História Entre a lei e o Crime - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cara Delevingne, Ian Somerhalder, Jared Leto, Margot Robbie
Personagens Cara Delevingne, Ian Somerhalder, Jared Leto, Margot Robbie, Personagens Originais
Visualizações 54
Palavras 2.307
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Luta, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então, aqui mais um capítulo ❤. Espero que vocês gostem, boa leitura.

Capítulo 17 - The Assault Part 1 - O assalto parte 1


Fanfic / Fanfiction Entre a lei e o Crime - Capítulo 17 - The Assault Part 1 - O assalto parte 1

Cap. 17

Uma semana depois.....

Sábado 06:56 AM

Jared P.O.V

- Então está tudo resolvido?

Hoje roubamos aquele banco dos infernos. - Falei.

Eu estava muito apreensivo, era a primeira vez que eu e minha equipe iriamos roubar algo sem ser do modo tradicional, meu plano era infalível.

- Shannon não vai, é sério. - A Caruda implorava pra ele não entrar nessa comigo.

Imprestável.

- Meu amor eu tenho que ir. meu trabalho é só despistar a polícia, se for necessário. - Ele depositou um beijo na testa dela.

Melação.

Era tudo fácil, o plano é o seguinte:

Nós vamos roubar um carro forte, sem chamar a atenção é claro, ( já temos a rota dele, e o local exato do roubo).

Vamos fazer de refém um dos funcionários que estiver dentro do carro, mataremos os outros e usaremos suas roupas. E por fim, ir ao banco e pegar milhões de dólares e "entregar" para o prefeito de New York city.

- Olha aqui seus lesados de merda, vai ser assim: Eu, o Tomo e o Perneta iremos fazer o serviço. E o Shannon e o Rick irá despistar a polícia caso ela apareça. E no fim, nós vamos ao local de fuga e por todo o dinheiro na van e meter o pé.

- Ainda acho isso super arriscado, tem muita pouca gente. - A insuportável da Cara falou.

- Também acho. - A Constance opinou.

- Jared por um lado elas tem toda a razão, se eu não conseguir despistar a polícia? Só vocês três irão trocar tiros com os policiais? melhor levar reforços.

Esse Shannon sempre quebrando minha moral nesse caralho.

- Porra, vocês me estressam. Tudo bem caralho, quero que alguém esteja me dando cobertura do helicóptero e na van.

- Vai liberar seu helicóptero? - O Perneta perguntou.

- Não, eu vou socar ele todo no seu cú. - Olhei com um olhar mortal para o infeliz e ouvi algumas risadas.

- Rick, providencie tudo.

- Tudo bem. - Ele saiu do escritório.

- Jared você tem certeza que quer ir? - A Constance perguntou para mim.

- Claro, eu estou bem. Nada que umas gostosas mais tarde não resolvam, e também para comemorar minha vitória. - Sentei na poltrona e coloquei meus pés na mesa do escritório.

Meus pensamentos foram parar na loira gostosa, (ah Margot como eu queria te fuder novamente). Mas eu não vou atrás dela, não quero ter um ponto fraco, não sou homem que se apega a ninguém.

Eu já andei pensando muito nela nas últimas semanas.

As cenas daquela noite, não saem da minha cabeça.

Eu não posso estar pensando com a cabeça de cima, só de pensar nela a cabeça de baixo fica animada, (vira a página Jared, é só uma loira boa de cama, maravilhosa que você enganou).

E aliás, ela foi a única que depois de uma foda, não me ligou pra querer mais.

Será que ela não gostou? (Vai se fuder Jared, desde quando tu se preocupa com isso?).

Fui tirado da minha brisa com o Insuportável do Shannon me cutucando e falando meu nome repetidas vezes.

- O que tu quer? - Olhei para o mesmo sem um pingo de paciência.

- Você está bem? exagerou na cocaína ou o quê?

Então prestei atenção e reparei que todos que estavam no escritório haviam saído.

- Estou ótimo, está na hora de ir? - Perguntei desorientado.

- Sim, o Tomo e o perneta estão te esperando lá na sala. O Rick está com quase tudo pronto.

- Que porra, eu passei quantos minutos brisando aqui? - Perguntei e em seguida levantei-me da poltrona.

- Quase uma eternidade, agora vamos porquê vocês não podem perder o horário, ou o plano vai por água a baixo.

Caminhei até a sala de estar onde estavam todos conversando.

Olhei para a cara de todos alí presentes, eu estou animado pra esse assalto.

- Jared, você devia ficar em casa, você não está totalmente recuperado, (minha mãe enche o saco, PUTA QUE PARIU).

- Eu já te falei que eu vou, pelo amor dos Deuses Constance. Vai dar tudo certo, ok? - Falei irritado.

É minha mãe, mas mesmo assim não sou obrigado a ter paciência com porra nenhuma.

- E ai vamos ou não? - Tomo perguntou.

Vamos dizer que depois do que aconteceu semana passada, eu devo uma ao Tomo. Ele ainda tá com o pé fudido, mas não deixa de me servir.

