História Entrada sem saída!!! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P, B1A4, DAY6, EXO, Got7, Monsta X, Red Velvet, SHINee, VIXX
Personagens Baekhyun, Chanyeol, CNU, Himchan, Hyuk, Irene, Jae, Jongup, Kai, Ki Hyun, Sehun, Taemin Lee, Won Ho, Youngjae
Exibições 13
Palavras 1.748
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Festa, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vamos a mais uma fic e espero que vocês gostem.
Vamos começar.

Capítulo 1 - A proposta de emprego!!!


Fanfic / Fanfiction Entrada sem saída!!! - Capítulo 1 - A proposta de emprego!!!

Olá, aqui quem vos fala é a Irene, sou uma jovem coreana de 21 anos que mora numa pequena kit net de três compartimentos com uma amiga e está desempregada. 

Pois é gente, eu estou desempregada a 6 meses e ja não aguento mais esse sufoco, sim sufoco, chamo assim porque pra mim é muito ruim ficar sem trabalhar, pois odeio depender dos outros, eu sempre gostei de ter meu próprio dinheiro pra pagar minhas contas e comprar minhas coisas, mas a 6 meses eu não consigo um trabalho e venho dependendo da minha amiga Mynzi, ela que paga todas as contas e faz a mercearia do mês, isso me doe, pois queria poder ajudar, só que o que mais me doe não é isso, mas sim quando a Mynzi me joga umas indiretas, deixando claro que estou encomodando, mas eu tenho fé que isso logo logo vai mudar, pois a tempos estou igual uma louca procurando um emprego e estou disposta a aceitar o primeiro que aparecer.

E em uma manhã de sábado uma surpresa surgiu em minha vida, algo maravilhoso que talvez me salvaria e me tiraria dessa situação chata. Eram 6:40 da manhã quando eu levantei da única cama que tinha onde eu morava e que tinha que dividir com a MYnzi. Após levantar, eu fui tomar banho, depois eu vesti uma roupa confortável, fiz um coque meio bagunçado em meus cabelos e saí do quarto, indo pra cozinha, onde fiz um café, botei em uma xícara pra mim e fui pra sala, lá eu sentei no pequeno sofá que tinha naquele local, peguei meu notebook, abri o Google, entrei em uma página de empregos e mais uma vez iniciei a minha busca por um trabalho. 

Já faziam quase duas horas que eu estava com a minha visão focada na tela do meu Notebook procurando um trabalho, mas ainda não tinha encontrado nada, só um anúncio de emprego que estava piscando no canto da tela dizendo "Clique aqui e estará empregado", mas eu não cliquei porque sou meio cabreira com essas coisas, ja fui trolada sabe, então prefiro não confiar mas. 

Pois bem, eu estava de boa ainda fazendo a minha busca, quando a Mynzi saiu do quarto com a cara meio emburrada e foi pra cozinha, onde ela encheu uma xícara com café, depois ela voltou pra sala e sentou de frente pra mim, eu confesso que ja estava cansada daquela situação, eu e Mynzi eramos amigas de infância, lutamos na vida sempre juntas, decidimos juntas sair da casa dos nossos pais e lutar pra vencer na vida e agora só porque eu fiquei desempregada, ela ficava me tratando com diferença, isso não é ser amiga, eu vou arrumar um trabalho e de preferência que seja daqueles que dão até moradia e vou deixar ela sozinha na casa dela. Mynzi estava ainda emburrada e tomando seu café, ela não trocou uma palavra comigo e eu odiava aquilo, odiava aquele clima chato entre nós duas e pra quebrar o gelo, eu puxei assunto.

Irene: Mynzi podemos conversar? - perguntei olhando pro Notebook e ela nem me olhou.

Mynzi: Unrhum, fala aí. - ela falou fria e eu quis chorar, é sério, isso doe.

Irene: Mynzi eu vou ser sincera com você, eu tô me sentindo muito mau com o jeito que você ta me tratando. - falei com minha voz trêmula de quem queria chorar e ela me olhou séria.

