História Enjo Kosai - Longfic - Momo, Sana e Mina (TWICE) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Mina, Momo, Sana
Tags Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Mimo, Mina, Mina Myoui, Momo, Momo Hirai, Nayeon, Once, Samo, Sana, Sana Minatozaki, Twice, Tzuyu
Visualizações 98
Palavras 1.645
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, FemmeSlash, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, gente!
Eu trouxe essa fanfic muito maneira com as três japonesas mais lindas e amadas, por mim, aí eu tive essa ideia de escrever baseada com outras.
Ela vai ter quatro capítulos, sendo divididos por 4/2 partes. Ela já está toda terminada, galera, é só postar agora ✨
Espero que gostem e deem muito amor e carinho a ela, pois escrevi nas férias e amei a ideia que eu tive.
OBS --> O Enjo Kosai realmente existe e é um sistema muito praticado no Japão.
Boa leitura 💛

Capítulo 1 - Doce Prazer - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Enjo Kosai - Longfic - Momo, Sana e Mina (TWICE) - Capítulo 1 - Doce Prazer - Capítulo 1

 

一 Doce Prazer

Mina.

 Admiro como mudei nesses últimos anos – antes, eu era só mais uma garotinha como as outras; agora, faço parte do sistema mais sujo do Japão. É gostoso ter todo o dinheiro em suas mãos, comandar seu próprio corpo e ditar as regras nos próximos dias. Eu tenho certeza que Momo e Sana também pensam assim, como eu. 

 O Enjo Kosai é um sistema japonês que consiste em estudantes femininas entre 14 e 17 anos saírem com caras bem mais velhos e estes lhe darem, como recompensa, todo o luxo que você pode imaginar. Não é ilegal na jurisdição japonesa por não ser necessariamente prostituição, mas de começo, pensei que fosse e eu estar doando meu corpo a esses velhos bêbados. Depois eu vi que isso é algo tão fácil e tão bom de participar, que até esqueci a parte de "me prostituir". Para dizer a verdade, não somos obrigadas a transar. Quer dizer, existe caras que oferecem uma porção maior de dinheiro quando eles querem sexo, mas isso é em outro momento. 

 O Enjo Kosai, apesar de ser aberto e mal falado pela mídia japonesa, para nós que participamos desse sistema, é totalmente fechado. Jamais devemos falar que fazemos tais coisas por aí, apenas entre nós, o grupinho ativo. Tenho duas vidas: a qual ganho sendo essa vadiazinha e outra, sendo uma disciplinar aluna. Tenho um namorado carinhoso e amigos, mas eles jamais podem saber desse esquema. 

— Está pensando no quê, Mina? — Sana pergunta. 

— Estou cansada. — respondo, suspirando fundo. 

— Ah, mas nem começamos. Logo eles irão chegar. — Momo diz e a encaro seriamente. 

— Não estou com vontade. — respondo, me levantando e pegando minha bolsa do banco de couro do restaurante. 

— O que aconteceu com você? É a primeira a comemorar sempre... — Sana diz, arrumando sua franja.

— Divirtam-se. 

 Vou em direção à porta e saio, sem dar as devidas explicações. Às vezes isso me incomoda. Me sinto suja por participar, mas tem outras vezes que é uma sensação indecifrável sentir o cheiro do dinheiro fresco. 

 As ruas de Osaka são bem movimentadas à noite. Sendo assim, consigo um táxi facilmente e volto para a casa, que não ficava muito longe do local. 

 Com os pés doendo, saio do veículo, pagando o motorista. Entro em casa e vejo minha mãe rezando na sala de estar. Sim, sou herdeira de uma religiosidade advinda de minha mãe e de meu pai.

— Oi, meu amor — ela interrompe o que estava fazendo e me dá um breve beijo na testa. — Chegou cedo. 

— Ah, sim. Estava muito parado e eu estou um pouco com dor de cabeça. — respondo, colocando minha bolsa em cima do sofá.

