História Entre a Razão e a Sensibilidade - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Backstreet Boys
Personagens AJ MacLean, Brian Littrell, Howie D, Kevin Richardson, Nick Carter
Tags Aj Mclean, Backstreet Boys, Brian Littrell, Howie Dorough, Kevin Richardson, Nick Carter
Exibições 18
Palavras 1.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - De volta a realidade


Fanfic / Fanfiction Entre a Razão e a Sensibilidade - Capítulo 6 - De volta a realidade

Acordei de um sono agitado. Não sei bem com o que estava sonhando, mas o fato era que eu não consegui descansar. Olhei para o relógio no visor do meu celular, era exatamente 7h da manhã.

- Ela está embarcando agora. – balbuciei sem entender por que estava pensando nela.

Sentei-me na cama, e passei os dedos por entre os cabelos despenteados, fechando os olhos, me concentrando no sorriso dela, naquele abraço... no beijo. Foi quando percebi que estava mordendo a bochecha outra vez.

Não pude deixar de sorrir. Nunca ninguém havia me dito aquilo, mas ela reparou sendo que nem eu mesmo sei há quanto tempo tenho essa mania.

Algum tempo depois, olhei para o relógio outra vez, 7:15h. Nesse momento, ela deve estar no avião.

Peguei meu laptop, precisava de mais me distrair, e nada melhor do que entrar no twitter e quem sabe não descobrir por lá algo sobre ela. Mas era uma missão impossível, haviam muitas pessoas ali e pra que eu conseguisse encontrá-la seria um parto, pode  assim se dizer.

- Por que eu não peguei nem um telefone? – me perguntei em voz alta, com raiva, e nem mesmo percebi quando meus dedos digitaram as palavras “Aniversário Nick Carter” em um site de busca , porque como ela estava presente, havia várias fotos em que ela aparecia comigo.

Da mesma forma também não percebi que havia salvado várias fotos dela.

Me detive em uma, especificamente, onde ela ria abertamente como se não precisasse de mais nada para ser feliz.

“Não, eu não posso mais olhar isso ou vou ficar louco! O que essa mulher fez comigo?” Resolvi desligar o laptop, mas eu já estava decidido,iria tentar encontrá-la, só não sabia como nem onde, mas eu com toda a certeza voltaria a vê-la. Era uma promessa que eu estava fazendo a mim mesmo, e eu não mediria esforços para enfim conseguir alcançar.

Horas mais tarde, no Brasil...

Lisa desembarcou no aeroporto ainda com aquela mesma sensação no peito, sentindo o mesmo tipo de aperto que sentira durante todo o vôo de volta para o Brasil: uma sensação de perda. Um pedaço dela havia ficado para trás, e agora ela não sabia mais o que fazer para voltar a se sentir inteira.

Seus olhos doíam todas as vezes em que ela os apertava para segurar as lágrimas, e foi assim durante todo o percurso de volta para casa, que era o lugar no qual ela mais queria estar e ao mesmo tempo o lugar para onde ela não queria voltar nunca mais.

Ela havia prometido para as amigas que assim que chegasse em casa ligaria para as duas, mas não pôde cumprir a promessa pois sabia que as duas iriam lhe fazer milhares de perguntas na expectativa de que ela estivesse realmente feliz, e ela queria adiar esse momento ao máximo, portanto, deixou suas malas em um canto, tomou um banho relaxante e foi se deitar.

 Na casa de Maitê e Sophy...

- Mulher, to preocupada com Lisa. – Sophy disse a Mai.

- É mesmo, já era pra ela ter ligado.

- Acho melhor irmos lá. 

- Mas será que ela já chegou? Ela disse que ia ligar e ela sempre cumpre.

- Mas eu to achando que dessa vez não.

- Relaxa Sophy, vai ver o vôo atrasou.

- Mas se fosse isso ela já teria ligado, pelo menos pra dizer que chegaria mais tarde.

Maitê deu de ombros, sem saber o que responder.

- Eu vou lá. – Sophy anunciou.

- Então eu vou com você.

As duas seguiram para a casa da amiga. Logo que chegaram foram direto para dentro, pois estavam tão acostumadas que não precisavam nem bater.

Lisa estava no quarto, deitada em sua cama e parecia não ter notado que suas duas amigas haviam entrado. Ela parecia cansada.

- Amiga, a gente estava preocupada com você, por que não ligou? –  Mai começou e Lisa se sentou na cama, sem sair de baixo das cobertas.

- Ah, desculpa, eu esqueci. – Lisa forçou um sorriso.

- Mas e aí, me conta como foram as coisas lá? – Sophy perguntou, se jogando na cama.

- É, você nem falou mais nada. Como foi?

Antes que Lisa pudesse responder, Sophy vem com uma nova pergunta:

- Entregou meu presente pro Kevin?

- Não, -  o sorriso de Lisa era meio apagado, mas as meninas não perceberam – eu não vi ele.

- Mas mulher, esse relógio me custou o olho da cara!

- Mas ele não estava lá mesmo, não apareceu no aniversário do Nick.

- E a minha carta pro AJ? 

- Entreguei.

Renata bateu palmas dando pulinhos de alegria. Então as duas, Mai e Sophy, começaram a bombardear Lisa com perguntas: “como foi?”, “o que Nick te falou?”, “o que vocês fizeram?”, “ele gostou de você?”...

Chegou em um momento em que Lisa não ouvia mais as perguntas, ela se desligou, e com um soluço alto começou a chorar. Maitê e Sophy se entreolharam.

- O que foi amiga? –Sophy perguntou.

Lisa não conseguia falar.

- Eu vou lá pegar uma água pra você. – Mai ofereceu.

- Não, não precisa. – Lisa tocou o braço de Mai para que ela não se levantasse do lugar onde estava sentada, quando finalmente conseguiu tomar fôlego. – Eu to bem.

- Não, não está! A gente pensou que você iria voltar com um sorriso de orelha a orelha.

Lisa tapou o rosto com as mãos, tendo um novo acesso de choro. Suas amigas a abraçaram ao mesmo tempo, tentando conversar por sinais faciais por sobre a cabeça dela, sem entender nada.

- Amigas, desculpa, não era pra ser assim, eu sei que vocês esperavam que eu chegasse com muitas novidades. Bem, eu tenho novidades, mas não do jeito que gostaria. – ela baixou os olhos e começou a mexer nas unhas.

- Você quer contar? Se não quiser você não precisa... – Maitê falou, cautelosa.

- Não, ta tudo bem, eu conto. – Lisa respirou fundo. – Nick me beijou.

- O que? – Sophy e Maitê disseram em uníssono.

- Ele me beijou e ainda disse que não acabaria se eu não quisesse que acabasse.

- E como é que tu me diz que isso não é o que gostaria? Mas é uma tabacuda mesmo. – Sophy começou a brincar.

- Mas gente, eu não quero sofrer, e eu sei que ele não iria querer nada sério. Aliás, já estou sofrendo.

- Mas como você vai saber se não arriscar? – Maitê pergunta.

- Porque eu sei. Eu sinto.

- Amiga, me desculpe, mas tu foi muito burra de deixar o homem escapar de você assim. – Sophy disse, tentando aliviar a tensão, mas ela sabia que não iria adiantar, conhecia muito bem a amiga que tinha.

- É sério gente, pra mim não dá. Eu preciso esquecer isso, preciso seguir adiante com a minha vida porque com Nick eu jamais teria futuro.

Então as três mudaram o foco da conversa, sem imaginar que o temor de Lisa era sem fundamento, porque do outro lado do continente, Nick estava mais uma vez olhando para a foto de sua querida loira.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...