História Endless - Alternatividade - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Visualizações 1
Palavras 733
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Super Power, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - Não esperava isso deles. Uau.


Max

- Onde estamos indo? - Pela expressão séria de Thorg, algo muito ruim estava acontecendo.

- ... Fiquei sabendo de coisas que não gostaria muito de saber. - Ele provavelmente dizia sobre a ligação que havia atendido alguns segundos atrás. - Tiger, criminoso que combatemos ontem, conseguiu fugir antes que a polícia pudesse chegar, e já está envolvido em um ataque hoje, perto da praia. Ao que parece, os vilões estão fazendo uma confusão ENORME justamente hoje, em vários pontos pela cidade. Já não chega a ser seguro pra você - O herói se virou e me olhou.

- Que? Mas... Eu dou conta d-...

- Não. - Thorg interrompeu. - Não posso assumir a responsabilidade se você se machucar sériamente. Ser seu "treinador" tem esses pontos. Desculpe. Vamos ter outros dias na semana para fazer vigilância e treinos, certo?

Já não sabia o que responder. Franzi as sombrancelhas.

"Injustiça", pensei. "Eu sou capaz. Eu sei que sou capaz de brigar com caras maiores. Por quê não?".

Em um suspiro infeliz, virei o rosto e murmurei só um "Tá". Confesso que estava decepcionado, mas... Paciência. Eu teria mais chances ao passar dos dias, né? O que me restava fazer é esperar que tudo ocorresse bem, então. Caminhamos até o final do telhado do prédio e fomos correndo em direção á minha casa, que já estava perto.

Assim que cheguei, Copycat sorriu e acenou, de um prédio próximo, e estranhamente... Quase parecia um adeus?

- Boa sorte! Parece que vai precisar. - Gritei para ele, girando a maçaneta de casa.

Thorg assentiu e colocou sua máscara espacial. Quando pisquei... Já não estava mais lá. Abri a porta de casa lentamente e lembrei que devia ter entrado pela janela. Droga. Passei como um flash amarelo sobre a sala, onde meu pai dormia no sofá, e saltei pro meu quarto, fechando a porta. Me troquei, por outra roupa qualquer e fui tomar banho.

- ...

"Impressionante. Eu estou, pouco á pouco, quebrando uma parede que fora colocada na minha frente. Ninguém vai decidir o que eu posso ou não ser. Eu consigo", pensava sem parar.

Ao sair do banho... Papai parecia acordado, de repente.

- Oi. - Ele se virou, dando espaço no sofá, para que eu pudesse me sentar também. - Tudo bem, filho?

- Hmm... Tudo, tudo. - Me sentei.

- Esse "Tudo" aí... - Riu. - Parece desanimado.

Coçando a testa, abracei as pernas.

- Pai.

- Diga. - Ele pigarreou.

- Por quê eu não posso ser um super-herói?

Silêncio. Um silêncio mortal pairava sobre nós dois, e meu pai respirou fundo.

- Eu tenho uma individualidade "formidável", como dizem os professores. E não é crime ser herói sem estudar para isso. Existem vários outros métodos.

- ... Por quê? Por quê você quer tanto isso?

- Porque é o que eu quero para a minha vida. - Respondi, confiante.

- Olha, filho... - Papai parecia avaliar as palavras lentamente. - ... Se você tivesse treino... Poderia, filho... Mas, infelizmente... Eu não tenho contato de nenhum herói ou heroína profissional para que pudesse treiná-lo.

Um sorriso se abriu no meu rosto, com meus olhos brilhando. Meu pai me encarou como se eu fosse um alienígena.

- Esses dias, encontrei Copycat, um herói, e conversamos um pouco... Ele aceitou me treinar, mesmo me avisando que seria um método difícil.

- Copycat... Copycat... - Ele ficou coçando o queixo. - Entendo... Sendo assim... Tem certeza disso?

- É o que eu quero.

Meu pai sorriu, quase como se estivesse orgulhoso.

- Você, hein? Nunca desiste. Bom, afinal, quem é Copycat? Ele é famoso? Eu não costumo mais estar ligado nessas coisas...

- Se ligar a TV, acho que hoje ele aparece. Pelo visto, os heróis estão com problemas hoje.

- AAAAAAAAAAAHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!! - Minha mãe surgiu na sala, berrando e me chacoalhando sem parar. - FILHO!

- Q-que?- Quase mordi a língua ao falar.

- Você. Apareceu. Na. TV.

- Apareci?

- Filho... Você enfrentando aqueles vilões perigosos... E... E... E então... Aquele herói profissional te ajudando... - Ela parecia mostrar mais preocupação do que minha vida inteira aquele momento. Nunca havia visto ela assim. - Você salvou aquelas pessoas, você e o outro... F-filho...

Expliquei para ela também, tudo o que havia dito ao papai. Minha mãe parecia perplexa.

- É perigoso demais... Você...

- É o que eu sonho. Eu quero treinar com ele.

Os olhos dela pareciam quase emocionados. Mamãe apenas disse "Tudo bem então..." e... Me deu um abraço! Me assustei com o gesto.

- Nós não vamos te impedir.

E então, de repente, os dois disseram em uníssono.

- Nós te amamos, Max.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...