História Entre hormônios e tentações (Larry-AU-ABO) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ed Sheeran, One Direction, Zayn Malik
Personagens Ed Sheeran, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Alpha, Harry, Larry, Louis, Ômega
Exibições 261
Palavras 3.992
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Obrigado pelos favoritos e desculpa pela demora para atualizar!
Esse tem Lemon @_@

Capítulo 2 - Capítulo 2


Louis engoliu em seco. 

Era Harry Styles. 

Um alfa. Um completo alfa que tinha o cheiro completamente tentador, na opinião do Louis. 

Harry estava na frente de Louis, cheirando o ar profundamente. E logo rosnou, o som ressoando pelo local até então silencioso. 

Seus olhos pararam no mais velho, observando-o de cima abaixo enquanto via o outro tremer diante daquilo. Harry teve vontade de sorrir, mas não conseguia. Sua mente começava a nublar quanto mais sentia aquele cheiro doce e tão atraente. 

Era como uma tentação. 

Uma doce e perigosa tentação. 

— Harry...— Ele ouviu o nome ser chamado e olhou nos olhos assustados, enquanto Louis pisava de um pé ao outro. 

O ômega estava no cio e tudo o que conseguiu fazer quando ele o chamou, foi rosnar novamente e se aproximar tão rápido quanto podia. 

Ele parou a frente do Louis, perdendo os sentidos por alguns segundos quando se inclinou e inalou o cheiro mais de perto. Sentiu um tremor no corpo alheio e não conseguiu evitar o sorriso de adornar os lábios. 

Naquele momento o mais novo sentiu seu interior se enchendo de um sentimento que não entendia, e também começou a pensar na perdição que Louis era. 

Louis por outro lado, suspirou levemente, pois o jeito como Harry se aproximou foi muito rápido para si e isso lhe deu um pouco de medo. Não que achasse que o mais novo faria algo de ruim, mas porque ao vê-lo chegando tão próximo, o próprio cheiro masculino e completamente alfa lhe envolveu e seu pênis se encheu em poucos segundos. Ele apertou os lábios para ignorar o ofego que queria sair e tentou passar para o lado. Precisava sair dali antes que algo constrangedor ocorresse. 

Mas parece que seu corpo não queria cooperar, pois suas pernas de repente ficaram moles e ele se sentiu caindo. Fechou os olhos esperando o impacto, mas um corpo quente lhe envolveu, assim como também um braço em sua cintura e não houve qualquer queda. 

Abriu os olhos e viu o sorriso ladino cheio de malícia no rosto bonito do amigo e teve vontade de esconder-se por aquilo, já que Harry claramente estava reagindo ao seu cio. 

As mãos dele, no entanto, tiraram qualquer pensamento fora de sua mente enquanto estava alto-consciente de onde elas estavam. E o calor pareceu subir pior dessa vez por sua espinha, deixando-o pronto para choramingar. 

— Toma cuidado, Lou.— o outro murmurou próximo demais, rouco demais e malicioso demais. 

E então as mãos começaram a se mover levemente, passando para cima e para baixo em suas costas em uma carícia que poderia se considerar inocente, se não fosse por uma delas deslizar até sua bunda e Harry a apertar. 

Louis não conseguiu se conter e deixou um suspiro escapar, tanto de susto quanto de prazer. 

Seu membro duro esfregou-se na cintura do Styles e ele quis mais. Aquele toque pareceu ascendê-lo e o calor tomou conta de seu corpo inteiro e o mais novo sentiu a ampliação do cheiro doce, o que acabou lhe fazendo perder o controle por alguns segundos. 

Louis viu as íris do Styles serem tomadas pela cor vermelha e ele ser puxado para cima, enquanto Harry manobrou-o até que o imprensasse de encontro a parede. 

O Tomlinson tremeu por inteiro, agarrando o pescoço dele e suas unhas passaram de leve no local. 

— Seu cheiro...— Harry murmurou parecendo tentar sair da névoa que tomou conta de sua cabeça e corpo.— Ele está me deixando louco... 

Uma perna entrou no meio das do outro e Louis se viu sentado, suspirando com o atrito na virilha. 

— Hazz...— Ele sussurrou, deixando a cabeça tombar para trás, já sem conseguir se conter. 