Mynzi: Eu tô te tratando normal Irene. - ela falou séria e eu abaixei a cabeça.

Irene: Não ta não Mynzi, poxa eu sei que você ta aperriada pagando tudo sozinha, mas eu tô lutando pra arranjar um emprego pra te ajudar, só que não tenho culpa se ainda não consegui. - falei triste e ela sentou do meu lado e botou uma mão na minha perna direita.

Mynzi: Desculpa se fiz você achar que tô chateada porque você ta desempregada, mas não é isso amiga, o caso é que eu tô cansada sabe, venho trabalhando o dobro na cafeteria porque duas funcionárias foram despedidas e o meu chefe se nega em contratar alguem, eu tô me acabando ali, sinto dores demais a noite toda e cedo levanto pra ir trabalhar de novo, me desculpa, por favor. - ela falou chorando e eu deitei a cabeça em seu ombro.

Irene: Tudo bem amiga, eu continuo procurando um emprego, mas ainda não achei, juro que quando achar, eu vou te ajudar. - falei calma e ela fez carinho nos meus cabelos.

Mynzi: O que ta procurando nesse computador? - ela perguntou olhando pra tela do Notebook e eu virei o mesmo pra ela.

Irene: Eu tava acessando o bando de empregos, mas não achei nenhum. - falei desanimada e ela pôs uma mão no mouse e ficou procurando por algo.

Mynzi: Huuuum e esse anúncio que ta piscando aqui? você ja viu? ja clicou nele? - ela perguntou levando a setinha até o anúncio e quando foi clicando, eu a impedi batendo em sua mão.

Iren: Não, ta maluca? Não clica nisso. - falei meio nervosa e ela me olhou assustada.

Mynzi: Eita, porque não pode clicar nisso? é apenas uma proposta de emprego.

Irene: Eu sei, mas vai que é um trote, eu ja fui trolada uma vez. - falei preocupada e ela sorriu fraco batendo de leve no meu ombro.

Mynzi: Larga de ser boba, se for trote, é só não seguir enfrente, tenta amiga, vai que é algo bom e sério. - ela falou firme e eu me pus a pensar que talvez ela tivesse razão e mesmo, eu precisava de um emprego com urgência, então resolvi tentar.

Irene: Ta, eu vou tentar. - falei pegando o mouse, em seguida levei a setinha de novo até o anúncio e cliquei, derrepente apareceu uma ficha pedindo alguns dados meus, poucas coisas como nome, endereço e número de telefone e algumas perguntas meio que pessoais, mas nada abusivo. Eu li toda a ficha e fiquei na dúvida se respondia.

Irene: Olha Mynzi, estão pedindo dados meus, tô com medo de responder e ser algum criminoso. - falei preocupada e a Mynzi apertou de leve a minha cocha.

Mynzi: tenta boba, vai dá certo, eu sinto isso. - ela falou sorridente e mais uma vez eu resolvi confiar.

Irene: Ta né, vamos lá. - eu falei botando a setinha na primeira pergunta e comecei a responder a ficha, com cautela é claro, sério, eu tenho muito medo dessas coisas, mas a necessidade falava mais alto agora.

Depois que preenchi toda a ficha de perguntas, eu revisei tudo antes de clicar pra confirmar, pensei um pouco antes de clicar e após uns 10 minutos pensando, eu finalmente cliquei e logo em seguida apareceu um anúncio na tela que dizia:

Anúncio:

Parabéns, você está empregada e se seu número de telefone for mesmo este e estiver ativo, você receberá uma ligação em até 5 minutos.

Depois de lê aquilo, eu me lembrei que tinha deixado meu celular no quarto e então levantei depressa do sofá e fui buscar o mesmo. Quando cheguei no quarto, eu olhei meu celular encima da cômoda e quando fui pegando ele, o mesmo começou a tocar, eu então o peguei, vi que era um número desconhecido e fui pra sala com medo de atender.

