História Entre Eles - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang
Personagens D-Lite (Daesung), G-Dragon, Personagens Originais, Seungri, T.O.P, Taeyang
Tags Bigbang, Coréia, Daesung, Drama, Gdragon, Hentai, Korea, Kpop, Romance, Seungri, Taeyang, Top
Exibições 64
Palavras 2.871
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HELLO BITCHESSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS ~CL's voice~
VCS PENSARAM QUE IAM SE LIVRAR DE MIM???? ~laughs in nazaré tedesco's language~
POIS PENSARAM ERRADO!!! To de volta firmona após muitos momentos ruins mas que não interessam vcs ne non? Desculpem eu ser relapsa assim e forçar esses hiatus goela a baixo em vcs mas é que eu sou lokah :D

ENFIM vamos ao que interessa!!!! Esse cap foi suado demais vcs não tem NOÇÃO eu juro pelo sorriso do Dae que quase soltei fogos quando terminei pq MANO DO CÉU foi bonito foi, foi intenso foi verdadeiro, foi sincero!!111111 Brinks, foi difícil meixxxxxmo pq eu tava com um bloqueio gigante e blá blá blá vários problemas pessoais e blá blá blá

PORÉM antes de vc pessoa amada continuar lendo queria agradecer do fundo do meu coração o feedback PIKA DAS GALÁXIAS que eu tive com o último cap. Sério, não imaginei que ia dar tanta repercussão. Ceis são o bichão mermo <3 agradecimento especial também pra quem não desistiu da fic e tarra esperando a famigerada atualização :')

TAEYANG SOLZINHO MANDOU DIZER QUE VAI FAZER DANÇA SENSUAL EM TODO MUNDO QUE COMENTOU E FAVORITOU O ÚLTIMO CAP!!!

Boa leitura ^^

Capítulo 12 - Culpa


Fanfic / Fanfiction Entre Eles - Capítulo 12 - Culpa

POV’S YOUNG BAE

Um perfume conhecido invadiu com força minhas narinas e fez com que eu abrisse meus olhos me deparando com longos cabelos escuros bem à minha frente. Desci meu olhar observando o corpo feminino enrolado no lençol e mesmo sem lembrar de nada, sabia o que havia acontecido na noite anterior fazendo com que dormíssemos juntos.

Aproximei meu rosto de seus fios macios e me aconcheguei ali inalando seu shampoo delicado. Ergui uma das mãos até seu ombro desnudo e o acariciei levemente para não acordá-la. Sua pele era macia e convidativa exatamente da forma como eu imaginei esse tempo todo.

Percebi meus lábios se contorcendo em um sorriso bobo ao senti-la em meus braços. E eu não conseguia evitar, era assim que me sentia perto dela, por mais que eu não recordasse de nada e tudo parecesse muito estranho. As coisas pareciam ter essa aura intensa, quase mágica entre nós, além de um magnetismo absurdo. É um pouco confuso explicar, então eu só me deixava levar pelas sensações que ela causava. Desde o início foi assim.

– Já acordou?! – ela disse num tom baixinho me tirando de meus pensamentos.

– Te acordei? – retruquei ignorando sua pergunta e temeroso que tivesse despertado ela.

Ela se virou ficando de frente pra mim, a poucos centímetros do meu rosto. Um sorriso sincero e luminoso pintava seus lábios mostrando seus dentes brancos e alinhados. Seus olhos escuros e grandes me fitavam com curiosidade enquanto suas pálpebras abriam e fechavam vagarosamente num piscar preguiçoso. Sua respiração calma e tranquila batia contra minha pele sensível por causa de sua presença fazendo com que meus pelos eriçassem. Involuntariamente meu coração disparou e senti aquele conhecido frio na barriga.

– Sim, mas eu não me importo. – ela respondeu sussurrando sem tirar aquele sorriso estupidamente lindo da boca.

