História Endless Love - Capítulo 21


Escrita por: ~

Exibições 134
Palavras 1.451
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gostaria de compartilhar que estou bem puta com o jogo do bayern de hoje 🌝
Boa leitura!!

Capítulo 21 - Goodbye


Fanfic / Fanfiction Endless Love - Capítulo 21 - Goodbye

 • Catherine Collins 

 

Quando saímos do banho, Toni falou que iríamos sair para jantar. Fomos em um restaurante maravilhoso e depois para um passeio de barco.

- Essa viagem está sendo perfeita e ainda estamos no primeiro dia - Falei e beijei o Toni - Eu te amo!

- Também te amo! Cath, o que você acha de ir morar comigo em Munique?

Confesso que na hora que ele falou isso eu gelei.

- Meu amor, eu sou completamente apaixonado por você e tenho certeza que é com você que eu quero passar o resto da minha vida. Minha vontade era casar agora mesmo e te chamar de Catherine Kroos para o resto de nossas vidas. Se você achar que morar junto é um passo muito grande, vá morar com seus pais ou sei lá, mas volte para Munique, por favor!

- Tenho que pensar, porque isso envolve muita coisa. Tem minha faculdade em Oxford e vai demorar para pedir transferência para Munique.

- A gente pode ir embora daqui um dia antes e começar a planejar algumas coisas antes que você voltar para Inglaterra.

- Okay!

Continuamos o passeio de barco e foi extremamente romântico. O Toni me surpreende a cada dia e eu me apaixono ainda mais.

Os dias se passaram voando, aproveitamos ao máximo essa viagem e conhecemos cada canto da cidade, que não era grande. Toni e eu voltamos um dia antes para Munique. Annie e minha mãe estavam em Liverpool, visitando a família, e meu pai estava em Berlim, pelo menos era isso que eu achava.

Quando cheguei em casa vi o carro do meu pai na rua.

- Acho que seu pai voltou mais cedo de Berlim.

- Droga! Pensei que hoje eu poderia ouvir música alta até três horas da manhã.

- Você pode fazer isso, só ir dormir na minha casa, que fazemos o que você quiser - Me deu um selinho.

- Okay. Vamos entrar, deixar essa mala lá dentro e pegar roupas limpas.

- Seu pai está aí e eu tenho um pouco de vergonha de entrar com você, porque ele é meu técnico - Ele sorriu tímido - Vai lá, eu fico esperando aqui.

- Tudo bem - dei um selinho nele e fui pegar minhas coisas.

Entrei em casa e achei uma bolsa de mulher desconhecida por mim na sala, achei estranho porque conheço todas as bolsas da minha mãe, mas talvez essa seja uma nova. Fui subindo as escadas e ouvi barulhos suspeitos, posso estar enganada, mas aquilo parecia gemidos.

Achei melhor ignorar e fui para o meu quarto arrumar uma bolsa com roupas. Quando eu terminei e estava descendo as escadas encontrei meu pai beijando uma mulher.

- O que está acontecendo aqui? - Perguntei e ambos se assustaram.

- O que você está fazendo aqui? Você não estava viajando com o Toni? - Meu pai perguntou na defensiva.

- Decidi voltar mais cedo. Você está traindo a mamãe? - Perguntei com os olhos cheios de lágrimas.

A moça apenas nos observava assustada.

- Não, ela é só uma amiga.

- Então você sai por aí beijando suas amigas? - Gritei com a voz embargada e ele permaneceu em silêncio - Você é ridículo! - Ele me deu um tapa e eu chorei mais. Eu estava começando a ficar com medo dele.

- Cala a boca, Catherine! Quem é você para me julgar? Não foi você quem traiu o idiota do seu namorado ano passado? Você é burra e deixou ele te flagrar, mas pode ficar tranquila que sua mãe não vai ficar sabendo disso.

- Sim, ela vai ficar sabendo disso! - Fui sair, mas ele segurou meu braço e isso estava me machucando - Me solta! - gritei e ele apertou mais meu braço.

 

• Toni Kroos 

 

Cath estava demorando demais para sair e comecei a ouvir alguns gritos. Achei que poderia ser uma simples briga de pai e filha, mas quando ouvi a Cath gritando " Me solta! " decidi ir até lá. 

Quando cheguei Cath estava chorando e seu pai segurava forte seu braço. Suas bochechas estavam vermelhas e eu estava torcendo para que aquilo fosse só devido ao choro. Ao me ver Cath abriu um sorriso aliviada.

