História Entre Mentiras de Veludo - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Naruto, Sakura, Sakura Haruno, Sasuke, Sasuke Uchiha, Sasusaku
Exibições 440
Palavras 1.652
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Alô, alô! Graças a Deus!
Gente muito obrigada mesmo pelos comentários e favoritos e eu queria dizer que eu finalmente tomei vergonha na cara e a partir desse capítulo eu vou responder os comentários de vocês!
Espero que gostem!
Boa leitura :)

Capítulo 15 - Capítulo XV - Liviet.


Fanfic / Fanfiction Entre Mentiras de Veludo - Capítulo 15 - Capítulo XV - Liviet.

Quando chegaram, Sasuke foi até seu quarto e voltou com duas toalhas em mãos. O olhar desconfiado da rosada foi o suficiente para que ele pedisse sua confiança e a arrastasse para o carro novamente. 
      O percurso era conhecido por Sakura, ela havia ido para aquele lugar junto ao moreno, quando o mesmo a empurrou para o lago. Os dois desceram do Impala e caminharam por uma pequena trilha em silêncio, chegando em uma árvore que ficava a alguns metros da beira do lago. O carvalho era imenso e chegava a ser assustador com seus galhos transbordando e quase encostando no chão repleto por suas folhas. 
      Sakura caminhou até a grande árvore e encostou sua mão no tronco úmido, fechando os olhos e aspirando o ar puro daquela região. Ela andou pelo raio do carvalho e parou novamente, observando a madeira gasta.
      — Esse deve ser bem velho — ela disse olhando para Sasuke. — É muito gelado, mais do que o normal — comentou passando sua mão pelo tronco novamente. 
      — Ele é bem velho — afirmou Sasuke. — Deve ter uma história incrível para contar — comentou falando mais consigo mesmo do que com a rosada.
      — Você sempre vem aqui?
      — Quase todos os dias, desde meus onze anos — inquiriu vendo a feição surpresa da jovem.
      — Então, suponho que você saiba uma das incríveis histórias que ele tem para contar — pediu indiretamente, sentando-se e encostando suas costas no tronco gelado.
      — Ah, sim! — disse ele rindo. — Era uma vez... — inquiriu e parou por um momento, observando a grande árvore que o intimidava. — um homem — sussurrou como se estivesse revelando um segredo. — E esse homem caiu aqui e morreu. Fim.
      — Sua criatividade para histórias é excelente! — comentou Sakura.
     — Eu sei, foi uma ótima história, muito informativa — disse convencido, levando sua mão até a barra de sua blusa preta e tirando-a, recebendo um olhar um tanto quanto curioso da rosada. — O carvalho mandou a gente nadar — sussurrou apontando para a árvore. — Se eu fosse você, eu não o desapontaria. O Liviet fica muito bravo quando não o obedecem.
      — Liviet? Seu poder para dar nomes também é ótimo!
     — Seu poder de percepção é péssimo — comentou baixo, fazendo-a franzir o cenho e tentar distinguir o que ele havia falado. — Liviet está ficando zangado — advertiu.
     — Tudo bem, não vamos desapontá-lo — inquiriu levantando-se e tirando suas roupas, ficando apenas com as íntimas, olhando para Sasuke assustada ao ver o mesmo caminhar tranquilamente para a beira do lago, nu. 
      — Não tem graça nadar em um lago de roupa — ele gritou como se pudesse ler a mente da rosada. — Muito menos de roupa íntima.
      Sakura bufou e ficou olhando o corpo masculino entrar no lago serenamente, mergulhando e emergindo, olhando-a com curiosidade e se perguntando se ela não entraria.
      — Não me faça ir te buscar e não tenha vergonha. Graças ao bom Deus, eu já vi tudo o que tem aí — ele disse sorrindo. — Você poderia tirar uma peça de cada vez e vir dançando sensualmente, seria lindo!
