História Endringer - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Acampamento Pure, Acampamento Shadows, Drama, Magia, Poções, Romance
Exibições 3
Palavras 2.145
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu demorei para conseguir escrever esse capítulo de uma forma que me agradasse.
Boa leitura!

Capítulo 1 - Deixar


Fanfic / Fanfiction Endringer - Capítulo 1 - Deixar

 – Não temos outra escolha?  – gritou Alexzandra, tirando Florence de seu sono.

 Ainda estava escuro, e Florence entendeu que alguma coisa havia acontecido. Levantou-se e andou até a entrada da sala do chalé. Lá estavam sua tia e sua irmã discutindo, algo que havia ser tornado rotina.

 – Não podemos tratar disso aqui. – afirmou Genevieve. – E você sabe que é inviável.

 – Mas eu tenho a obrigação de saber o que vai acontecer, eu também faço parte do controle desse acampamento! – Alexzandra não se preocupava em mostrar sua indignação.

 – Fale mais baixo. – pediu a tia. – Seu irmão irá acordar.

 – Tarde demais. – disse Florence, entrando na conversa.

 Alexzandra encarou o irmão e suspirou, enquanto o pai limitou-se a encarar o filho. Florence olhava para a irmã que parecia preocupada. Sua irmã foi em sua direção e sussurrou para ir com ela até o quarto, e foi o que fez; assim deixando sua tia sozinha na sala.

 – Desculpa ter te acordado. – disse Alexzandra, parada na porta do quarto. – Algumas coisas vão acontecer. Agora, por favor, apenas durma.

 Florence repassava em seus pensamentos a frase que sua irmã havia dito, porém deixou o sono o consumir novamente; e em poucos minutos já dormia novamente.

                                                                             [***]

 A manhã estava fria, e Florence ainda lembrava-se de seu tio e sua irmã brigando na sala do chalé em que moravam sua irmã e ele.

 Levantou-se da cama e foi para cozinha que havia no chalé. Enquanto descia as escadas, podia sentir o cheiro da comida.

 Quando chegou à cozinha, viu sua irmã sentada à mesa; Alexzandra estava quieta e demonstrava preocupação. Florence colocou apenas frutas no prato e encheu uma xícara com o chá. Não disse uma palavra, pois estava receoso de falar algo que pudesse aborrecer a irmã.

 – Você irá para reunião. – disse Alexzandra.

 Florence encarava a irmã, estava paralisado pelas palavras da irmã. A última vez que fora em uma reunião, foi quando deram a notícia da morte de seus pais.

 – Coma rápido, e coloque roupas quentes, está frio. – disse Alexzandra. Florence assentiu com um aceno. – Não poderá passar a maior parte do dia no laboratório, só poderá ir para lá a partir da tarde; e encontre-me na sala.

 Aquilo entristeceu Florence. O laboratório de seu pai era a maior lembrança que tinha, e também era onde praticava sua magia.

 Florence seguiu o pedido da irmã e terminou a refeição, andou de maneira apressada ao seu quarto e se trocou, seguindo a dica dada pela irmã. Quando voltou, sua irmã já o esperava. Florence temia que o assunto tivesse relação com a discussão entre sua irmã e sua tia.

                                                                             [***]

 O caminho até a central de controle fora feito em silêncio. Alexzandra não questionava mais o irmão sobre como se sentia; pois a resposta era sempre a mesma. A morte de seus pais deixara marcas em ambos os irmãos.

 A central de controle era o maior aposento do acampamento. Apenas pessoas autorizadas entravam no lugar. A central de controle possuía dois andares, e a sala de reuniões ficava no segundo.

 Florence apenas seguia a irmã, que conseguia realizar o caminho vendada caso precisasse. Todos que faziam parte do controle do acampamento; um total de quatro pessoas; apenas esperavam sua irmã e ele. Florence ficou perto da irmã em toda duração da reunião.

 – Já entramos em contato com o outro acampamento. – afirmou Genevieve.

 – Por que um acordo nessas proporções? – questionou Alexzandra. – Temos produtos, e até alguns instrumentos de defesa e ataque.

 – A questão é que precisamos de uma ajuda maior. – respondeu Genevieve. – As pessoas têm visto fraquezas no acampamento, precisamos reverter essa situação. E existe o boato da invasão.

 Pela primeira vez desde que chegou ali, Florence reagira a algo. Olhou para irmã, que tentou acalmá-lo pelo olhar, mas sem resultado.

 – Não há alternativas? – perguntou Alexzandra, arrancando apenas um aceno de Genevieve. Alexzandra suspirou, descontente. – Florence...

 – Quer que deixemos vocês sozinhos? – questionou Genevieve, recebendo em resposta um aceno. Todos se levantaram e saíram, sua tia Genevieve lançou um sorriso amigável para Florence.

 Florence não entendia a situação, mas sabia que era complicada, principalmente quando se envolve outros acampamentos.

