História Entre deuses e mortais - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Adolescente, Deuses, Deuses Gregos
Exibições 2
Palavras 1.100
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Misticismo, Saga, Sobrenatural
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu acabei postando essa obra no wattpad mas logo depois tive a ideia de postar aqui então né... e.e

Capítulo 1 - Vida normal


[olá :D  então, queria dizer que essa é minha primeira historia, eu sei que não está muito boa, estou aceitando criticas e dicas.

Como já é de ser esperado não sou um profissional (capitão obvio aqui), algumas palavras podem estar com a ortografia errada ou posso ter usado as palavras de mal jeito(já vou me desculpando antecipadamente). Enfim, espero que gostem da historia e se divirtam]

Como seria a vida de alguém marcado pela mão de um deus, com um poder divino que muitos nem sequer conseguiriam imaginar, durante muito tempo foi isso que perguntava Lucy, sem saber o que o destino planejava uma grande reviravolta em sua vida.

Lucy Callis era uma garota normal de 15 anos, com cabelos pretos como a noite e olhos cor de mel nunca era reparada pelos garotos de sua escola suas roupas simples não ajudavam muito nisso. Lucy passava pela pior faze de um adolescente: a puberdade. Nem ela conseguia entender o que acontecia dentro de si mesma, dia pós dia na mesma escola, com os mesmos professores, colegas e a mesma rotina. Tudo se resumia em um grande tédio, o único que conseguia a salvar disso era seu melhor amigo Diego que graças aos seus bons conselhos e um dom em fazer piadas com tudo, ajudava Lucy melhor que qualquer um.

Mesmo com seu melhor amigo a apoiando e danço forças, Lucy gostava de ficar sozinha as vezes, toda tarde após as aulas ela corria para o fim da rua em que morava que acabava dando em um campo com uma grade que o separava da cidade, ninguém além de Lucy sabia, mas olhando para a direita, onde fica um beco tinha um buraco, que ela tentava ao máximo o esconder com algumas caixas de papelão que sempre ficavam por perto, esse buraco na grade a levava direto para alguns arbustos e logo passando por eles uma colina logo a frente. Como só ela sabia dessa passagem, tinha seus bons momentos sozinha pelo menos uma vez ao dia, ela adorava ver o pôr do sol de seu lugar preferido na colina, em baixo se uma grande arvore onde logo a frente uma decida que no final a levava a tantas outras menores, proporcionando assim uma ótima vista para o sol e mais tarde, para as estrelas.

Lucy fica sentada lá por horas, apenas com seus pensamentos e só ia para casa ao pôr do sol, sabe que seus pais lhe darão um sermão logo após isso, mas ela nunca ligou muito para isso, meio que entrou para a rotina, por um lado até entende o lado de seus pais que podem ficar preocupados não sabendo onde sua filha passa todas as tardes, Lucy procurava sempre ir para casa antes do toque de recolher, mesmo sendo uma cidade do interior não tendo uma taxa de criminalidade tão alta, Lucy era uma garota um pouco frágil fisicamente mas com um espirito aventureiro mas não gostaria que seus pais achassem que ela está passando seu tempo com pessoas erradas.

Os dias se passaram e a semana de provas estava chegando, Lucy esperava que seus pais não lembrassem disso deixando ela continuar saindo de tarde pois sabia que se eles descobrissem, a fariam estudar até não poder mais, ela sempre ia bem nas provas mesmo se não estudasse, mas seus pais sempre gostavam de garantir uma boa nota a ela. Em uma noite logo ao chegar em casa é recebida pelo doce silencio vindo de sua casa, ela era a primeira a chegar todos os dias, comia algo e ia deitar quase sempre antes de seus pais chegarem.

Logo após tirar sua roupa e deitar-se em sua cama Lucy ouve o som da porta de sua casa de fechando, provavelmente eram seus pais que logo iriam até seu quarto lhe dar um beijo e desejar boa noite.

Após ver a maçaneta de sua porta sendo empurrada para baixo Lucy logo senta e olha diretamente para ela, onde vê seus pais entrando e logo após sentando juntos cada um de um lado da cama.

-Lucy, querida precisamos conversar- falou a mãe entrando em seu quarto junto a seu pai.

- Claro, o que aconteceu? –Perguntou, desconfiada.

-Seu pai e eu conversamos, e percebemos que você não volta para a casa logo após a aula, e gostaríamos de saber onde você vai. –Perguntou seu pai, calmamente

-Bom... eu saio com meus amigos, fico conversando com eles por uma ou duas horas –responde alternando olhar da mãe para o pai

-Querida, suas provas estão chegando, e você precisa voltar mais cedo para estudar, suas notas estão caindo e se continuar assim você irá repetir de ano. –Disse sua mãe colocando as mãos sobre a da filha

-Concordo com sua mãe, querida. Você poderia chegar mais cedo em casa essas próximas semanas? –Perguntou seu pai sentado do outro lado da cama

Lucy deu de ombros

- Meu amor, você não precisa vir direto para casa, apenas chegue mais cedo, tudo bem? – Passou a mão nos seus cabelos castanhos

-Claro, posso chegar mais cedo. –Diz Lucy com um tom de voz triste com um leve toque de raiva- que horas vocês querem que eu chegue?

-Bem, querida, você geralmente chega as 19:30, então estamos pensando se você poderia chegar as 18:00. –Perguntou sua mãe com um ar de cansaço

-Claro, as 18:00 estarei de volta, mais alguma coisa?

-Era só isso, querida, obrigada, você sabe que queremos apenas o seu bem não sabe? –Perguntou sua mãe.

-Eu sei, mãe

-Você deve querer dormir agora, boa noite. –Ela se agacha e beija as bochechas de Lucy- sonhe com os anjos, amor. – Ela se levanta da cama e coloca uma das mãos no ombro de seu marido– querido, você não vem?

-Já vou, preciso conversar em particular com nossa filha, tudo bem? –Diz seu pai olhando fixamente para mãe

-Tudo bem, vou te esperar na cama, não demore –diz a mãe, fechando a porta.

Quando a porta está completamente fechada seu pai começa a falar.

-Obrigado, querida, você sabe que a gravidez não está sendo nada faço para a sua mãe, o seu irmãozinho está prestes a nascer e o médico fiz para tomarmos cuidado com sua mãe, devemos colaborar o máximo que pudermos, está bem? –Falou o pai dando um leve sorriso.

-Claro, pai, eu entendo, prometo chegar mais cedo nas próximas semanas. –Diz Lucy

-Obrigado querida, agora durma, tem escola amanhã cedo... – seu pai levanta de sua cama e lhe dá um pequeno beijo na testa– Boa noite, querida

-Boa noite, Pai. –Lucy se vira na cama e fecha os olhos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...