História Entre Mundos 2 - Mundo Surreal - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Mistério, Originais, Suspense
Visualizações 5
Palavras 2.549
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oiii gente!!!
Voltei!
Demorei muito?
Eu estava sem internet,me desculpem.
Imaginem a pedra de luz da Izzy que nem a da imagem gente <3
Bem,vamos lá então...
espero que voces gostem do capítulo.

Tenham uma boa leitura ...

Capítulo 15 - ESPERANÇA


Fanfic / Fanfiction Entre Mundos 2 - Mundo Surreal - Capítulo 15 - ESPERANÇA

~Livvy

Realmente pensei que fosse morrer,a lamina de Josh desceu na minha direção com firmeza,rápida como a luz.Mas não morri.Quando a faca já se aproximava,algo aconteceu,a lamina foi tirada da mão de Josh por Amy,que apareceu a meu lado com uma espada de prata na mão,que agora apontava diretamente para o coração de meu irmão.

- Se afaste dela Josh - disse Amy com firmeza,seu cabelo escuro caindo em seu rosto,seu braço nu estava sujo de sangue.Era estranho ve-la me protegendo,Amy nunca gostou de mim e de Izzy,assim como nós nunca gostamos dela,mas era fato que Amy era apaixonada por Josh.Mas agora tudo mudou.

Josh se levantou encarando-a,com um sorriso de divertimento no rosto.

- Ou o que? - ele disse - Vai me matar? - riu -Todos sabemos que voce não é capaz disso querida Amy...

- Voce não sabe do que sou capaz Josh. - disse ela ferozmente.

Josh não estava mais em cima de mim,mas as raízes de árvore continuavam apertando meus pulsos e tornozelos.Eu puxava os pulsos fortemente mas não mudava muita coisa,parecia que quanto mais força eu fazia,mais as raízes apertavam,desisti quando começou a sangrar.

- Aaah - ele resmungou - mas voce não quer,quer?

- O que?

- Voce não quer me matar.

Ela suspirou.

- Não Josh,não quero.Mas se for preciso,o farei...

De repente houve um silencio mortal,todos ficaram paralisados encarando algo ao longe,a batalha parou por um momento.Amy se distraiu,ela desviou o olhar por questão de segundos,e Josh agiu.Ele tomou a espada de sua mão,ela se virou para fazer algo mas já era tarde,Josh atingiu sua cabeça com força,com o cabo da espada.Amy caiu no chão,perdendo a consciencia,sangue escorria de um corte da sobrancelha.Josh jogou a espada no chão e me lançou um olhar antes de desaparecer na multidão paralisada,e consigo,as raízes murcharam e se soltaram de mim.

Me levantei correndo até Amy que estava desacordada,meus pulsos e tornozelos ardiam e sangravam.

- Amy... - balancei ela,precisava tira-la dali,logo a batalha voltaria,e os demonios viriam atrás de nós.

Eu estava prestes a puxa-la para fora dali,mas ela apareceu.

Sophie.

Estava com uniforme de combate,e não parecia machucada em lugar algum.Havia um sorriso em seu rosto,e duas enormes laminas nas mãos.Não consegui disfarçar o nojo que sentia.

- Voce...

- Livvy não é? - perguntou - Sabe,não tivemos a chance de nos apresentar adequadamente...

- Por que fez isso? - perguntei - Por que trair seu irmão...sua única família?

Ela riu.

- Voce não entenderia...

Lançou uma de suas laminas,desviei rapidamente,a faca passou a centímetros de mim,se enterrando em um demonio logo atrás.Com raiva,avancei,pegando minhas laminas.Eu era rápida,mas Sophie era ainda mais.Sem pensar muito,arremessei uma das laminas.Mas não acertei.Nunca fui boa com arremessos de facas,Isabelle por outro lado era ótima.

A lamina estava firme em minha mão.Sophie era tão parecida com Max,pele bronzeada,olhos escuros,era magra e alta,e seus cabelos castanhos e enrolados um pouco pra baixo dos ombros.Mas por mais que seu físico fosse muito parecido com o de Max,eles não tinham muitas semelhanças.

Sophie atacou novamente,porém chutei sua mão e sua faca escapou,se perdendo em meio a multidão.Ela me lançou um olhar irritado,e fez algo que eu não esperava,ela saiu do chão,flutuando,e de repente começou a ventar muito forte,um furacão se formou a nossa volta,cercando ela,eu,e Amy inconsciente no chão,e me impedia de ver qualquer coisa do outro lado.Voltou para o chão com aquele sorriso no rosto,mas o vento continuava,parou a minha frente,e segurou minha garganta muito forte,tirando-me do chão,e me impedindo de respirar.