Antes que eu pudesse me desculpar ela enlaçou meu pescoço com uma das mãos e acabou com o espaço que havia entre nós me beijando docemente. Sua língua deslizava de um jeito delicado pela minha enquanto a ponta de seus dedos percorria minha nuca. Aos poucos ela foi cessando o beijo distribuindo breves selinhos antes de separar nossas bocas.

– E eu não me importo de acordar assim. – digo ainda com os olhos fechados assim que ela retira seus lábios dos meus.

Ouço ela soltar uma pequena risada gostosa e a encaro a tempo de ver a expressão que seu rosto fazia quando ria e senti novamente aquele frio no estômago. Será que toda vez que eu a encarasse ia sentir isso? O que tava acontecendo? Porque todas essas sensações?

– O que foi? – ela pergunta franzindo o cenho.

– Só to observando o quanto você é linda. – respondo sincero e absorvendo todos os detalhes possíveis dela.

Toda a luz acolhedora do sol que invadia o quarto banhando a cama e envolvendo ela num tom dourado fazia sentido pra mim. Nada a deixaria mais linda do que o lençol branco em que estava enrolada que contrastava com seus cabelos escuros bagunçados que caíam por seus ombros.

Ela, então, abre o sorriso mais lindo e mais iluminado que já vi na vida. E de repente estar naquele quarto com ela era a única certeza que eu tinha. Por mais que eu soubesse de todas as consequências que isso traria nada importava, porque estar aqui com ela era a coisa certa a se fazer. Uma sensação de paz me preencheu e não havia mais o que temer enquanto ela estivesse comigo.

(...)

– Você vai se atrasar. – Hyo Rin diz pela milésima vez acompanhando meus movimentos apressados que cruzavam o quarto.

– Eu já entendi isso na primeira vez que você disse. – respondo seco enquanto calçava o tênis.

– Ok! Não precisa ser grosso! – ela resmunga ajeitando-se na cama e encostando-se na cabeceira.

Eu apenas ignoro sua reclamação e termino de me arrumar, pois, como ela já havia dito diversas vezes, estava atrasado pra uma reunião do grupo com Teddy-hyung. Com pressa pego as chaves do carro e meu celular e dou uma última conferida em mim mesmo no espelho. Minha aparência não era das melhores por causa da péssima noite de sono graças a um sonho extremamente real que tive e que me causa arrepios só em lembrar.

As imagens dela, seu perfume, seu toque, sua voz, seu beijo, tudo ainda é muito fresco em minha memória e causam as mesmas sensações que senti no sonho. O meu coração pulsa forte e uma onda gélida atinge meu estômago somente ao recordar todas as cenas em que vivi no meu inconsciente. No entanto, não é isso que me causa mais pânico, mas sim o fato de que eu sei que a mulher com que sonhei existe.

Desde que a vi ela não saiu da minha cabeça e as poucas vezes que consegui ignorar sua lembrança ela tratava de retornar e me atormentar, fosse através de alguma coisa que me lembrasse dela ou em sonhos como o que tive noite passada. Mas dessa vez confesso que este foi muito mais real do que os outros...

– O que você tem hoje, Young Bae? – Hyo Rin pergunta me tirando de meus pensamentos e me fazendo notar que ela estava caminhando em minha direção.

– Não tenho nada. – respondo indiferente tentando disfarçar. Não posso deixar com que isso me afete e muito menos afete meu relacionamento com Hyo Rin, já temos problemas demais.

– Não minta pra mim. Eu sou sua namorada há dois anos, você não pode esconder nada de mim, Bae. – ela diz compreensiva envolvendo minha cintura com suas mãos pequenas e pálidas.

Eu a encaro por alguns segundos e me apavoro com a ausência de nenhum sentimento. Não sinto aquela alegria pelo seu contato, ou aquela vontade louca de beijá-la. Não sinto nada, além de carinho por alguém que venho dividindo minha rotina há dois anos. Quer dizer, na verdade sinto culpa por não sentir nada além disso, mas o que posso fazer? Há alguns meses nosso relacionamento anda apresentando alguns problemas que, pra mim, cada vez mais se mostram irremediáveis.

