História Enjo Kosai - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Mina, Momo, Personagens Originais, Sana
Tags Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Kpop, Mimo, Mina, Mina Myoui, Momo, Momo Hirai, Nayeon, Once, Samo, Sana, Sana Minatozaki, Twice, Tzuyu
Visualizações 105
Palavras 1.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, FemmeSlash, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura, galera ✨

Capítulo 3 - Vadia Má


Fanfic / Fanfiction Enjo Kosai - Capítulo 3 - Vadia Má

 

三 Vadia Má

Sana.

 Depois de receber uma ligação de Rio Ozawa, fui correndo até sua casa. Deixei Yumi com uma tia muito próximo da gente e sinceramente, não imaginava que corresse tudo tão rápido e "bem", posso dizer.

 Na casa de Rio, eu a encontrei no corredor, com ferimentos fortes em seu rosto, braços e pernas. A garota apenas chorava e eu sentia uma forte pena e vontade de abraçá-la, ela é apenas uma garotinha. Porém, algo me deixou preocupada – Miho Ozawa estava aqui, e estava procurando por Mina. Foi a própria irmã que a deixou desse jeito, em outro ataque de fúria. Segundo Rio, ela estava pior. 

 Momo havia me ligado trilhões de vezes e eu a atendi, contando absolutamente tudo o que aconteceu em relação a Rio e à volta da irmã da mesma. Fui direto para nosso esconderijo e lá nós ficamos, conversando e nos preocupando mais em quando veremos cara a cara Miho.

Mina.

 Mitsuru Ono era um homem completamente diferente dos outros que me "relacionei". Apesar de tímido e totalmente fechado, ele se abriu aos poucos comigo quando pedimos algumas bebidas. E ele era diferente também pelo fato de não ver malícia em mim, não conseguir me enxergar como um mero "objeto". Mitsuru contou-me que sua esposa o traiu com um rapaz mais jovem que ele, o que o deixou furioso, mas não seria capaz de demonstrar ódio na frente de ninguém. Ele só estava procurando um relacionamento auxiliado para conversar, bater um papo normal. Não sou de confiar nos outros – não confio nem em minha própria sombra –, mas Mitsuro me passou algo que faz tempo que não sinto perto de ninguém: segurança. 

| ... |

 Tamborilando minha caneta na mesa amadeirada da sala de aula, só conseguia pensar naquela maldita Miho Ozawa. Quando ela finalmente dará as caras? Estou louca para jogar, por mais que lá no fundo eu esteja com um mau pressentimento. 

 Sana e Momo não vieram à aula, o que me deixou preocupadíssima e com tédio por não ter ninguém para conversar, já que não suporto ninguém dessa escola. Algo muito sério aconteceu e eu preciso imediatamente saber o que houve. 

 Quando o sinal toca, pego meu material e saio do lugar que um dia espero queimar com todo mundo dentro. Coçando a cabeça no ponto de ônibus, olho para os lados para ver alguma novidade, mas nada. 

 Sentada no banco esperando o ônibus para poder ir para a casa, vejo uma garota se aproximar usando uma roupa escura e óculos escuros. Não me preocupo muito, mas a distância entre nós duas era assustadora: 3 centímetros aproximadamente. Com a minha pele tocando na dela, fico incomodada e vou mais para o lado. Garota sem noção.

— Está desconfortável por quê? A gente ficava assim quando pequenas. 

 A voz familiar que agora me transmite perigo ecoa em meu ouvido, o que faz um arrepio percorrer por minha espinha, minha garganta secar e suar frio. Não sei o porquê desta minha reação, pois a única sensação que sinto por ela é nojo.

— Por que voltou? — pergunto direta.

— Bom, eu como não esqueço das coisas facilmente — ela retira os óculos e pude vê-la melhor. — Vim cobrar. 

 Por incrível que pareça, não havia ninguém por essa rua nesse horário do dia, o que me deixou frustrada e preocupada. 

— Miho, não pire — digo, soltando um suspiro pesado. — Saiba que foi você que quis isso para si mesmo.

— O quê? Boatos, mentiras, risadas e cochichos sobre eu ser uma vadia? Fui eu que quis? — ela ri debochada.

— Do que está falando? — não sabia aonde ela queria chegar com aquela conversa.

— Momo, aquela desgraçada, espalhou boatos de mim — agora eu me lembrei do que aconteceu naquela época. — Eu descobri só quando voltei para cá, ontem. Eu espanquei minha linda irmãzinha e descobri através do celular dela. Rio conversa com a Sana e descobri tudo que preciso para destruir vocês três.

— Miho — chego bem perto da garota, mordendo o lábio e cruzando os braços. — Se fizer qualquer coisa com as duas, você terá um preço para pagar e quem irá cobra-lo será eu.

 Me distancio de novo, esperando que ela retrucasse comigo. Contudo, a única reação da garota foi rir cinicamente. Passando as mãos em meus cabelos e os puxando para trás, deixando que uma franja caísse sobre meu rosto, solto um suspiro.

— Ah, Miho — a encaro. — Eu sabia que você voltaria, mas pensava que viria assustadora. Só que, olhe isso — rio irônica. — Tenta me passar medo, mas a única coisa que consegue é nojo e pena. Miho, você continua a mesma idiota de sempre.  

 A garota estava visivelmente irritada, cerrando os punhos e mordendo o lábio com força a ponto de corta-lo com os próprios dentes. 

— Eu sou pior que você, Mina. Não brinque comigo. — ela ameaça.

— Ei — a fito, transparecendo um olhar demoníaco. — Quem não deve brincar aqui é você comigo. Pare de ser uma invejosa e tentar passar uma imagem de vadia má, pois ela já pertence a mim. 

 Isso foi o suficiente para Miho Ozawa partir para cima de mim com total fúria e ira. Eu senti uma ardência quando a desgraçada arrancou um pedacinho de minha pele facial. Em reação, dei um puxão forte em seus cabelos e logo um tapa fortíssimo na cabeça.

Momo.

 O meu plano de ir para Paris se foi por água abaixo quando soube que Miho já estava aqui há um bom tempo. Sana e eu não fomos à escola hoje e nem sequer sabemos as novidades de Mina. 

 Sana estava preocupada com toda essa situação – Miho a enfurecia internamente. Essa garota, por mais que não pareça, é o Diabo como pessoa.

 Fazendo carícias em seu rostinho, logo a garota deu uma cochilada. Me levanto vagarosamente da cama e vou até ao notebook ver o que tem pelas redes sociais. 

 Com tédio, descia a tela a todo tipo de postagem de gente patética. Ei, calma aí. Fotos minhas? Clico no álbum e vejo mais imagens minhas, de Sana e principalmente de Mina e o povo estava a colocando diversos nomes. 

 Esse é o nosso fim. 


Notas Finais


e aí, estão gostando? ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...