História Engana-me ( ByunXing, BaekXing) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Xiumin
Tags Baekxing, Byunxing, Kaisoo
Exibições 34
Palavras 1.798
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoas! Faz tempo que não escrevo alguma fanfic do Exo, e essa é a minha primeira BaekXing. Espero que gostem e se por acaso gostarem , por favor comentem :3 beijos

Capítulo 1 - 01


Apenas diga "oi", não é como se ele fosse te matar.

Baekhyun repetia aquelas palavras em sua mente diversas vezes, tentando acalmar sua respiração e não demonstrar nervosismo enquanto caminhava graciosamente em direção a entrada da boate. Há anos atrás quando Baekhyun se formou como um policial, ele nunca imaginou que se tornaria um detetive e que esta profissão lhe faria tão bem, e não imaginava que essa mudança teria sido por conta da sua habilidade especial. Baekhyun desde criança estudava micro expressões e por ter crescido em uma família conturbada, ele não teve muita dificuldade em aprender.

O que as pessoas não sabem é que quando falam, não estão falando realmente. A comunicação verbal está presente apenas 7% da comunicação humana, na realidade, 93% da comunicação humana ocorre de forma não verbal, através do tom de voz, a intensidade, a postura, as micro-expressões, a forma de andar, um movimento nas mãos. Qualquer movimento pode dizer se você está dizendo a verdade ou mentindo. E é por isso que Byun Baekhyun não confia em palavras.

Baekhyun estava lidando com um assassino e deveria ter cuidado em suas ações. Do Kyungsoo era o seu chefe ( um homem ranzinza e diabólico na opinião de Baekhyun) e ele havia dito para Byun se vestir de mulher para conseguir capturar a atenção do assassino. Lay era conhecido por ser um assassino de prostitutas e Baekhyun estava vestido para matar. Como diria seu melhor amigo Luhan.

O rapaz de vinte e três anos usava uma linda peruca loura, um vestido não muito decotado porém justo no corpo, revelando suas belas curvas, usava dois silicones de tamanhos medianos, um salto quinze que particularmente Baekhyun estava se sentindo uma modelo do Victoria Secrets com ele, além um batom vermelho.

Ele também nunca imaginou que se vestir de mulher seria tão divertido. Todos os homens, até os mais "heterossexuais" daquela boate o comiam com os olhos, e olhavam principalmente para as fartas nádegas do rapaz que apenas rebolava ainda mais em resposta.

A música eletrônica envadia seus ouvidos, as luzes coloridas apenas o faziam se sentir ainda mais como uma modelo, e por onde ele passava as pessoas abriam caminho para o admirar como se ele fosse uma espécime de deus. Ah, Baekhyun adorava aquela sensação. Em um lugar mais afastado, o seu alvo se encontrava no bar bebendo um pouco de whisky e olhava atentamente para cada mulher que passava por si, até que seu olhar se fixou no de Baekhyun. Olhos negros famintos e brilhando em luxúria.

Lay tinha uma beleza sem igual, um corpo musculoso sem exageros, brilhantes fios negros de cabelo, e lindos lábios carnudos, mas ainda sim um assassino.

- Sozinho?

Baekhyun perguntou ao se aproximar, forçando uma voz mais aveludada e afeminada, logo se sentando com cuidado ao lado do homem e cruzando suas pernas propositalmente. Baekhyun não gostava de se gabar, mas suas coxas era a oitava maravilha do mundo.

- Não mais.

Lay respondeu com um sorriao galanteador em seus lábios e o Byun poderia jurar que havia deixado um gemido baixinho escapar. Que voz é essa? Deveria ser um crime ter uma voz tão sexy como aquela, mas Baekhyun não poderia se esquecer de que ele era uma pessoa má. Muito má. Tão má que Baekhyun se sentia excitado apenas de imaginar as "maldades" que Lay poderia fazer com ele. Na cama mais precisamente.

