História Enquanto Você Dormia - Capítulo 28


Escrita por: ~

Exibições 168
Palavras 3.020
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


PAM PUM

Capítulo 28 - Chapter Twenty Seven


Fanfic / Fanfiction Enquanto Você Dormia - Capítulo 28 - Chapter Twenty Seven

Eu engulo em seco e me calo. Igor apenas sorriu, deitou sua cabeça na minha barriga. Levo minha mão até sua cabeça e faço um carinho ali, ouvindo a respiração de Igor se regularizando de pouco em pouco, até que caiu gradavitamente caiu no sono. Olho pro lado, vendo o relógio marcar pouco mais das três da manhã. 

Minha mente estava um turbilhão depois do que Igor disse. Eu passo a lembrar dos nossos momentos juntos, do quanto ele fez e me faz feliz. Do quanto ele se desdobrava, se virava, só pra me fazer rir. Ele gritava aos quatro canto o quanto me amava e eu boba, desistir de nós. 

Em meio a tantos pesamentos, caio no sono. 

Dia seguinte...

- Deixa eles dormirem. - ouço alguém falar. 

Ouço alguns burburinhos. Alguns não, MUITOS. Abro meu olhos e fechando em seguida, me acostumando com a claridade. Coço meus olhos e olho pro lados, dando de cara com Day, Lukas, Júlio, Rebeca, Suellen e Pedro. Igor se remexe e também acorda. Ele boceja, coça os olhos e me dá um selinho. 

- Bom dia, minha menina. Bom dia, entrometidos. - disse sonolento. Gemeu de dor e colocou a mão na cabeça. - Eu não deveria ter exagerado tant.. - eu o corto. 

- Ainda bem que você sabe. - rolo os olhos. 

- Não, Lice. - disse. Eu o olho sem entender. 

- O que foi? - arqueio a sobrancelha. 

- Você não vai me dar sermão agora, né? - perguntou e gemeu de dor em seguida. - AI!

Dou um sorrisinho e nego com a cabeça. 

- Vai tomar um banho, porquinho. Eu vou fazer um café forte pra você! - sorrio. 

Igor se levanta, deixa um beijo na testa da sua irmã, cumprimenta o restante e sobe as escadas reclamando de dor de cabeça. Eu me sento no sofá, passo a mão no rosto e sinto olhares sob mim. 

- Estão me olhando demais. - digo. - Perderam alguma coisa? - me olharam com uma cara maliciosa. - Credo, gente!

Elas riem. O único que não esboçava reação era Júlio, estava intacto no mesmo lugar de quando eu abrir meus olhos. O seu maxilar estava travado e seu rosto estava sem nenhuma linha de expressão. Sério. 

- LiGão de volta? - Suh bateu palminhas. 

Rolo os olhos. 

- O que? Não, Suh. Nada disso. - digo seca. - Igor e eu não voltamos. 

- Eu vou fingir que acredito... - fez um cara maliciosa.

Reviro os olhos novamente. Dou um tapinha na nuca de Suellen e peço que ela vá buscar um shorts de Igor, pois eu estava só de calçinha e moletom. 

- POR QUE VOCÊ TÁ DE CALÇINHA E MOLETOM? - Suellen gritou e eu nego com a cabeça. Ela coloca a mão na boca e dá uma risada nasal. - Foi mal, Ali. 

- Ai, tá! Agora vai lá buscar o que eu mandei... - faço pouco caso. Suellen rir e sobe as escadas. Eu nego com a cabeça, respiro fundo e olho pro restante do pessoal. - Não. Me. Perguntem. Nada. - digo pausadamente. 

Dayane riu e levantou seus braços em forma de redenção. 

3 dias depois...

Igor Cavalari

Aperto a campainha da casa de Suellen e bato pé, esperando a mesma vir me atender. Olho em meu relógio de pulso e marcava pouco mais das oito da noite. Ouço a maçaneta girar e Pedro aparecer, com Helena agarrada no seu pé. 

- Olha filha, é seu tio! - pegou Helena no colo que abriu a boca a chorar. - O que é isso, meu amor? É só o seu tio. 

- Ih, ala. Tá com medo do tio agora é, baixinha? - bagunço o cabelo de Helena. - Eu trouxe presente pra você. - mostro a sacola. Helena abre os braços e se joga no meu colo. 