- Satrina me deu alguns poderes... - riu - ou achou que Isabelle e Josh fossem os únicos?

Ela me jogou pelo ar.Cai a alguns metros de costas para ela,ao lado de Amy,o vento de repente parou.Sophie se posicionou em cima de mim,pegando a lamina da minha bota,puxou meu cabelo para trás,expondo minha garganta,a faca tocou meu pescoço.

- Acredite Livvy...estou fazendo um favor ao meu irmão - sussurrou a meu ouvido,não podia ver seu rosto,mas sabia que estava sorrindo.

Fechei os olhos respirando fundo.

Mas não aconteceu nada.

A faca em meu pescoço caiu no chão,e o aperto na minha cabeça afrouxou.Tudo o que ouvi foi Sophie engasgando,e seu corpo caindo a meu lado.Seus olhos estavam arregalados,sangue saia de sua boca,e havia um ferimento gravíssimo em sua barriga.Ela parou de se mexer de repente,sua respiração falhando aos poucos.

Arfando,me virei.

De pé a minha frente havia um garoto de pele bronzeada,e cabelos cacheados.Max.Ele olhava para o corpo morto de Sophie com os olhos cheio de lágrimas,na sua mão estava uma espada manchada de sangue,era difícil de ler sua expressão,era uma mistura de raiva,confusão,frustração,mágoa,e...alívio.

Engoli em seco,ainda caída ao lado de Sophie.

Ele estendeu a mão para mim,mas ainda olhando para a irmã.Segurei e ele me ajudou a levantar,estava meio tonta e ele me segurou para que não caísse novamente.Seu olhar era perdido...um olhar de culpa.

- Max...eu...eu sinto muito - murmurei.

Ele suspirou e assentiu.

- Temos que tirar Amy daqui. - foi tudo o que disse afinal. - eu ... tenho que sair daqui.

                                                                                               ***

~Gabriel

O telefone de Jimmy tocou,era Max ligando.Pelo que parece,Amy havia se machucado e precisavam de ajuda.Jimmy não queria me deixar com...ela.

- Voce nunca cuidou de mim - murmurei amargamente - não entendo porque quer mudar isso logo agora.

E logo ele se foi.

Eu queria fazer isso sozinho.Eu precisava,talvez houvesse uma chance de traze-la de volta...

E rápida como a luz,Isabelle atacou.Ela era rápida e forte,e eu não conseguia fazer muita coisa além de recuar e evitar de ser morto por ela.Segurei sua mão.

- Isabelle,por favor...

Minha mão começou a congelar rapidamente,fui obrigado a solta-la se não quisesse perder o braço.

Ela pegou uma faca atacando,eu me afastei,mas não fui rápido o suficiente,ela fez uma pequeno corte em meu peito,rasgando a camisa e a pele abaixo,bem em cima do coração.

- Isabelle,essa não é voce...

Atacou novamente,e fez outro corte no meu braço,mas desta vez não senti dor,eu não sentia nada...

- Essa não sou eu? - riu,seus olhos vermelhos me encarando com desprezo - voce está enganado.

- Voce me mataria?

- Não... - sorriu - eu provavelmente mataria todos que voce ama,seus amigos,familiares...e depois te mataria.

Me assustei com sua resposta.O que havia acontecido com minha Isabelle?

- Voce não se lembra? - falei - das palavras que me disse antes...-engoli em seco - voce disse que me amava...

- Não me lembro - franziu as sobrancelhas - eu devo ter mentido - riu,e por algum motivo,mesmo sabendo que essa não era ela,suas palavras me acertaram em cheio.

- Não lembra das coisas que passamos juntos? - perguntei com uma pontada de esperança.

- Eu não sei quem voce é - ela disse,agora sem rir - tudo o que sei é que estou com raiva,e quero descontar tudo em voce...

- Izzy...

- Arrancando seus olhos...suas mãos...partindo voce ao meio...

Ela me derrubou,me deu um soco que me fez cair,e subiu em cima de mim,com um sorriso cortante no rosto,e eu congelei encarando seus olhos vermelhos.Só havia escuridão ali...essa não era Isabelle.

Agarrou minha garganta fortemente,seus olhos brilharam.E de repente não estava mais naquele campo sangrento.

Estava enfrente a minha casa de madeira,a chuva caía sobre mim.Me dirigi até a casa abrindo a porta.Parei encarando a cena a frente.Havia sangue por todos os lados,no chão,armários,paredes...

- Max? -perguntei entrando.

Não houve resposta.

Mas ouvi alguma coisa,vindo do meu quarto.Corri até lá.A porta estava entreaberta,liberando um feixe de luz.Exitante empurrei,que rangeu e abriu.Entrei.