Eu gosto é assim.

Em falar, ainda estou com a mão infachada por conta do tiro de raspão.

- Temos que esperar pelo Rick, só podemos ir quando ele chegar. Nada pode falhar, se não nos fudemos bonito. - Sentei no enorme sofá da sala e observei o Perneta que andava de um lado para o outro. Não me pergunte o porquê dele se chamar assim, e olha que ele não é deficiente físico.

- Está com medo Perneta? - Perguntei.

Ele parou de andar, e me olhou apreensivo.

- Na- na-não, só estou nervoso chefe. - Ele sentou-se em uma poltrona preta e começou a tremer a perna esquerda, de um jeito que estava me irritando.

- Da pra parar de tremer a porra dessa perna?

Está com mal de parkinson ou o quê?

- D-desculpa chefe. - Ele levantou-se e foi para o andar de cima.

A Constance foi para a cozinha, e a Caruda foi agarrar-se com meu irmão.

- Cadê o Jordan? - Olhei para o Tomo e para o Shannon.

- Acho que ele está de folga, Por quê? - Meu irmão perguntou.

- Ele cometeu um erro gravíssimo, e irá pagar por isso.

- Que erro? - Tomo me olhou curioso.

- Lembra dos restos mortais do Paul? a mina que eu peguei viu na hora que ele desovou o corpo, e ele sabe que não era pra ter feito isso. Ele sabe que jogar corpos nesses locais alguém sempre acaba vendo, vou resolver isso antes da polícia ir atrás dele e ele acabar me dedurando.

Antes ele do que eu.

- Foi a Margot? - Shannon perguntou.

- Quem é Margot? - Cara perguntou.

- Aquela mina que ele levou pra ter um jantar "Romântico", deu até flores e chocolates para ela. - Ele me olhou com uma cara de deboche.

- Vai pra casa do Caralho Shann.....

Fui interrompido com o barulho da porta de entrada sendo aberta, olhei para mesma e vi o Rick com uma mala enorme na mão.

- Cheguei, está tudo pronto. Nessa mala está alguns explosivos caso precisemos despistar a polícia, e algumas armas pra abordar os seguranças do carro forte. -

- Cadê os crachás? - Perguntei.

- Está no carro, Shannon você já pode ir eu te encontro no canto marcado. - Rick falou.

- As vans estão no local marcado?

- Sim, só colocar as barras de ouro todas na van, e deixá-las no local combinando.

- Ótimo. - Gargalhei alto.

Alguns Minutos depois.....

- Chefe como você soube que eles vão pegar a carga pra levar para o prefeito? - O perneta perguntou.

- Clonar o telefone do prefeito e invadir seus e-mails e as informações confidenciais do banco não foram uma tarefa difícil pros meus rackers.

Estávamos indo de carro ao caminho marcado, eu e o Perneta sentados no banco do passageiro enquanto o Tomo estava no banco do motorista.

- Poderia me explicar de novo o que devemos fazer? - Esse Perneta deve tá zuando com minha cara.

- Tá doente da cabeça ou o quê? - Olhei para o retrovisor do carro para poder vê-lo.

- É sério chefe. - Ele me olhou desesperado.

Pelos Deuses, preciso da minha cocaína agora.

- Presta atenção seu merda, vamos esperar o carro forte passar, o Tomo vai bater na traseira dele. Na hora que os seguranças descerem nós os abordamos e usaremos as fardas deles, e levaremos um deles conosco, e o Tomo vai ficar com o carro e dar um fim nos caras, entendeu, ou quer que eu desenhe pra você entender, caralho? - Bufei irritado.

- E se alguém nos ver? - Ele perguntou.

- Cara eu só não te mato porquê tu vai ser útil. - Apontei minha pistola pra cabeça dele, ele me olhou sem expressão alguma.

OTÁRIO

- Tu acha que eu vulgo Jared Leto, iria planejar isso tudo sem o mínimo cuidado? Relaxa os músculos que o túnel onde vai acontecer o bagui é deserto, sem a mínima chance de alguém ver. - Coloquei a arma sobre minha perna.

- P-por que eles passam por essa rua? - Esse Perneta tá enchendo o saco.

- É um atalho. - Tomo falou.

- Agora cala a boca Perneta porque senão finalmente você vai encontrar um significado pra esse apelido ridículo. - Fitei a janela do carro em movimento, reparei no tempo nublado e nas pessoas que passavam pelas ruas.

E sempre é a mesma coisa, a vida sempre precisa de um pouco de adrenalina, ou ela se torna a mesma merda de sempre.

Até que viver já é uma merda, a não ser pelo dinheiro e pelo Sexo.

........

- Chegamos. - Tomo freou o carro.

Olhei em volta e não havia sinal de nada, era um túnel bem construído por sinal, por que investir tanto nessa merda? se quase ninguém passa aqui?

New York city sempre tentando ser avançada em todos os aspectos.

- Uau, será que eles já passaram? - Lá vem o idiota encher a porra do meu saco.

- Tomo tive uma idéia.