Opto por engolir tudo o que queria dizer e afastar os pensamentos pra longe. Abro um sorriso amigável e retribuo seu abraço apoiando meu queixo em sua cabeça. Inalo seu perfume na esperança de retomar alguma fagulha que seja do amor que eu sentia por ela, mas acabo me pegando procurando o aroma dos cabelos da mulher com que sonhei.

– Desculpa, Hyo. Eu só ando um pouco estressado por causa do trabalho e tive uma noite ruim de sono. – falo com os olhos fechados enquanto aliso seus fios sedosos e finos.

– Tudo bem, eu entendo. – ela responde e a sinto me abraçar com força – Só tenho medo que você me deixe... – completa baixinho.

Sinto um nó se formar na minha garganta e o enorme peso da culpa recai sobre mim novamente. Eu não posso fazer isso com ela, não posso ser tão frio e insensível a esse ponto, não depois de tudo o que passamos e construímos juntos. É injusto eu me deixar levar por sentimentos tão egoístas e esquecer o que Hyo Rin fez por mim. Afinal, todo casal passa por momentos assim. Nós só precisamos sair um pouco da rotina e reacender nossa paixão.

– Não diga isso, amor. Você sabe que eu te amo. – respondo erguendo seu rosto e sinto um soco no estômago ao ver seus olhos cheios d’água.

– Eu sei que errei nos últimos meses sendo ausente e incompreensiva. Eu sei que te magoei muito! Mas eu te amo, Bae, quero ficar com você e me redimir por todas as vezes que você precisou e eu não estava. – ela diz sem controlar suas lágrimas. Sinto o nó na minha garganta apertar mais ainda quase me sufocando.

– Ei, ei, ei! Não chore! – falo limpando suas lágrimas com meus dedos – Nós já conversamos sobre isso e eu te perdoei. Já passou, ok? Não quero que fique se punindo por isso. – completo acariciando suas bochechas.

Ela acena com a cabeça concordando e segura minhas mãos nas suas esticando os lábios para um beijo. Culpado e me sentindo um monstro, faço o que ela quer e a beijo da melhor forma que posso no momento. Felizmente ou não, ela não percebe nada demais e sorri ao separar nossas bocas.

– Melhor você ir ou Ji Yong vai arrancar sua cabeça. – ela fala rindo timidamente. Sorrio de volta e deposito um beijo em sua bochecha úmida antes de partir.

(...)

Após estacionar o carro e desviar de alguns fãs na entrada da YG, avanço pelos corredores com pressa me dirigindo o mais rápido possível para a sala de Teddy-hyung. Todos já estavam me esperando, de acordo com uma mensagem de Daesung que também me disse que Ji Yong está uma fera comigo.

– Ótimo! Era só o que me faltava! – bufo ao terminar de ler a mensagem e colocar o celular no bolso da calça.

Apresso meu andar pelos corredores limpos e brilhantes fazendo com que meus passos ecoem pelo chão liso. Aparentemente todos naquele prédio estavam trabalhando, menos eu. Alcancei a porta da sala do Teddy-hyung e entrei rapidamente pedindo licença e desculpa a todos.

Ji Yong limitou-se a lançar um olhar fulminante em minha direção e eu sabia que ele ia fazer meu ouvido de penico depois que tudo acabasse. Suspirei fundo ao constatar isso e voltei minha atenção ao que estava sendo discutido.

Alguns minutos depois a reunião acabou e nos encaminhamos para a sala de ensaio. Chegando lá trocamos de roupa e repassamos as coreografias do show e acertamos algumas questões pendentes sobre o repertório, cenário e figurino. Quando tudo finalmente acabou, já era quase uma hora da tarde e iríamos almoçar.

– Young Bae! – ouço Ji Yong me chamando.

– O que foi? – respondo ajeitando a mochila no ombro.

– Você sabe muito bem o que foi! – ele diz bravo e me encarando.