      Sakura o fitou incrédula. Virou-se e tirou seu sutiã preto, observando o grande tronco a sua frente e deixando a peça junto a suas roupas no chão. Fez o mesmo com a parte de baixo e virou-se cobrindo-se com os braços, vendo Sasuke — que levantou sua mão e a chamou com um aceno — com uma feição maliciosa. 
      — Venha para mim — disse baixo, fazendo a rosada franziu o cenho e entender devido a leitura labial. 
     Em passos curtos e desengonçados, Sakura caminhou até o lago e entrou no mesmo, sentindo-se confortável quando já não sentia o solo em seus pés. Mergulhou várias vezes e desfrutou a bela imagem do fundo do lago novamente, nadando sem rumo pela grande extensão do mesmo. Emergiu e procurou por Sasuke, o encontrando a alguns metros de si com um sorriso maldoso no rosto.
      — Tã-ram — inquiriu em um tom grave movendo-se e aproximando-se da rosada. — Tãã-ram. Tã-ram, tã-ram, tã-ram, tã-ram — indagou alcançando Sakura e puxando-a em um abraço apertado.
      — Tubarão? Sério mesmo? — perguntou rindo.
      — É um clássico. E é a melhor música para um predador capturar a presa.
      — E desde quando eu sou sua presa? — perguntou erguendo uma sobrancelha.
      — Desde o dia em que minha missão passou a ser encontrar você.
      — Então você é um missionário? — perguntou ela passando seus braços pelo pescoço do Uchiha.
      — Tipo isso.
      Os dois se encararam por um longo momento. Os olhos negros de Sasuke eram indecifráveis, mas Sakura amava o mistério que era transmitido neles. O inverso acontecia com Sasuke, os olhos da rosada eram cristalinos e puros; eram como uma alma despida e isso o assustava, de certo modo. 
      Desde sua queda, nunca havia visto algo como os olhos de Sakura. Os olhos que encontrara em todos aqueles anos eram olhos de almas nômades, de almas envelhecidas e pervertidas, mas nunca uma alma despida. E com despida em um sentido tanto literal quanto em um sentido figurado. Pôde observar em seus onze anos vividos no céu que o corpo era arte, arte simples. Mas a alma, a alma era a arte de Deus; a alma era a arte complexa, e, então, sentia-se extremamente seguro ao confirmar que Sakura tinha uma alma despida. Ela era arte, arte simples e complexa ao mesmo tempo. Não era anjo, muito menos demônio, era Sakura Haruno. 
      Deixando-se guiar pelo momento, aproximou seu rosto do de Sasuke, que parecia inebriando com algo, e beijou-o com calma, apenas aproveitando aquele raro momento. Após alguns segundos com os lábios colados, Sasuke despertou-se de seu transe e puxou a rosada para cima, fazendo-a contornar sua cintura com as pernas.
      — Acho que Liviet está nos chamando de volta — sussurrou ela.
      Os dois saíram do lago e foram até o carvalho. Sasuke estendeu as duas toalhas que havia trazido no chão e deitou nelas de bruços, fechando os olhos por um momento e ouvindo Sakura perguntar se ele não se vestiria. Respondeu com aceno negativo mantendo os olhos fechados e repetiu o ato quando a ouviu perguntar se ele poderia dar-lhe uma das toalhas para se secar.
      Frustrada e nua, Sakura olhou ao redor para constatar que realmente estava sozinha com Sasuke naquele local e, ao ter certeza, mordeu seu lábio inferior e sentou-se na cintura do Uchiha — que abriu seus olhos surpreso — rapidamente, alegando que adoraria uma massagem.
      Sakura sorriu e passou suas mãos pelas costas largas, lembrando-se do dia em que havia feito aquilo com um gel para que os hematomas da briga de Sasuke em defesa de Gaara saíssem. Desceu suas mãos até a lombar e subiu novamente, parando nas omoplatas e aplicando certa pressão, observando as cicatrizes do acidente do moreno. Suas mãos deslizavam pelas mesmas e Sasuke não se movia como da última vez. Ele estava relaxado e quente, muito quente. Quente como estava no dia anterior, mesmo após sair na chuva.
