História Entre a Razão e a Sensibilidade - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Backstreet Boys
Personagens AJ MacLean, Brian Littrell, Howie D, Kevin Richardson, Nick Carter
Tags Aj Mclean, Backstreet Boys, Brian Littrell, Howie Dorough, Kevin Richardson, Nick Carter
Visualizações 39
Palavras 1.868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


"As vezes tentamos fugir da realidade, mas a realidade nunca foge de você"

Ouçam a música do link nas notas finais....

Espero que gostem....

Capítulo 34 - Escaping from reality....


Fanfic / Fanfiction Entre a Razão e a Sensibilidade - Capítulo 34 - Escaping from reality....


 *AJ e Jessy* 
Já no final da festa, eu fui até o jardim pedir um taxi, pois não queria empatar o lance de Nick, Jessy veio atrás de mim e eu agradeci a noite de boa companhia que ela me proporcionou, mas que o beijo que demos foi um equívoco da minha parte e eu não podia ser canalha de brincar com os sentimentos de alguém tão legal como ela, ainda que pra mim tenha sido apenas uma ficada, eu pude sentir, havia um sentimento, poderia ser até aqueles amores platônicos de fã para com seu ídolo, mas eu não podia alimentar isso, não mesmo, foi quando disse:
- Jessy você é incrível, linda, mas não posso de dar mais nada além do que vivemos essa noite e o beijo foi um erro, eu sou noivo, amo minha noiva e.... – Ela me interrompeu.
- Erro? Noivo que ama a noiva? – indagou me olhando sem entender
-Sim, vou resumir .... Eu fiquei noivo de uma garota incrível, mas por um equívoco, quando ela me viu conversando com a namorada de um amigo e a consolando, achou sermos amantes e atravessou a rua sem olhar o sinal e foi atropelada, perdeu nosso filho e está a quase dois meses no hospital..... – Ela me interrompeu novamente ao saber que seria pai 
-Pai?? Então o que você faz aqui? – falava visivelmente magoada
- Sim, mas não sou esse crápula que você está pensando....
- Aaah não?!
- Nãooo! O fato é que com o traumatismo craniano, ela perdeu a memória recente de muitas coisas e como a última lembrança minha foi a mágoa, ela bloqueou os sentimentos por mim, tipo, ela agora sabe que sou um BSB, lembra disso, mas esqueceu o que sente por mim e tudo que vivemos, durante esse tempo tenho tentado tudo para ela lembrar e nada, então hoje eu a ouvi dizer que eu a sufoco com algo que ela não pode dar, que nosso relacionamento não deveria nem ter começado, e que não queria ir pra nossa casa, pediu pra ficar em algo alugado ou de outro boy e quando estivesse recuperada voltaria para o Brasil, isso me doeu porque preparei um quarto no térreo para ela por causa das escadas e ouvir isso me tirou do eixo, e desculpe, estou aqui por que Carter me arrastou, não me arrependo, por vezes até a vi em você, há uma semelhança entre vocês (mostrei no cel a foto de Mai), mas só posso te dar minha amizade. – Expliquei tudo enquanto ela me olhava surpresa e atônita com o que acabara de ouvir.
-Olha vou dar minha opinião:
Acho que se algum dia ela te amou, jamais te esqueceria, nem com trauma. Como sendo de outro país ela pode perfeitamente ter lhe usado para chegar até aqui e agora o acidente foi a desculpa perfeita para te dispensar.
Outra, enquanto você sofre, deixa de viver sua vida, ela não está nem ai pros seus sentimentos.
Segundo, quem disse que quero algo sério com você, sou muito jovem, tenho uma carreira, sei como funciona nosso meio, e compromisso para mim é carta fora do baralho, vamos curtir, deixe-me cuidar de você, já que eu a lembro, deixa eu ser ela essa noite e cuidar de você? – Ela falou rente ao meu ouvido acariciando minha nuca, meu ponto fraco. 