 – Estarão enviando você a um novo acampamento. – disse Alexzandra, de forma rápida e atrapalhada. Ela não queria aceitar aquilo.

 – Mas e as coisas que eu posso fazer por nosso acampamento? – indagou Florence.

 – Isso é o que você pode fazer. – respondeu Alexzandra, relutante. – Você será apresentado ao seu noivo quando chegar lá, mas antes terá outra reunião com o outro acampamento, para mais detalhes; e o líder do outro acampamento quer que você conheça o filho dele.

 Florence encarava sua irmã, estava sentindo um misto de emoções, e aquilo o confundia.

 – Meu lugar é aqui. – argumentou Florence. – E eu não preciso conhecer o filho de ninguém.

 – Eu concordo. – disse Alexzandra, enquanto encarava o teto. – Aqui é onde você pertence. Mas essa é a maneira que temos de salvar nosso acampamento, e você sempre soube que chegaria a hora de conhecer alguém. 

 Florence estava perdido. Ele não sabia o que estava acontecendo no acampamento, e queria entender a situação. A notícia de seu suposto pretendente o preocupava, pois não sabia quem ele era.

 Ele não queria aceitar a verdade que sempre o cercou. Acreditava que não seria assim, ou até mesmo que não precisasse conhecer alguém. Florence deu um longo suspiro e assentiu. Alexzandra sentiu-se culpada, pois seu irmão estaria indo viver em outro acampamento, longe de sua origem.

 – Eu peço desculpas Florence. – disse Alexzandra.

 – Eu só estou aceitando isso por você. – afirmou Florence. – Mesmo que provavelmente eu nunca mais veja você.

 Florence tinha seus olhos cheios de lágrimas. Os dois irmãos se levantaram ao mesmo e saíram da sala, Genevieve ainda precisava conversar com sua irmã, e então Florence seguiu o caminho de volta ao seu chalé sozinho.

 Agora que não estava mais com a irmã a sua frente, poderia deixar as lágrimas saírem.

                                                                             [***]

 Ele havia visto a irmã pela última vez quando estava no laboratório, enquanto tentava entender seu destino e onde criava algumas poções que estavam em falta. Sua irmã disse para ele ir começar a arrumar as coisas, pois ele partiria na noite do dia seguinte.

 Florence agora estava em seu quarto, arrumando as suas coisas contra sua vontade. O que mais o incomodava era o fato de não ter participado das outras reuniões em que trataram desse assunto.

 Sua irmã ainda não havia chegado ao chalé, e já era noite. Florence já havia arrumado a maior parte de suas roupas no baú; e ainda faltavam algumas coisas que levaria do laboratório.

 Florence olhou para seu quarto, estava com certo desespero por ter que deixar o lugar. Ficou em pé e foi para entrada de seu chalé, suspirou e andou de maneira apressada para o laboratório.

 A porta do laboratório foi aberta com o toque de Florence. Estava do jeito que havia deixado quando saiu para arrumar suas coisas. Aquele era o lugar do qual Florence mais sentiria falta. Sentia-se culpado, pois acreditava estar abandonando a lembrança de seu pai.

 Pegou alguns livros das prateleiras e o os colocou em cima da mesa, retirou algumas anotações de gavetas e voltou-se para prateleira de poções. Analisava uma por uma, lembrando-se de como é feita e para que fosse usada.

 Pegou o frasco da poção de felicidade e o colocou em cima da mesa. O laboratório não era muito grande, mas era suficiente para as coisas que ali estavam. Florence pegou um pequeno baú, onde caberiam todas as coisas que pegara, e as guardou ali dentro.

 Segurou o baú com as duas mãos e saiu do laboratório. Fazia frio a noite, e o vento gelado que batia em seu rosto o causava arrepios.

 Assim que chegou ao chalé, ouviu barulhos no andar de cima e subiu sem fazer barulho. Tudo o que viu foi sua irmã saindo de seu quarto. Ela o encontrou na escada e sorriu para ele. Florence retribuiu com um sorriso triste.  

 Quando entrou no quarto, colocou o baú ao lado do baú maior, onde estavam suas roupas, e procurou por alguma coisa que a irmã tivesse feito. Não encontrou nada.

 – Venha comer! – gritou Alexzandra, que estava na cozinha preparando a refeição.

 Florence saiu do quarto e encontrou com a irmã na cozinha. Ela já estava sentada à mesa, e apenas o esperava para poder comer. Ele sentou-se e serviu-se da sopa que sua irmã havia feito.

 – Esse novo acampamento é seguro. – disse Alexzandra.

 – Não me falaram qual acampamento é. – afirmou Florence. Ele sabia que havia muitos acampamentos, alguns eram muito conhecidos. Já foram feitas outras alianças com outros acampamentos, mas todas acabaram, e Florence nunca soube os motivos.

 – Falaremos os detalhes na reunião. – disse Alexzandra. – Ela vai começar daqui pouco tempo, os representantes do outro acampamento já estão aqui.