- Toni! - Ela se afastou de seu pai, veio até mim e me abraçou forte.

- O que está acontecendo aqui? - Beijei a testa dela.

- Catherine, vai embora e acho bom você não falar nada do que aconteceu aqui. Você também, Kroos!

- Fica tranquilo que eu nunca mais volto aqui, nunca mais quero olhar na sua cara, você é ridículo. Eu te odeio! - Cath falou e me puxou para sair dali.

Entramos no meu carro e a Cath desabou em lágrimas.

- Amor, o que aconteceu? - Perguntei e acariciei seu rosto delicadamente.

- Meu pai não é o herói que eu acreditava que era, ele é um monstro!

Cath estava mal e é muito difícil para mim vê-la desse jeito. Logo chegamos na minha casa e ficamos na sala. Cath já estava um pouco mais calma, mas ainda abalada.

- Amor, semana que vem é o casamento da Júlia e do Felix na Itália, você poderia ficar aqui comigo essa semana e vamos juntos para Turim - Falei tentando anima-la.

- Eu prefiro que você fique essa semana comigo em Londres, porque não quero encontrar com meu pai tão cedo.

- Okay! Só quero estar com você.

Estava ficando tarde, então fomos dormir. No meio da noite o celular da Cath começou a tocar sem parar. Ela tem o sono pesado, então tive que acorda-la para atender, porque provavelmente era algo importante ou a pessoa não ligaria essa hora.

Cath atendeu o celular e logo pude ver seu rosto mudar e seus olhos se enxerem de lágrimas.

- Amor, o que aconteceu? - Perguntei.

- Meu pai bateu o carro e precisa de uma cirurgia urgente e arriscada, como minha mãe está viajando e um familiar precisa assinar a autorização para o procedimento, eu tenho que ir até lá

- Falou enquanto se trocava.

- Eu vou com você - Me vesti correndo e fomos para o carro.

O caminho foi em total silêncio, Cath tinha brigando com o seu pai, mas o amava muito e estava com medo do que poderia acontecer. Chegamos no hospital e ela assinou a papelada e fomos para a sala de espera. Sentamos no sofá e ela se apoiou no meu ombro.

- Amor, pode ir embora, eu vou ficar aqui até receber notícias - Cath me falou e obviamente eu não deixaria ela sozinha agora.

- Eu vou ficar aqui com você, meu anjo - Dei um beijo nela - Tenta descansar um pouco - Apoiei a cabeça dela novamente no meu ombro e ela fechou os olhos.

Acabei dormindo também até que fomos chamados por um médico.

- Você é Catherine Collins?

- Sim - Cath respondeu - Já acabou a cirurgia do meu pai?

- Já acabou sim e infelizmente ele não resistiu - Ele falou friamente.

Cath me abraçou e logo senti meu peito molhar com suas lágrimas.

- Toni, a última coisa que eu falei para ele foi "Eu te odeio!" - Ela falou e me abraçou mais forte.

- Relaxa, meu amor, ele sabia que você o amava.

- Senhorita Collins, eu preciso que você me acompanhe para assinar o óbito - O médico falou ainda extremamente frio.

Depois que resolvemos tudo, fomos para minha casa e arrumei uma mala para eu ir para Londres com a Cath. Depois fomos para casa dela e arrumamos tudo o que precisava. Fomos para o aeroporto internacional de Munique e poucas horas depois já estávamos em solo inglês.

Logo na área de desembarque, já tinha uma banca com jornais e em todos a capa era a morte do técnico do Bayern de Munique.

Quando chegamos na casa da Cath em Londres, Annie e Charlote estavam lá. Assim que nos viram, vieram nos cumprimentar.

- Cath, agora que seu pai se foi Annie e eu não temos mais motivos para continuar em Munique, então vamos voltar para cá - Charlote falou e Cath me olhou.

- Mãe, eu ia te perguntar se eu podia voltar a morar em Munique com você... 

- Me desculpa, mas eu vou voltar para cá ou vou para Liverpool.

Cath e eu subimos para o quarto dela e ficamos lá deitados.

- Amor, o que nós vamos fazer agora? Minha mãe vai voltar para cá e acabou com meus planos de ir para Munique.

- Cath, você sabe que pode morar comigo, não sabe?

- Toni, eu ainda não estou preparada para um passo tão grande...


Notas Finais


Será que a Cath irá morar com o Toni em Munique?
Achei esse capítulo meio fraco, peço desculpas.
Boa noite 💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...