História Entre Homens e Monstros - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Daryl Dixon, Personagens Originais, Rick Grimes
Tags Daryl, Pergonagem Original, Rick, Romance, The Walking Dead, Vampira, Vampiros
Exibições 155
Palavras 2.749
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi oi oiee

Cheguei na data certa e nem acredito nesse milagre, pensei que não ia dar tempo, sério mesmo, mas no fim deu tudo certinho e temos o cap quentinho uahsuashuhs

Obrigada a todas as lindas que comentaram no cap passado, sei que parece besteira, mas é isso que mantém o bom andamento da fic, juro s2

Como não deu tempo de esperar o texto "esfriar" pra revisar, ainda podem conter erros, revisei uma vez só e no processo normal são 3.
Qualquer errinho e só me falarem.

Boa leitura.
Bjss

Capítulo 25 - Escolhas


O sangue de Rick Grimes continuava vertendo, mesmo com todos os esforços de Scarlet. O tiro pegara na lateral do pescoço do xerife, e não havia ali, no meio de toda aquela batalha, os instrumentos necessários para que fossem feitos os procedimentos.

Michonne ajudara a loira a transportar Rick para um dos trailers, afim de não atraírem errantes e para que não ficassem expostas, no meio das lutas que ainda aconteciam em pontos espaçados.

Daryl mesmo ferido, montara um grupo e seguira Negan o mais rápido que pudera. Scarlet queria ter ido junto, queria ter ido na frente e acabado com o desgraçado, mas sua presença ali era mais que necessária. Rick estava entre a vida e a morte, a vampira sabia bem disso.

— Eu não consigo estancar... — Murmurou para si mesma, as mãos cobertas com o sangue do homem que tentava salvar.

— Então não estanque! — Michonne exclamou exasperada. — Dê logo seu sangue pra ele.

A vampira ergueu minimamente a cabeça, todos os sentidos alerta, a mente trabalhando o mais rápido que conseguia.

— Não posso... Você sequer sabe exatamente o que está pedindo.

Scarlet estava em um dilema interno, não queria cometer o mesmo erro que cometera com Daryl, a vida de Rick valia a pena, porém o sangue em suas veias era perdição, não salvação. Rick tinha um família, mulher, filhos. Dar seu sangue a ele podia mudar tudo. Ela não queria ser responsável por isso... Não queria ser responsável por mais dor.

— Você não pode estar mesmo falando sério! Quando é pra ficar cheia de piadinhas de duplo sentido tudo bem, quando é pra salvar uma vida você tem pudores? Acha que me importo com o que ele vai sentir por você? Acha mesmo que eu me importo se ele vai transar com você ou não? A única coisa com a qual eu me importo é que ele fique vivo, Rick têm dois filhos pra criar, aquelas crianças precisam dele. Eu preciso dele. Não importa o preço. — Michonne retrucou no mesmo instante, os nervos à flor da pele, ela simplesmente não podia ver o homem que amava morrer, não importavam as consequências, Rick Grimes tinha que viver.

Talvez eu me importe com o preço. Scarlet pensou quando a samurai se virou e deixou o trailer, para acabar com alguns errantes que se aproximavam.

Ouviu o coração do xerife parando aos poucos, sabia que não tinha escolha. Não queria que Rick a desejasse por um impulso obsessivo do veneno que fluía em suas veias. Não queria impugnar a ele a dor de não ter controle sobre os próprios pensamentos. Mas não tinha outro modo. Ela acima de tudo, não podia deixa-lo morrer... Não ele.

Seus olhos marejaram quando mordeu o pulso e colocou na boca de Rick, as lágrimas escorreram junto com o sangue.

Rick estava inconsciente quando o liquido espeço invadiu seu paladar, sentiu-se em um sonho bom. Tudo seu corpo reagindo ao estimulo que se espalhava lentamente. Começou como uma pontada de alegria genuína no centro de seu coração, o levando a sentir plenamente seu amor pelos filhos, sua infância em Cynthiana, e o famoso bolo veludo vermelho de sua mãe, pode sentir o gosto dele perfeitamente. Mas aos poucos foi ficando mais físico, revivendo momentos mas carnais, sua mente lhe apresentando cada pequeno momento com riqueza absurda de detalhes.