- Ai tiw, olha que interesseira essa Helena! - Pedro riu. 

Eu acompanho o riso de Pedro e ajeito Helena no meu colo.

- E ai Pedro, me diz como que é a vida de casado? - pergunto. 

Pedro manda eu entrar e assim faço. Entro, ando em direção ao sofá e me sento. Coloco Helena sentada no tapete vermelho, tiro a caixa de dentro da sacola  e entrego a caixa de porte médio para ela. 

- Até agora, vai bem. - respondeu rindo e ajudando Helena abrir o presente. - Nossa, esse pacote é pesado. O que tem aqui dentro? 

- Eu não sei. - dou risada. - Não fui em quem escolhi, foi a Dayane. - ele assentiu. - Quando vai ser a lua de mel?

- Daqui á umas três semanas. Estou esperando as provas da faculdade acabar. - respondeu. 

- Já sabem pra onde vão? - ele balançou a cabeça, afirmando.

- Fernando de Noronha. - respondeu. 

Sorrio. 

- Bela escolha, belo lugar.  - digo sem olhar-ló. Tinha meus olhares voltados a Helena que abria o pacote com muita dificuldade. - Onde está Suellen?

- No quarto fofocando com as garotas. - disse. 

Estico meu braço e ajudo Helena a terminar de abrir o pacote, tirando de lá uma casa de bonecas. Helena deu um gritinho de felicidade e bateu palminhas. 

- Gostou, baixinha? - ela riu como se dissesse sim, sorrio e dou-lhe um beijo. Ajeito-me no sofá e olho para Pedro. - Quais garotas?

- Clara, Laura e a Belle. - respondeu. - Estão conversando sobre o mal estar que a Alice teve hoje de manhã e foi parar no hospital. 

Me engasgo com a saliva. 

- Alice? - perguntei. 

- Sim, a Alice. - reforçou. Arqueou as sobrancelhas e cruzou os braços. - Não ficou sabendo?

- Não, mano. Não fiquei sabendo de nada. - digo. - Posso subir lá e falar com a Suellen?

Pedro assentiu. Jogo a sacola em cima do sofá, ando em direção as escadas e subo a mesma apressadamente. Passo pelo corredor e ando depressa até o quarto de Suellen, que era o último. Ponho a mão na maçaneta, giro-a e entro no quarto da minha irmã. 

- Ela não me contou a causa do mal estar. Alice fez diversos exames mas não achou o resultado seguro o suficiente, dia dezoito de julho ela vai fazer outro exame pra ter a certeza. Esse é mais um dos motivos por ela não poder ir ao aniversário de vinte anos do Igor. - ouço meu nome. Dou um pigarro e me encosto na parede. - PORRA IGOR! - gritou Suellen e me tacou uma almofada. - Nossa meu, que susto!!

- Qual das pirralhas vai me contar primeiro o que aconteceu com a Alice? - cruzo os braços e arqueio as sobrancelhas. 

- Eu não sou pirral... - a cortei. 

- Isabelle, cala a boca. Você tem 15 anos! - digo. Belle me taca uma almofada. 

- Grosso! - reclamou. 

- É o meu pau. - solto sem pensar. - Agora me digam o que aconteceu com a Alice. 

Suellen revira os olhos e me manda sentar numa poltrona que tinha ao lado da sua cama. Eu me sento, jogo meus pés no seu colo e ela reclama. Mando-lhe dedo do meio, ela revira os olhos e eu peço que ela me conte tudo que aconteceu com Alice. 

Ela explicava tudo detalhadamente, sem pressa. Explicou tudo de ínicio ao fim. Deu detalhes, disse quais foram os sintomas que fez Alice parar no hospital, por quais exames ela passou e a qual médico ela foi. 

- Ela não quis te falar o resultado dos exames? - perguntei curioso e ao mesmo tempo, preocupado. 

- Não. Alice só sabia chorar, soluçar e tudo mais. - Clara se manifestou. 

- Cla, você acha que pode ser algo grave? - digo de cabeça baixa. 

Clara sorriu de lado. Veio até mim, abaixou-se e segurou em minhas mãos. 

- Nós estamos torcendo que não seja nada grave. Se for, estaremos dando forças a Alice. - sorriu e acarinhou minhas mãos. 

