História Entre eu e você. - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Haru, Lemon, Mitsuk, Sexo, Yaoi
Visualizações 5
Palavras 1.536
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


olá meus docinhos.
Me desculpem a demora da postagem do capitulo.
Espero que gostem.
Boa leitura.

Capítulo 8 - "No escuro"


Fanfic / Fanfiction Entre eu e você. - Capítulo 8 - "No escuro"

Nessa noite de amor, nossos corpos se uniram lentamente, pude sentir seu corpo quente me aquecendo coladinho ao meu. Fiquei perdido em meu pensamento pensando ‘Eu sei que viram mais noites calorosas e melhores, cheias de amor, prazer e felicidade’, mas, quando passei minha mão pelo corpo do Mitsuk senti marcas ou cicatrizes sei lá (eu estava tão perdido que eu nem se quer me dei conta do que poderia ser aquilo), quis perguntar logo em seguida o que era aquilo em suas costas mais no calor do momento eu soltei gemidos que me fizeram pensar em não atrapalhar nosso momento juntos para perguntar o que era aquilo, pensei em perguntar pela parte da manhã e para minha surpresa quando acordei Mitsuk não estava mais comigo.

Desci rapidamente até a cozinha para ver se ele estava lá mais minha mãe disse que ele tinha ido embora logo cedo e que não quis me acordar.

Haru – (ligando para Mitsuk).

Mitsuk – alô? Quem está falando.

Uma voz suave e gentil atendeu o celular, mas não era o Mitsuk.

Haru – o Mitsuk está?

Alguém – ele está de castigo no momento e não poderá atender o celular por um bom tempo.

- fim da ligação.

Haru – mas que “porra” está acontecendo? Merda não sei onde ele mora, quero saber o que está acontecendo!

Haru – (pensando em pedir ajuda para o Jack). Será que ele vai me ajudar? Talvez eu tenha o numero dele aqui no meu caderno, tenha certeza que ele escreveu aqui!

Haru – achei! (ligando...)

Jack – alô?

Haru – oi Jack é o Haru, preciso de sua ajuda. Você consegue para mim o endereço do Mitsuk, por favor é urgente?

Jack – nem vou perguntar o que aconteceu, mas eu vou tentar por você. Espera alguns minutos que eu já te ligo.

Haru – ok.

Jack procurava pelos contatos de alguns amigos em seu celular que poderiam saber onde ele mora, até que encontrou. Mas Jack se perdeu em pensamentos ‘poderia ligar para o Haru e dizer que ninguém que ele conhecia sabia onde ele morava e teria uma chance de se aproximar de novo de Haru’... Jack fez uma coisa que ele jamais pensaria duas vezes ligar e dizer ao Haru onde Mitsuk mora a ultima coisa que ele queria era se aproximar do Haru sabendo que o machucaria se ele não encontrasse o Mitsuk.

Jack – (Ligando para o Haru). Oi eu achei o seu endereço com um grande amigo, vou passar, você tem como anotar?

Haru – sim, pode dizer!

Jack – próximo ao parque Kasatu Maru você atravessa a ponte e segue dois quarteirões a sua direita você vai ver a casa dele você verá a placa da casa dele com o nome escrito “Arii”. - me disseram que não é para eu me assustar quando eu chegasse em frente a casa. Não sei o que quiseram dizer com isso.

Haru – eu sei onde fica o parque não fica muito longe de casa, vou de trem. Obrigado Jack muito obrigado mesmo.

Jack – eu posso ir com você?

Haru – não precisa obrigado. Tchau...

Meu coração estava ao ponto de ‘saltar pela boca’ de tanta ansiedade, queria saber o que estava acontecendo com o Mitsuk mais ao mesmo tempo tina medo do que poderia estar acontecendo com ele.

Em fim, meus pais saíram para trabalhar e eu tinha o tempo livre na manhã de sábado, poderia ir atrás de Mitsuk e assim eu fiz, logo depois que meus pais saíram eu fui atrás dele.

Procurei perdidamente seu endereço depois de horas procurando percebi que ficava do lado contrario de onde eu estava procurando. Desesperado procurei pelo nome Arii e enfim encontrei. Eu estava tão nervoso que não consegui apertar a campainha da casa minhas mãos estavam tremendo eu estava com medo de saber o que eu não deveria já que Mitsuk não me contava nada.

Criei coragem e fui apertei a campainha.

- olá, bom dia! Gostaria de falar com quem?

Uma mulher linda e de uma beleza exuberante me atendeu ao abrir a porta.

Haru – gostaria de falar com o Mitsuk. Ele está?

- ele não poderá falar com ninguém no momento o padrasto dele deixou ele de castigo. Sinto muito.

Haru – se não for muito incomodo diga a ele que o Haru esteve aqui para falar com ele sobre o trabalho de literatura. Obrigado.

Logo ao sair da casa de Mitsuk, estava andando de volta para casa quando alguém me aborda pelo braço me perguntando o que eu queria na casa que eu acabara de sair (um homem bonito estava com um lindo sorriso no rosto.