A áurea de alfa lhe envolvia e lhe deixava letárgico de uma maneira que nunca havia sentido e ele não conseguia pensar em mais nada além de querer mais. Sabia que era o cio lhe deixando mais receptivo, porém não se importava no momento. 

As mãos do mais novo apertaram a bunda dele e trouxe-o mais pra si mesmo, rosnando quando tomou os lábios de Louis possessivamente. 

O beijo começou agitado, onde Louis hesitou alguns mínimos segundos e depois se rendeu, amolecendo o corpo quando o choque de lábios e línguas começou. Ele apertou a mão na camiseta larga de Harry, enquanto sentia o corpo dele transpirar e ser apertado na parede de modo firme e autoritário. 

Gemeu tendo um movimento em sua virilha e o seu pênis latejou de prazer, esfregando-se naquela coxa maravilhosa que estava abaixo de si. 

E o som pareceu agradar o mais novo, que grunhindo durante o beijo rápido e necessitado, apertou e moveu as mãos na bunda redonda, querendo desesperadamente se livrar das roupas desnecessárias. 

Em algum momento em que nenhum dos dois soube quando, se viram no quarto de Styles, se deitando na cama de solteiro e as mãos do alfa percorrendo o corpo abaixo de si, ávido por mais contato. 

Ele tinha uma pontada de consciência ainda, onde se dizia que era melhor parar com aquilo antes que chegasse mais adiante, porém ignorou veemente. Não estava em posição de pesar suas escolhas daquela maneira. 

O beijo era gostoso, os lábios entreabriram e as línguas se chocavam uma com a outra, e quando a mão de Harry passou por cima do membro de Louis acidentalmente, ele quebrou o contato para jogar a cabeça para trás. Suspirou longamente, esquecendo-se até mesmo de quem era. 

E Harry por outro lado, achou a reação do Tomlinson muito gostosa pra não aproveitar. Sua intenção não era masturba-lo ainda, mas foda-se. Pensar naqueles lábios grossos e vermelhos entreabertos e gemendo seu nome deixou-o mais excitado do que nunca. 

Afastou alguns centímetros, observando o outro, antes de falar. 

— Tira a roupa, Lou.— Pediu, porém soando mais como um comando. 

Estava um pouco descontrolado, o que acabou deixando o tom alfa passar e arrepiar Louis dos pés a cabeça. 

O mais velho sentiu a necessidade de obedecer e logo tirou o short que usava e a camiseta simples, não se importando ao jogá-los pelo quarto. E como estava sem cueca, Louis agora estava nu diante de um dos seus melhores amigos. O que lhe trouxe mais vergonha para si, pois em nenhum momento desde que haviam se conhecido, pensaria que um dia estariam daquele jeito. 

Entretanto, diante daquele olhar carregado e o sorriso de lado provocante é que se deu conta de que Harry poderia tê-lo, e ele não conseguiria dizer não. 

A ideia de transar com ele não era tão anormal e ele se viu abrindo mais as pernas enquanto o mesmo se ajeitava melhor, antes de Harry se inclinar e lamber seus lábios sem beijá-lo novamente. Lou fechou os olhos, deixando-se ser conduzido e o pescoço mordido, nada que pudesse lhe machucar ou romper a pele, mas que causasse um arrepio. 

— Você é tão gostoso.— Harry murmurou e apertou a coxa do mais velho. 

— Harry... 

O Styles sorriu satisfeito. Havia conseguido fazer Louis gemer seu nome e nem tinham começado nada ainda. E como gostou de ouvir aquilo. Aquela voz enviou uma corrente elétrica direto para seu pênis, tornando-o tão duro. 

Ele chegou próximo ao ouvido do ômega. 

— Eu quero que você gema pra mim assim enquanto te foder, Louis. Você fará isso pra mim? Irá gemer tão gostoso assim enquanto estiver metendo tão rápido e fundo? — Provocou com aquela conversa suja, lambendo o lóbulo da orelha em seguida. 

Sentiu Louis se remexendo desconfortável e seus quadris se encostando, onde os membros se esfregaram. Ambos gemeram daquela vez, presos em um prazer diferente. Era como se os próprios corpos se reconhecessem e no simples toque, sentissem muito mais do que normalmente sentiriam. 