- O que uma mulher tão  linda quanto você  está  fazendo sozinha nesse lugar? - perguntou Lay, esbanjando um lindo e provocativo sorriso em seus lábios. Poderia ser sua imaginação,  mas iluminado por aquelas luzes coloridas, Lay  parecia uma espécime de deus.

-  Procurando companhia. E o que o senhor está  fazendo aqui sozinho?

Baekhyun sorria em resposta, suspirando baixinho ao sentir a mão  firme de Lay acariciar suas coxas. Não deveria, mas se sentia terrivelmente excitado e aquele vestido era apertado demais, não poderia ficar excitado de forma alguma.

O plano seria atrair Lay para a parte de trás  da boate e então o dopar para prende-lo. Baekhyun estava com o remédio na bolsa pequena que carregava,  pronto para usa-lo a qualquer momento.

- Meus amigos marcaram de me encontrar aqui, mas acho que eles não iram vir.

Lay respondeu e cometeu um erro grave. O homem chinês usou seu dedo indicador para coçar o nariz e inspirou um pouco de ar antes de falar, um ação que não durou mais do que três segundos. Mas foi o suficiente. Ele estava mentindo. Quando mentimos temos a mania de coçar alguma parte do corpo, geralmente o nariz, nossa respiração fica mais pesada e nossa voz muda de tom. As palavras saem de seus lábios, mas seu corpo reage de forma contraria a sua mentira. Ele sabe que você mente e te entrega sem que perceba. Existem pessoas que mentem bem, mas é impossível mentir com perfeição; pois, por mais que você controle seu tom de voz, seu corpo sempre achará uma maneira de te entregar.

- Melhor pra mim. - Baekhyun respondeu com um sorriso largo. Ou Lay tinha amigos naquela boate ou ele havia ido naquele lugar apenas para cometer mais um de seus crimes cruéis.

- Como se chama, senhorita?

- Hyuna. E o senhor, como se chama?

Hyuna. O garoto ruivo se sentia estúpido por usar o nome de sua irmã mais velha para enganar o assassino, além do mais, Hyuna era tão linda que se sentiria ofendida por Baekhyun ter se passado por ela.

- Meu nome é Lay. Mas pode me chamar de Oppa esta noite, princesa.

•×•

Em um momento Baekhyun estava apenas flertando com seu alvo, e em outro ele estava sendo preso contra a parede enquanto suas roupas eram rasgadas com uma selvageria assustadoramente excitante. Ele não se lembrava como, mas de alguma forma, ele havia parado em um quarto de hotel.

As mãos firmes e grandes do chinês passeavam pelo seu corpo, apertando os pedaços de carne e desferindo tapas fortes e estalados nas nádegas do menor que apenas conseguia gemer em deleite. Ele deveria prender Yixing? Deveria fazer algo? Baekhyun não se lembrava de nada e não entendia o motivo daquilo estar acontecendo. Talvez soubesse, mas não queria admitir que foi burro o suficiente pra beber mais do que deveria.

Os lábios de Lay eram quentes e macios, fazendo seu corpo tremer a cada simples toque e leves esparmos percorrem por seu pequeno corpo. Lay parecia se divertir ao descobrir o segredo de "Hyuna".

- Hyuna? Não estou te julgando, mas você me enganou direitinho.

O chinês sussurrou, tendo um sorriso travesso brincando em seus lábios ao jogar o corpo do detetive na cama e observar cada curva perfeita daquele corpo que parecia ter sido esculpido por deuses. Baekhyun se encontrava semi nu na cama macia, usando apenas uma calcinha de renda vermelha, da qual Lay não via a hora de rasga-la com seus dentes.

- Não sou um transexual! - protestou Baekhyun.

- Então por que se vestiu de mulher?

- Porque você gosta de mulheres.

- Acho que estou começando a atender o que está acontecendo.

Baekhyun não entendeu o motivo de Lay sorrir ainda mais e rolar seus olhos em seguida. O corpo magro e musculoso do chinês se sobrepôs sobre o seu, selando novamente seus lábios para iniciar mais de um de seus beijos de tirar o fôlego.