— Mina, olhe essa saia. Está super curta. — ela adverte, abaixando minha saia e eu rindo, em reação.

— É a moda, mãe. Ninguém usa saia de freira mais. — brinco, me sentando no braço do sofá. 

— Tenho certeza que está faminta. — ela cruza os braços e semicerra os olhos. 

— Hmmm, não. Estou sabe com o quê? — lhe dou um selar na testa. — Com sono. 

 Antes que eu me mexesse ou ela respondesse algo, meu celular toca. Era Ren, meu namorado. Acabo por atender, mas a ligação cai. Hm, estranho.

— O que foi? — mamãe pergunta, curiosa.

— Era o Ren, mas a ligação dele caiu ou sei lá. — respondo, pensativa.

— Hm, que estranho — ela fica pensativa assim como eu. — Vou para a cama. Ei, mocinha, coma e vá dormir — ela colocou as mãos em meu rosto e o analisou. — Olhe como minha menina está pálida. E não me venha com esse negócio de moda, hm?

 Sorrio e saio, desligando a luz. Subo às escadas e entro em meu quarto,  tirando meu uniforme e ficando apenas de peças íntimas. Ouço um barulho forte em minha janela e coloco a mão no peito, pelo susto. Era Ren.

— Ei, seu idiota — o xingo ao abrir para ele poder entrar. — Você sabia que o vidro quebra com batida de pedra, né? — digo o óbvio, lhe dando um soco no ombro.

— Não foi pedra. Eu já estava vigiando você tirar sua roupinha — ele diz, segurando firme em minha cintura. — Sua mãe está aqui?

— Ela foi dormir. — sussurro, lhe dando um beijo. — Quer ficar aqui?

— Quero muito. — ele abre o fecho de meu sutiã e arfo com o ato.

 Antes que continuássemos, meu celular toca de novo. Com contragosto, o pego e vejo que é uma mensagem da Sana. Sana, sua infeliz. 

— Quem é? — Ren pergunta, retirando as roupas e se sentando em minha cama. 

— Minha melhor amiga, a Sana. — respondo, ficando em sua frente e retirando a última peça que faltava.

— Vem, senta aqui. — provoca, batendo as mãos em suas coxas.

| ... |

 Enquanto mexia minha colher no suco de laranja, relembrei de Miho Ozawa. Para ser mais exata, foi a garota que me apresentou esse mundo. Foi ela que me ensinou todos os truques, os maiores receios e melhores ambições. O único problema de Miho é que ela era paranóica e tomava remédios para tratar isso. A garota já teve um forte sentimento por mim, mas eu sempre a recusava. Isso a deixou insana e, depois de um ato de fúria, saiu do Japão e foi viver na Coreia do Sul, até se tratar. E pela mensagem de Sana, Miho está aqui e está me procurando.

 Sana e Momo estavam mais assustadas que eu. Era uma confirmação, Miho Ozawa realmente queria acertar as contas comigo. Na verdade, isso vai mais além que uma simples rejeição. Eu havia roubado o seu lugar no esquema por beleza e esperteza. Eu havia chamado duas garotas – Sana e Momo – para participarem desse "jogo" comigo, o que enfureceu Miho. Ela conseguiu chamar apenas a mim e não lucrava como eu lucro com as duas. Miho não era apaixonada por mim, ela sentia inveja de minha capacidade de controlar meu próprio esquema. 

| ... |

Momo.

 E se tudo desmoronasse? Só de pensar na possibilidade de a cidade inteira saber que eu e minhas amigas fazemos parte de "Enjo Kosai", me dá um frio imenso na barriga. Claro que isso jamais vai acontecer, mas é uma sensação ruim. Aliás, nestes últimos tempos eu só ando tendo más vibrações. 