Irene: Mynzi, estão me ligando, o que eu faço? tô com medo. - falei tremendo com o celular tocando na minha mão e a Mynzi revirou os olhos.

Mynzi: Antende logo medrosa. - ela falou impaciente e eu olhei mais uma vez pro celular que não parava de tocar.

Irene: Me ajude senhor, não deixe que seja um sequestrador ou algo do tipo. - falei em oração e atendi a ligação, enquanto a Mynzi sorria do meu medo.

Ligação on...

Irene: A-alô.

Taemin: Bom dia senhorita Irene, tudo bom?

Irene: Anrham, quem ta falando?

Taemin: Sou o filho do seu patrão, me chamo Taemin.

Irene: Ata, e porque você ta me ligando e não ele?

Taemin: Porque ele está chegando de viagem hoje e sou eu quem resolve essas coisas pra ele.

Irene: Ata, sim, me explica como é esse emprego, é de que?

Taemin: Primeiro fique calma, não tenha medo, eu não sou um sequestrador e nem nada do tipo, ok?

Irene: Hã?

Taemin: Nada, deixa eu lhe explicar, o trabalho que meu pai está oferecendo é pra cuidar de pessoas especiais e você aceitou, então arrume suas coisas e espere que na segunda-feira o nosso motorista irá busca-la.

Irene: Mas... espera, eu tô confusa, é pra cuidar de pessoas especiais?

Taemin: Sim.

Irene: Tipo deficientes?

Taemin: Não, especiais senhorita.

Irene: Sei, e porque tenho que levar minhas coisas.

Taemin: Porque oferecemos moradia.

Irene: Ata, essa parte eu gostei.

Taemin: Ótimo.

Irene: Agora me diz uma coisa, se caso eu não quiser ficar, vocês mandam vim me deixar? porque vou ter que fazer teste ainda né?

Taemin: Não, você aceitou, assinou e nos enviou sua ficha, agora não tem mais volta.

Irene: Nossa, assim eu fico com medo.

Taemin: Calma, ja falei que somos pessoas de bem, não vamos lhe fazer mau algum, apenas queremos alguem que tenha paciência e força de vontade pra trabalhar e que não desista tão fácil.

Irene: Ta certo então, eu vou sim e espero que goste.

Taemin: Ótimo, lhe espero na segunda, até lá senhorita, tenha um ótimo fim de semana e boa sorte, tchau.

Irene: Tchau.

Ligação off!

Após encerrar a ligação em que eu falava com o filho do meu suposto novo patrão, eu me sentei no sofá meio pensativa e a Mynzi começou logo a me interrogar.

Mynzi: Iai? o que deu? - ela perguntou me olhando curiosa e eu olhava pro nada.

Irene: Hã? ah ele falou que o trabalho é pra cuidar de pessoas especiais e que eles dão moradia. - falei ainda pensando em tudo o que ele falou e a Mynzi me sacudiu.

Mynzi: Acorda doida, você vai aceitar? - ela perguntou meio séria e eu me pus a pensar naquela tal hipótese.

Irene: Amiga eu nem sei, ele falou que agora que aceitei não posso voltar atrás, tô com medo disso Mynzi. - falei preocupada e ela me abraçou.

Mynzi: Calma medrosa, que mau uma pessoa especial faria pra você? hun? Fica calma, talvez sejam crianças especiais ou idosos. - ela falou ja apertando minhas bochechas e eu sorri disfarçada, pois estava tremendo de medo por dentro.

Irene: Ta certo, vamos ver no que isso vai dá, qualquer coisa eu desisto e venho embora. - falei me ajeitando no sofá, em seguida liguei a TV e fiquei assistindo, enquanto a Mynzi foi se arrumar pra ir trabalhar. 

Agora é só esperar chegar a segunda-feira e ver que emprego tão misterioso é esse e que dê tudo certo, tô com medo, mas também tô ansiosa.


Notas Finais


Huuum, será que emprego é esse que a Irene vai trabalhar?
Espero que gostem dessa fic, vou me esforçar bastante nela.
Beijos e até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...