- Gabriel?- ouvi seu sussurro.

Isabelle.Ela estava parada no canto do quarto com um vestido branco que ia até os pés,de costas para mim.

- Izzy o que houve?E esse sangue...?

Ela começou a chorar.

Andei lentamente até ela,um passo de cada vez.Perto o suficiente toquei seu ombro.

Isabelle se virou,e caiu em meus braços,abaixei no chão segurando-a com firmeza.Izzy estava pálida,ela tremia,e estava absurdamente fria,e sua roupa toda manchada de sangue,em sua barriga havia um ferimento profundo.

- Isabelle...-falei desesperado,minha visão ficando embaçado.

- Ela matou todos...

- Quem?

- Satrina...ela matou todos que eu amava...e depois fez isso.

- Mas eu ainda estou aqui. - falei deixando as lágrimas caírem.

- Mas voce não me ama...nunca disse que me amava...

- Eu...

- Shh - resmungou,impedindo minhas palavras - agora é tarde demais...

Seus olhos castanhos se fecharam.

- Is...Isabelle... - gaguejei - Isabelle!

Me inclinei para sentir sua respiração.Mas ela não respirava.

Balancei seu corpo morto.

- Isabelle acorde... - respirei fundo - Isabelle abra a droga desses olhos...

Eu a abracei,enterrando meu rosto no seu pescoço sem pulsação,sentindo o cheiro de sangue e sabonete de flores,e chorei.

- Izzy...

E quando abri novamente os olhos estava de volta ao campo de batalha,os sons da luta penetrando em meus ouvidos,e ela ainda estava em cima de mim,me encarando confusa.

- O que foi isso? - me perguntou com raiva.

Engoli em seco.Eu sabia o que havia acontecido aqui.Isabelle entrou na minha mente,me fez ver meu pior pesadelo.Perde-la era meu medo.

E isso havia acontecido.

- Me diz... - falei com dificuldade,pois sua mão ainda estava na minha garganta - se não sabe quem eu sou...se não me conhece...por que meu medo seria te perder?

Suspirou com um sorriso confuso no rosto,balançou a cabeça.

Pegou uma faca com firmeza,posicionando em cima do meu coração.

- Espere! - falei aturdido.

Parou onde estava,me encarando com incerteza.

- Não vou lutar com voce...me mate se quiser - suspirei,levantei os braços lentamente pegando o cordão que segurava a pedra de luz,a tirei do meu pescoço,e coloquei no dela - mas fique com isso.

Ela me encarou perplexa por um momento,e depois olhou para a pedra,e enquanto uma mão segurava a faca em meu peito,a outro foi em direção a pedra,e quando Isabelle a tocou,ela brilhou.Ela levantou a cabeça,e encarei seus olhos...castanhos.

Mas só durou alguns segundos,logo ela piscou e voltaram a ser vermelhos.

Não.Foi uma alucinação,eu só vi o que eu queria ver.

Respirei fundo decepcionado,encostando a cabeça no chão,e fechando os olhos.Eu não poderia mata-la,não seria capaz de fazer isso,eu preferia morrer a tirar a vida dela.E eu esperava a morte ali,jogado no chão sujo de sangue,em meio a corpos de demonios e guerreiros.Eu seria só mais um guerreiro que morreu dignamente.

Mas nada aconteceu.O peso do seu corpo em cima do meu sumiu.Abri os olhos novamente.Isabelle não estava mais lá,e deixara a pedra,agora apagada,a meu lado.

A peguei me sentando,encarando a multidão em busca de seu rosto delicado.Mas ela realmente havia ido.

Eu a havia perdido.

                                                                                           ***

Não muito tempo depois,quando o eclipse passou e o sol iluminou tudo,os demonios fugiram - a maioria não pode ter contato com a luz do sol,a maioria - ,entraram na floresta e desapareceram,assim como Josh,Satrina e ... Isabelle.Já que Satrina já tinha o que queria não havia motivo para perder tempo lutando.

Muitos dos soldados de Marcus morreram na batalha,os quais estavam jogados no chão em meio ao sangue de demonio,e outros se machucaram seriamente,como Amy,ao que parece havia levado uma pancada na cabeça,e Jimmy a levou para a mansão.