Foi recobrando os movimentos e as forças, sem perceber segurava o pulso de alguém contra os lábios, a pele macia na ponta de sua língua. E Rick soube que a queria, desejava a dona daquela pele mais do que já havia desejado qualquer outra experiência sexual em sua vida.

E então acabou. A pele, o sangue, o êxtase, o contato tinha findado quase bruscamente.

Rick abriu os olhos ainda confuso, e encontrou o rosto de Scarlet Hale um pouco acima de si. Soube exatamente o que havia acontecido com ele.

Tinha levado um tiro. Negan. Rick pensara que morreria naquele instante. Mas não morreu...

Colocou a mão no pescoço e percebeu que o ferimento se fechava aos poucos, rapidamente. Sentiu o gosto em seus lábios. Scarlet.

Procurou os olhos dela e sentiu todo seu corpo chamando-a. Aquilo era loucura.

Ela estava impassível. Não havia emoção alguma em seu exterior. Focou os olhos em Rick por um segundo. Ele tentou tocar-lhe a mão, era como se necessitasse daquele contato, mas Scarlet se afastou. Levantou-se, enquanto ele ainda se encontrava quase deitado na cama do trailer. 

— Desculpe... — E então se foi.

Rick ficou ali tentando processar os últimos dois minutos. Não conseguiu.

Pelo que ela estava se desculpando?

***

Daryl chegou no telhado acompanhado de Abraham, Sasha, Jesus Ezequiel e seu tigre.  Ainda achava estranho que um cara andasse por aí com um tigre, mas quem era ele pra dizer alguma coisa?

Tentou encontrar algum rastro, mas sua mente vagava para outro lugar. Rick levara um tiro, mas Daryl tinha visto que não fora fatal, Scarlet ficou com ele, e o arqueiro soube que seu amigo ficaria bem.

Ela vai dar o sangue pra ele também, acho que você não vai ser mais o único, maninho. A voz de Merle soou alta e clara em sua mente. A ideia incomodou Daryl mais do que ele gostaria de admitir.

Se obrigou a não pensar naquilo, focando no que realmente era importante. Precisava encontrar Negan, ter aquele homem solto por aí não seria bom. Não passaria novamente pelo que tinha passado com o Governador.

Contudo não havia um só rastro. Chutou uma merda qualquer no chão e soltou um palavrão, sentindo a dor se espalhar por sua perna ferida. Foi quando Scarlet os alcançou.

Jesus e Ezekiel, que não sabiam das habilidades da loira, ficaram surpresos com sua presença, ela chegara muito rápido para alguém que estivera tratando de um homem baleado.

— Rick? Ele...? — Paul Rovia foi o primeiro a se pronunciar.

— Ele está bem, o tiro pegou apenas de raspão. — Scarlet mentiu, sem realmente dirigir atenção ao homem. Voltou-se diretamente para Daryl. — Achou o rastro dele?

— Mas todo mundo aqui viu ele cair e todo o sangue e...  — Jesus tentou novamente, não sendo capaz de entender aquela situação.

— Ele está bem, tinha muito sangue mas não era grave, já disse.

— Mas eu não...

— Olha só, se não acredita vai lá ver. Pode ter sido um milagre, você devia saber bem disso, já que se autointitula “Jesus”. — Scarlet revidou rudemente, não deixando espaços para mais perguntas e encarnado novamente o caçador.

Daryl negou brevemente, respondendo a pergunta anterior com pesar:

— É como se ele tivesse desaparecido...

— Ninguém desaparece assim, tem que ter um rastro uma pista, qualquer coisa. — A loira contra-argumentou impaciente.

Começou ela mesma a investigar qualquer traço da presença de Negan.