Eu seguro o choro. Não acho feio homem chorar pela mulher que ama, mas ali eu precisava me manter forte caso chegasse alguma coisa ruim. Funguei e levantei minha cabeça. 

- Estava tudo pronto para que eu pedisse-a em namoro amanhã, dia quinze. Ou seja, três dias antes do meu aniversário. - digo olhando pro teto. 

- Você quer pedir a Alice em namoro? - Suellen praticamente grita. Eu concordo com a cabeça, olhando pro teto. - Desembucha... Qual o plano? - olho para minha irmã e arqueio as sobrancelhas.  - Você quer pedir a Alice em namoro, não quer? - ela sorriu. 

Eu sorrio de volta, concordando com a cabeça. Eu me jogo na cama de Suellen e conto tudo que planejei. 

Dia 15, pedido de namoro. 

Alice Olioti. 

Estava sozinha em casa, trancada no meu quarto e refletindo tudo que aconteceu comigo em apenas 2 semanas que voltei para o Brasil. Foi tudo muito rápido, como um choque. Não imaginava encontrar Igor tão rápido e principalmente que isso viesse acontecer. 

Ouço meu celular vibrar. Levanto-me da cama, vou até a penteadeira, pego meu celular e vejo seu nome brilhar na tela. Respiro fundo, desbloqueio meu celular e abro sua mensagem. 

Igão: Ali, me encontre no seu parque preferido! No Chico Mendes. Estou esperando você no coreto! Vem o mais rápido que você puder, só toma cuidado com esse trânsito. 

Te amo!

Eu me pego sorrindo feito uma boba. Em tempos de redes-sociais, texto SMS era raro. Digamos... é uma prova de amor!

Arrumo-me o mais rápido que posso. Visto um moletom vermelho, ponho uma calça e um sapatênis. Não passo nada de maquiagem, borrifo apenas um pouco de perfume, deixo meus cabelos soltos mesmo e pego meu celular em cima da penteadeira. Desço as escadas apressadamente e pego as chaves do meu carro em cima do criado mudo.

Abro a porta, pego a chave, ponho a fechadura pelo lado de fora e tranco toda a casa. Ando até meu carro que estava estacionado na frente de casa, destravo as portas do mesmo e entro, jogando as chaves da minha casa dentro do porta-moedas. Antes de pôr a chave na ignição, pego meu celular e respondo a mensagem de Igor. 

Alice: Eu estou indo. 

Te amo!

Igão: Estou te esperando, pequena. 

Te amo!

Jogo o celular também dentro do porta-moedas, ponho a chave a ignição e saio cantando pneu. 

...

Estaciono meu carro no estacionamento do parque, desço, travo as portas do carro e sigo para o portão de entrada. Ando apressadamente, louca para encontrar Igor e saber o que ele quer conversar comigo. 

- Oi, moça. - o segurança da parque me para. - Qual seu nome? 

- É Alice Olioti. - respondo. - Por que? Há algo de errado? 

- Não. - ele riu e me estendeu um bilhete num papel vermelho. - Me pediram pra te entregar. 

Eu aceito o bilhete, meio relutante. Agradeço e saio andando em seguida, olhando pra trás vendo o segurança sorrir e olhando pro bilhete sem entender nada. Eu paro entre umas árvores e abro o bilhete, me surpreendo com a letra de Igor naquele pedaço de papel.

''Não fica assustada, meu amor. Só quero que você veja o quanto eu te amo e esses bilhetes dirão tudo e mais um pouco. 

PS: eles estão grudados nas árvores''

Arqueio a sobrancelha. Puta que me pariu... O que o Igor andou aprontando? 

Olho para uma das árvores que estavam entre mim, avisto um bilhete da mesma cor preso. Eu arranco do tronco da árvore, o pego e em seguida e leio o que estava escrito. 

''Sabe... conhecer você foi como nascer novamente; Ter você mesmo que por alguns dias, foi algo mais importante que pode me acontecer.''

Sorrio boba. Ando mais alguns metros e encontro outro bilhete preso num tronco de árvore. O arranco e leio. 

''Apesar dessa tua marra, você me faz o homem mais feliz desse mundo.''

Ah Igor... como você me deixa completamente derretida!

Vou andando, seguindo o caminho que tem que ser feito para chegar no coreto. Encontro outro bilhete. 

