História Entre Lobos, Cachorros e Raposas - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Kakaobi, Kibaneji, Narusasu, Shiita
Exibições 110
Palavras 1.200
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi!

Mais um capítulo.

Capítulo 13 - Conhecendo os Filhos


Fanfic / Fanfiction Entre Lobos, Cachorros e Raposas - Capítulo 13 - Conhecendo os Filhos

Kiba Inuzuka:

 

            Neji nos levou até onde estavam as crianças, brincando com a Hanabi e um gato preto, que tentava caçar uma luzinha produzida pela Hyuuga mais velha, enquanto as crianças gargalhavam do felino, que estapeava sem sucesso a luzinha, até que a garota parou e as crianças olharam em nossa direção e correram até o Neji, que se abaixou na altura delas, abraçando-as.

 

- Papai, o Maru tava tentando pegar a luzinha da tia Hanabi. Ele não viu que não era de verdade. – o menino falou rindo, agarrado ao pai.

- É? Vocês estão maltratando o pobre do Maru então? – Neji falou e ele balançou a cabeça.

- Não papai, a gente só tava brincando bem quietinhos. – ele falou com uma carinha fofa.

- Papai... o que esse tio mau tá fazendo aqui? – a menina falou, com uma carinha brava, olhando na minha direção.

- Filha, ele não é mau. Aquilo que vocês viram foi só um mal entendido, mas nós já resolvemos. – ele falou, olhando nos olhos dela, que ainda tinha uma carinha de desconfiada.

- Então vocês são amigos? – o menino falou e ele sorriu e assentiu e o pequeno soltou o pai e andou na minha direção e ficou olhando pra mim e eu me abaixei na altura dele, porém antes que eu pudesse dizer qualquer coisa, ele sorriu e pulou em mim, me abraçando. Fiquei surpreso, porém logo correspondi, abraçando-o também, sentindo algumas lágrimas caírem dos meus olhos.

- KEI. – a menina gritou brava para o irmão e andou com passos duros, até a direção dele, puxando-o pra longe de mim – Você não pode abraçar o tio malvado que brigou com o papai.

- Mas Tama... o papai disse que eles são amigos. E eu gostei dele. – o menino falou e eu sorri com essas palavras e logo o Neji se aproximou deles e os puxou pelas mãos até um banco, onde ele os sentou e se sentou em um outro banco, de frente pra eles.

- Filha... eu já falei, ele não é mau. O que houve entre a gente já foi resolvido. – ele falou e a menina suspirou, ainda com a carinha brava – Além disso, tem uma coisa que eu preciso falar pra vocês. Vocês lembram que sempre perguntaram pra mim e para os tios Sasu, Tobi e Ita porquê vocês só tinham um papai? – ele perguntou e eles balançaram as cabecinhas, olhando atentamente – Então... isso era porque o outro papai de vocês morava muuuito longe de onde a gente mora. Na verdade, ele mora aqui. Vocês estão vendo aquele tio lá? – ele falou, apontando pra mim e eles assentiram – Então... ele é o outro papai de vocês. – ele falou e eles me olharam, o menino parecia confuso, enquanto a menina parecia ainda mais brava.

- E porquê ele não quis conhecer a gente? – ela perguntou, olhando de volta para o pai.

- Ele não sabia que era o papai de vocês. Aconteceram uns problemas e a gente acabou se separando antes dele saber sobre vocês dois. – Neji falou, mas ela parecia desconfiada.

- Que problemas? – ela perguntou, com os bracinhos cruzados.

- Foram uns problemas com o seu avô, coisa de adulto. Só quero que vocês saibam que ele não teve culpa. E quero pedir pra que vocês dois dêem uma chance pra ele. – Neji falou e me chamou com uma mão e eu fui até eles e me sentei ao lado dele.

- Oi crianças. Eu sou o Kiba. Eu queria muito conhecer vocês. Fiquei muito feliz de saber que eu sou o pai de vocês. – falei e a menina me cortou.

- Meu único pai é o papai Neji. – ela falou, descendo do banco em que estava e saindo correndo e eu vi o Sasuke, que vinha ao longe, com uma expressão não muito boa, ir correndo atrás dela.

- Eu vou lá falar com ela. – Neji falou, se levantando, mas eu segurei a sua mão.

- Não Neji, deixa que eu vou. – falei e ele me olhou, parecendo em dúvida.

- Não sei se é uma boa ideia. – ele falou e eu me levantei.

- Por favor. Eu preciso falar com ela. – falei e ele suspirou e assentiu.

- Ok, mas toma cuidado com o que vai falar, ela é teimosa. – ele falou e eu sorri e fui andando em direção de onde a pequena e Sasuke haviam ido, até que pude ouvir vozes.

- Entendeu, minha pequena? – Sasuke falou, passando a mão pelos cabelos dela.

- Mas eu não gostei dele tio Sasu. Ele brigou com o papai e eu não gosto que briguem com o papai, ele fica triste. – ela falou, parecendo menos brava agora e mais triste, o que me deixou ainda mais mal.

- Sim meu amor, eles brigaram sim, mas isso é coisa de adulto, não tem nada a ver com vocês. Além disso, você também briga às vezes com o Kei não é? – ele falou e ela assentiu – Pois então... com eles aconteceu a mesma coisa, eles brigaram, mas já se entenderam, como você e o Kei.

- Eles também tiveram que se abraçar e dar beijo pra fazer as pazes? – ela perguntou e eu não pude evitar sorrir com a pergunta.

- Não meu amor, com os adultos é um pouquinho mais complicado. – Sasuke falou sorrindo e eu resolvi ir até onde eles estavam.

- Mas você pode me mostrar como é. – falei e ela voltou a me olhar com aquela carinha brava e Sasuke se levantou e foi embora e ela tentou ir atrás dele, mas eu não permiti.

- Eu não gosto de você. – ela falou, direta.

- Eu sei, mas eu gosto de você. Será que você não podia me dar uma chance? – falei, mas ela ainda me olhava com aquela carinha irritada.

- Você brigou com o papai. – ela falou e eu suspirei.

- Eu sei. Mas olha, eu gosto muito do seu papai e fiz algumas coisas que deixaram ele triste, mas eu me arrependo. E eu prometo a você, que nunca mais vou fazer nada que deixe o papai triste. Eu amo ele. – falei e pela primeira vez ela tirou aquele semblante irritado.

- Como o tio Ita ama o tio Shisui? – ela falou e eu sorri.

- Sim. – falei e ela fez uma carinha pensativa, antes de falar novamente.

- E o papai ama você também? – ela perguntou e eu senti o meu coração acelerar, somente com a pergunta.

- Ele me amou. Mas agora eu não sei. Mas ele me amando ou não, nós dois sempre vamos amar você e o seu irmão. Você pode me dar uma chance? – falei e ela olhou pra baixo, antes de olhar pra mim novamente.

- Eu ainda não gosto de você, mas... se você ama o papai, eu posso te dar uma chance. – ela falou e eu sorri e ela levantou e estendeu a mãozinha na minha direção e eu sorri e a peguei, tentando controlar a vontade de apertá-la entre os meus braços. Mas é melhor deixar assim por enquanto, não forçar demais e deixar que as coisas aconteçam e disso eu tenho certeza, as coisas vão se resolver e nós poderemos ser finalmente uma família. 


Notas Finais


Logo continua.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...