 – Mas eu não vou amanhã à noite?

 – Vai, contudo, eles vieram queriam uma reunião com a sua presença. – disse Alexzandra. – Já está na hora, melhor irmos.

 Florence já entendia melhor o que estava acontecendo, mesmo que não o agradasse.

                                                                             [***]

 – Esse é o Estevan, líder do acampamento Shadows. – disse Genevieve.

 Florence não sabia como reagir. O acampamento que estava fazendo uma aliança com o seu era o Shadows, um dos maiores acampamentos existentes, conhecido por seu forte poder.

 – Este é Florence. – disse Genevieve. – Meu sobrinho, e a pessoa que irá com vocês para o acampamento.

 – Tudo está certo? – perguntou Alexzandra.

 – Já há um chalé pronto para ele. – afirmou Estevan. – E as outras coisas serão passadas para ele quando chegarmos ao acampamento. Partiremos amanhã, como dito.

 – Certo. – disse Estevan. – Meu filho está na espera de Florence.

 Florence mantinha a cabeça baixa, apenas ouvia a conversa. Ele não gostava das decisões tomadas, mas sabia que não poderiam ser mudadas. Essa aliança com o acampamento Shadows ajudaria o acampamento Pure em muitas coisas.  

 – Podemos dar a reunião como encerrada. – disse Genevieve, e todos assentiram.

 Florence iria por seu acampamento.

                                                                             [***]

 Florence acordou com os olhos vermelhos, foi ao banheiro de seu quarto e lavou o rosto, acreditava que em pouco tempo seus olhos estariam melhores.

 Ainda de pijama, desceu as escadas e foi para cozinha, encheu a xícara com chá. Não estava com muita fome. Sua irmã não estava em casa, pois provavelmente estava organizando as coisas para sua partida.

 Florence partiria a noite, e ainda não se sentia seguro com isso. Florence conseguia pensar em poucos bons motivos nessa situação, ajudar seu acampamento, e poder sair de seu acampamento. Mesmo que aquilo doesse, seria a primeira vez que Florence sairia de seu acampamento, conheceria coisas novas, e aquilo o deixava ansioso.

 Quando terminou seu chá, ele ouviu batidas na porta principal. Florence não tardou para abrir a porta. Na porta, estavam alguns guardas de Shadows, isso era perceptível pelas roupas que usavam, e eles estavam lá para poder retirar as coisas de Florence.

 Florence os guiou até seu quarto, onde ambos pegaram o baú maior, Florence carregaria o baú menor consigo durante o caminho ao acampamento. Ele partiria em algumas horas.

 Os guardas foram embora carregando o baú maior, deixando assim, Florence sozinho novamente em seu chalé.

 Florence trocou de roupa e saiu de seu chalé. Ia ao laboratório novamente, queria ter certeza de não esquecer nada.

 

 O laboratório estava com espaços vazios, já que Florence removera algumas coisas para levar consigo. Sorriu ao lembrar em como se sentia seguro naquele lugar. Florence saiu do laboratório quando tivera certeza de não estar esquecendo nada.

 Do lado de fora, sua tia Genevieve o esperava, a hora tinha chegado.

 Florence passara em seu chalé para pegar seu baú, com as coisas que havia pegado no laboratório. Ele não tinha visto sua irmã nenhuma vez durante o dia, e não sabia onde ela estava. Não podia ir embora sem dizer uma última palavra para sua irmã.

 Enquanto Florence subia no transporte que o levaria ao acampamento Shadows, sua irmã apareceu correndo, segurando algo em suas mãos. Alexzandra seria a pessoa que mais faria falta para Florence.

 – Desculpe não ter aparecido o dia inteiro. – disse Alexzandra. – Estava fazendo isso.

 Florence pegou a coroa de flores que sua irmã fizera e colocara. A abraçou uma última vez e deixou lágrimas escorrerem por seu rosto.

 – Você ficará bem. – afirmou Alexzandra. – E desculpe por não ter ficado tão bonito, normalmente quem faz essas coisas é você.

 – Obrigado. – disse Florence, com a voz chorosa. – Eu vou sentir sua falta.

 – Não diga isso. – implicou Alexzandra. – Agora vá, pois não quero que me veja chorando, e tem alguém a sua espera.

 Florence não respondeu, havia esquecido que o filho de Estevan estaria o esperando. Sorriu para a irmã e entrou no transporte. Florence não criou expectativas para as coisas que o aguardavam.

 Florence deitou-se no banco do transporte e dormiu, pois chegaria ao acampamento Shadows pela manhã, e sua cabeça doía, por conta de tantas coisas acontecendo.

                                                                             [***]

 – Acorde! – exclamou o guarda.

 Florence levantou-se do banco e suspirou. Havia chegado ao acampamento Shadows.

 


Notas Finais


Demorei para escrever algo que eu gostasse :v
Ao menos consegui <3
Florence ainda tem muita coisa para saber...
Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...