História Energy - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Tom Holland
Personagens Anthony "Tony" Stark, Personagens Originais, Peter Parker
Tags Dove Cameron, Energy, Homem Aranha, Peter Parker, Tom Holland
Visualizações 120
Palavras 584
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Romance e Novela, Sci-Fi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olááá galeris, aqui estou eu de novo!
Eu sei que esse capítulo está minúsculo, mas é que agora é o começo de uma nova fase de Energy.
Espero que gostem! :) ♥

Capítulo 28 - Luvas de Borracha


Fanfic / Fanfiction Energy - Capítulo 28 - Luvas de Borracha

Katherine Willow

Os cabelos negros de Elizabeth Ava voavam com o vento, seus olhos extremamente azuis presos aos meus e um sorriso cínico em seus lábios. Os três agentes abriram espaço para a mulher e ela parou entre eles, de frente para mim. Observei a cicatriz feita por mim em seu rosto pálido, as linhas se espalhavam pela bochecha esquerda num tom rosa arroxeado.

—Então querida, qual sua resposta? – ela perguntou arqueando a sobrancelha enquanto analisava meu rosto.

—Não – disse notando a expressão de raiva tomar o seu rosto – É óbvio que não.

—Tudo bem – ela concordou com uma risada sarcástica, e em seguida analisou Peter e Deadpool ao meu lado – Cuidem deles.

Antes que qualquer um de nós pudesse reagir os explosivos vermelhos da garota ruiva já rolavam pelo asfalto, em direção aos dois extremos da estrada em que estávamos parados. Em poucos segundos a explosão havia atingido carros e bloqueado o caminho dos dois lados, eu podia escutar os freios e as buzinas do outro lado da cortina de fumaça que havia se formado.

A outra garota, de características asiáticas, parecia prender Deadpool através das catanas que ele tinha nas costas, mexendo ele de um lado para o outro como um boneco enquanto ela manipulava o metal. O homem-gigante caminhava na direção de Peter, tentando o acertar com seus punhos enormes enquanto ele desviava e se pendurava sobre o homem.

Senti uma mão segurar meu braço firmemente e me puxar para frente, me virei para encarar Elizabeth Ava me olhando friamente ao mesmo tempo que me puxava para fora da confusão que se formava. Com a raiva borbulhando dentro de mim e o calor correndo em minhas veias, liberei a maior carga de energia que eu podia gerar. Uma gargalhada saiu dos lábios da mulher e ela me encarou com diversão brilhando em seus olhos.

—Luvas de borracha – ela riu apontando paras as mãos cobertas pela luva negra que rodeava meu braço – Eu aprendi minha lição.

Escutei as vozes de Peter e Deadpool conversando enquanto lutavam, tentei me virar para ver o que estava acontecendo, mas ela me puxou novamente para frente, fazendo com que eu praticamente tropeçasse sobre meus pés.

—Me solta! – grunhi entredentes.

Acertei meu joelho em seu estômago fazendo com sua mão soltasse meu braço, dei um passo em sua direção e pegando impulso chutei seu peito, fazendo com que ela caísse de costas no chão. Ela se apoiou sobre os cotovelos me encarando com raiva.

—Agora chega! – ela gritou.

Em segundos ela havia se transformado na ave de penas preto-azuladas, me derrubado no chão e se transformado novamente me prendendo com seu joelho sobre meu peito, impedindo que eu me mexesse.

—Eu estou cansada de brincar.

Ela tirou alguma coisa de uma espécie de coldre que ela tinha preso em sua perna e em seguida eu senti uma agulha entrando em meu pescoço. A dor era enorme e minha vontade era de gritar, mas o gelo que parecia correr em minhas veias e atingir cada parte do meu corpo me manteve paralisada.

—Eu tentei ser legal, tentei te dar uma chance, você poderia ter tudo o que quisesse. Mas não, você tinha que banca a boa moça não é Katherine? Você é igualzinha ao seu pai – ela falou com despreso enquanto minha visão embaçava pelas lágrimas que saíam involuntariamente. Meus olhos ficavam cada vez mais pesados enquanto a sombra de um sorriso aparecia nos lábios de Elizabeth Ava – O que é uma pena, porque eu sou muito melhor.


Notas Finais


E ai meu povo, o que tá acontecendo, que loucura é essa?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...