— Devíamos voltar, temos feridos pra tratar, cuidaremos deles e então montaremos equipes de buscas. — Ezequiel decidiu.  — Cedo ou tarde encontraremos Negan.

Scarlet sequer prestou atenção, mas os outros pareceram concordar, Daryl mandou que fossem, ele ficaria mais um tempo, sabia que tinha que tentar mais, os riscos de deixar Negan a solta eram muitos.

Assim que partiram, Scarlet passou a usar sua velocidade pra vasculhar o telhado novamente, em seguida descendo pela escada lateral e vasculhando tudo por ali.

Cada segundo sem pistas era desesperador. Sua cabeça mal conseguia se manter no presente, oscilando entre passado e futuro, entre traumas e consequências.  Ter dado o sangue a Rick tinha sido o estopim para tirá-la totalmente de seu centro.

Daryl permanecia calado, observando cada movimento da loira a distância. Se normalmente ele já não conseguia entendê-la, naquele instante era ainda mais desafiador fazê-lo.

Algo havia mudado, não era apenas o ódio, que Daryl percebera quando a resgatara, que movia Scarlet, havia algo mais. Ela parecia fazer um grande esforço para focar naquela tarefa, como se sua mente estivesse totalmente dispersa.

— Você está bem? — Ele perguntou finalmente, alguns metros longe dela.

Scarlet fitou-o com seus olhos azuis límpidos, seu interior gritou em negativa, ela não estava bem, nada estava, tudo estava errado e fora do lugar, ela se sentia a beira de uma crise, caindo em um precipício sem fim. Mesmo assim forçou-se a assentir.

— Vamos encontrar Negan e tudo ficará perfeito. — Mentiu. Nada ficaria perfeito, ela sabia disso, mesmo que o corpo daquele homem nojento estivesse despedaçado sob seus dedos, nunca seria perfeito.

Negan não tinha apenas torturado, humilhado e abusado, ele tinha colocado Scarlet em uma situação que a deixou sem escolha. Sua mente dava voltas desconexas e a acusava de coisas horríveis, mas ela se forçou a permanecer na realidade. Se não podia fazê-lo graças ao seu próprio controle e paz de espirito, então focaria na vingança para se manter sã.

Continuaram por uma trilha adjacente, saindo do Santuário, Daryl seguindo mais atrás, mancando, ciente de que não encontrariam trilha alguma. Negan liderava aquele lugar há muito tempo, pelo que haviam tido os moradores de Hilltop e do Reino, ele com certeza planejara uma rota de fuga segura e a prova de rastreio durante aquele tempo.

O caçador odiava pensar que o maldito escapara, mas era a verdade, Negan e Dwight deviam estar muito bem escondidos naquele momento, eles não baixariam a guarda até estarem prontos para contra-atacar.

— Devíamos voltar.  — Sugeriu por fim, mesmo que a ideia não lhe agradasse. — Eles fizeram as coisas muito bem pensadas, podemos montar um grupo de buscas maior e cobrir mais áreas depois, agora sequer sabemos se tem armadilhas pelo caminho.

— Pode voltar. Eu não estou pedindo sua ajuda. Eu continuo, não importa se vai levar dias ou semanas, eu vou achar o desgraçado e acabar com ele e se houverem mesmo armadilhas pelo caminho, que se foda, eu não posso ser morta, lembra? — Scarlet respondeu rude, sem ao menos se virar. — É até melhor que você vá, pelo menos não me atrasa.

Daryl respirou fundo, não conseguia acreditar na teimosia daquela mulher, aquele ódio e obstinação eram muito prejudiciais.

— Você pode sim ser morta. — Segurou o braço dela, puxando-a de encontro a si, apontou os errantes ao longe. — Eles podem te matar e Eugene disse que outras coisas também podem. Não haja como se fosse imortal, você não é.

— Eu não me importo com a morte, desde que eu possa arrastar aquele miserável junto comigo. — Scarlet retrucou, olhado fundo nos olhos de Daryl.

