História Entre Mundos- A Nova Era - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Bruxas, Hot, Lobisomem, Magia, Vampiros
Visualizações 13
Palavras 991
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Escolar, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


AEEEEEEEEEEEEE GALERA.

BOM FINAL DE FERIADO PRA VOCÊS♥
AVISOS:
1- Vou postar mais uns 2 capítulos hoje, e mais 2 amanhã.
2- Talvez eu poste o bônus com a narração do Elliot ainda hoje.

É isso aí, bora pro capítulo! 

Boa leitura! ♡

🚨

Capítulo 9 - VII- Kept


Scarllet

“ É obvio que eles vieram me ver” – Aquela voz femina, soou novamente. 

Balancei a cabeça tentando espantar aquele pensamento e ter certeza do que eu estava vendo era real, mas parecia mais uma miragem, ele não movia um músculo se quer. 

Fechei os olhos desejando para não passar de um efeito colateral do remédio. 

“ Mas é claro que um remédio pra dor de cabeça faz você ter miragens, Scar. ”

Abri os olhos esperando não o ver ali, e ele realmente não estava. 

“ Será que eu tô ficando doida? Não é possível, primeiro essa porra de voz me dando ordens e agora imaginando o Sr. Carter praticamente pelado na rua atrás da minha casa? É eu com certeza tô doida, alguém me interna. ” 

– SCARR! – Ouço Nathan gritar. Encaro o local onde ele estava, ou parecia estar. – Ei, o que houve com você? Até parece que viu um fantasma. 

– Quase isso... – Sussurrei. 

– Então é melhor entrar antes que ele venha te visitar de novo.

– Então você também viu ele? – Perguntei surpresa. 

– Scar, estava sendo irônico. – Respondeu sorrindo. 

– Babaca. – Murmurei. 

Será que eu estou louca? Jurei que ele estava ali, conhecia bem aqueles olhos pretos, melhor do que eu imaginava. 

“ O que aquele garoto fez comigo? O destino só pode estar tirando uma com a minha cara. ” 

Senti Nat tocar no meu braço tirando-me do transe em que estava. 

– Vamos lá, temos que terminar antes das 14:00. – Resmunguei o puxando para dentro da casa o fazendo segurar alguns produtos. 

Chegamos na sala, largamos os produtos e fui em direção ao home theater. Nathan me encarava, tentando descobrir o que eu faria. 

– Vou colocar uma música, é uma mania minha, sempre arrumo qualquer coisa escutando música. Pode até escolher, vou lá em cima colocar trocar de roupa. – Disse encarando. 

– Claro, vai lá. 

Subi as escadas lentamente, fui em direção ao banheiro, fechei a porta e vi um short e uma blusa velha pendurados, os peguei e vesti. 

Me apressei e desci as escadas pulando de dois em dois degraus. Deparei-me com o loiro com a mão no som, com uma cara de quem ia aprontar, quando menos esperava ele aumentou o som até o máximo e "Kept do Cristal Castle" começou a tocar, o vidro da sala começou a tremer levemente. 

O sol agora estava praticamente no seu ponto máximo deixando a sala praticamente toda iluminada, com um ar leve, transmitindo uma paz tão grande que naquele momento todos meus problemas se esvairiam. 

Só existíamos nos dois ali, um pano e uma vassoura. Nem havia percebido, mas os degraus já haviam acabado e meu corpo balançava de forma desengonçada, enquanto Nathan exibia um sorriso tímido balançando pra lá e pra cá. Um garoto que nunca nem imaginei conversar, agora havia se tornado um amigo e nem consigo explicar o porquê. Só sei que ele me transmite boas energias, quando fico por perto, é como se a palavra “ problema ” não existisse. 

A música mal havia começado, mas meu corpo estava quente, gotas de suor caiam sob meu rosto, meu cabelo já estava solto e alguns fios insistiam em ficar na minha boca. Nathan estava pulando junto comigo, nem um de nós parecia ligar, para o quanto estávamos dançando estranho ou mesmo para o que se encontrava ao nosso redor. 

Me deixei levar a batida da música e fechei os olhos, naquele mundo não existia pais que me abandonaram, não existiam mentiras, histórias mal contadas, só existíamos nos dois ao som daquela batida e um cachorro latindo incessantemente. Quando abri os olhos me deparei com Nat, me encarando. A música foi ficando baixa, e chegando ao seu fim. 

Me aproximei mais do Home Theater e abaixei o som, antes da próxima música começar. 

– Não sabia que gostava de Cristal Castle. – Disse. 

– Acho que não sabe nada sobre mim, mas isso é papo pra depois, vamos me ajude a limpar.

🚨

  Algumas horas depois... 

– Finalmente terminamos. – Nathan resmungou, se jogando no sofá. 

– Finalmente EU terminei, você nem fez nada, ficou tirando pó da estante o tempo todo, sempre no mesmo lugar. 

– É claro que sim, mas então vamos? Já são 13:00. E você realmente precisa de um banho, estou sentindo o cheiro daqui. 

– Vai se foder, esse é o cheiro do trabalho pesado, você que é burguês safado nunca deve nem ter lavado uma louça. – Retruquei subindo as escadas. – Já volto, vai ser rápido. 

Nem esperei a resposta e corri para o banheiro, tomei um banho rápido e sai enrolada em uma toalha. 

Ouvi vozes vindo da sala, e fui até a ponta da escada, onde pude ver Nathan conversando com alguém na porta, sua postura rígida deixando seus ombros maiores, mostravam que ele não estava feliz com a visita na porta.

" Que diabos esse garoto tá fazendo? Recebendo visita na minha casa? Tá fácil assim é? "

Comecei a descer, mas foi quando o loiro fechou a porta e se virou em minha direção. Sua expressão de raiva, foi suavizando e dando lugar a um sorriso malicioso, até parecia que eu estava sem rou... OPA. 

– VIRE PRA LÁ, SEU PERVETIDO. – Vociferei.

Ele gargalhou e se virou. Minhas bochechas começaram a esquentar, e naquele momento eu já deveria estar fazendo cosplay de pimentão. 

" Droga de cabeça esquecida."

Subi rapidamente e fui em direção ao meu quarto, coloquei um short larguinho e uma camiseta e um tênis, amarrei meu cabelo, que mais parecia um ninho de passarinho, num rabo de cavalo. 

Desci as escadas rapidamente e o loiro estava no sofá mexendo no celular, fui sorrateiramente até onde ele estava... 

– Qual a senha do Wifi? – Questionou se virando pra mim, estampado do seu rosto um sorriso debochado. 

Dei um pulo pra trás com o susto. 

– Como me ouviu? 

– Tenho uma ótima audição, e então, qual a senha? – Respondeu dando de ombros. 

– Sua mãe é minha, tudo junto. 

– Quê? – Ele riu, mas riu tanto que nem emitia mais som. 

– Sou criativa. – Respondi dando de ombros. 




Notas Finais


É ISSO AÍ GALERA, MAIS 2 CAPS ESTÃO POR VIR.

Obrigada por ler! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...