''Se sempre que olho nos seus olhos, você prende minha atenção, não há outro lugar onde eu vou querer estar a não ser a seu lado. É o seu jeito de sorrir que é demasiado cativante, é a sua forma de falar que me deixa encantado. Você é linda, simplesmente linda e palavras são poucas para definir o quanto.''

Sorrio. Com tão poucos palavras, já estava com meus olhos cheio de lágrimas. Vou andando, sorrindo feito uma idiota apaixonada e com os bilhetes nas minhas mãos. 

Encontro um outro. 

'''Esta acabando, prometo! ;)''

Coloco juntamente com os outros. Faltava pouco para que eu chegasse até o coreto. Passei por uma ponte feita de madeira, onde no meio dela tinha outro bilhete preso. 

''O tempo passa e muita coisa muda. A pessoa que fui ontem não é a mesma que você conhece hoje. O que continua igual é o sentimento que tenho por você! Isso nunca mudou e você sabe que nunca vai mudar. ''

Como eu te amo, Igor. Como eu te amo. 

Termino de fazer o trajeto da ponte. Ando por mais alguns minutos até que paro em baixo de uma árvore para descansar, onde encontro um outro bilhete. 

''É que apesar da nossa relação não ter dado certo no passado, isso não significa que não tenhamos um futuro muito especial. Por favor, eu preciso que você entenda que sem você do meu lado eu não consigo ser feliz, viver intensamente os dias, desfrutar das belezas do mundo. ''

Me rendo em lágrimas. O igor era tão maravilhoso, tão fofo, tão... ele. Como fui burra de ter deixado um garoto como esses escapar pelas minhas mãos?

Descanso. Assim, volto meu trajeto encontrando um tronco rabiscado de giz com uma carinha e uma frase:

''Você tem o sorriso mais lindo que já vi.. :)''

Balanço a cabeça negativamente e sorrio boba. Avisto o coreto e ando apressadamente até ele, vendo um bilhete no chão do mesmo. O pego e leio em voz alta:

- Eu jamais vou desistir de você, de nós, de mim! Vamos dar uma chance para nossa história? - termino de ler o bilhete, olho pros lados e não encontro ninguém. Será uma pegadinha de Igor? 

Sinto alguém agarrar na minha cintura e sorrir ao meu pé do ouvido. Sinto seu cheiro... era ele!

- Então... Você quer namorar comigo? - sussurrou no meu ouvido. 

Eu sorrio de ponta a ponta, me viro e agarro pelo seu pescoço, lhe tascando um beijo. Suas mãos fizeram carinho na minhas costas enquanto as minhas alisava sua nuca. Sorrio entre o beijo. Como era gostoso seu beijo, como te trazia tantas emoções num toque. 

- Isso te responde alguma coisa? - sorrio. Ele sorrir também, me dá um selinho e me entrega o buquê. 

Igor tira uma caixinha de veludo do seu bolso, se ajoelha e abre. 

- Aceita? - sorriu. 

- Aceito, né! - respondo. 

Igor tira a aliança do bolso, põe no meu dedo e eu seguido eu coloco no dele. Ele me abraça pela cintura, me gira no ar e do nada surge aqueles seres entrometidos batendo palmas e gritando. Ele me coloca no chão e tira logo seu celular do bolso, tirando uma foto de nossas sombras e postando diretamente no seu instagram. 

'[email protected]Te amo, A.''

Gerou um furdúncio. Queriam saber quem eram. Uns desejavam felicidades, uns não gostavam mas aceitavam e outros até desejaram minha morte. Eu só sabia apenas rir dos comentários infelizes. Em seguida, Igor gravou um snap dizendo que o que ninguém sabe ninguém estraga. 

Eu me recordo de que tinha uma foto antiga de nossas mãos dadas. Abro minha galeria e mando a foto pro instagram. 

[email protected]O que ninguém sabe, ninguém estraga''

Rimos. E ficamos ali o fim da tarde... agarradinhos. 

18 de julho, aniversário de Igor. 

Hoje o Igor estava completando vinte anos. Eu o prometi que iria curtir nem que seja o fim da sua festa de aniversário, mas que antes iria ao hospital pegar o resultado dos meus exames para ter a certeza dos resultados que havia dado nos outros dois. 

- Alice Olioti? - doutor Moura apareceu na porta de sua sala e me chamou. 

- Eu! - me levanto. 