Harry então levou a mão para o pênis de Louis, ouvindo um arfar enquanto pegou-o com a palma. 

Acariciou-o de leve primeiro, somente para observa-lo se contorcer. Mas logo aumentou a velocidade e passou o dedo na fenda do membro avermelhado. Louis engasgou com o gemido, buscando por ar. Ele estava em um turbilhão de sensações que lhe mandara para outro mundo, curtindo os arrepios que começaram na base de sua coluna e foram subindo. Harry se inclinou sobre si, lambendo seu pescoço lentamente, o que Louis considerou como uma tortura. 

A mão se moveu mais rápido, arrancando murmúrios desconexos do ômega. E não demorou muito para que Louis chegasse ao orgasmo, endurecendo o corpo e depois relaxando os músculos quando o sêmen espirrava entre os corpos. Eram os hormônios que o havia feito gozar em tão pouco tempo e com apenas alguns toques, o Styles pensou. 

Harry ficou louco vendo aquela imagem do jovem abaixo todo suado e respiração ofegante. O cheiro que estava no quarto só conseguia lhe deixar ainda mais ligado e ele quase não conseguiu respirar fundo para se acalmar. 

Seu pênis deu uma fisgada, reagindo quanto mais inspirava, mas logo se perdeu novamente quando os olhos castanhos nublados olharam para si, como se pedisse para que lhe fodesse. 

E era exatamente isso que Harry pretendia. 

Tomou os lábios grossos nos seus, enfiando a língua na boca alheia e gemendo quando o mais velho passou a mexer seu quadril. Suas mãos foram para a bunda, moendo-a para si mesmo. Um dos dedos se embrenharam no vinco, procurando a entrada escondida e rosnando ao encontrá-la. Louis estava tão molhado com a lubrificação natural de ômega que ele não se importou ao enfia-lo lá, sabendo que não o machucaria. 

— Ah... tão bom...— Louis murmurou em algum momento, sem nem ao menos perceber. Aquele dedo era diferente dos seus próprios, talvez maior e era quase como se seu corpo pudesse reconhecer o que viria a seguir, antecipando a hora em que o alfa entraria naquele lugar. E ele estava bem com isso.— Tão bom... — Repetiu. 

— Você está tão apertado, Lou. — Harry provocou, entrando e saindo com o dedo. Louis arfou mudamente e o mais novo viu seu membro voltando aos poucos a se encher. 

Soltou uma risadinha, essa que foi abafada pela boca do mais velho que o havia pego de surpresa. Styles notou que não era somente ele que queria isso, já que Louis também procurou por seu contato. 

O beijo estava quente e vez ou outra, Harry sentia o mais velho afastando um pouco e soltando ofegos, enquanto seu dedo se movimentava no interior quente. 

— M-mais, Harry... por favor.— O Tomlinson novamente murmurou quando o beijo se findou, sentindo uma profunda necessidade de ter mais. Um dedo não parecia o suficiente e ele estava queimando em somente pensar em ser penetrado. 

— Você quer mais, Loue? — O outro sorriu. 

Louis somente balançou a cabeça, pra cima e pra baixo de olhos fechados e boca aberta. 

Harry acrescentou outro dedo, entrando mais firme do que antes, o que levou o ômega a choramingar satisfeito e mexer os quadris, na esperança de mais prazer. 

Quando o mais novo voltou seus olhos para o corpo do Tomlinson, mais precisamente para o local onde seus dedos estavam, sentiu o pênis pulsar doloroso. Viu o buraquinho avermelhado se estendendo para acomodar seus dígitos tão gulosamente e um pouco da lubrificação escorria pela coxa do outro. Soltou um suspiro prazeroso apenas com aquilo e desceu um pouco o corpo até estar de frente com o pênis já ereto novamente. Deixou um selar nele, só de brincadeira e Louis abriu os olhos nublados em Harry. 

Uma das mãos do ômega agarrou os fios de cabelo castanho do Styles, como se pedisse para ele continuar e Harry não negou daquela vez. Sua boca se abriu e ele pôs o membro inteiro dentro dela, sentindo o gosto salgado de pré-sêmen e até mesmo um pouco do sêmen de antes. Era gostoso e isso o fazia chupá-lo mais, enquanto seus dedos castigavam o interior dele também. 