Livvy e Chris haviam ido ver como Zoe estava na mansão,saíram a não muito tempo,e Max estava isolado num canto,seus olhos encaravam o corpo de Sophie jogado em meio a outros.Podia sentir sua dor,ele era meu melhor amigo,sua dor era a minha,eu sabia exatamente como ele se sentia,não porque já passei por isso,mas pelo simples fato de que o conheço melhor que ninguém.Ele havia matado a irmã para salvar a vida de Livvy,e por mais que tivesse feito a coisa certa a culpa o perseguiria pelo resto da vida,foi uma escolha difícil a que ele fez,ele teve de escolher entre a irmã,que talvez nunca mais voltasse a ser o que era,ou Livvy,uma garota que a propósito ele conheceu a dois meses,e que nem era tão próxima dele assim...pelo que eu sabia.Ele se distanciara bastante de mim nesse último mes,acho que o fato de ele ter perdido a irmã,mesmo antes de ela morrer,acabou com ele.

E eu estava sentado no chão,apoiado numa árvore,encarando a pedra de luz na minha mão,totalmente desolado,sem saber o que fazer ou que rumo seguir.Afinal,o que faria sem ela?Eu a perdi para ela mesma,a perdi para uma criatura sombria que tomava conta de seu corpo,eu vi...vi em seus olhos pura maldade.Tudo parecia estar perdido,nada tinha mais sentido sem ela aqui.Estava tudo ruindo aos poucos,todos estavam,todos sofreram perdas,Livvy,Max,Chris...estamos todos desmoronando,e Lowen também é uma dessas pessoas,é estranho de admitir mas é,Satrina levou suas duas filhas para longe dele,ela podia fazer o que bem entendesse com elas.

Encostei a cabeça na árvore fechando os olhos,a luz do sol iluminando meu rosto,e as imagens a minha mente.

Imagens de Isabelle,seu sorriso encantado,seu olhar confiante,seus cachos escuros...tudo nela era perfeito,desde quando enrubescia de vergonha e sorria tentando disfarçar;ou quando se perdia em pensamentos olhando para o nada e fazia caretas sem perceber;até nos momentos de nervosismos em que roía as unhas e mordia o lábio inferior;ou quando fazia piadas sem graça...

Isabelle era forte,sempre sabia o que fazer,se importava com todos,era boa,inteligente,corajosa.

Agora suas qualidades sumiram,transformando-se em defeitos muito piores  do que possa imaginar,a bondade sumiu dela,é astuta e impiedosa,e acredite em mim,a pior arma dela não é aquela que fere voce fisicamente...mas sim emocionalmente.Seu olhar de desprezo,as palavras que saem da sua boca,como se ela soubesse exatamente o que dizer para machucar voce.

- Posso sentar aqui com voce? - abri os olhos me deparando com Lowen de pé.

Não respondi,a verdade é que queria ficar sozinho,mas ele sentou assim mesmo.

- Acha que ... - pausei.

- O que? - ele perguntou erguendo a sobrancelha.

- Acha que ela vai ficar bem?

Respirou fundo.

- Isabelle é forte,ela...

- Não é disso que estou falando - suspirei lembrando de seus olhos vermelhos...exatamente como os de Satrina - Acha que ela pode voltar para nós?Voltar a ser a nossa Isabelle?

Lowen não olhava pra mim,olhava apenas para a frente,havia um corte na lateral de seu rosto e seu cabelos grisalho caía no rosto,Izzy não era muito parecida com ele...exceto os olhos,que eram identicos.Castanhos claros.

- A esperança é o que nos mantem de pé.Nunca perca a esperança. - engoliu em seco - nós vamos encontra-las,não sei quando,nem onde,nem em que estado vão estar...mas vamos.Porque o que quer que Satrina esteja planejando,ainda não terminou.

- Esperança... - ecoei - como posso ter esperança...?Isabelle não está aqui... - meus olhos encheram-se de lágrimas,eu queria muito chorar,mas não na frente dele - e talvez nunca mais esteja...ela...ela...

E ele fez algo que me surpreendeu.

Me abraçou.Apoiei a cabeça em seu ombro,e sem aguentar mais,eu chorei,deixei as lágrimas rolarem em meu rosto,deixei porque já não importava mais...e o mais estranho,eu me senti confortável naquele aperto,o tipo de conforto que não sentia a 12 anos...o tipo de conforto paterno.

Ele se afastou de mim,sustentando meu olhar.

- Tenha esperança - ele repetiu - não deixe ela morrer...porque se voce perder a esperança... - baixou o olhar - voce já perdeu tudo - se levantou - vou deixa-lo sozinho.

Se virou se afastando e parou quando eu falei:

- Como encontramos alguém que não quer ser encontrado?

Ele se virou,mas não olhou para mim quando disse:

- Não encontramos - deu de ombros - mas uma hora elas aparecem...sempre aparecem.

                                                                                                          ***


Notas Finais


E ai pessoas?!!O que acharam?!
Pois é gente,muita coisa aconteceu,e acreditem...muita coisa ainda vai acontecer.
Me digam o que estão achando gente,por favor.
Beijinhos...e até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...