- Venha até minha sala, por favor. - disse sorrindo. Eu engulo em seco. 

Concordo com a cabeça e sigo doutor Moura. Entro na sua sala, fecho a porta e sento-me na cadeira á sua frente. 

- E ai, doutor? - pergunto ansiosa. Minhas mãos suavam. 

- Bom, suas suspeitas se confirmaram. - arregalo os olhos. - Você e o Igor serão papais!

Sorrio. Não sei se de felicidade ou de nervosismo.

- Sério, doutor? Não tem nada errado ai? - reforçei.

- Super, Alice. Nós tiramos 3 amostras do seu sangue como foi pedido por você, fizemos o de urina e todos deram positivo. - disse. - Parabéns, Alice. 

- Obrigada, eu acho. - respondo pasma. 

Em poucos minutos essa notícia já me trouxe milhões de pensamentos do tipo: ''será que vou ser uma boa mãe?'', ''será que eu vou saber cuidar de um bebê?''. Se eu não soubesse, teria que aprender, né? Agora somos três. Eu, o Igor e o/a neném. 

Apesar de ainda pasma, a sensação de ter um ser fruto do meu amor e o de Igor crescendo dentro de mim novamente era uma sensação surreal. O choro a partir de agora seria de felicidade. Apesar de sermos novos, Igor e eu teríamos nossa própria base: uma família!

O médico me passou algumas recomendações. Ele me pediu que voltasse mês que vem para primeira ultrassonografia. Entro no táxi feliz e ao mesmo tempo, pasma. Desbloqueio o meu celular, abro a conversa de Igor e respiro fundo antes de mandar mensagem para Igor. 

Whatsapp ON.

Alice Olioti: Prepare-se, você vai sentir o amor maior do mundo, e ele só aumenta, não sei como sabe no coração da gente. 

Meu Amor: q q cê tá falando sua doida?

Alice Olioti: Amor? 

Meu Amor: oi?

Alice Olioti: Você vai ser papai *emoji coração*

 



 

 


Notas Finais


Yay pissoas! Aqui quem vos fala é Lara, uma amiga da Cazzle. Ela estava meio cabisbaixa com algumas coisas e nós chamamos ela pra vir aqui na nossa casa, pra beber umas catuabas e ficar de resenha, mas o provável aconteceu: ela embebedou!
E como ela não quis deixar vocês sem o capítulo de hoje, cá eu estou pra postar pra vocês. Eu peço que em primeiro: me desculpem os erros, não sou muito boa em português alsklakslas e em segundo: eu não sei como funciona uma fanfic, pois numa escrevi uma, espero que colaborem com isso também.

NÃO MUDEI NADA NO CAPÍTULO! O CAPÍTULO TÁ DO MESMO JEITO QUE A CAZZ PASSOU PRA MIM NO PAPEL!

Spoilers: Vão ter mais duas personagens grávidas nessa fic até a reta final dela (capítulo 35) e deixem sugestões de quem seja!

Quarto de brinquedos da Helena: http://www.pintinhoamarelinho.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2015/01/Melhores-brinquedos-at%C3%A9-3-anos-02.jpg
Quarto de brinquedos da Helena part2: http://static-minhasdikas.gcampaner.com.br/wp-content/uploads/2013/10/043Bruna-3-anos.jpg?x45902
Porta maternidade grudado na porta do quarto de brinquedos: http://img.elo7.com.br/product/zoom/E6C4A2/porta-maternidade-provencal-helena-enfeite-de-quarto-menina.jpg
Casa de boneca: https://imgoingbackto505blog.files.wordpress.com/2014/03/casa-muc3b1ecas-altaya.jpg
Quarto de Helena: http://www.quartosdemeninas.com/qm-c/uploads/2014/01/criado-para-quarto-juvenil-princesas-star_MLB-F-207705587_1074.jpg

Fernando de Noronha pra quem não conheçe: https://www.google.com.br/search?q=Fernando+de+Noronha&biw=1024&bih=662&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwjFttn0-dvPAhWRnJAKHTrYBBwQ_AUIBygC

Foto postada por Igor: https://scontent.cdninstagram.com/hphotos-xpf1/t51.2885-15/e15/11085142_402264406620646_186188665_n.jpg
Foto postada por Alice: http://difundir.org/wp-content/uploads/2016/05/t63-768x1024.jpg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...