– Ji Yong, cara, se você vai me dar sermão anda logo porque eu não to num bom dia hoje, valeu? – retruco cansado. Eu realmente não preciso disso agora.

Ji Yong por um instante me fuzila com o olhar, mas ao perceber que eu não estava brincando muda sua expressão me olha um pouco confuso e preocupado.

– Young Bae, o que tá acontecendo? – ele fala depois de um breve tempo mantendo o tom de confusão e preocupação.

– Eu só to cansado. – respondo dando de ombros. Só quero sair daqui e acabar com essa conversa logo.

– Faz meses que você anda disperso Young Bae. Você atrasa nas reuniões e nos ensaios, você tá apático e anda por ai parecendo um zumbi. Nós estamos preocupados com você. – ele diz se aproximando e colocando uma mão em meu ombro.

– Eu sei cara, eu sei. Eu to sendo muito irresponsável com o grupo, mas é que eu to cansado de verdade. É muita coisa, você e os outros sabem do que eu to falando. É muita pressão o tempo todo e de todo mundo e junto a isso tem os problemas pessoais... – digo suspirando lembrando da conversa de hoje cedo com Hyo Rin – Eu só to sobrecarregado e frustrado. – completo desabafando.

– Eu te entendo cara, mas você deveria ter conversado com a gente porque antes de sermos colegas de trabalho somos amigos, esqueceu? A gente podia ter te ajudado, pedido uma folga pro Yang ou qualquer coisa que aliviasse você um pouco. – Ji Yong diz preocupado me encarando fundo nos olhos.

– Não quis envolver vocês, cara. Todo mundo aqui tá cheio de problema, todo mundo tá cansado. Não quis botar mais uma coisa nas costas de vocês. – respondo sinceramente e sustentando seu olhar.

Ji Yong bufa com meu comentário e revira os olhos em clara desaprovação.

– O que você tem de talentoso tem de burro e cabeça dura! – ele exclama acenando em negação e me fazendo rir do seu jeito – Você deve ser o mais teimoso do grupo! – ele completa rindo junto comigo.

– Uma palavra: Seungri. – digo levantando um dedo no ar e olhando rapidamente na direção do maknae que estava do outro lado da sala falando alegremente com alguém no celular.

Ji Yong acompanha meu olhar e nós dois acabamos rindo novamente por conta da minha afirmação e da animação que o maknae exalava ao conversar com sabe-se lá quem no aparelho.

– Vou ser obrigado a concordar com você. – GD diz ainda rindo – E falando em Seungri. – ele começa batendo as palmas e abrindo um sorriso largo – Ele quer apresentar a nova namorada pra gente e por isso hoje vamos jantar lá em casa! – completa animado.

– Namorada?! – pergunto incrédulo – Cacete eu ando muito disperso mesmo! – concluo ainda no mesmo tom e Ji Yong apenas ri.

– Pois é, nosso menino tá crescendo! – ele fala sério e arranca uma gargalhada minha fazendo com que ele se juntasse a mim em seguida ­– Você vai, não vai? – ele questiona depois de cessarmos as risadas.

– E perder a oportunidade de ver o maknae fingindo ser um namorado?! Claro que não! Eu vou e vou chegar cedo! – digo brincalhão e Ji Yong e eu caímos na gargalhada novamente.

– Ok... – ele diz tentando recuperar o ar – Esteja lá às 20 e não se atrase seu otário! – conclui me dando um soco leve no braço.

– Pode deixar, maknae. – retruco o provocando. Ji Yong odiava quando eu o chamava assim.

– Vai se foder eu não sou maknae! – ele fala bravo e elevando um pouco o tom de voz.

– Você é dois meses mais novo que eu então é meu maknae sim! – digo rindo e recebo apenas um dedo do meio como resposta.

Ainda rindo me dirijo ao banheiro pra tomar banho e finalmente ir almoçar.

(...)