Baekhyun se derretia a cada toque, sua razão não falava mais por si e apenas o desejo carnal, implorando por mais toques daquele homem que ele deveria odiar e temer. Mas seu corpo não conseguia se conciliar com sua razão, e ele apenas conseguia pensar em como era bom se entregar para Lay. Não era amor ou paixão, apenas desejo sexual e nada além disso.

Baekhyun envolvia a cintura do chinês com suas pernas, gemendo baixinho rente ao seu ouvido e de forma manhosa enquanto arranhava suas costas e se arrepiava cada vez que sua pele quente entrava em contato com a pele fria de Lay. Baekhyun fechou seus olhos, piscando diversas vezes até que que então teve uma sensação muito familiar: sono. Lay estava quase retirando aquela maldita calcinha quando Baekhyun simplesmente dormiu na cama. E lá se foi sua vontade de sucumbir ao seus desejos carnais. Mas quem estava em uma situação ainda pior era o próprio Lay que estava excitado e decpicionado por não conseguir terminar o que mal haviam começado.

•×•

Baekhyun acordou na manhã seguida. A luz fraca envadia o quarto, tendo fracos feixes de luz atravessando o vidro da janela espelhada do quarto de hotel, fazendo o rapaz piscar seus olhos diversas vezes até que enfim se acostumasse com a claridade.

Baekhyun se sentou na cama, notando que ainda usava a calcinha da noite anterior e não havia mais ninguém no quarto. Imaginou se aquilo seria um sonho. Lay havia o deixado vivo? Ele sabia perfeitamente da fama do homem chinês e sabia da forma cruel da qual matava aquelas mulheres da qual passava a noite.

Logo em seguida se culpou por quase dormir com o assassino do qual deveria prender e pior ainda, se sentir culpado por ter dormido no meio de um momento prazeroso para ambos.

Baekhyun se levantou lentamente e andou quase que cambaleando, indo em direção ao pequeno banheiro para lavar seu rosto, sentindo uma forte dor de cabeça devido a ressaca. Fazia anos desde que não tinha uma, a última foi em uma festa de um aluno do segundo ano, quando estava no ensino médio. Olhou para o seu reflexo no espelho, notando que ainda havia um pouco de maquiagem rosada em seus olhos, destacando suas orbes azuis e frias, seus cabelos lisos e vermelhos estavam desgrenhados e sua pele parecia mais pálida que o normal. Ele se sentia terrivelmente péssimo.

O rapaz pegou sua bolsa, a revirando e não achando nada além de uma camisa e um celular. Seu dinheiro, cartões de credito, suas roupas, tudo havia sumido.

Baekhyun estava desesperado. Olhou para um pequeno pedaço de papel colado próximo a cama na parede.

" Espero vê-lo novamente, Byun.

PS: desculpe, mas você foi um garoto tão malvado...tinha que pegar minha recompensa." Lay.

- Filho da mãe!

Baekhyun gritou, rasgando o papel em diversos pedaços. Como ele sairia dali? Suas roupas sumiram e as da noute anterior estavam rasgadas. Baekhyun vestiu a camisa que estava na bolsa e ele estranhou ao notar o fato de que ela era maior do que o seu número. Aquela camisa era de Lay.

Então o filho da mãe teve a consideração de me deixar uma roupa? Que ótimo!

Baekhyun pensou.

O ruivo vestiu a camisa, pegando seu celular e ligando para um taxista, não sabia como o pagaria, mas acharia uma forma.

Baekhyun saiu do quarto, descendo as escadas e ignorando todos os olhares de alguns moradores que o observavam. Principalmente sua bunda avantajada.

O ruivo empinou o nariz, rebolando enquanto caminhava e mostrando o pouco da dignidade que havia lhe sobrado.

Lay iria pagar por isso e nem mesmo o seu charme o salvaria dessa vez.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...