 Sana e eu estávamos no "esconderijo" de nós três. Termino meu banho, logo enxugo meu corpo numa toalha e a amarro em mim. Vou até a sala de estar e vejo Sana entretida com o notebook. Dou uma risadinha ao vê-la – essa garota é maravilhosa. Ontem, ela enviou uma mensagem para Mina dizendo que Miho Ozawa voltou. 

 Sim, eu conhecia Miho perfeitamente. Era uma garota maluca que não deixava Mina em paz, mas foi ela mesmo que a deixou entrar nesse sistema. E em consequência, logo fui eu e Sana. 

 Não sentimos pena das garotas que estão começando no Enjo Kosai. Muito pelo contrário, até gostamos. Ganha-se luxos e tudo o que jamais podemos imaginar com isso. São homens e coroas ricos que pagam uma ótima quantidade de dinheiro para nós e normalmente, é só um ou dois encontros com o mesmo homem. 

 Pego minha taça de vinho e o bebo, apreciando a paisagem pelo apartamento de Osaka. O que será de nossas vidas com Miho Ozawa por perto? 

 Sinto mãos firmes em minha cintura. Era Sana. Ah, como essa garota me deixa louca. Seu cheiro me paralisa e suas curvas me deixam insana.

— Tá pensando no quê, bebezinha? — ela apoia a cabeça em meu braço.

— Na Miho. Ah, só de ela ter voltado me dá calafrios. — respondo.

— Calma. Essa garota não precisa fazer nada contra a gente, ela não tem motivos. — Sana responde, ficando em minha frente e pegando em minhas mãos.

— Eu sei, mas a Mina está enrascada e isso está me deixando com péssimas sensações. — digo, abraçando Sana.

— Tudo bem, Momo — ela me dá um beijo na bochecha. — Vem, vou te fazer relaxar. — a garota sorri sapeca e me leva para o quarto. 

| ... | 

— Então, papai — me sento no sofá de couro escuro e já faço aquela carinha que ele tanto conhece. — Quando iremos para Paris?

— Oh, minha princesa — papai sabia o quão louca eu era para ir nessa viagem. — Lá na empresa está um caos, mas juro que ainda neste ou no próximo mês iremos.

— Por favor, papaizinho, pense com muito amor — me ajoelho e faço cara de choro. — Não sabe o quão esperei por isso. Estou viva só por conta dessa viagem.

— Como você é exagerada, minha filha — ele gargalha junto a mim. — Mas por que tão de repente isso?

— Não é de repente, papai... Eu já estava planejando isso há meses e já tinha te dito no começo deste ano — digo e meu pai faz uma careta confusa. — Ah, papai, o senhor está tão velhinho. Está até se esquecendo das coisas com facilidade. 

 Ir para Paris é um subterfúgio para Miho não me procurar, pois tenho um pressentimento muito forte que ela sabe que fui eu. Na época em que ela estava aqui, perdidamente apaixonada por Mina, eu espalhei boatos por toda escola sobre como Miho Ozawa ser uma piranha. Vingança bem feito pelo que ela falou para Sana, coisas horríveis a meu respeito; além de a garota também ter nos jogado para um bando de homens nojentos em nossa primeira noite participando do "Enjo Kosai".

 Caso eu não esteja mais aqui no Japão, Sana ficará mais estabilizada perto de Miho, já que ela não a vê como uma ameaça. Porém, se eu estiver por perto, Sana só será uma refém da garota para me fazer mal, pois Miho sabe perfeitamente que o meu ponto fraco é Sana Minatozaki. Tenho uma dependência muito forte pela garota e creio que seria capaz de tudo para deixá-la vida ou também seria capaz de morrer por ela. Ela é tudo o que mais amo e sempre a protegeria. Ela é a causa de minha falta de sanidade e também o meu doce prazer.


Notas Finais


Esse tracinho antes do "Doce Prazer" é o número 1 japoneses hehehe
Amanha vou postar o segundo capítulo ;)
Por favor, favoritem e comentem, me deixam muito feliz e motivada! bjsss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...