— Então é disso que se trata? Fúria suicida... O que você fez de tão terrível para merecer a morte?

Estavam a centímetros, Daryl continuava segurando-a pelo braço, as orbes vagando pelo rosto feminino coberto de sangue, Scarlet estava acabada, não fisicamente, era algo mais profundo, algo que o caçador não conseguia entender totalmente. Ele apenas sabia...

— Eu já estou morta, Daryl, isso é o que você não entende... Eu morri no dia em que virei vampira, depois disso um dia após o outro é apenas inferno, Estou cansada de viver no inferno. — Confidenciou baixo, estava realmente exausta. De tudo. Emocional, mental e fisicamente exausta.

— Então pare de viver no inferno. — Era uma sugestão, mas soou como um pedido. — Vamos voltar pra Alexandria, você vai tirar todo esse sangue de você, e amanhã vai estar melhor, vai voltar ao seu humor duvidoso de sempre. Foi muita coisa, mesmo pra você.

Daryl passou os dedos pelas bochechas de Scarlet, tirando alguns fios de cabelo grudados ali por causa do sangue. Ela uniu as sobrancelhas minimamente sem conseguir entender.

— Por que você se importa? — A mente dela deu uma volta completa, era estranho ser tradada daquela forma.

Daryl não respondeu de imediato, soltou-a e deu um passo para trás.

— Você é uma de nós, faz parte do grupo, não deixamos ninguém pra trás. — Ele falou como se não fosse nada. Contudo em seu interior ele soube que aquela não era a resposta certa e Scarlet soube também.

— Você vai continuar atrás de mim de todo o jeito não é? — Ela tombou levemente a cabeça.

Daryl deu de ombros, ajeitando a crossbow e matando um errante que estava há alguns metros. Não, ele não voltaria sem ela.

Scarlet assentiu vagamente, mesmo que o caçador estivesse ferido e mancando, ela sabia que ele não a deixaria em paz, não entendia por que, ou talvez não quisesse entender, pois a simples sombra da explicação se formando em sua mente lhe assombrava.

Decidiu voltar por ele, esperaria o momento oportuno e deixaria a comunidade, encontraria Negan depois partiria para sempre. Ter pensado que podia ter uma vida em Alexandria fora um erro. Mais um na longa lista de erros que ela tinha que corrigir.

Ambos deram meia volta, retornando a entrada do Santuário sem maiores contratempos, o grupo formado pelas três comunidades e alguns pouco salvadores remanescentes, terminavam de carregar os carros com tudo de útil que haviam encontrado no Santuário. Alguns deles faziam a segurança contra os errantes.

Daryl avistou Rick ao longe, ele tinha um curativo no pescoço. Assim que entraram no campo de visão do xerife ele ergueu os olhos, focando-os diretamente em Scarlet como se ela fosse um imã.

Seus pés se moveram como que por vontade própria, Rick mal avistara Daryl ao lado da loira quando se aproximou.

— Muitas baixas? — O caçador arqueiro perguntou, incomodado com o olhar com que o amigo encarava Scarlet. A loira por sua vez tinha os olhos em um ponto qualquer ao longe, como se evitasse Rick.

O xerife finalmente desviou as orbes, focando em Daryl e parecendo acordar de um transe.

— Sim... Infelizmente. Spencer, Toby, Francine... — Rick apontou um veículo com vários corpos. — Hilltop e o Reino perderam ainda mais. Levaremos todos para enterrar apropriadamente.

Scarlet o fitou finalmente, descendo os olhos pelo rosto e parando no curativo.

— Carl teve a ideia, vai evitar algumas perguntas que não teríamos como responder. — Rick explicou o motivo da bandagem desnecessária. — Obrigado...

Daryl abaixou a cabeça desconfortável e Scarlet negou com um suspiro.

— Não me agradeça, o pior ainda está por vir. — Ela tentou usar o humor, mas não saiu como planejado. — E, na verdade, eu não tive escolha... — Deu de ombros.

