História Entre a Calmaria e a Tempestade - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 1
Palavras 463
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Um capítulo um pouco diferente, saiba um pouco mais sobre o passado daquele que é tão gentil...

Capítulo 8 - Lembranças


Fanfic / Fanfiction Entre a Calmaria e a Tempestade - Capítulo 8 - Lembranças

Acabei de me mudar para Oxford, meus tios moram aqui, tive que me mudar por causa de um trauma que tive a alguns meses, minha família e amigos foram massacrados, virei órfão por causa de um demônio maior chamado Ralf... não tive força suficiente para mata-lo, lutei com tudo o que eu tinha e foi inútil… me vi preso enquanto vivenciava aquele derramamento de sangue,impotente naquela noite fria.

Caminhando pela noite para esfriar minhas ideias Ralf aparece atrás de mim e como um reflexo levo minha espada na direção de sua garganta, ele a segura com uma única mão prevendo meu movimento. Ele me observa por um tempo sorrindo enviesadamente, meus olhos se enchem de fúria, ver o culpado por tantas mortes, o culpado por minha dor.

Com a cabeça a mil, pensando naquelas pessoas que tanto amei ele matou todos enquanto me manteve preso e dopado por longas doses de veneno demoníaco, definitivamente a pior experiência na minha vida. Ralf se põe a falar "lembra do que eu te disse naquela noite? O fraco garotinho está me ouvindo?"

"Sim estou" disse ríspidamente

"Quero que trabalhe pra mim, fraco como é não existe outra forma de impedir que eu faça tantos massacres, não é? mas se fize-Los por mim talvez melhore um pouco"

Se eu matar pra ele as pessoas não sofrerão tanto poderei diminuir ao máximo as vítimas…

"Aceito" responde pausadamente

"Não pensei que aceitaria tão rápido, se não teria vindo antes" e saiu gargalhando enquanto eu caminhava depois dele.

Demônios se alimentam de dor, sofrimento e memórias, com isso ele ficam mais fortes e conseguem passar mais tempo no mundo humano, a morte em massa gera toda dor e sofrimento que eles gostam e precisam.

Aos 9 anos fui trabalhar como assasino para ralf, o demônio que assasinou minha família, meu intuito era diminuir o número de mortes mas apartir de um tempo que promovia massacres era eu, eles eram rápidos e letais para ninguém sofrer como eu, sobrevivia com um passado sombrio em minha história.

Eu sou James flumine e essa é a história da minha infância, um assasino que se juntou ao seu maior inimigo por não conseguir dete-lo. Decidido a ir fazer meu último trabalho pra ele agora, após 8 anos fazendo o que odeio, dízimo uma família inteira 5 pessoas sem esquecer ninguém e vou para uma boate acabar com minhas mágoas em uma lata de coca.

Um pouco desacostumado com músicas tão altas vou para o balcão compra uma latinha, sento ao lado de uma garota de cabelos escuros e óculos Pretos. Diferente de todas as garotas que conheci nesse ramo estranho ela está tão deslocada quanto eu naquele lugar, calma e simpática, quente como um raio de sol nas lindas flores da primavera.

E nessa noite pela primeira vez a primavera florece dentro de mim


Notas Finais


Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...