Carter já tinha comentado sobre isso uns dias atrás, mas e as inúmeras evidencias que se chocavam com isso? – Apenas pensei
Ela me puxou pela mão até seu carro e eu fraquejei, sim cedi.
Entramos em seu carro e ela dirigiu até o hotel 5 estrelas que estava hospedada e subimos pelo elevador da garagem direto para sua suíte no sétimo andar com uma linda vista para a badalada Hollywood, ela tirou os saltos e disse que ia tomar uma ducha e colocar uma rouba mais à vontade e eu permaneci na varanda, fumando um cigarro, sentindo a brisa fresca da noite quente e perdido em meus pensamentos....
“Se antes do acidente eu não havia a traído, agora estava a traindo, ou prestes a trair talvez, mas que homem não fica com um puta tesão com uma mulher linda treze anos mais nova que você lhe provocando?!
Será que isso faria diferença? Talvez ela nem se importe e eu estou sendo o tolo, mas e se fizer?”
Fui chamado a realidade com seu leve toque, enquanto a outra mão estendeu uma taça de champanhe, e definitivamente ela queria me provocar, estava ali apenas de blusão cinza caído um dos ombros, pude ver seus mamilos rijos quase que perfurando o fino tecido e cabelos molhados jogados pro lado.
Ela disse que eu precisava relaxar, pois meu dia havia sido bem tenso. Me ajudou tirar uma jaqueta preta a jogando no puff ali mesmo na varanda e abriu alguns botões da minha camisa, acariciando parte do meu tórax e chegando nos meus ombros dizendo:
- Você precisa de uma massagem para o ajudar relaxar, olha como está tenso! 
Sei fazer uma massagem oriental a base de óleos aromatizantes e incensos que ajudam a relaxar, as vezes eu até pago para fazerem em mim, tenho certeza que vai adorar – Ela já disse me puxando para o interior da suíte dizendo para eu tomar uma ducha e colocar um roupão para que ela pudesse fazer a massagem, e assim o fiz.
Eu estava numa guerra interna comigo mesmo, sabia que aquilo não era certo, no fundo eu estava ciente de que meu anjo foi vítima de uma fatalidade que atingiu a nós, por outro lado, a mágoa e revolta dominavam e não tinha como voltar atrás, ainda mais com uma tentação lá fora e eu sabia exatamente como aquele momento acabaria, mas em fim, fui verdadeiro, ela não está sendo enganada, se é a mim que ela quer, assim ela me terá, AJ Mclean não foge da raia; foi quando percebi que estava pensando de mais, fechei a torneira, me sequei um pouco, vesti minha boxe preta e o roupão, olhei de relance no espelho, passando a mão pelo cabelo para ajeitá-lo e ao sair, vi o quarto todo climatizado com algumas velas aromáticas, incenso, um mantra tocava e vi uns frascos de óleos sobre a cabeceira.
Ela se aproximou desatando o nó da tira do roupão e tirando – o lentamente, pude ver desejo em seu olhar, mas deixei ela comandar a situação, adoro quando as mulheres fazem jogos de sedução, quando meu anjo o fazia, eu enlouquecia...
Em seguida disse pra eu deitar de bruços, ela ajoelhou na cama comigo entre suas pernas na posição de massagem, mas podia sentir o que leve de suas pernas e seus quadris sobre meu corpo, minutos depois senti óleo com uma fragrância suave e adocicada escorrer pelas minhas costas junto com movimentos das mãos precisas e habilidosas dela, de fato em poucos minutos estava relaxado e assim ela o fez, dos meus ombros até os quadris.
Então ela ordenou que eu virasse de frente para ela e ai eu vi que com certeza me perderia, na meia luz do quarto, aqueles olhos, lábios .... Eram como uma visão de meu anjo ali diante de mim.
Ela repetiu o ritual por todo meu tórax, estava ficando realmente difícil conter toda excitação e meu corpo começou a dar sinais e ela me provocou ainda mais, quando perguntou algo exatamente o que meu anjo perguntou na nossa segunda vez:
-Posso massagear esse 69  com beijos? – Perguntou sedutoramente olhando fixamente em meus olhos. Ah se ela soubesse, o quanto isso era perturbador!!
- Sim fique a vontade. Respondi com a voz entrecortada já.
Assim ela o fez e foi o suficiente para meu membro começar pulsar de desejo e ao perceber isso, ela começou a massageá-lo por cima da minha boxer e a vi passar a língua ao redor dos lábios, não aguentei aquela visão, mordi meus lábios inferiores e ela entendeu o recado, imediatamente tirou a única peça que eu usava e liberou meu membro já rijo pronto para ser saboreado e por aqueles lábios carnudos e céus.... Que delícia e habilidade para alguém tão jovem!
Eu estava completamente entregue a cada sensação a qual ela me proporcionava, lambia, sugava, e ia fundo, deixando sua boa ser desvendada pelo meu tesão e então ela parou na hora certa, subindo os beijos até meus lábios e então sentei a puxando pra junto de mim tirando seu blusão e liberando aqueles seios que outrora rijos me provocaram e comecei a suga-los, massageá-los enquanto ela arranhava levemente minhas costas, ela parecia saber meus pontos fracos, definitivamente, uma puta química.
Então a peguei no colo, a colocando na beira da penteadeira, abrindo suas pernas sobre meus ombros, para então trabalhar sua intimidade, mostrar a garotinha como é ser fodida por AJ Mclean, sim fodida, não era amor, era puro desejo, tesão, sexo, só.
Comecei beijando, massageando e ela já gemia baixinho como uma gatinha no cio, então comecei a lamber, sugar estimular seu clitóris alternando com meus dedos a invadindo e ela já estava enlouquecendo rebolando pedindo para eu fodê-la e então, vi que ela estava pronta para ser invadida por completo, estiquei a mão até as costas da cadeira onde estavam minhas calças e peguei na carteira o preservativo e a coloquei de quatro na beira da cama, não queria contato visual pois quando isso ocorria, perturbava -me pelas semelhanças e eu tinha pressa apenas para nos satisfazer em liberar todo aquele tesão entre nós.
A invadi de uma vez, arrancando gemidos altos e para minha surpresa a danada correspondia a cada movimento e ainda pedia tapas na bunda de longe parecia a garota sensível que me seduziu na pista de dança, era uma mulher quente e sabia como satisfazer um homem
Dei umas estocadas rápidas e precisas e então ela estremeceu e seu desejo escorreu quente e em seguida eu liberei o meu tesão, e após tirar o preservativo, deitei ao seu lado e peguei um cigarro, apenas para não parecer insensível da minha parte, acariciei seus cabelos com a outra mão e um silêncio tomou conta do ambiente, que foi quebrado por ela quando disse:
-Não sabia que você era do gênero do sexo selvagem!
- E eu, que você curtia ... Entrou no ritmo como boa menina. -disse dando uma tragada em seguida.
Não queria ficar de amorzinho para não iludi-la, ela queria sexo sem compromisso, ela teve e foi bom para ambos e ponto.
Levantei, fui tomar uma ducha para tirar a mistura dos óleos, suor e pensar no que eu acabara de fazer, tinha agido como a muito tempo, anos até não agia, um verdadeiro filho da puta, e agora que meus impulsos de homem foram satisfeitos, nada daquilo fazia sentido, e eu estava desconfortável com toda a situação.
Ainda bem que ela não propôs tomarmos banho juntos se não recusaria, sai do banho, sorri pra ela apenas dizendo:
- Melhor ir longo tomar uma ducha e dormirmos, pois, daqui a pouco está amanhecendo e precisamos descansar.
Ela levantou-se mandou um beijo para mim e ao sair do banho fingi estar dormindo e ela apenas recostou a cabeça em meu tórax suavemente e acabou dormindo, porém eu não.
 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...