História Enigma Mortal - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 6
Palavras 611
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esta é minha segunda fan fic, uma história originalmente minha, não sou muito bom em escrever mas, espero que gostem

Capítulo 1 - Mistério


Era um dia tranquilo, estava no meu escritorio, a chuva lá fora me confortava, o café em minha frente me aquecia em tal dia frio e nublado, sentado perante meu computador, sentindo o mesmo peso e cansaço que sinto todos os dias da minha vida, estudando apenas mais um caso qualquer, um homicídio de um serial killer conhecido como "Expressão".

Esses malucos ficam a solta por aí, a polícia não era boa o suficiente para pega-los, então me chamavam,eu costumava atender seus chamados o mais rápido possivel, sempre resolvia os casos...

Sinceramente está ficando difícil me importar, mal consigo levantar da cama de manhã, sabendo que será mais um dia com mortes e sofrimento, antes de tal caso já resolvi muitos outros, assasinatos, estupros, canibalismo, fanatismo religioso, loucos de todos os tipos.

Pensava que este seria apenas mais um,continuei juntando os fatos sobre o assasino, um assasinato na Igreja, outro em um orfanato, outro em um internato, todos satirizando a religião católica, freiras crucificadas, crianças decapitadas, remontada em posições sexuais e em todo tipo de fetiche depravado.

Precisava encontra-lo e fazê-lo pagar, nunca acreditei muito em Deus ou diabo, acredito que haja bem e mal, isso é humano, mas para mim, deuses e demônios são exageros...

Fui até o local do último crime, fétido ainda pelos restos dos cadáveres que foram retirados, um cheiro que nunca mais deixaria aquele lugar amaldiçoado, estava de dia, a cena parecia ainda pior a este horário, pois via cada detalhe do que havia ocorrido, todos os sinais de luta, os lugares por onde os cadáveres foram arrastados, e com o que os matou.

Haviam várias profanações nas paredes, símbolos satânicos, e muitos objetos profanados. Cruzes de ponta cabeça, versículos da bíblia distorcidos, como se o diabo fosse o salvador, fotos de Cristo rasgadas e utilizadas em insinuações de sexo.

Continuei andando dentro daquele inferno, o assassino não sentiu remorso, compaixão, foi então que vi, perto de um dos símbolos, uma carta!

Estava escondida em um local onde somente alguém que entende de satanismo conseguiria achar, ainda bem que já vi outros casos como esse, mas nunca dessa magnitude...

Abri a carta, minhas mãos congelando tocavam o papel gelado, era uma carta de desculpas:

"Perdoai-me vosso pai, pelo que fareis agora, de ti em ti convosco estou, obrigado pelas forças, as trevas me dominam, conta de meus atos tenho eu não mais."

Obrigado pelas forças? Isso me soou estranho no momento, era a única frase que fugia do contexto, pelo menos até certo ponto, bem, era o que eu pensava...

Senti um estranho calor em minhas costas, como se houvesse um incêndio, me virei, foi quando a armadilha foi ativada, quem quer que tenha deixado está carta não queria que o leitor vivesse, Me cobri com meu sobretudo, protegendo meu rosto, sai o mais rápido que pude depois de jogar o Sobretudo no chão e apagalo. Por que tentar matar o leitor de uma carta de desculpas?..

Ainda no orfanato do crime, procurei em outras salas, quando adentrava os quartos das crianças mortas que ali um dia estiveram sentia o cheiro, o clima pesado, quase ouvia seus gritos, (Suspiro)...apenas...Mais um dia de trabalho.

Achei mais 3 pistas, um dos símbolos estava escrito a tinta preta, ao invés de sangue como os outros, dizia um nome. "Samael" e uma oração em hebraico, o que mais me deixou curioso foi uma marca de pés na frente da escritura...alguém esteve lá? Ou?...

A segunda foi um cadáver que a polícia não conseguiu retirar,estava...presa ao chão?

A terceira e última pista foi uma chave, testei em todas portas que tive chance, mas não funcionou...

Para que a chave? Pretendem trazer Samael a terra? Mas ele é só uma lenda! E como aquela criança ficou presa ao chão?..

Continua...



Notas Finais


O negócio vai ficar tenso!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...