O resto do dia passou relativamente bem comparado aos meus últimos dias. O trabalho fluiu tranquilamente e não tivemos mais nenhuma tensão no grupo. A única coisa que vez ou outra me atrapalhava eram meus próprios pensamentos que insistiam em encontrar a garota do meu sonho e que, por consequência, me fazia lembrar da minha atual situação com Hyo Rin.

Eu me sentia muito mal por não ser sincero com ela e por um fim no nosso namoro. Talvez o meu carinho e consideração por ela me forçavam a tentar voltar a amá-la, ou talvez fosse o comodismo de já estar num relacionamento. O fato é que eu sei que não a amo mais como antes, mas não sei o que fazer com isso.

– Young Bae? – ouço sua voz me chamar e me tirar de meus pensamentos.

Ela estava linda naquela noite. Na verdade ela é linda, muito linda. Também é inteligente, engraçada, simpática, atenciosa, carinhosa e diversas outras qualidades que fariam qualquer namorado feliz. Eu quero poder amá-la como eu amava, amá-la do jeito que ela merece.

Hyo Rin foi meu primeiro amor, a mulher que fui perdidamente apaixonado e que me motivou e inspirou tantas e tantas vezes. Eu não posso deixar com que nossa relação morra, não posso deixar com que tudo se desmorone na minha frente sem fazer nada. Eu preciso reviver o que sentia por ela.

– Sim, amor? – respondo sorrindo e voltando minha atenção para ela.

– Tem alguém tocando a campainha e Ji Yong pediu pra você atender. Pode fazer isso? – ela pergunta docemente – To ocupada ajudando ele e a Dami com o jantar e você sabe como são Daesung e TOP né! – ela completa apontando com a cabeça em direção aos meus colegas que estavam completamente entretidos numa conversa sobre alguma exposição ou algo do tipo.

Solto uma pequena risada ao ver os dois e volto meu olhar para Hyo Rin. Sorrio amavelmente pra ela e a beijo delicadamente nos lábios.

– Claro, amor! – digo ao separar minha boca da sua. Ela sorri com ternura pra mim e sai em direção à cozinha.

Me retiro da sala e caminho pelo corredor já conhecido do apartamento de Ji Yong. Já vim pra cá e passei tantas noites aqui que é como se a casa fosse minha também, da mesma forma que GD se sente onde moro.

Vou cantarolando uma música até a grande porta da entrada. Após minha breve conversa com Ji Yong hoje cedo me sinto muito melhor. Eu estava precisando desabafar e por mais que não tenhamos aprofundado o assunto já me ajudou bastante. Além disso, minha decisão em não desistir do meu namoro com Hyo Rin também me deu certo estímulo.

Essa é a coisa certa a se fazer. O amor tem seus altos e baixos e não podemos fraquejar no primeiro abalo, pois fazendo isso é impossível de se manter uma relação duradoura. Eu preciso resistir e passar por esse momento difícil não só por ela, mas por mim também. Isso é o certo.

A campainha soa mais uma vez e pela pressa que ela está sendo tocada só pode significar uma coisa: maknae. Sorrio internamente ao perceber a minha constatação e dou passos mais largos até a porta. Quando coloco a mão na maçaneta e a giro finalmente abrindo e percebendo quem estava atrás dela meu sorriso automaticamente se desfaz.

Não era só o maknae que estava ali parado. Ela também estava ali, em pé, bem na minha frente e ao lado dele. A mesma que invadia meus sonhos, a mesma que eu havia encontrado em Tóquio e a mesma que atormentava minha mente desde então. E ela era namorada do Seungri. Eu to fodido.

– Young Bae-hyung?! 


Notas Finais


Vcs deve ta querendo a minha cabeça numa bandeja cheia de alface em volta agora né. Demorei mais que o futuro hiatus do bigbang ~chora e sofre mto~ pra trazer esse cap que só deixa ansioso os corações alheios hehehehe mas SEGURA que voltarei. Eu juro juradinho. Vou abandonar isso aqui não <3

Obrigado por ter lido COISINHA FOFA #pas #nois #ygmecontrata #brinks #ounao


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...