— Você podia ter me deixado morrer. — Rick apontou, contendo a vontade de se aproximar.

— Eu nunca te deixaria morrer... — As palavras de Scarlet trouxeram um gosto amargo a boca de Daryl, ele se afastou alguns passos. — Você tem filhos e a Chefa é bem persuasiva, acredite.

Rick recebeu a segunda parte daquela frase como um tapa na cara. Tentou se recompor:

— Nosso grupo vai no trailer, você vem?

— Não. Eu vou de moto com o Daryl. — Scarlet afirmou e o caçador parou onde estava ao ouvir seu nome.

Rick fitou o amigo, sabia que ele não era de levar pessoas na moto, mas o caçador apenas assentiu normalmente, se sentindo idiota por estar tão satisfeito com a escolha da loira.

Não seja estúpido Daryl. A consciência lhe acusou duramente.

— Ah, eu entendo... — O xerife concordou, dando três passos pra trás, tentando recobrar a determinação que tivera quando decidira se afastar de Scarlet.

Mas por alguma razão aquela determinação tinha desaparecido, ele não queria mais se afastar, queria ficar o mais perto que podia, mesmo que as circunstâncias ainda fossem as mesmas, mesmo que ainda houvessem outras pessoas envolvidas. Rick Grimes soube naquele momento que tinha um grave problema, Scarlet tinha razão: O pior ainda estava por vir.

O xerife deu as costas e Scarlet caminhou até Daryl.

— Eu só queria fazer uma coisa primeiro. Não vai demorar, ainda podemos alcançá-los depois. Tudo bem? — Perguntou fitando-o com seus olhos azuis cristalinos.

— Fazer o que?

— Eu preciso destruir esse lugar, quero ver o Santuário virar cinzas, ninguém mais vai se esconder aqui. Chame de pequena vingança pessoal, ou uma forma de eu descontar minha raiva se quiser... — Ela deu de ombros. — Você vem comigo?

Daryl riu sem humor, devia ter previsto que Scarlet pensaria em algo assim. Observou os amigos se dividirem entre os veículos e partirem aos poucos. Rick deu uma última olhada nos dois, antes de subir no trailer. O caçador assentiu, caminhando com Scarlet de volta para o Santuário.

Não demorou muito para o lugar estar em chamas, a vampira usara o combustível dos veículos restante, as bebidas que encontrara em um dos galpões e conseguira até mesmo improvisar uma bomba caseira.

O santuário queimava ferozmente, atraindo os errantes ao redor. Scarlet e Daryl observavam de uma distância segura.

A loira tinha a última garrafa de bebida alcoólica na mão. Observou as chamas quase com devoção, enquanto bebia um longo gole. Estendeu a garrafa para o caçador.

E foi quando os olhos deles se encontraram e Scarlet sorriu de canto, que Daryl Dixon soube: Ele iria até o inferno por aquela mulher


Notas Finais


Eita! Como diria o Mason de TW "Intenso"

Agora ferrou tudo de vez, Negan e Dwight foragidos, Rick com o sistema repleto de sangue começando a questionar as próprias decisões e Daryl assumindo que vai até o inferno pela Scar.

A Scarlet não queria ter dado o sangue para o Rick porque conhece ele, sabe o que acontece e por um outro motivo que será esclarecido em breve.

Michonne mostrando que vai fazer tudo pelo Rick sim, não importam as consequências é muito amor genteeee

Pra quem acha que o lance Rick e sangue vai ser igual o do Daryl com sangue já adianto que não. Daryl não tinha desejo pela Scarlet antes, ele sequer gostava dela. Mas o Rick tinha desejo sim e ficou claro que gostava também, mesmo tendo decidido se afastar, ou seja, ferrou tudo aushaushush


Espero que tenham gostado
Bjss

PS: Scarlet, miga, vc tem 3 boys te querendo, dá um pra mim, nunca pedi nada... uashuahsauhsaush


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...