- Que idéia?

- Dá a ré e vamos esperar lá fora, aqui fica muito evidente o que iremos fazer. Quando eles passarem nós batemos na traseira do carro, mas devagar, não quero amassar a lataria dos dois veículos. - Falei.

- Ótimo. - Tomo sorriu.

Ele colocou o pé no freio e em segundos já estávamos todos fora do local, ficamos no acostamento da pista.

Era tudo muito silencioso, não havia nenhuma casa, pessoas ou movimentação. Só havia mato e uma enorme estrada, conectada ao túnel no qual havíamos acabado de sair.

Dentro do carro, olhei fixamente para a estrada, e puta que pariu lá vem a nossa fonte de dinheiro.

Graças.

- Chefe, eu não estou me sentindo bem. - O Perneta tagarelou mas eu não dei importância.

O nosso alvo passou por nós.

É agora.

- Vai. - Gritei.

Tomo pisou no acelerador, cantando pneu. O nosso carro enfim entrou no túnel.

- Chefe, tem uma moto vindo lá no fundo, o que eu faço? - O retardado perguntou.

Senti o impacto das batidas nos carros.

Meu corpo se esquivou um pouco pra trás, e voltei a minha posição normal.

- Enfia ela no rabo, foda-se a moto. - Peguei as armas dentro da mala que estava no chão do meu automóvel em segundos e entreguei para meus capangas.

- A moto desapareceu. - Ele falou.

- Viu? você tá vendo miragem. - Ouvi portas do carro da frente serem fechadas com uma certa força e passos em nossas direções.

Hora da ação.

Margot P.O.V

Sabe aquela sensação de estar onde não se deve está? poisé, eu tenho quase certeza que devo tá no meio de um assalto a um carro forte.

Eu estava indo para a casa da Pérola de moto e eu me deparo com isso, justo o dia que consegui escapar dos meus "guarda costas".

Eu sabia, no momento que o veículo preto passou atrás do carro forte e bateu na traseira dele, tinha certeza que era merda.

Por isso parei minha moto no acostamento e aqui estou, na boca do túnel escondida só observando o que realmente está acontecendo.

Três homens, estavam apontando a arma pra cabeça dos outros três seguranças. Eles agiam com agressividade, principalmente o mais alto no qual não consegui ver o rosto, mas o físico dele me lembrava alguém.

O mais agressivo gritou "Vagabundo" enquanto apontava a arma pra um das vítimas, essa voz...... Essa voz, não pode ser, não pode ser, é ele.

É o Jared.

Meu coração gelou, meu corpo travou, sabe quando você está em choque e não consegue mais reagir a nada?

Parei de olhar aquilo, e sentei na grama verde completamente sem reação.

Jared P.O.V

Depois de conseguir abordar os 3 patetas cagões, está na hora de usufruir das fardas deles.

- Vocês dois. - Apontei os dois revólveres pra cabeças dos idiotas. - Tira a farda, tira a farda agora caralho, ah e obrigada pelas armas. - Dei um sorriso e destravei as duas pistolas que estavam nas minhas mãos.

- Pelo amor de Deus, nos deixe ir. - O moreno falou.

- Ué, Tomo você tá vendo a audácia desse filho da puta? - Olhei para ele que estava mais o Perneta tomando de conta do outro refém.

Sem ao menos falar nada, os dois tiraram a roupa ficando assim só de cueca.

- É disso que eu tava falando, porra.

........

Depois de vestimos as fardas, e ajeitarmos tudo para o grande golpe, enfim chega a hora.

Tomo já havia saído com os seguranças no carro. Ele algemou as mãos e amarrou a boca dos idiotas com panos.

E eu já estava dentro o carro forte com o nosso outro refém que irá nos ajudar, só esperando a boa vontade do filho da puta do Perneta botar essa porra pra andar.

- É pra hoje, tá esperando o que? - Falei sem um pingo de paciência.

Margot P.O.V

O outro veículo já havia pegado estrada, o filho da puta do Jared estava dentro do carro forte com mais dois.

Eu vou tirar essa história a limpo, nem que eu me ferre depois, eu posso sentir uma puta de uma atração por ele mas eu irei seguir ele como a Detetive Margot, e não como uma simples jovem que ele já levou pra cama. Não posso deixar que esse lado me afete.

Foi só uma transa, Margot. Pra quê tamanho desespero?

Não devo misturar trabalho com vida pessoal, mas já que estamos aqui vamos ver o que esse filho da puta tem a fazer.

Estou armada? Sim.

Preparada? Não.

Então eu vi o carro sair do lugar.

Corri até minha moto e pisei com toda a vontade no acelerador.

Agora que o circo vai pegar fogo....


Notas Finais


Ahhhhh, me desculpem pela demora ❤ Aulas, Enem chegando e estresse. Enfim, muitas surpresas para os próximos capítulos 🔥.
Spoilerzinho: Eles vão se.........
HAHAHAHAHA.
Kkkkkkkkkkkk
Até o próximo capítulo ❤
Bjos 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...