História Enfim.. - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Ambre, Castiel, Iris, Lysandre, Personagens Originais, Priya
Tags Amor Doce
Visualizações 63
Palavras 1.000
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...
boa leitura

Capítulo 40 - ...enfim.


Fanfic / Fanfiction Enfim.. - Capítulo 40 - ...enfim.


Passou apenas seis meses. Era domingo, poucas semanas para o natal. Minhas afilhadas corriam lá fora entre as árvores. Alexy gritava para eles. 
- Não bata em sua irmã. Brinquem direito senão não brincam. 
- O que você queria? Elas tem sua teimosia - digo observando elas correrem.                          
- Mas tem a beleza do pai - ele diz, beijando o rosto de Kenye, um homem que conheceu em um show do Castiel. 
Entro e termino de ver o almoço que está no ponto. Ajeito a toalha na mesa que colocamos do lado da casa e minhas afilhadas ajudam-me com os utensílios. Logo se aproximam dois carros conhecidos, e seus ocupantes saem com um belo sorriso. No primeiro tem o delegado Armin com seu neto Castiel Filho, acompanhado de sua filha, Bruna e seu marido, o próprio Castiel Benson. E logo atrás, no outro carro, vem Priya e Ang, com Delanay e seu dois filhos e Violette. Todos nos cumprimenta com abraços e beijos, e quando se acomodam, Ang diz: 
- Tenho uma surpresa pra vocês. 
Ela vai pro carro e volta, trazendo enrolado em uma manta, um pequeno bebê, de faces rosadas e olhos atentos. Ele era lindo. 
- A adotamos tem alguns meses. Amamentamos com doações de leite materno - diz Priya. 
- E como se chama? - pergunta Armin. 
- Bem... - eu estava ao lado de Ang, que segurava o bebê, mas ela se vira pra mim. - Se chama Lysandre. 
A olho no mesmo instante. Ela também me encara, mas seu sorriso não se desfaz. 
- Adhara, te apresento seu afilhado, o pequeno Lysandre Jr. 
Ela entrega o bebê em meus braços e ela me olha atento, com seus olhinhos curiosos. 
- Seja bem vindo, Lysandre. 
Ele sorri pra mim. No mesmo instante lembro do sorriso de meu Lysandre, e uma lágrima furtiva desce. Apenas o vi uma única vez do julgamento, no show de Castiel. Ele estava na plateia e eu o vi enquanto estava atrás do palco. Nossos olhares se cruzaram, e ele me sorriu, fazendo menção de vir a meu encontro, mas sua irmã também me viu, e o puxou para fora da casa, me deixando com raiva e ao mesmo tempo, desesperançosa de que poderia encontrar ele novamente. Ele parecia mais magro, mais abatido. 
Criei coragem e no dia seguinte corri até sua casa, mas descobri que não mais moravam ali, depois de semanas depois da alta do hospital, foram para fora. Então percebi que não mais o encontraria. Meu coração ainda pertence a ele. Se o visse agora, me jogaria em seus braços e diria o quanto meu amor não mudou durante esses meses.
- Que tal iniciarmos o nosso almoço? - pergunto, colocando Lysandre em um bercinho perto de Ang.  
A feijoada se acaba em alguns instantes, então entramos em casa e colocamos a música Dançando da banda Agridoce, que combina com o momento. As crianças brincam e tomamos um café, enquanto relembramos dos momentos do passado. Relembro dos dois primeiros meses sem Lysandre. Minha vida tinha virado de cabeça pra baixo, e eu cheguei a pensar que nunca teria a vida que queria ter. 
- Tia, a senhora vai contar aquela história do anjo que você conheceu? 
- Vou, querida. 
Abaixei um pouco o som e todos se sentaram, então resolvi sentar-me na cadeira perto da janela. 
- Quando eu achava que minha vida seria sem rumo para amar, eis que surge esse anjo. Ele gostava de ler e tinha um visual diferente de hoje. Seu nome é Lysandre.
Conto toda a nossa história, e as crianças tem um brilho nos olhos de admiração pela coragem e a paixão que minhas palavras tem sobre o anjo. Termino a história de nossa vida, com um toque de recomeço, com o poema que escrevi na noite em que joguei suas cinzas. 
- Ele então bateu as asas e se foi. Foi-se fazer a alegria de todos em um local que não sei onde é. Mas eu sabia que, as lágrimas que derramei na grande montanha foi-se ouvidas por ele. Mantenho-me atenta, pois ele é uma presença constante, estando na alegria de meus domingos, ou rodopiando com a brisa lá fora. Vivendo em seu lugar de costume, de onde está guardado meu coração e minha alma, pelo meu grande anjo amado. Enfim, sei que estou com ele. Por mais que seja longe sua presença.
Todos me aplaudiram e eu senti felicidade. Olhei para o bebê nos braços de Ang e ele me sorria, como Lys sorria pra mim. Me viro, olhando pela janela e o vejo na ponta do local onde ele seguiu um rumo sem fim. Então abri a janela, mesmo com a garoa fina, pois eu queria que sua presença continuasse ali, mesmo que  o vento fosse leve, mas que eu pudesse sentir o teu calor, como na primeira vez que o vi. Até que a porta se abri delicadamente, me viro e avisto primeiro suas vestes vitorianas, depois o cabelo levemente molhado na cor cinzenta, e por fim contemplo o âmbar e esverdeado dos olhos cheios de saudade e amor.
- Tia, não é o anjo que a senhora tanto fala?
Todos na sala permanecem calados, surpresos tanto quanto eu.
- L-lys? - seu olhar consente e seus braços se abrem. - Lys... Lysandre.. Lysandre!!!!!
Corro pro seus braços, caindo por cima dele, apertando seu corpo magro, ouvindo dele uma risada gostosa e aplausos dos amigos que a cena assistem. Entramos e ele me conta que fugiu dos braços da irmã, e ela não mais o procurou. Ele veio direto de Tóquio pra me ver. Finalmente a família está completa, com mais um em minha vida, e ele presente em meu coração.
- Que bom que não esqueceu de mim - ele diz, a voz rouca me fazendo cocegas. Rio comigo mesma, lhe roubando um beijo rápido.
- Como poderia esquecer?! - ele me abraça novamente. - Finalmente estou com você, finalmente em casa.
- Enfim você está comigo....
 


Notas Finais


Enfim, acabou.
Agradeço a todas pela leitura e pelos favoritos
Espero que a estória tenha lhes proporcionado tanto prazer quanto teve pra mim S2
Até uma próxima fanfic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...