- Pois é, eu estou.

Até aí tudo bem...

- E ela irá vir morar com a gente em uma semana.

O QUÊ?! COMO ELE CONSEGUE AVISAR ISSO PRA MIM SÓ AGORA?!

Encarei ele por alguns segundos até que simplesmente: me levantei e segui até meu quarto sem dizer mais nem uma palavra.

- Filha... por favor... Deixe-me terminar...

Ignorei-o e subi até meu quarto, entrei no mesmo, joguei minha bolsa no chão e tranquei a porta, segui até minha cama me jogando nela.

Ele está com alguém a meses e não fala nada?! E agora, sem nem eu, nem a Lexy conhecer essa mulher, ela vem morar aqui?! Em nenhum momento ele parou para pensar que minha irmã ainda está de luto pela morte da mãe?! Não! Ele simplesmente decide trazer a pessoa para cá sem se importar com os sentimentos das filhas! Ele é muito imbecil!

E eu já estou odiando essa mulher que ele está namorando sem nem conhece-la.

Logo meu celular vibra:

"Oi Carrie, pensei em sairmos hoje, que tal?"

Era o Castiel, ah não! Sabia que ele ia se manifestar depois daquela olhada que ele me deu... Eu não vou ser uma das vadias dele!

"Não"

Sim, eu sou grossa mesmo com quem não presta e não estou nem aí! Ele me chamou na hora errada.

Depois disso, passei o resto da tarde trancada no meu quarto encarando a parede e pensando em como iria ser divertido morar com aquela puta do meu pai... (Caso não tenha notado, estou sendo irônica)


Notas Finais


Fiiiiim do primeiro capítulo!

E aí? Gostou? Comente! Me motiva muito isso, sério!

Bjos e até o próximo capítulo de End Of The Line 💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...