Haru – eu fui falar com o Mitsuk mais a senhora que me atendeu disse que ele não podia falar.

Homem – então você que é o tal de Haru? Mitsuk fez um desenho do seu rosto e ficou lindo, até que ele tem um bom gosto!

Eu fiquei assustado quando ele disse um desenho do meu rosto. Fiquei emocionalmente feliz por dentro. Mas eu não sabia o que esse homem tem em relação ao Mitsuk até ao ponto de suas perguntas.

Homem – então me diz, você realmente gosta de homens? Aqui perto tem um motel, podemos nos divertir um pouco o que acha?

Haru – não obrigado! Eu preciso ir embora.

Homem – vamos prometo que vou fazer com carinho sei que vai gostar?

Haru – então é assim que você se aproveita dele quando quer ter alguém em seus braços? A mãe dele sabe que você bate nele, você sabia que ele está cheio de hematomas e que eu poderia te denunciar?

Homem – você não tem coragem de falar!

Haru – você quer testar? Eu posso ligar agora?

Homem – já vi que você é incrível. Deu uma vontade tão grande de tocar em você, te possuir em meus braços, sentir teu calor o seu cheiro e ouvir seus gemidos chamando pelo meu nome me pedindo por mais e mais e mais...

Ele começou a sussurrar essas palavras em meu ouvido, quando de repente alguém por trás dele o tira de perto de mim. E para minha surpresa era Mitsuk pedindo para ele me deixar em paz.

Homem – ok então. Vou deixar você falar com ele por 30 minutos e depois entre você ainda esta de castigo. Então aproveitem. Te vejo em breve Haru-chan.

Mitsuk tinha pulado a janela, ele disse que a mãe dele deu o recado que eu deixei, ele ficou desesperado para sair e me levar em casa mais não tinha como, ele deu um jeito e pulou a janela porque ele sabia que o padrasto dele estava chegando, mas não fazia ideia que ele ia me encontrar no caminho de volta para casa.

Mitsuk ficou com raiva ao ver o seu padrasto perto de mim sussurrando no meu ouvido.

Mitsuk – desculpa por hoje de manhã.

Haru – não precisa disse, eu vou estar do seu lado para sempre e você sabe disse.

Haru – eu te amo!

Mitsuk – desculpa esconder isso tudo de você sei que você percebeu as marcas na minha costa e não perguntou nada. Desculpa não te dizer estava com tanto medo de perder você para o Jack.

Haru – eu te amo tanto.

Mitsuk estava de cabeça baixa me desculpas varias e varias vezes, ergui sua cabeça e olhei nos olhos dele que estavam cheios de lagrimas, senti meu coração apertado e não pude fazer nada para melhor a sua situação. Toquei seu cabelo, como sempre macio e sedoso. Disse – eu estou vou estar sempre ao seu lado Mitsuk.

Mitsuk – um dia isso vai mudar e vou ajudar minha mãe com o que ela quiser e se você desejar estarei segurando sua mão vendo as estrelas brilhando no céu sentado na beira da praia. – podemos fazer amor na praia?

Haru – seu idiota. Claro que sim.

Mitsuk – preciso ir. Você vai ficar bem se eu não te deixar na estação?

Haru – sim.

Mitsuk – vamos marcar um final de semana para saímos juntos, tá bom?

Haru – s-sim.

Mitsuk – segunda na escola eu conto para você tudo o que você precisa saber.

Eu senti varias vezes o Mitsuk com o olhar meio que pervertido mesmo estando falando comigo. Eu abaixei minha cabeça e ouvi ele sussurrando em meu ouvido – ainda temos 15 minutos, tem um terreno abandonado logo ali, vamos?

Haru – h-h-ham.

Mitsuk – você não quer? Eu estou louco para sentir você em meus braços, quero faze-lo gemer – falou ele em meu ouvido.

Haru – s-sim. (isso me surpreendeu).

Mitsuk – eu fico duro só de pensar em você, imagina quando você está aqui bem próximo de mim, eu fico enlouquecido só de ouvir você gemer e gozar. Eu não consigo me controlar quando você está perto.

Enfim chegamos ao local escuro onde ninguém passava (muito escuro, chegou até dar medo).

Mitsuk – posso te tocar?

Haru – nem precisa perguntar. Vamos logo, se não eu vou enlouquecer.

De um modo diferente começou me beijando, tirou a minha calça e cueca box Mitsuk começou a me lamber meus mamilos e terminando em meu pênis, depois me encostou na parede me fazendo empinar minha bunda para ele me chupar.

Ele lubrificou seu dedo com sua saliva enquanto ele inseria um dedo ele apertava e esfregava meus mamilos com seu indicador e polegar me deixando louco de prazer. Já tinham se passado cinco minutos.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, bom qualquer coisa é só comentar.
E fiquem aguardando o próximo capitulo que será emocionante.
Até a próxima e beijinhos doces.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...