Louis se contorcia, gemia e estava uma bagunça. Eram tantas sensações que ele já não dava conta. O sexo oral estava o deixando louco e seu interior pegava fogo. 

Não foi preciso muito mais para que Louis soltasse um gemido arrastado, e Harry afastou os lábios rapidamente, apertando o pênis pela base, sem machuca-lo, mas sendo o suficiente para impedir que o mais velho tivesse a libertação que tanto almejava. 

O Tomlinson choramingou, mexendo o quadril quando o orgasmo não chegou, e Harry riu baixo e profundo. 

Os dedos saíram do interior quente e Styles os lambeu para provar o sabor que tinha. 

— Você não vai gozar agora, entendeu? Eu quero estar dentro de você, Louis. Você vai me deixar?— Harry perguntou, realmente interessado. Não faria nada contra a vontade do ômega, mas pelas reações dele, Lou queria isso tanto quanto a si mesmo. Porém, primeiro precisava de uma confirmação.— Você quer isso? 

Subiu com a língua, passando pelo corpo dele, mordiscando algumas partes e outras lambendo. Parou em um mamilo, deslizando o músculo molhado antes de sopra-lo e vê-lo se enrijecer rapidamente. 

Louis murmurou alguma coisa, mas mesmo estando perto, o mais novo não entendeu. 

— O quê? — Indagou parando com a carícia e voltando os olhos para os alheios, esperando uma resposta. 

— Eu quero, Hazza. Eu quero, preciso de você.— O mais velho disse, usando de um apelido carinhoso que havia criado há muito tempo. Ele estava tão necessitado que puxou o rosto de Harry para si, inalando o cheiro masculino do alfa e arrastando as unhas nas costas dele. Não se importava se iriam ficar marcas depois, ele somente precisava colocar o que sentia no momento de alguma forma. Harry rosnou em seu ouvido, e Louis levou os lábios para o pescoço dele, deixando selares como forma de desculpas e talvez porque realmente queria, mais isso não durou muito tempo quando percebeu que o outro estava com suas roupas ainda e resmungou insatisfeito. Afastou-se, puxando a camisa sob a cabeça de Styles, e a calça e cueca também foi parar nos pés dele, tendo ajuda para tirá-los completamente. 

O corpo foi sendo revelado aos poucos aos olhos nublados de prazer. Louis já tinha visto os braços fortes de Harry antes, mas ver todo o corpo dele o fez pensar no quão bem ele estava. Não sabia se era de sua natureza ômega mesmo ou porque se sentiu atraído por ele, mas ele queria aquilo. Queria ser possuído por um de seus melhores amigos, mesmo que as consequências depois fossem grandes. Naquele momento, não se importou tanto quando passou a perna sobre a cintura do mais novo e pegou o pênis duro dele. 

Harry gemeu, revirando os olhos com os toques leves, mas precisos e gostosos. Sentiu a unha curta do Tomlinson passar entre a fenda de seu membro e aproveitou a nova sensação fechando os olhos por alguns segundos. Quando voltou a abri-los, Louis tremeu com a cor vermelha tomando as íris castanhas, e lhe observando de uma maneira tão luxuriosa como nunca havia visto. 

A perna enrolada foi agarrada com força e agilidade, e Louis tomou certo susto pela ação, soltando o membro dele quando foi manobrado ao ponto de ficar em seus braços e joelhos na cama. De quatro, Harry agarrou as nádegas brancas e deu um tapa estalado antes de se inclinar e abri-las. Colocou a língua para fora e lambeu o buraquinho trêmulo e banhado pelo líquido transparente da lubrificação. Ele se sentiu satisfeito com o gemido e o arrepio que causou, porém não esperou muito para se afastar. 

Seu pênis doía e ele já não conseguia aguentar mais. 

Pegou-o na mão, direcionando-o para o anus de Louis que se contraia e deslizou sob o vinco uma única vez antes de penetrá-lo devagar. 

Os dois gemeram, cada um imersos em uma sensação boa demais. 

Lou se sentia completo com aquele pênis dentro de si e Harry curtia o calor e o aperto tão enlouquecedor. 