      — Você está molhada — ouviu ele sussurrar e saiu de seu transe de lembranças, fazendo-a acordar ainda mais quando ele moveu-se com um pouco de dificuldade e levou sua mão para entre as pernas da rosada, sentindo o quão quente e úmida sua intimidade estava. — E quente, muito quente.
      — Sasuke, não... — disse manhosa, movendo seu quadril numa tentativa errônea de se afastar, o que resultou em sua intimidade se friccionar ainda mais com a mão e o quadril do moreno. — Não podemos fazer isso na frente do Liviet — disse em outra tentativa de parar com o ato.
      — Ele ama essas coisas! — inquiriu virando-se com dificuldade e colocando suas mãos no quadril de Sakura. — Lignum vitae est — sussurrou pausadamente antes de virá-la e tomar-lhe os lábios com voracidade, sem dá-la a chance de questionar.
      Sasuke passou suas mãos por toda a silhueta da rosada, apertando a carne quente e leitosa com volúpia e desejo. Desceu seus beijos para o pescoço branco e o marcou em tons de rosa e roxo, deixando uma trilha de beijos e lambidas por onde passava. Levantou seu corpo ficando apoiado em seus joelhos e virou Sakura, tendo uma visão privilegiada do belo quadril. Suas mãos passearam pelo corpo delicado apalpando-o e deixando marcas vermelhas, enquanto seu peito subia e descia ansiando o contato com a garota. 
      O moreno passou seus olhos pelas roupas estiradas no chão e esticou seu braço na direção da calça, pegando sua carteira e retirando um preservativo da mesma. Colocou-o e deu uma palmada em uma das nádegas, vendo a pele ficar vermelha instantaneamente. 
      — Vou arder no inferno por você — disse enquanto penetrava-a lentamente, fazendo-a perder o questionamento que faria em sua garganta.
      Sakura gemeu e arqueou seu corpo, buscando mais contato com Sasuke. O moreno começou a se movimentar com uma velocidade mediana, apoiando-se no quadril da rosada e excitando-se a cada gemido que deixava os lábios da mesma. 
      — S-Sasuke... nais rápido... — pediu ela apoiando o corpo com as mãos.
      O moreno a obedeceu e moveu seu tronco para frente, colando seu peitoral nas costas úmidas de Sakura e levando uma de suas mãos até o cabelo rosado, envolvendo-o num rabo de cavalo improvisado e passou a se movimentar cada vez mais rápido.
      — Me aperte — sussurrou ele no ouvido da rosada, fazendo-a se arrepiar ainda mais. — Sinta o quão minha você é — indagou mordendo a pele exposta do pescoço claro. — Me diz que você é minha — pediu puxando a cabeça de Sakura levemente para trás, fazendo com que sua boca ficasse contra a bochecha rubra. 
      — Eu sou... eu sou su... — disse sendo interrompida pelo orgasmo que lhe atingiu de forma devastadora. 
      Sasuke não ficou para trás, e gozou ao sentir a intimidade de Sakura pressioná-lo ainda mais. Em um gemido longo e rouco, ele quase soltou seu peso em cima da rosada, mas conseguiu manter-se apoiado em um braço. 
      — Seria estranho se eu dissesse que estou com vergonha de olhar para o carvalho? — perguntou ela ainda ofegante, sentindo Sasuke cair ao seu lado e sorrir ao ouvir seu comentário.
      — Não, ele é muito intimidador no começo. Mas você ainda vai aprender muitas coisas com Liviet.

 


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado! Comentem, favoritem e deem a opinião de vocês, por favor!
Não se esqueçam de dar uma olhadinha na minha nova história: https://spiritfanfics.com/historia/gods-and-monsters-6675856
Beijos, até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...