Ele não era santo, já havia feito aquilo algumas vezes, mas o Styles tinha que admitir que com Lou era diferente. E não havia sido somente quando havia o penetrado, até mesmo o beijo no corredor era mais intenso do que qualquer um antes. 

Por alguns segundos, que pareceram tempo demais na opinião do Tomlinson, Harry apenas ficou lá, parado como se estivesse esperando que ele se acostumasse ou fizesse o primeiro movimente. Mas Louis não precisava nada desse tipo, somente que o mais novo se movimentasse forte e fundo, como o outro mesmo dissera que faria. Então se remexeu, querendo mais. 

O Styles arfou. 

A primeira estocada veio mais lenta, mais suave também, mas nem por isso deixou de ser boa. Talvez maravilhosa demais, na opinião do mais velho entre eles. 

E mais e mais penetrações vieram, aumentando gradativamente de velocidade. 

Harry grunhiu em seguida, batendo na nádega esquerda novamente, deixando-a vermelha. 

— Forte, H-Harry. Mais. Mais. — O ômega gemeu entrecortado, e o mais novo sorriu. Eram meio desconexas aquelas palavras e apenas serviram para aguçar o ego do garoto. 

— Você quer assim, Loue? — Ele resmungou, avançando naquela bunda redonda e penetrando-o mais forte. 

O Tomlinson debruçou-se sobre seu braço, sem forças para que pudesse permanecer naquela posição. Ele se sentia febril e ficando mole, quanto mais o outro entrava e saia de seu interior. Mecanicamente confirmou, não que soubesse com o que, depois de quase perder sua mente quando outra estocada fez o membro de Harry acabar raspando em sua próstata e ele ver estrelas por trás de suas pálpebras. A sensação era tão gostosa. Ele gemeu manhoso e prolongado, murmurando para que repetisse aquilo. 

Harry traçou as costas dele com a língua enquanto se inclinava sobre ele ao mesmo tempo que investia naquele corpo que se adaptava ao seu tão bem. Deixou mordidas em alguns pontos, sem conseguir se conter. O cheiro de Louis estava impregnado no seu pescoço e quanto mais se aproximava daquele local, mais queria cheirá-lo. Seus quadris batiam nas nádegas do outro, deixando um som excitante ecoar pelo quarto e talvez também pelo apartamento. A cama rangia com os movimentos também, num som ritmado com as estocadas que faziam os dois suspirar querendo sempre mais. 

Quando Harry alcançou o pescoço do mais velho, deixou um selar no lugar, apertando a cintura fina dele com os braços enrolados e entrando e saindo o mais rápido que conseguia. As paredes do Tomlinson começaram a se apertar em dado momento, se contraindo sobre o pênis acolhido. 

Harry não poderia querer mais. Aquilo em sua opinião era como o paraíso e ele se viu tentado a trocar de posição. 

Algo em si queria olhar nos olhos castanhos e ouvi-lo gemer mais próximo, talvez para acabar com o resto de sua sanidade. Pediu com a voz mais rouca e embebida de excitação para que o ômega se virasse, e Louis não contestou. 

Nem mesmo precisou sair dele para que conseguissem ficar cara a cara olhando um nos olhos do outro tanto quanto podiam. 

Harry tinha os olhos brilhando com o vermelho profundo ainda mais forte, e o outro tremeu novamente com aquilo. Ele apertou a coxa de Lou em seus dedos, não machucando-o, mas para poder ter algo a segurar quando foi para frente novamente, atingindo a próstata do outro novamente naquele movimento. Viu a boca do ômega se abrir, formando um gemido mudo e as mãos se agarrarem em seu cabelo. Sorrindo, investiu outra vez, e outra, e outra, adorando as reações que o mais velho tinha. Mas não durou muito tempo, já que aproveitou o momento para colar os lábios nos alheios e iniciar outro beijo regado a luxuria. 

Harry queria Louis tão mal, que impunha sem ao menos perceber sua presença de alfa sobre o ômega, reivindicando a posse do beijo e se movendo como bem queria. Louis no entanto, não reclamou, na verdade, aquilo só conseguia lhe fazer ficar mais excitado e seu pênis negligenciado se apertar com prazer. 

Quando o Styles aumentou a velocidade, ganhando impulso e rapidez, Lou não sabia mais se era capaz de pensar em algo. Sua mente de repente ficou em branco, lutando com as sensações por alguma lucidez. 

Sua mão escorregou pelo abdômen, encontrando seu membro e passou a masturba-lo, gemendo rouco com aquela voz que Harry quase se derretia. Era mais grossa e um tom tão agradável, que chegava a ser um desperdício que o mais velho não estivesse tendo aula de canto. 

Os sons das peles se chocando, os gemidos e o cheiro de sexo estavam tão fortes. O mais novo via tudo vermelho, passando a lamber e beijar a linha do ombro até o pescoço alvo de Louis, ansiando por uma coisa que ele não sabia, mas se construía desde dentro de si mesmo. No fundo sabia sim, mas no momento, não conseguia raciocinar quando as paredes em torno do ânus do Tomlinson se fechavam cada vez mais, reagindo aos impulsos certeiros no ponto que deixava-o vendo estrelas. 

Eles estavam chegando ao limite, sentindo os testículos cada vez mais se apertados e os arrepios subirem pela espinha, mas nenhum dos dois fizera qualquer movimento para parar. Harry agora estava bem com a ideia de deixar seu Lou gozar, já que estava enterrado profundamente dentro dele e quase chegando ao orgasmo também. 

Seus olhos por um momento desceram pela barriga lisa do ômega, parando na mão frenética fazendo movimentos por seu membro e ele rosnou, dando um tapa nela, antes de ele mesmo pegá-lo para si, combinando o ritmo das estocadas com a masturbação. 

Louis jogou a cabeça para trás, o que fez com que o pescoço dele se mostrasse mais e Harry piscou. Piscou porque sentiu uma intensa vontade de chegar mais perto e mordê-lo. 

Mas ele não podia fazer isso. Ele só... 

Ele podia? 

Gemendo, Louis rebolou no membro duro entrando em seu corpo, agarrando os fios de cabelo alheio sem se preocupar com uma possível dor causada no mais novo, mas tampouco Styles notava algo. Ele precisava chegar ao orgasmo tão desesperadamente que chegava a latejar, e seu membro pego pela mão do garoto acima dele só conseguia fazê-lo suspirar e esquecer-se de qualquer coisa. 

Harry, no entanto, demorou poucos segundos antes de se aproximar ainda mais e passar a ponta do nariz na junção do pescoço e ombro de Louis. Cheirava tão bem, ele concluiu mais uma vez. 

Distribuiu alguns beijos naquela área, mas não estava contente. Em um momento de incoerência, seus dentes desceram e revelaram as presas maiores e ele mordiscou a pele o suficiente para que algumas gotas de sangue do outro aparecessem. Eles as lambeu e foi como se houvesse bebido o mais gostoso dos cálices, que lhe deixou inebriado e sem pensamento algum. Então como se o próprio corpo reagisse sozinho, ele afundou as presas no mesmo lugar, gemendo quando mais sangue salpicou em sua língua. 

Isso era tudo o que Louis precisava, fazendo-o ter um impulso para gozar gemendo e retorcendo em si mesmo. 

Gozou tão forte que seu corpo inteiro tremeu como se estivesse em convulsão, e seus olhos rolaram para trás com o sêmen molhando o próprio corpo e a mão de Styles. 

Já Harry foi travado pelo entrada do outro por alguns segundos, ainda com os dentes afundados na pele do mais velho. Aos poucos, para a tortura do alfa, as paredes de Louis começavam a se acalmar e ele poder se mexer. Foi preciso mais um único movimento para que atingisse o próprio ápice, e seu sêmen encher o canal do mais velho. 

As respirações ofegantes duraram por vários minutos, presos em algum tipo de letargia pós-orgasmo, pensando em nada e apenas buscando ar para seus pulmões necessitados. 

Harry perdeu as forças nos braços que lhe erguiam acima do outro e deixou seu peso cair contra ele, puxando os dentes para fora de onde havia mordido. Lambeu automaticamente o lugar, retirando o sangue que havia ali e limpando a ferida que servia como algo que nenhum dos dois havia se dado conta de que havia sido feita. 

Não haviam preocupações ou dramas, eles apenas se aconchegaram melhor. E sem mais palavras, acabaram adormecendo quase ao mesmo tempo, cansados demais para sequer se limparem de todo o suor e outros fluidos acumulados.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...